Resenha: livro "Os Cavaleiros do Inverno", Cecília Reis

 Olá pessoal, tudo bem? Na resenha de hoje venho comentar sobre minha experiência de leitura com o livro "Os Cavaleiros do Inverno", primeiro volume da série Hiemis, escrito pela Cecília Reis e lido na versão em e-book disponível na Amazon.

Resenha: livro "Os Cavaleiros do Inverno", Cecília Reis

 A história é Narrada por Anelise, uma garota que vê sua vida mudar repentinamente: a mãe, com quem ela morava, morre, e seis demônios (não aqueles do Diabo/inferno) vão para o apartamento da jovem dizendo que ela não é humana e que têm a missão de protegê-la, já que a jovem pode ser a herdeira do título de Princesa da Corte do Inverno, e nessa disputa pelo título, ela é a concorrente aparentemente mais fraca.

 "Não havia nenhuma resposta ali. Só mais daquele desconforto. Eu não conhecia minha mãe tão bem quanto gostaria."

 Com uma capa linda, feita pela talentosa Marina Avila, o e-book de "Os Cavaleiros do Inverno" é uma leitura rápida, por ter apenas 115 páginas e também pela escrita fluida da autora. Confesso que eu queria uma história mais aprofundada, que me permitisse entender melhor o universo criado pela autora e quem era Anelise antes da morte da mãe (quantos anos ela tinha, onde morava...), o que não impediu que eu admirasse a forma como os personagens foram construídos.

 "Princesas são criaturas sábias, intocáveis, altivas, que adquiriram saberes capazes de mudar a realidade. Abaixo delas, estão seus consortes, os Príncipes, que tentam aprender com a visão das Princesas e passar sua sabedoria a diante. Suas palavras eram o evangelho que guiava as Cortes. Inverno, Primavera, Verão e Outono. Os nomes das estações eram o mais próximo que os humanos tinham para encarnar o significado de cada Corte, mas não havia nada relacionado com algum ciclo de clima e tempo de algum planeta.
 Levi era da corte da Primavera, mas há bilhões de anos servia na Corte do Inverno.
 Bilhões de anos. O que era estar vivo por bilhões de anos?"

 Danial, o Duque, que comanda os demais demônios, tem um jeito estranho de se dirigir à Anelise, chamando-a de "minha rosa" e coisas semelhantes. A magia de Levi, o Cortesão, um Incubus, estava ligada ao prazer, o que o fazia ser visto como inferior aos demais, mas ele era também o mais gentil com Anelise. Já Sindri, o General, se mostrava bastante sombrio e agressivo. Samael, o Professor, era um Mestre de Alquimia, estudioso e concentrado, enquanto os gêmeos Azazel e Belial são o Conde, sempre aprontando travessuras.

 "Seu sorriso me fez sentir quente. Seu toque deixou marcas nas minhas bochechas e, por um momento, o cheiro de comida pareceu muito doce. A imagem da minha mãe foi substituída aos poucos pelo brilho dourado dos olhos diante de mim.
 — Isso é inapropriado, Leviatan — Samael disse, mas foi apenas um sussurro.
 — Ela estava em agonia. Acho que esse sentimento é um pouco melhor, não?
 — Não abuse do seu privilégio, verme — ouvi a voz do General ameaçar, mas parecia distante demais. Eu só tinha atenção para os cabelos ruivos e o almíscar do homem aos meus pés."

 Ao longo da leitura, nós e Anelise não sabemos em quem confiar, nem o seu próprio apartamento é um local seguro, com cômodos que mudam de tamanho. Nos capítulos finais, alguns caminhos nos são apontados, e se o segundo volume se chama Os Servos do Duque, podemos ter uma ideia do que nos aguarda na continuação da jornada de Anelise para sobreviver e, quem sabe, ser a próxima Princesa da Corte do Inverno.

 "Ele tomou os brincos das minhas mãos e as fechou em seus dedos. Sua mão tinha unhas longas. Verdadeiras garras.
 — Nunca use nada que um demônio lhe der, pirralha. Você não sabe o que pode estar nelas.
 — Foi Levi… que me deu.
 — E o que você acha que ele é? O que você acha que todos nós somos?"

Resenha: livro "Os Cavaleiros do Inverno", Cecília Reis

 Pelo que pesquisei, a versão impressa vendida pela Editora Wish traz o volume 1 e o 2:  "Os Cavaleiros do Inverno" e "Os Servos do Duque", os e-books é que são separados e o terceiro volume também pode ser encontrado na Amazon.

 "— Não é apropriado para uma protegida do Duque participar de tal reunião desarrumada — Levi tentou argumentar.
 — Não existe nada que você faça, Cortesão, que vai torná-la apropriada — o General disse, afiado — Mova-se."

 Enfim, fica a minha recomendação de leitura rápida e nacional para os fãs de fantasia, especialmente para quem gosta de histórias mais surreais, ao estilo Alice no País das Maravilhas. Ah, a protagonista é negra! Me contem: já conheciam o livrou ou a autora?



Até o próximo post!

Me acompanhe nas redes sociais:

Conheça os blogs participantes do Projeto Próximo Capítulo

Conheça os blogs participantes do Projeto Próximo Capítulo

 Olá pessoal, tudo bom? Hoje venho trazer uma novidade: o Projeto Próximo Capítulo, onde vários blogs literário se reuniram com a ideia de, através de blogagens coletivas, falar sobre livros, seja por temas, maratonas, tags, sorteios, etc.

 Criamos o Próximo Capítulo com o intuito de ser, não apenas um projeto sobre livros, mas uma forma de dizer sobre eles de uma jeito diferente com opiniões e gostos diferentes. Cliquem nos nomes dos blogs abaixo para conhecer todos os participantes.

 Próximo Capítulo significa a próxima leitura, aquilo que você pode ler depois e nós esperamos que você goste do que irá ler aqui no nosso projeto. Mês que vem já estará disponível o primeiro post do projeto, fiquem atentos nas nossas redes sociais para nos acompanhar.

 Por hoje é só, gostaram da novidade? Já conheciam os blogs participantes?

 Se ainda não é inscrito no canal, clique aqui e se inscreva, aproveita que está rolando sorteio de um kit maravilhoso da TAG Experiências Literárias, vem participar. Falando em sorteio, corre lá no Instagram para participar do sorteio de um livro muito lindinho. Agora, se você está preocupado com o tanto de livro que ainda tem pra ler, clique aqui e dê uma olhada nesse desafio literário que pode te ajudar nessa missão.
Até o próximo post!

Me acompanhe nas redes sociais:

Caixa de Correio: livros recebidos em dezembro

 Olá pessoal, tudo bem? No post de hoje trago um vídeo mostrando os livros que recebi no último mês. Foram 21 novos moradores para a minha estante (e olha que não contei os recebidos da Black Friday já mostrados em outro post). Apertem o play para conferir um pouquinho sobre cada livro:



 Viram só quantos livros interessantes e diferentes? Acabei não conseguindo tirar foto de todos juntos, o dia em que gravei o vídeo foi meio agitado... Mas aí embaixo coloquei fotos de alguns:

Olha o que chegou hoje: o #livro #AmorHistóriaseCupcakes da #SueWatson. Confesso que o quis por caisa da #capalinda! Alguém aí já leu? Olhem a sinopse: 🍁Faye Dobson perdeu seu brilho. Vivendo de fantasias cinematográficas e vagas memórias do que seu casamento já foi, ela não pode evitar o sentimento de que a vida está passando por ela. Faye sonha em ser sequestrada para um jantar em Paris, fazer três desejos na Fontana di Trevi e fazer sexo sob as estrelas. Mas as rugas começam a aparecer, a paixão de seu marido é pelo trabalho e o mais perto que ela chegará de Roma é o delivery de pizza. Quando Faye conhece Dan, um lindo surfista australiano que trabalha na delicatessen da cidade, ela não consegue deixar de pensar em como seria conhecer o mundo. Ele é loiro, bronzeado, dez anos mais novo e faz o melhor cupcake de limão. Diferente de seu marido, Dan realmente a ouve, seus sorrisos fazem com que ela se sinta quente e quando ele sorri... Ai, Meu, Deus. Mas será que Faye está sendo boba? O que Dan veria em alguém como ela? E, mesmo que visse algo, ela poderia desistir de tudo para ficar com ele? Uma comédia hilária e cativante sobre como tomar as rédeas de sua vida, antes que seja tarde demais. #leiamulheres #NovoNaEstante #livronovo #books #leitura #bookgram
Uma publicação compartilhada por Maria - Pétalas de Liberdade (@marijleite) em

Uma publicação compartilhada por Maria - Pétalas de Liberdade (@marijleite) em

 Onde comprar a antologia "Com outros olhos": Amazon físico , e-book -  ; loja da editora; SubmarinoShoptime

livro "Dias de Chuva" da Carolina Mancini

 Foto para vocês verem melhor o mural (lembrei o nome!) que veio com o livro "Dias de Chuva" da Carolina Mancini. Pelos desenhos dos personagens, dá pra ver que tem representatividade na obra ♥!

 Confiram a sinopse: Se neste mundo existissem bruxas e feiticeiras, se existissem criaturas das trevas, matis e visagens e estivessem todos escondidos entre os prédios, na miséria e nos nossos sonhos, as escolhas seriam tão diferentes do que conhecemos?Julia nasceu no cerne de uma família desestruturada, fruto de vícios, fome e pobreza, mas também nesse mundo, onde a magia se esconde. Ainda criança, conhece Audrick, um jovem soturno e misterioso, que vendo nela um grande dom, intervêm em sua família criando planos e moldando seu destino. Porém, na margem desse caminho, Vânia, tio de Audrick (um homem pérfido e aliciador de jogos de azar) também escreve a trama. Com o tempo, a garota descobre seus próprios segredos e mistérios, até que precisará enfrentar seu maior e mais poderoso rival.Esta é uma história sobre humanidade, sobre caminhos e destino. Sobre busca e abandono. Sobre encontrar e perder-se. Sobre plantar e colher.

Olha que coisa linda chegou hoje! A série #OsBedwins da #MaryBalogh publicada pela #EditoraArqueiro ❤. Eu já li o primeiro e o terceiro, e creio que, comparada com outras séries de #romancedeepoca, essa seja menos hot/doce e tenha um pano de fundo mais histórico. Comprei todos os 6 especialmente por causa do último, onde a mocinha derrama limonada nos olhos do mocinho carrancudo no primeiro encontro 😄. Pra minha felicidade ficar completa, só falta a @saraivaonline e os @correiosoficial entregarem o resto das minhas compras da #blackfriday que não chegaram até hoje 😤. #livros #novosnaestante #livrosemaislivros #amoler #leiamulheres #euleioarqueiro #leitura #bookgram #igreads #booktuber #booksofinstagram #goodreads #currentlyreading #bookcommunity #blogliterario #bookblog #readinglist #literature #bookblogger #ilovebooks
Uma publicação compartilhada por Maria - Pétalas de Liberdade (@marijleite) em
Sorteio-Tag-Livros

 O kit da TAG Experiências Literárias que está sendo sorteado, cliquem aqui para saber como concorrer.


 Os livros recebidos do Grupo Editorial Record referente aos meses de setembro, outubro e novembro. Lá no Instagram tem post sobre Eles não usam black-tie.

 Por hoje é só, espero que tenham gostado do vídeo e do post. Me contem: já conheciam, leram ou querem ler algum dos livros mostrados? Aproveitando, convido vocês para participar do sorteio do livro Adágios, é só clicar aqui.

Até o próximo post!

Me acompanhe nas redes sociais:

RESULTADO: Maratona Literária Desencalhando Livros


Olá Leitores (as), como estão? Hoje trago a vocês o balanço geral das minhas leituras durante a Maratona Literária Desencalhando Livros, que ocorreu entres os dias 12 de Dezembro de 2017 á 12 de Janeiro de 2018, e foi organizado pela Maria, nossa blogueira maravilhosa e criativa . A maratona teve o intuito de fazer com que nós leitores lêssemos aqueles livros que há tempo estão parados e encalhados em nossas estantes.


Na última sexta- feira dia 12 de Janeiro de 2018 terminou a maratona e infelizmente eu flopei. Quer dizer que não consegui ler todos os livros escolhidos, isto porque comecei a maratona antes do dia estipulado. Mas consegui ler três livros fenomenais. Venham conferir quais foram as obras!


A Maria nos indicou 5 temas, que nos auxiliaram na escolha das nossas leituras. Esses temas não eram fixos, os leitores a partir dos seus livros encalhados poderiam montar sua maratona, e esta liberdade ao meu ver foi algo muito legal. Já que não ficou algo desestimulante, muito pelo contrário se tornou algo bastante flexível.
Como mantive os temas, agora irei mostrar os livros escolhidos para cada uma das categorias:  

1- Encalhado a mais tempo na estante: esse é autoexplicativo, um livro que está há muito tempo na sua estante e que você não leu ainda.
Escolhi o livro Sempre Foi Você, da autora Carrie Elkes. Um livro que me arrependi de tão não ter lido antes, se ficou curioso para saber mais sobre esta história tem resenha dele aqui no blog.




2 - Encalhado nacional: também autoexplicativo, um livro de um autor brasileiro que está há muito tempo na sua estante e que você não leu ainda.
Escolhi o título O Garoto dos Olhos Azuis, da autora Raiza Varella. Que comecei a lê-lo antes da maratona terminar, porém só consegui concluir a leitura depois do dia 12. Inclusive logo terá
resenha desse livro aqui no blog. Não percam!

3 - Novo na estante mas que corre o risco de ficar encalhado: um livro que não faz tanto tempo assim que você tem na estante, mas que corre o risco de ficar encalhado se você não o ler agora.
Li o livro Laço Eterno, da autora Renata Melo. Esta foi uma leitura rápida, gostosa, e muito agradável, e se vocês quiserem conferir mais sobre este livro, também tem resenha desta obra aqui.



4 - Um encalhado que você não sabe o porquê de estar encalhado: um livro que você queria muito ler, conseguiu adquirir mas ainda não leu.
O livro A História de Nós Dois, da autora Dani Atkins, era um livro que eu queria muito ler, mas acabava sempre adiando. Graças a maratona tive oportunidade de lê-lo, e até que foi uma leitura um tanto quanto surpreendente. Logo,logo, irei postar a resenha desta obra, por isto não percam.


5 - Série encalhada: livro que faz parte de uma série:
Infelizmente não consegui ler o livro Bela Distração, da autora Jamie McGuire, escolhido para esta categoria. Porém pretendo lê-lo ainda este ano.



Esta foi a primeira maratona que participei, e acredito que os motivos que me levaram a não conseguir ler todos os livros servirão como aprendizado para as próximas que virão. Além de que a interação entre os participantes foi muito importante e gratificante. Conseguimos dividir nossas leituras, e opiniões sobre as obras, nossos medos, receios e alegrias. Mas, e vocês já tiveram oportunidade de ler algum desses livros, ou se interessaram pela leitura? Deixem nos comentários a opinião de vocês, é sempre muito importante e bem vinda.


Espero que tenham gostado, e por hoje é só.


Até o próximo post

Me acompanhe nas redes sociais:

Resenha: livro "Nós matamos o cão tinhoso", Luís Bernardo Honwana

 Olá pessoal, tudo bem? Na resenha de hoje venho comentar sobre minha experiência de leitura com o livro "Nós matamos o cão tinhoso", escrito pelo moçambicano Luís Bernardo Honwana e publicado no Brasil em 2017 pela Editora Kapulana. A obra é composta por oito contos, sete já publicados em edições anteriores e um publicado pela primeira vez nessa edição. Um pouco sobre cada conto:

Resenha, opiniao, fotos, capa, citações, contos, literatura-africana, livro, Nós-matamos-o-cão-tinhoso, Luís-Bernardo-Honwana, kapulana
 "O Cão Tinhoso olhava-me com força. Os seus olhos azuis não tinham brilho nenhum, mas eram enormes e estavam cheios de lágrimas que lhe escorriam pelo focinho. Metiam medo aqueles olhos, assim tão grandes, a olhar como uma pessoa a pedir qualquer coisa sem querer dizer." (página 36)

 O primeiro conto é o que dá título ao livro. Com cerca de quarenta páginas e narrado pelos olhos de um menino, "Nós matamos o cão tinhoso" nos apresenta um grupo de estudantes que mora numa vila onde há um cão cheio de marcas e feridas (prefiro não revelar aqui o que causou essas marcas), e que por seu aspecto repulsivo e seus olhos muito expressivos, causa medo e repulsa nas crianças e nos outros cães. Somente uma das garotas da escola não o temia, e por mais esse motivo era considerada "ruim da cabeça". O título do conto já deve lhes dar uma ideia do que acontece, não é mesmo?! Mas não pensem que foi algo fácil, algo que não trouxe uma reflexão para os garotos, que não mexeu com eles de alguma forma.

 "Eu sabia que ele já sabia de muitas coisas para só querer o que qualquer cão podia ter. O Cão tinhoso devia estar à espera de qualquer coisa diferente do que os outros cães costumam ter" (página 44)

 "Inventário de imóveis e jacentes" é apenas a descrição de uma casa, com seus cômodos e móveis. E mesmo sendo apenas uma descrição de poucas páginas pelos olhos de um dos filhos do dono da casa, foi um dos contos que mais gostei. É uma casa pequena para o número de pessoas que abriga, uma casa simples, mas onde há livros. Em "Dina" somos apresentados ao árduo trabalho numa plantação de milho. Trabalho que fica ainda pior quando o capataz branco demora a chamar os trabalhadores para a hora do almoço. Mas o que os pobres trabalhadores poderiam fazer?

 "A velhota" é sobre um rapaz que depois de ser agredido, decide ir até a casa da mãe e dos irmãos mais novos. Lá, ele se sente dividido entre contar aos irmãos pequenos sobre a brutalidade que enfrenta e um fiapo de esperança de que o futuro seja diferente para os irmãos, que talvez eles não se revoltem como ele ao ser humilhado ou que talvez os mais novos vivam numa época melhor, sem sem tantas humilhações.

 "E precisava ir para casa para encher os ouvidos de berros, os olhos de miséria e a consciência de arroz com carril de amendoim." (página 81)

 "- Conta, conta! - e os miúdos rodeavam-nos na esteira.
Não, eu não contaria. Não fora para isso que viera para casa. Além disso, não seria eu a destruir neles fosse o que fosse. A seu tempo alguém se encarregaria de os pôr na raiva. Não, eu não contaria." (página 84)

 "Por que não acreditar em qualquer coisa de giro? Como por exemplo que a formação dos miúdos fosse diferente da minha e que lhes conferisse uma condescendência para com aquelas coisas, uma condescendência que as minhas coordenadas emocionais não comportavam... E que talvez, eu sei lá, que talvez para com eles o tempo obrigasse a mais compreensão, mais carinho, sim, a mais humanidade... Porque talvez a velhota tivesse razão, há o tempo, o tempo..." (página 85, "giro" significa interessante, bonito)

 "Papá, cobra e eu" volta a ser narrado por um garoto, em cuja propriedade há uma cobra que está causando problemas para a família. E veremos a aproximação do menino com o pai, que lhe dará sábios conselhos que talvez ele só compreenderá quando for maior.

 "- Meu filho, tem de haver uma esperança! Quando um dia acaba e sabemos que amanhã será tudo igualzinho, temos de ir arranjar forças para continuar a sorrir e continuar a dizer ‘isso não tem importância’. Ainda hoje viste o Sr. Castro a enxovalhar-me! Isso foi só um bocadinho da ração de hoje... Não, meu filho, mesmo que isto tudo só O negue, Ele tem de existir!...
 O Papá parou de repente e sorriu num esforço. Depois acrescentou:
 - Mesmo um pobre tem de ter qualquer coisa... Mesmo que seja só uma esperança!... Mesmo que ela seja falsa!..." (página 103)

 "- Sabes, meu filho, - o Papá falava pausadamente e gesticulava muito antes de cada palavra - sofre-se muito... Muito, muito, muito!... A gente cresce com muita coisa cá dentro mas depois é difícil gritar, tu sabes...
[...] Quando um cavalo endoidece dá-se-lhe um tiro e tudo acaba, mas aos cavalos mansos mata-se todos os dias. Todos os dias, ouviste? Todos , todos, todos enquanto eles se aguentarem de pé!..." (página 104)

 "As mãos dos pretos" traz a curiosidade de um garoto em entender o motivo de as palmas das mãos dos negros serem mais claras que o restante do corpo. Curiosidade que gera muitas histórias com visões diferentes, algumas bem racistas, mas é a explicação da mãe que mais vai tocar o garoto.

 "Pois olha: foi para mostrar que o que os homens fazem, é apenas obra de homens... Que o que os homens fazem é feito por mãos iguais, mãos de pessoas que se tiverem juízo sabem que antes de serem qualquer outra coisa são homens." (página 109)

 "Nhinguitimo" começa falando sobre pássaros, depois nos mostra como os sonhos de prosperar através do trabalho duro poderia ser destruído pela ganância dos que já tinham dinheiro.

 "- Matchumbutana... - Vírgula Oito falava lentamente, titubeante - Matchumbutana... Eu nasci naquela terra... O meu pai também nasceu lá. Toda a minha família é do Goana... Os meus avós todos estão lá enterrados... Maguiguana, o Lodrica tem lojas, tem tratores, tem machambas grandes... Por que é que ele quer o nosso sítio? Por quê?" (página 128)

 "Rosita, até morrer" é o último conto do livro, um extra publicado na edição da Kapulana, e é uma carta de Rosa para Manuel, o pai de sua filha. Rosa não escreve usando a grafia correta das palavras, mas faz o possível para mostrar para Manuel que se lembra dele e que ficaria contente se pudesse vê-lo novamente, já que faz tempo que ele a abandonou. É um conto tocante.

 "Quando tu quer tu vem escançar, só escançar, conhecer tua filha comer os ovo com galinha, com cabrito quando vocé guenta, beber ucanhi nas família da terra, tomar banho no rio, dançar xingombela no casa de N’Dlamini, mais nada. Quer? Vocé vai pruguntar as pessoa que anda aqui a falar assim: O! Manuel tem esta nossa pele mas agora é branco, comprou ser branco nos papel, esquenceu os vovô dele que morreu, esquenceu filha dele que nasceu, esquenceu terra, esquenceu tudo. Eu diz é mentira, Manuel não pode esquencer. As pessoa ri, as pessoa diz eu não sabe, as pessoa diz cada vez eu é polícia também. Vocé é? O, vem dizer mesmo! Depois vocé vai tembora quando não gosta ficar aqui fazer machamba, ensinar as pessoa no escole de noite que voces tinha na casa de Mussá. Vocé vai, eu não vai agarar vocé, só vai chorar mesmo." (páginas 140 e 141)

Resenha: livro "Nós matamos o cão tinhoso", Luís Bernardo Honwana

 Considerações gerais: O livro "Nós matamos o cão tinhoso" foi publicado pela primeira vez em 1964, e no mesmo ano o autor Luís Bernardo Honwana foi preso pela sua militância em prol da independência de Moçambique, até então uma colônia Portuguesa. A obra é considerada uma das mais importantes da literatura moçambicana e africana, e talvez vocês saibam que Moçambique é um dos países onde se fala o Português (além de outras línguas nativas).

 Foi interessante notar a diferença entre o Português falado e escrito lá em Moçambique nos anos sessenta e a forma como o falamos nos dias atuais. Percebi que inúmeras palavras que vejo conhecidos com mais idade usando e que eu até achava que eram "erradas", são apenas palavras que foram sendo menos usadas com o tempo. Além de algumas notas de rodapé para ajudar o leitor a entender certos termos, pesquisar no dicionário outras palavras que aparecem no texto pode auxiliar o leitor a compreender melhor as histórias.

 Por ser uma obra com um certo contexto histórico e pelo fato de eu amar contos, estava com expectativas elevadíssimas, e confesso que a leitura não alcançou minhas expectativas, talvez pelo choque entre a cultura em que vivo e a encontrada nos contos. Ainda assim, é um livro que vale a pena ler para conhecer mais da realidade de Moçambique de décadas atrás, e entender melhor as relações de poder entre colonizadores e colonizados. No final do livro há um artigo contextualizando um pouco a obra, e foi interessante para mim encontrar interpretações diferentes das minhas para alguns contos. Falando em interpretações, se vocês pesquisarem no Google pelos títulos ou trechos dos contos presentes na resenha, encontrarão várias análises deles (bem mais estendidas que meus pequenos comentários), o que mostra a relevância da obra.

 Enfim, entre traquinagens de crianças, trabalho árduo em plantações, conflitos entre brancos e negros, entre colonizadores e nativos, e sonhos desfeitos frente à dureza da realidade, "Nós matamos o cão tinhoso" é um livro válido para entendermos um pouco mais da cultura africana, uma cultura que também chegou até o Brasil, ainda que para mim, mulher, jovem, mineira e branca, seja uma realidade muito distinta da minha.

nós-matamos-o-cão-tinhoso, editora-kapulana, livro-famoso, africa
Resenha: livro "Nós matamos o cão tinhoso", Luís Bernardo Honwana


 A edição da Kapulana tem uma capa condizente com a obra, páginas amareladas, boa revisão e diagramação com margens, espaçamento e letras de bom tamanho. Me contem: gostaram da resenha? Já conheciam a obra? Qual conto lhes chamou mais a atenção?

 Detalhes: 145 páginas, ISBN-13: 9788568846308, Skoob. Compre online na loja da editora.


 Se ainda não é inscrito no canal, clique aqui e se inscreva, aproveita que está rolando sorteio de um kit maravilhoso da TAG Experiências Literárias, vem participar. Falando em sorteio, corre lá no Instagram para participar do sorteio de um livro muito lindinho. Agora, se você está preocupado com o tanto de livro que ainda tem pra ler, clique aqui e dê uma olhada nesse desafio literário que pode te ajudar nessa missão.

Até o próximo post!

Me acompanhe nas redes sociais:

Vídeo: resumo das leituras de dezembro

 Olá pessoal, tudo bem? Demorou mais saiu lá no canal o vídeo onde faço um resumo de tudo o que li no último mês. Eu queria ter lido bem mais em dezembro, mas foi um mês tão complicado, ouso até dizer que foi o mês mais difícil da minha vida, que não deu. Acabei lendo sete livros, todos eles relativamente finos (como vocês podem ver na imagem de abertura do vídeo). Apertem o play para conferir um pouquinho sobre cada um:



 Fiquei contente por ter lido quatro nacionais. Li também um livro de literatura africana, e explorar a literatura de outros continentes além da América e Europa é algo que quero fazer mais esse ano. Graças à maratona literária Desencalhando Livros, consegui ler alguns títulos que já estavam até criando teia de aranha na estante é mentira esse negócio das teias de aranha. Pude ler um sick lit, um dos gêneros que mais amo! Li o segundo volume de uma duologia cujo primeiro livro me arrebatou. Dois dos livros ganharam três estrelas no Skoob, e os outros cinco livros ganharam quatro estrelas. E li o melhor livro de poesias da minha vida, olha essa belezura:

"Em poesia" da #LaraBraga é simplesmente O MELHOR LIVRO DE POESIA QUE EU JÁ LI NA VIDA! A autora faz de forma brilhante algo que eu admiro muito: contar histórias através de #versos. Me identifiquei com inúmeros #poemas, sabe aquela coisa de ler e pensar "Também acho isso!"?! Também identifiquei várias situações reais que serviram de base para poemas, mais um ponto que me encantou na obra. SE VOCÊ SENTE QUE NÃO GOSTA DE #POESIA, é que ainda não leu poesias verdadeiramente boas! Super recomendo o #livro da Lara. #ediçãolinda #leiturafinalizada #leiamulheres #literaturanacional #mulheresemcena #books #bookgram #igreads #booktuber #bookphoto #booksofinstagram #goodreads #bookofthemonth #currentlyreading #bookcommunity #amreading #blogliterario #bookreview #readinglist #literature #ilovebooks
Uma publicação compartilhada por Maria - Pétalas de Liberdade (@marijleite) em

 Enfim, vamos considerar que foi um mês bom para as leituras. Aqui no blog já tem resenha de "O Segredo da Caveira de Cristal - Livro II" da Mallerey Cálgara, cliquem no título para conferir. Por hoje é só, espero que tenham gostado do post. Me contem, já leram ou querem ler algum dos livros mostrados?

 Se ainda não é inscrito no canal, clique aqui e se inscreva, aproveita que está rolando sorteio de um kit maravilhoso da TAG Experiências Literárias, vem participar. Falando em sorteio, corre lá no Instagram para participar do sorteio de um livro muito lindinho. Agora, se você está preocupado com o tanto de livro que ainda tem pra ler, clique aqui e dê uma olhada nesse desafio literário que pode te ajudar nessa missão.

Até o próximo post!

Me acompanhe nas redes sociais:

Resenha: livro "Na Batida de um Coração"

O blog Pétalas de Liberdade tem uma nova colaboradora! Confiram a primeira resenha da Carol Ferreira:

Resenha: livro "Na Batida de um Coração"

Hoje, eu vim apresentar para vocês o Amor da minha vida... meu Crush dos crushs... meu livro Favoritinho da vida... meu Romance de todos os romances... Eu não estou exagerando, depois que você lê esse livro, você nunca mais vai se recuperar psicologicamente, prepare seu coração porque Na Batida De Um Coração, deixará ele em frangalhos, literalmente!! Como a autora CSP. Ribeiro me disse: "Romance não recomendável para cardíacos e apaixonados crônicos". 

 Sinopse: “ Sete vezes Campeão Mundial de Motocross Freestyle, Lucca di Biasi é internado às pressas sem saber que seu coração está irrefutavelmente comprometido e agora só um transplante poderá salvá-lo. 
Isabeau Dubois perde seu noivo no dia da cerimônia de seu casamento em um acidente de moto e mergulha na dor e na depressão. 
Lucca recebe uma nova chance de viver. 
Isabeau recebe uma nova chance de amar. 
No cenário idílico de Catalina Island, na Costa da Califórnia, o destino juntará os dois, até Isabeau ter acesso à identidade do receptor. Agora como enfrentará o homem que carrega o coração de seu noivo? E como Lucca reagirá à mulher que o atraiu sem saber se ela se aproximou por ele ou pelo que carrega?”

Resenha: livro "Na Batida de um Coração"

A princípio, o que me chamou atenção foi a capa, ela é delicada e emocionante, eu pude ver um sentimento estampado nela, antes mesmo de abrir o livro. CSP. Ribeiro fez tudo na medida certa, delicadeza, amor, paixão, fúria, desencontros, reencontros, alegrias, tristezas, risos (que eram mais gargalhadas). Ela teve a sensibilidade de me tocar profundamente. Não que seja difícil me comover, eu sou uma chorona, apaixonada cronica como ela mesma diz haha. Mas ela soube, onde e como abordar cada assunto, cada detalhe, cada palavra, cada expressão, cada lágrima e cada sorriso. Isso me surpreendeu, ela comentou comigo, que ao escrever ela vivenciou todos os sentimentos no qual tenho certeza que estou sentindo agora, ela disse que seu marido a via rindo sozinha e chorando sozinha enquanto escolhia cada palavra e escrevia cada cena. Convenhamos que isso é lindo demais né? Ela se preocupou em como nos emocionar, como nos fazer sentir cada palavrinha. Ela soube usar com muita glória tudo que tinha em mãos, todo esse enredo magnífico.


Já comecei o livro chorando e rindo ao mesmo tempo. Cada cena, é uma emoção e um sentimento diferente, não há como, você não chorar e não sorrir com essa história! Eu duvido, que exista um ser humano, com um coração, que não se emocione...eu duvido!

Luc e Isa, me conquistaram na primeira página. Na primeira frase de Luc, eu já estava chorando! Esse é um daqueles livros, que te fazem refletir muito! Posso jurar que ouvi minha cachorrinha chorando quando li a última página do livro hahaha. Sempre fui o tipo de leitora compulsiva, aquela que depende de livros para sobreviver e olha, já passaram milhares de livros em minhas mãos e NENHUM deles, teve a delicadeza e a capacidade de mexer com meu psicológico como Na Batida De Um Coração.

Toda história que leio, tento me colocar no lugar dos personagens, para saber o que está acontecendo, o porque do personagem fazer e pensar daquela forma, muitas vezes eu não consigo entrar na cabeça deles, não consigo entendê-los e isso atrapalha toda a história para mim, Na Batida De Um Coração, a leitura fluiu tanto que nem pensei em tentar entender, ou entrar na cabeça dos personagens, porque eu JÁ ESTAVA lá dentro sem perceber!! Muito louco né? Isso se chama MAGIA DA LEITURA, VIAJAR SEM SAIR DO LUGAR, VIVER EXPERIÊNCIAS DIFERENTES PELOS OLHOS DE OUTRO ALGUÉM! Isso é LER... e ual, como é bom ler. Na Batida De Um Coração só reforçou minha tese, só me provou isso  *-*

Se você é um romântico incurável, adepto aos romances, gosta de uma boa história, gosta de rir, chorar e sentir o turbilhão de emoções que cercam uma pessoa depois da leitura, esse livro foi feito para você! Você vai amar, chorar, se divertir, rir horrores. Defeitos? Nenhum! Eu aposto que vai conquistar seu coração, assim como conquistou o meu.

Resenha: livro "Na Batida de um Coração"

Adquira "Na Batida de um Coração" na Amazon: http://amzn.to/2EKS8Lp 
Carol Ferreira

Sobre a autora do post: Carol Ferreira - colecionadora de sonhos, histórias e lembranças boas. A Fotógrafa mineirinha ocupa seu tempo com música boa, séries, livros, e tudo que a faça viajar sem sair do lugar. Chocólatra desde pequena, apaixonada por sorrisos e pessoas simpáticas, ama conhecer gente nova. Com uma enorme vontade de compartilhar o turbilhão de emoções que a cercam, gosta de escrever sobre o que sente, o que pensa e o que acredita, gosta de compartilhar suas ideias e opiniões. Tem sonhos grandiosos como conhecer Londres e publicar seus textos. Sempre diz que “Para aqueles que são determinados, saber voar, é apenas um detalhe.” Para os que acompanham meus textos, é um prazer tê-los aqui, para os que estão chegando agora, Bem Vindos a minha pequena loucura.
Topo