Resenha: livro "As faces da luz", Tatiane Durães

 Olá pessoal, tudo bem? O livro da resenha de hoje é As faces da luz, escrito pela Tatiane Durães.

Livro As Faces da Luz, Tatiane Durães

 Conheci As faces da luz quando o livro ainda nem tinha sido publicado, na época em que a autora buscava financiamento para lançá-lo. Foi amor à primeira vista! Vi a capa linda e pensei: tenho que ler esse livro! Não importa qual seja a história, com essa capa, eu preciso ler! De lá para cá, a Tatiane Durães já lançou o livro de forma independente, colocou o e-book na Amazon, conseguiu uma editora e organizou um book tour. Foi nesse book tour que me inscrevi, tendo a oportunidade de ler As faces da luz.

 A maioria dos capítulos é narrado em primeira pessoa pela protagonista, e há alguns que são narrados por outros personagens, nos dando um vislumbre maior de toda a história. Tayara era uma jovem que levava uma vida comum e normal, morava com a mãe em uma casa numa área próxima de uma reserva florestal da Mata Atlântica. Até que, certo dia, algo estranho aconteceu: um lobo enorme apareceu na casa de Tayara e obrigou ela e sua mãe a entrarem em um portal mágico.

 Do outro lado do portal, estava Arcantatys, ou o que os humanos chamam de mundo mágico. O mal ameaçava destruir a paz de Arcantatys, a guerra ia e voltava, durante anos. Por isso, o rei Cedric, um elfo, mandou buscar Sonia, a mãe de Tayara, no mundo dos humanos. Ela era metade humana e metade elfa, descendente de uma linhagem vinda de um príncipe elfo, portanto, era a rainha destinada a fazer com que os elfos voltassem a se unir (havia mais de um reino de elfos em Arcantatys, Cedric era o rei de um desses reinos, Sônia seria a rainha de outro desses povos elfos, que havia se dispersado sem um líder). As forças do bem precisavam se unir, para poder lutar contra o mal.

 "- Ela não conhece nosso mundo, nem conheceu como ele era antes - Nasser ia contando e todos concordavam e se olhavam - nosso mundo é tão grande quanto o seu. Tínhamos mais florestas do que você possa imaginar, havia também humanos, vampiros, lobisomens, fadas, duendes, elfos, todos viviam em harmonia, até os bruxos, apesar de não se misturarem muito. Não sabemos exatamente o que aconteceu naquela época, porém o que contam é que alguns bruxos descobriram um livro antigo, o qual continha magia proibida e começaram a estudá-lo e essa magia os consumiu. No começo, todas as espécies, até bruxos, se uniram para combatê-los, mas eles eram muito fortes, então os bruxos brancos junto com uma bruxa em questão, que você sabe quem é, conseguiu derrotá-los, ela tinha o dom de absorver a magia dos outros sem matá-los, mas a magia que ela absorveu era maligna demais e ela acabou se corrompendo e virou o que todos conhecemos." (páginas 98 e 99)

 O problema é que Tayara também tinha uma descendência, um passado. Ela era a reencarnação de Agatha, uma bruxa responsável por grande parte dos problemas causados em Arcantatys. Agatha deixou um rastro de destruição por onde passou, com sua magia negra, esteve muito perto de conseguir vencer as forças do bem em Arcantatys. Mas foi destruída por Aodh, o elfo por quem era apaixonada, não sem antes lhe jogar um feitiço: se ele não seria dela, não seria de mais ninguém.

 Quando foi descoberto que Tayara era mais do que uma simples humana, que tinha parte de Agatha dentro de si e, consequentemente, magia negra, ela passou a ser vista com desconfiança. Conseguir encontrar seu lugar em Arcantatys se tornou uma tarefa muito difícil, ainda mais por o feitiço lançado sobre Aodh parecer continuar funcionando, de forma que ele estava preso a Tayara. Ela se apaixonou por ele, mas ele tinha outras prioridades, mesmo aparentemente se rendendo ao feitiço.

 Tive um caso de amor e ódio com Aodh, ele poderia ter sido um mocinho, mas pela forma como lidou com sua situação com Tayara, acabei ficando com raiva dele. Felizmente haviam outros caras interessantes no livro. E a autora equilibrou bem a dose de romance no livro de ficção fantástica. Tayara foi minha personagem preferida, corajosa, tentando descobrir seu caminho.

 "Eu corei com o comentário, não queria ser conhecida, eu nem sabia direito o que estava fazendo aqui. Tinha entrado de gaiato na história da guerra entre o bem e o mal, quando minha mãe havia sido chamada para esse mundo e eu vim junto. Agora eu ia ser conhecida? Isso me dava a sensação que seria uma responsabilidade enorme e eu não sabia se queria isso." (página 111)

 Sabe aqueles livros onde as coisas ficam cada vez mais difíceis para o protagonista? As faces da luz é um desses! Surgem tantos problemas para a Tayara, que eu pensava: "Mulher, abre logo um portal e volta pra sua casa!" A história tem um nível de tensão semelhante a que senti ao ler A guerra dos tronos, o que me fez ficar triste durante a maior parte da leitura. Surpreendentemente, quando cheguei ao final, não queria que tivesse acabado. Terminei o livro e minha cabeça ficou fervilhando, pensando no que aconteceria na cena seguinte. As faces da luz é o primeiro livro da Trilogia Arcantatys (o segundo vai se chamar As faces das sombras e está em fase de revisão, se alguém tiver alguma ideia de como eu posso convencer a autora a liberar o primeiro capítulo dele, me avise por favor, porque As faces da luz termina numa super cena e eu preciso saber o que vai acontecer!). 

 "Que bela idiota que eu sou, de que isso adianta? Eu sou o castigo dela, uma humana boba, que se apaixonou pelo mesmo elfo que ela. Que bela ironia e agora ainda eu estava destinada a consertar toda merda dela." (página 272)

 As faces da luz tem uma boa história, o texto podia ser um pouco mais lapidado e a revisão melhorada (a edição da Editora Cata-vento tem outra revisão). É uma boa indicação para quem curte histórias cheias, eu disse cheias, de magia e de seres fantásticos: lobisomens, vampiros, fadas e até dragões. E foi interessante observar que não basta um personagem ser de determinada espécie para ser bom ou mau, e que convivendo juntos, em grupos heterogêneos, eles poderiam ser mais fortes.

As Faces da Luz, Tatiane Durães, livro, resenha, sinopse, capa, literatura nacional, ebook,
Sinopse do livro As Faces da Luz, Tatiane Durães
Diagramação do  livro As Faces da Luz, Tatiane Durães
Tatiane Durães

 A edição que li foi a lançada pela autora no Clube de Autores, como disse anteriormente, a capa é linda! As páginas são brancas, as margens e o espaçamento tem um tamanho bom e a letra tem um tamanho relativamente pequeno, mas possível de ler confortavelmente, de forma que há espaço para muita história nas mais de quatrocentas páginas. A segunda edição foi lançada pela Editora Cata-vento, sei que tem o mesmo número de páginas e a mesma capa, mas não posso falar sobre a diagramação.

 Detalhes: 452 páginas, Facebook: páginagrupoSkoob, Onde comprar online: loja da editora (físico, está em promoção e com frete grátis), Amazon (e-book).

 Por hoje é só, espero que vocês tenham gostado da resenha. Alguém aí já leu ou conhecia o livro?

 * Participem dos sorteios do blog: resenha premiada valendo o livro A evolução de Calpúrnia Tate e promoção valendo livro Irresistível e brindes.

Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobGoodreadsBloglovin (receba os posts do blog no seu e-mail)| Instagram.
15 comentários via Blogger
comentários via Facebook

15 comentários

  1. Oi MariJey,
    Também estou nesse booktour e serei no meu grupo a próxima a receber.
    A primeira impressão quando vi essa capa foi também eu tenho que ler.
    Muito bom saber que além de lindo, ele é bom.
    Ansiosa para recebe-lo,
    bjs
    Luana
    www.blogmundodetinta.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Mari,

    Fico feliz que tenha gostado da história, da Tayara e tenha odiado o Aodh!! hehe... A diagramação do livro, na Cata-vento, continua a mesma, pois foi eu mesma quem a fez. Foi só a revisão que teve mais atenção mesmo.
    Muito obrigada por participar do booktour e pelo carinho destinado ao As Faces.

    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu é que agradeço!
      Obrigada pela visita e comentário.

      Excluir
  3. Oie,
    não conhecia o livro, mas gostei bastante da capa e resenha.
    Vou colocar na minha lista

    bjos
    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  4. Já tinha vontade de ler esse livro, mas depois de ler sua resenha me deu mais vontade ainda, parece ser um livro muito bom *-*

    http://escritasnachuva.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oiiiii flor,estou quase terminando de ler o livro e estou amando tudo.Como você, eu também estou odiando o Aodh e não sei você, mas eu estou amando, perdidamente apaixonada pelo Ariosto, preciso de um lobo desse para chamar de meu,hahahaha.

    Bjs flor, depois passa no meu blog para saber o que achei, assim que sair a resenha postarei na page.

    bjs e sucesso


    ateliedoslivros.blogspot.co.br

    ResponderExcluir
  6. Nossa que livro interessante! Fico feliz com as editoras apoiando cada vez mais os autores nacionais ajudando-os a divulgar seus trabalhos. Pela sua resenha, que está ótima, fiquei com muita vontade de ler!

    Beijos,
    http://www.girlbeinggeek.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oláa Mari. Adorei a resenha. Eu não conhecia esse livro, mas realmente, a capa é um arraso de linda. Eu gosto de histórias que envolvem seres mitológicos, ainda mais quando a autora sabe equilibrar as doses de romance em meio a tantos problemas.

    Blog | Paixonites Literárias Xx

    ResponderExcluir
  8. Eu terminei ele ontem, e adorei.
    Eu esperava uma coisa diferente, e me surpreendi com o que encontrei.
    Adorei a resenha ^^


    Minha Fuga da Realidade

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar :)!!! Sua opinião é muito importante para mim. Tem um blog? Deixe seu link que visitarei sempre que possível.
*comentários ofensivos serão apagados

Topo