Resenha: livro "O ressurgir dos eternos titãs", R. C. Vicente

 Olá pessoal, tudo bem? Na resenha de hoje venho comentar sobre minha experiência de leitura com o livro "O ressurgir dos eternos titãs", primeiro volume da série "As crônicas de Amindrius, Bérnia e Efendes", escrito pela portuguesa R. C. Vicente e publicado em 2017 pela Chiado Editora. Aperte o play ou continue lendo:



Resenha: livro "O ressurgir dos eternos titãs", R. C. Vicente

 "O ressurgir dos eternos titãs" é um livro de fantasia, cuja história se passa numa região composta por duas porções maiores de terra, chamadas de Os Gêmeos Indomáveis, e algumas ilhas. Esse território foi criado pelos deuses, e, além dos humanos, os Titãs (filhos de deuses) também foram habitá-lo. Mas, muito tempo atrás, houve conflitos entre os deuses, os titãs e os humanos por poder, e, como punição, muitos titãs foram enclausurados, aprisionados dentro de corpos humanos.

 "Há muitos séculos atrás, aqueles mágicos continentes tinham sido habitados por titãs. Seres que apesar de viverem sob um corpo humano, adoptavam muitas vezes suas verdadeiras formas. Dragões, Salamandras, Fénix, Serpentes, Lobos, Corvos, Piranhas e muitos outros, todos eles de tamanhos colossais e características e qualidades sobrenaturais. Criaturas que, quando enfurecidas, destruíam tudo à sua passagem." (página 73)

 As 100 primeiras páginas do livro são uma introdução, descrevendo o clima e a cultura de cada parte dos Gêmeos Indomáveis e das ilhas, com seus muitos reinos e impérios (inclusive temos povos que vivem no subterrâneo).

 Nos próximos 9 capítulos e no epílogo, a história principal se desenvolve. Na família Von Rimer, onde foram enclausurados titãs dragões, Vládimïr e Helena tiveram gêmeos: Maximiliano e Yágoh. Havia uma profecia que dizia que um dos dois seria um demônio (nada a ver com Diabo), enquanto o outro carregaria o sangue dragão. Não bastasse a aparência exótica de Maximiliano, com seus olhos estranhos, quando ele era um garoto, devorou a irmã mais nova, uma bebê. O pai tentou matá-lo naquele dia, matar o demônio, mas acabou mandando-o para lugar onde foi condenado a trabalhos forçados. Maximiliano só saiu de lá muito tempo depois, ao ter uma filha, e foi morar nas terras geladas do norte com o avô, Bóris, que rompeu relações com o filho Vládimïr.

 "Mal a porta do cómodo da filha se fechou num estrondo, Maximiliano abriu os braços e deslizou as pontas dos seu dedos maltratados pelas pareces daqueles corredores sombrios. À medida que caminhava, ia sentindo as texturas daquela velha pedra, ia se deliciando com a frieza daquele esqueleto que se fundia nas entranhas da enorme montanha. Mas então, os seus dedos de carne deram lugar a longas e afiadas garras negras que, em vez de apreciarem aquele material milenar, começaram a rasgá-lo como se fosse papel." (página 148)

 Maximiliano passou a ser conhecido como Demônio do Norte, e sua fama de cruel foi se espalhando pelos outros reinos. Mas nem tudo o que se dizia sobre ele era verdade. Maximiliano tinha um amigo, Daereque Salamandra, o sumo imperador que controlava boa parte dos Gêmeos, e que, sempre que podia, tentava prejudicar Vládimïr com a intenção de vingar Maximiliano.

 Conheceremos também os irmãos Gabriela e Christyen Mönttbráncc. Eles eram príncipes nas Ilhas Sálvicas, mas fugiram do tio que queria casar com a própria sobrinha. Foram viver nas terras geladas de forma muito simples, passando diversas necessidades, mas ao menos estavam vivos.

 "Gabriela perdeu o olhar no vazio e abstraiu-se da realidade, deixou-se embalar pelos sons da natureza. E no silêncio e solidão da sua mente, perguntou-se se quando ela ou Christyen morressem, o vento pararia de soprar e a neve mudaria a sua forma de cair. Perguntou-se se a vida deles faria alguma diferença naquele mundo tão grande que às vezes parecia querer esmagar tudo e todos." (página 161)

 O fato é que os Gêmeos Indomáveis e as Ilhas eram um território cheio de conflitos, que com a rivalidade entre os Von Rimer, as interferências de Daereque, e a presença dos príncipes desertores que ainda eram caçados pelas Ilhas Sálvicas, uma guerra ia estourar, destruindo alianças antigas e criando novas e inesperadas.

 "A guerra fora sempre constante, dera-se-lhe apenas outros nomes. Para se roubar e destroçar vidas, não havia necessidade de se derramar sangue." (página 448)

Resenha: livro "O ressurgir dos eternos titãs", R. C. Vicente

 Quando recebi "O ressurgir dos eternos titãs" da R. C. Vicente, não sabia bem o que esperar da história. Ele é um livro grande, com 600 páginas e uma diagramação que não desperdiça papel. Foi minha leitura durante todo o mês de fevereiro (um mês atribulado onde tive pouco tempo pra ler, e por isso demorei tanto, mas se estivesse num ritmo normal de leitura, acredito que teria lido o livro nuns dez dias). Nas primeiras 100 páginas, achei interessante todo o universo que a autora criou, mas foi só quando a história começou de fato, é que a leitura fluiu mais. Como a autora é portuguesa, o livro está em português de Portugal, o que não atrapalha a leitura, já que a maioria dos livros de fantasia tem mesmo uma linguagem com palavras diferentes.

 A R. C. Vicente tem vinte e poucos anos, é mais nova que eu, talvez alguns leitores se surpreendam com a história grandiosa que encontrarão em "O ressurgir dos eternos titãs". Tem muitas cenas de conflito, mortes cruéis e muito sangue. Mas também há um romance importante na trama (uns dez por cento do livro deve ser de romance). A R. C. Vicente acertou na construção desse relacionamento. Temos inúmeras histórias de romances onde o personagem masculino é poderoso,tem um lado sombrio e dominador, e acaba oprimindo a mocinha, não é o que acontece em "O ressurgir dos eternos titãs"! O trecho abaixo exemplifica bem isso:

 "- Naquele momento, transformaste os meus piores defeitos em virtudes, mesmo não querendo. E dali em diante segui os pedaços de luz nas tuas sombras (...) Mas, mas do que isso, não houve um único instante em que me sentisse como um verme debaixo dos teus pés. E é difícil não sentir isso. Até o meu irmão, por muito que ele me amasse e eu o amasse, às vezes, fazia-me sentir dessa maneira, com todas as suas reprimendas e exigências. Cobrando-me a compostura e o recato que ele mesmo não tinha - continuou, incapaz de desviar o olhar do dele. Amando-o em cada palavra proferida. - Nunca me senti tão livre como me sinto ao teu lado... nem tão presa como quando estás longe." (página 440)

 Acho que é impossível ver a premissa de "O ressurgir dos eternos titãs" sem lembrar um pouquinho de A Guerra dos Tronos da série As Crônicas de Gelo e Fogo (da qual só li o primeiro livro), nas duas tramas há dragões, conflitos entre famílias e reinos e muito sangue. Mas a condução das histórias totalmente diferente: além de toda a questão dos titãs, a R. C. Vicente não mata personagens importantes do nada. E gostei muito mais de "O ressurgir dos eternos titãs" do que de "A Guerra dos Tronos", nos personagens, no enredo, na descrição dos cenários e das batalhas...

 A autora faz com que a gente conheça os personagens, entenda o lado deles, seu ponto de vista. A maioria dos personagens mostra o seu lado bom em algum momento (ou seu lado mau), menos o tio da Gabriela, esse não tinha nada que salvasse. E aí a gente vê como os objetivos de cada um entram em conflito com os objetivos dos outros. Acho que o Vládimïr Von Rimer (o que tentou matar o filho demônio que devorou a irmãzinha) é um dos personagens que tem mais facetas. Mas ao longo da história, a autora também surpreende a gente, ao mostrar a verdadeira face de alguns personagens. Por exemplo, nunca ia imaginar a explicação por trás das diferenças entre o Maximiliano e Yágoh!

 Outra coisa que gostei muito, foi da diversidade que há na trama. A gente tem personagens de todos os tons de pele, e nenhum povo é inferior ou pior por causa da aparência. Há muitas personagens femininas fortes, muitas guerreiras que não deixam de ser mulheres por guerrear, temos muitas líderes, e dava um orgulho enorme ler sobre essas personagens. Uma que gostei especialmente foi a Rainha Ceifeira, a dona Dona Theodósia Stelisbuz , ela é maravilhosa!

 "- Mas de momento, minha senhora, ninguém nos pode negar um novo amanhecer - murmurou, aliviado.
 Dona Theodósia arqueou as sobrancelhas ao escutar aquilo. Nos seus olhos cor-de-avelã surgiu um estranho fulgor que quase roçava a alegria, algo bastante impróprio para a situação crítica em que se decidira meter, e nos seus lábios apareceu por segundos a sombra de um sorriso.
 - Tendes razão, Taúll... Tendes toda a razão... - ciciou.
 Se o jovem Fillestuz pudesse imaginar o que acabara de fazer pelas terras da Rainha Ceifeira, pela família das Piranhas, certamente, sentir-se-ia o mais orgulhoso dos homens. As palavras de uma pessoa podiam mudar a história de muitas outras." (página 292)

 O final fecha um ciclo, resolve a questão principal, mas me deixou curiosíssima para o próximo volume, pois algumas revelações foram feitas ao longo da trama, e eu não me conformo com uma coisa que aconteceu, mas uma outra profecia me faz acreditar que um determinado personagem ainda vai ter um final feliz.

Resenha: livro "O ressurgir dos eternos titãs", R. C. Vicente
Resenha: livro "O ressurgir dos eternos titãs", R. C. Vicente
Resenha: livro "O ressurgir dos eternos titãs", R. C. Vicente

 Apesar da falta de orelhas na capa, eu gostei da edição da Chiado. A capa traz a imagem de um dragão, e a cor combina totalmente com uma cena da história. As páginas são amareladas. Se tem erros de revisão, eu não percebi. A diagramação tem letras, margens e espaçamento, além de detalhes no início de cada capítulo, um mapa, o brasão e a árvore genealógica das famílias principais.

 Enfim, "O ressurgir dos eternos titãs" foi um livro que me surpreendeu e que gostei e recomendo muito, mas reforço que ele tem algumas cenas pesadas e é um livro grande. A história é interessante, daquelas que prende a gente, fechamos o livro mas continuamos pensando nos personagens, que foram muito bem construídos, com o seu lado bom e mau. Por mais que eu fale, talvez não consiga transmitir todo o meu encantamento com esse obra maravilhosa... Leiam, esse livro merece ser conhecido por mais pessoas.

 Detalhes: 606 páginas, ISBN-13: 9789895151059, Skoob, página no Facebook. Onde comprar online: loja da editora.

 Por hoje é só, espero que tenham gostado do post. Me contem: já conheciam o livro ou a autora?

Até o próximo post!

Me acompanhe nas redes sociais:

26 comentários

  1. Olá Mari, eu gosto muito de livros que falam dos deuses, titãs e mitologia em geral. A Chiado é uma editora muito querida para mim e já li vários livros dela, este eu ainda não conhecia e concordo que mesmo sendo escrito no português de Portugal, não atrapalha em nada o nosso entendimento.
    Parabéns por tua resenha, achei ela bem escrita e bem completa. Vou procurar o livro, e, eu também amei a capa, adoro roxo.
    Bjos
    Vivi
    https://duaslivreiras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Mari, gosto da tematica do livro e adoro GoT, fora que pelas fotos a diagramação está incrível e o livro é bem detalhado sem ser cansativo, mesmo sendo grande. Sua resenha chamou minha atenção para mais uma autora portuguesa que pelo visto vou virar fã.
    Bjs
    Tell me a Book

    ResponderExcluir
  3. Oii Mari. Eu sou fã da alta fantasia e acho que amaria ler essa obra. Faz bastante tempo que não me perco em calhamaços de fantasia e acho que ia amar me perder neste. Amei a sinopse e tudo. Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Só posso dizer que depois dessa excelente resenha, eu quero ler esse livro agora! kk Sério, acho que mesmo não sendo muito fã de histórias desse tipo, pode ser esse aquela famosa exceção à regra e eu espero que seja, pois terminei a leitura da resenha bem empolgada em conhecer a história!
    Abraços

    ResponderExcluir
  5. Que resenha maravilhosa! O livro é lindo, pelas fotos deu pra perceber que a edição esta bem caprichada.. E pela comparação que você fez entre Guerra dos tronos e O ressurgir dos eternos titãs, fiquei bem curiosa por essa leitura!! Muito boa a dica!

    Beijos,
    Conta-se um Livro

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    A diagramação está bem bonita e a capa me agrada muito, mas não sei se pegaria pra ler por agora. Fantasia não é meu gênero preferido e tenho aos poucos incluido novas leituras na minha lista.
    Sua resenha está um arraso por isso vou deixar anotado essa dica.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  7. Oi Mari, tudo bem?
    Não conhecia o livro e nem o autor.Amei a capa e a diagramação é linda, mas não fiquei curiosa para ler. Infelizmente não é o gênero que curto! Adorei a resenha, mas dessa vez passo a dica!
    http://colecionandoromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Eu amo livros de fantasia, e esse tem uma trama muito interessante. Fiquei feliz de saber que mesmo as 100 primeiras páginas sendo uma introdução ao enredo conseguem surpreender e deixar o leitor empolgado. Gostei da resenha, e principalmente de saber que essa é uma fantasia bem desenvolvida. Vou ler assim que tiver oportunidade!
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  9. Oiii,

    Nossa que livro interessante! Apesar de eu ter ficado com um pouco de preguiça põem as coisas só começarem a acontecer realmente depois da página 100, é algo que em geral me deixa com preguiça de seguir na leitura. Mas achei muito interessante uma história de fantasia com tantos elementos representativos é que tem um desenvolvimento adequado para os temas apresentados.

    Beijinhos...
    http://www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
  10. Não conhecia o livro, e confesso que o começo demorado me desanima um pouco.
    Bjs Rose

    ResponderExcluir
  11. O livro é grande mesmo, ainda mais se tratando de um livro praticamente introdutório. Li alguns livros de fantasia da editora Chiado e também não tive dificuldades com o português de Portugal. Espero que leia o próximo volume e traga a resenha, parece ser um ótima série.

    Abraços.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Olá
    Achei a diagramação do livro maravilhosa, mas não me interesso por esse gênero. Mas me parece ser uma ótima série.
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. É muito bacana quando a autora tem o dom de os leitores ligados na obra, mesmo que não esteja lendo. Gostei muito da sua resenha e do enredo, mas achei o livro muito grande. 606 páginas ufaaa.

    Bjo
    Tânia Bueno

    ResponderExcluir
  14. Olá, tudo bem Mari?

    Eu não conhecia a autora, achei a capa bem legal, curto literatura fantástica, mas achei esse livro um pouco grande, no momento não pretendo ler. A sua resenha ficou bem legal, gostei das citações e vou anotar a sua dica para ler no futuro "O Ressurgir dos eternos"!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  15. Oi Mari!

    Tudo bem? Caramba fiquei bastante interessada na história! Confesso que essas coisas de as primeiras 100 páginas serem de apresentação me deixa um tanto desanimada (e que você demorou um mês pra ler!), mas depois quando falou que a história fluiu e que gostou bateu total o interesse.

    Achei a capa linda e o mapa interno é de tirar o fôlego. Espero ter a oportunidade de ler.

    Beijinhos
    www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
  16. Oie!
    Nossa, que livro interessante!
    Ainda não conhecia esse título, mas o que passou nas suas impressões me deixou bem empolgada para ler. A capa me chamou bem a atenção, assim como a diagramação, está bem feita.
    Mais uma dica anotada para conferir!
    bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  17. Oi Mari! Que livrão! Achei a história interessantíssima, pois criar esse universo de titãs, com deuses e tudo, e fazer com que conheçamos o lado de cada criatura e personagem, achei muito bacana! A edição parece ser linda, com muitos detalhes e ilustrações. Sou apaixonada por fantasia e tenho certeza que esse livro vai ser uma ótima leitura.
    Bjoxx - http://www.stalker-literaria.com/

    ResponderExcluir
  18. Não sou de ler fantasia, mas fiquei bem animada com este livro aqui em função dos seus elogios, principalmente porque você se surpreendeu e o recomenda. Quero ler também.
    Beijos

    ResponderExcluir
  19. Achei a capa e a edição bem bonitos. O enredo também parece muito interessante e o fato de vc comparar à Guerra dos Tronos, com suas diferenças, me atrai ainda mais, pois sou fã da série. Gosto desse universo de fantasia com dragões e batalhas. Essa introdução tão longa me assusta um pouco, mas se for bem escrita e coerente tem seu valor. Adorei a resenha e a dica.

    *☆* Atraentemente *☆*

    ResponderExcluir
  20. Oie!
    Nossa, livro grande é apelido para ele, não? hahaha
    Que capa linda e que edição é essa? Cheia de ilustrações... trabalho lindo da editora.
    É tão bom quando um livro nos surpreende e nos conquista dessa forma, né? Mas infelizmente esse livro não faz muito o meu estilo de leitura, por isso, vou ter que deixar a sua dica passar :/

    beijos,
    Mayara

    ResponderExcluir
  21. AMEI sua resenha, adoro livros de fantasia, achei a resenha dele bem interessante e é bom saber que ele tem muitas páginas irei começar lê-lo hoje.

    ResponderExcluir
  22. Oi, Maria!
    Nossa, esse é um livro que exige um bom fôlego para ler, não é? - o que também acontece com As Crônicas de Gelo e Fogo. Sempre tenho uma preocupação com o quão bem o enredo é desenvolvido em livros grandes assim, quando você comentou que pelo menos cem páginas são gastas para introduzir a trama, fiquei um pouco mais aliviada - porque, convenhamos que, gastar um sexto do livro para ambientar o leitor é um sinal de que a trama é no mínimo preocupada em ser coerente. A premissa me deixou bastante interessada e as suas considerações me fizeram ficar intrigada com os desenvolvimentos que esse calhamaço traz. Anotei na linha lista para conseguir ler quando tiver um pouco mais de tempo hehe
    Beijo!

    ResponderExcluir
  23. Oii, Maria.
    Adorei conhecer esse livro através de sua resenha, amo fantasia e essa história parece mesmo muito boa!! Só tomara que a Chiado publique os próximos volumes porque já aconteceu de eu ler o livro de uma série lançada por eles e só terem publicado o primeiro volume :( Acho que vou esperar e se os próximos saírem quem sabe também não acabo lendo este livro.

    https://anneandcia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  24. Olá, tudo bom?
    Confesso que não sou muito fã de fantasias e que tantas páginas nos introduzindo a este universo acabariam por me cansar antes mesmo de iniciar a trama, por isso acho que não seria uma leitura para mim. Entretanto, acho que a premissa é uma ótima pedida para quem aprecia o gênero e que realmente parece ser uma obra grandiosa, muito bem escrita e com cenas fortes da medida certa.
    Vou anotar a dica para meus amigos que curtem fantasia ♥
    Beijos!

    ResponderExcluir
  25. Olá! Tudo bom?

    Que diagramação LINDA! Estou apaixonada, serio. Mas eu seriamente acho que eles deveriam colocar as orelhas do livro... Enfim, ainda não tinha ouvido falar da obra e não tenho muito o habito de ler esse gênero, apenas quando vejo um livro que está sendo muito comentando e acabo ficando curiosa sobre. Fiquei surpresa ao saber que a autora ainda é nova e já criou um universo desse, quanta criatividade <3 Gostei bastante da dica, e gostei ainda mais ao saber que é um livro grande ♥

    Um beijo

    ResponderExcluir
  26. Oi, tudo bem?
    Achei a capa e diagramação do livro bem bonito. É a primeira vez que vejo algo bem feito da Chiado (ops!). Mas a temática em si não me chamou atenção nenhum pouco. sua resenha foi maravilhosa, eu é que não gosto muito mesmo. Beijos

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar :)!!! Sua opinião é muito importante para mim. Tem um blog? Deixe seu link que visitarei sempre que possível.
*comentários ofensivos serão apagados

Topo