Resenha: conto "A aventura sem paralelo de um tal Hans Pfaall" e poema "Alone" ("Sozinho"), Edgar Allan Poe #12mesesdepoe

 Olá pessoal, tudo bem com vocês? E vamos para a resenha de mais uma leitura feita para o desafio literário 12 meses de Poe. Em abril, lemos o conto "A aventura sem paralelo de um tal Hans Pfaall". Se comparado aos demais textos lidos no desafio, é um conto relativamente longo, com cerca de 20 páginas.

Fonte da imagem: fan page 12 meses de Poe

 Diferente de outras histórias do autor, no conto do mês, o protagonista tem um nome: Hans Pfaall. Ele era um homem desesperado por causa de suas dívidas, e para fugir dos seus credores decidiu fazer um balão e ir morar na Lua! No conto, ele relata como foram os estudos para a criação do balão e seu diário de viagem. Vocês acham que essa viagem seria possível? E o que ele encontraria na Lua?

 Como já mencionei, é um conto um pouco maior do que os outros que já li dele, e como fui lendo-o  no celular quando surgia um tempinho, acabou que não consegui me conectar muito com a história. Talvez isso se deva também ao fato de que é um conto de ficção científica e que, enquanto eu lia, me sentia novamente nas aulas de Física da escola, com seus cálculos de distância entre um ponto e outro, velocidade, ângulos, e confesso que não dominava totalmente essas matérias.

 Acredito que para a época em que a história foi escrita e publicada pela primeira vez (século dezenove), e se lida no formato impresso ou numa tela maior do que a do celular, a história ficaria ainda mais interessante. E como uma das marcas das obras do autor, temos um desfecho que nos apresenta algumas possibilidades sobre as aventuras de Hans Pfaall, e cabe a nós, leitores, escolhermos em qual acreditar.

 O poema de abril foi "Alone", que em Português significa "Sozinho". Li o poema três vezes no arquivo enviado para os participantes do desafio, e não conseguia entender seu significado. Aí fui lê-lo em outra tradução, enviada pela Anna (a organizadora do desafio) no e-mail mensal que ela manda para os participantes, e aí sim pude compreendê-lo. Vou colocar aqui o poema que a Anna enviou para vocês poderem ler, aí vocês já poderão conhecer pelo menos uma das obras do Edgar Allan Poe:

 Poema "Sozinho", Edgar Allan Poe
 Não fui, na infância, como os outros
e nunca vi como outros viam.
Minhas paixões eu não podia
tirar de fonte igual à deles;
e era outra a origem da tristeza,
e era outro o canto, que acordava
o coração para a alegria.
Tudo o que amei, amei sozinho.
Assim, na minha infância, na alba
da tormentosa vida, ergueu-se,
no bem, no mal, de cada abismo,
a encadear-me, o meu mistério.
Veio dos rios, veio da fonte,
da rubra escarpa da montanha,
do sol, que todo me envolvia
em outonais clarões dourados;
e dos relâmpagos vermelhos
que o céu inteiro incendiavam;
e do trovão, da tempestade,
daquela nuvem que se alterava,
só, no amplo azul do céu puríssimo,
como um demônio, ante meus olhos.

 Por hoje é só, espero que tenham gostado do post. Me contem o que acharam da premissa do conto, e se gostaram do poema. Lembrando que comentando nesse post, você concorre ao livro "Ninfeias Negras" (publicado pela Arqueiro), mas é preciso deixar nome e e-mail para contato nesse formulário (clica). Recomendo que vocês assistam também o vídeo da Anna sobre o conto.

 Veja as demais resenhas e posts sobre o desafio clicando em: #12mesesdePoe.

Até o próximo post!

Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobInstagramYouTube| Snapchat: marijleite_pdl
5 comentários via Blogger
comentários via Facebook

5 comentários

  1. Maria!
    Com certeza leria o primeiro conto com prazer, porque amo ficção e física, junção perfeita em um conto de Poe.
    Quanto ao poema, mesmo esse traduzido pela Ana ou enviado por ela, é complicado mesmo de entender, mas já em uma segunda leitura, copreendemos bem.
    Adorei!
    “Preferi sempre a loucura das paixões à sabedoria da indiferença.” (Anatole France)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP COMENTARISTA ABRIL especial de aniversário, serão 6 ganhadores, não fique de fora!

    ResponderExcluir
  2. Oi.
    Ótima resenha. Gosto de contos e sou fã de Poe!
    Tudo perfeito.Não é uma leitura de fácil compreensão, tem que ser lido com calma e refletir a cada palavra. Mas gostei muito.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Oii! Como gosto de conto me interessou mto, parece confuso, mas eu leria com o maior prazer!
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Gosto muito de contos.E confesso que o achei um tanto quanto confuso e difícil.

    Talvez eu leria sim. Mas gosto de temas bem mais leves.

    ResponderExcluir
  5. Oi, Maria!!
    Adoro contos e esse sem dúvida leria facilmente!!
    Bjoss

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar :)!!! Sua opinião é muito importante para mim. Tem um blog? Deixe seu link que visitarei sempre que possível.
*comentários ofensivos serão apagados

Topo