Resenha: livro "Diário de estrada", Ramon Santos

 Olá pessoal, tudo bem? O livro da resenha de hoje é Diário de estrada, escrito pelo Ramon Santos e publicado em 2014 de forma independente.

Resenha, livro, Diário de estrada, Ramon Santos

 "Mas o simples fato de haver uma mínima possibilidade de poder preencher todo aquele vazio começara a me inquietar." (página 33)

 Depois de ler "On the road - pé na estrada" do Jack Kerouac"Ghost Rider: A estrada da cura" do Neil Peart (ambos já resenhados no blog), fiquei com muita vontade de ler um livro sobre viagens pelo Brasil. Apesar de ter pesquisado um pouco, de ter perguntado para outros leitores, não encontrava nada no estilo que procurava. Até que conheci o livro do Ramon Santos, e tive a oportunidade de lê-lo em e-book.

 Ramon Santos tinha dezessete anos quando decidiu largar tudo e cair na estrada, ele não se sentia feliz vendo o rumo que sua vida tomava e quis viver uma aventura, vontade comum a muitos jovens, mas o Ramon não ficou só na vontade e foi em busca do que queria.

 "Finalmente tinha a sensação de permanecer a um lugar, assim como cada rocha, folhas, ou qualquer mínimo que seja grão de terra, eu estava ali, eu estava vivo ali. Eu apenas existia." (página 135)

 Diário de estrada é o resultado dos relatos de  mais de um ano em que ele esteve viajando pelo sul do país. Do litoral ao interior, passando por praias e montanhas, cidades pequenas e grandes; enfrentado dias de sol, de chuva, de frio ou calor; algumas vezes sozinho, outras acompanhado por pessoas iguais ou muito diferentes dele; trabalhando em áreas que nunca imaginou que trabalharia, para poder conseguir algum dinheiro para se manter; comendo o que encontrava no caminho ou o que conseguia comprar e cozinhar. Até numa aldeia indígena ele foi parar!

 Mas, o mais bacana de Diário de estrada, além de ser uma história real, é que nos faz refletir sobre aquelas pessoas que, muitas vezes, são invisíveis para nós: os andarilhos e moradores de rua. Algumas vezes, podemos ser preconceituosos com eles, e não termos noção de quantas boas histórias alguns deles teriam para nos contar, quantas coisas interessantes estariam escondidas atrás de roupas velhas, cabelos desgrenhados e barba por fazer.

 "Três semanas aprendendo a ver nos olhos das pessoas o medo e o receio daquela triste realidade, que apenas olham, mas jamais enxergam além do que seus olhos se dispõem a ver." (página 105)

 "No momento eu me julgava um exímio pescador. E como todo ser humano, demasiado humano, julgava que minhas habilidades de pesca me salvariam a qualquer momento e em qualquer lugar. Eu era tolo! Ingênuo, ao pensar que um rio seguiria meu caminho invés de seu curso natural." (página 51)

 Nem tudo foram flores para o Ramon em sua jornada, além de ter que lidar com os próprios sentimentos e inquietações, ele teve que enfrentar muitos perrengues e se deparou com pessoas nada legais em seu caminho. Mas houveram as pessoas boas, que viram além das aparências, que ajudaram o garoto aventureiro. E ele contou com uma boa dose de coragem e de sorte também, para sobreviver aos riscos da viagem e conseguir encontrar essas pessoas boas que lhe deram carona, emprego, comida, um teto para dormir quando sua barraca não era o suficiente ou  que simplesmente lhe ofereceram atenção e companhia.

 "Afinal, sempre é bom ver que a estrada que andamos, não é de total deserto, e que não a trilhamos sozinhos." (página 181)

 Ao terminar a leitura, assim como após ler "On the road" e "Ghost Rider", surgiu em mim aquela vontadezinha de também me aventurar, de conhecer lugares novos; acho que esse é um bom indicador de qualidade para livros do tipo.

 "Qualquer pessoa em sã consciência estaria preocupada em como retornar ao lar, porém eu apenas estava me preocupando em como registrar tudo que estava vivendo e sentindo." (página 55)

 O Ramon publicou o livro dele de forma independente, mas creio que se tivessem uma boa edição e revisão oferecidos por uma editora, suas aventuras, seu crescimento como pessoa, suas dores e seus amores teriam um potencial gigantesco para encantar um grande número de leitores.

 Detalhes: 201 páginas, perfil do autor no Facebbok. Onde comprar online e ler um trecho: Clube de autores.

 "Quem sabe a grandeza do ser humano está na quantidade de vidas que ele leva durante uma só." (página 101)

 Por hoje é só, espero que vocês tenham gostado da resenha. Alguém aí já conhecia o Ramon, seu livro e suas aventuras? Gostam de obras do tipo?

Até o próximo post!

Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobGoodreadsBloglovin (receba os posts do blog no seu e-mail)| Instagram.
19 comentários via Blogger
comentários via Facebook

19 comentários

  1. Gostei muito. Uma estória real com cara de ficção, pois a vezes nos parece mentira que alguém se aventura assim. Espero ter a oportunidade de ler, pois tenho muita vontade de sair mundo afora e acho que esse livro pode me inspirar. BJs

    http://www.territorio6.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Gostei da sua resenha e desconhecia essa história. Confesso que nesse momento não fiquei muito interessada, mas futuramente quem sabe? Gostei muito das citações do livro tbm.


    http://luxuosoestilo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi, tudo bem?
    Muito bom viajar né! Sempre que posso, aproveito para viajar e é uma das melhores coisas que faço!
    Confesso pra você que esse não faz muito meu estilo literário então não me interessei muito pelo livro!
    Mas deve ter sido interessante ler sobre as aventuras do Ramon Brasil a fora...rs

    Beijos :*
    http://www.livrosesonhos.com/

    ResponderExcluir
  4. Olá, nossa que livro interessante, não é um livro que me conquistaria apenas pela capa ou sinopse, mas sua resenha ajudou muito para mudar minha opinião, não curto e-book, talvez quando for publicado eu possa ler.
    http://vocedebemcomaleitura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Uma autobiografia de viagens? Que demais! Nunca li livros que sejam baseados em fatos reais sobre algum desses aspectos, normalmente fujo de enredos assim. Achei bacana você falar sobre um livro independente, nem tudo são flores e capas bonitas, bem trabalhadas, no meio da literatura brasileira. Gostei bastante da sua resenha, você transmitiu o quanto ficou encantada com a leitura, isso é demais!
    Bjs
    http://teoremasdamimosa.blogspot.com.br/2015/05/resenha-herdeira.html

    ResponderExcluir
  6. sua resenha sobre o livro foi tipo 'ow que top' e apesar de ter gostado de ler sobre a sua opinião perante o livro ele em si pela premissa não me atraiu muito =/

    http://mylittlegardenofideas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Que tema interessante para um livro. Ainda não li nada nesse gênero. Mas se eu fosse escrever eu livro, esse seria um dos temas a ser considerado. Não sou uma aventureira, mas como sempre mudo de cidades, tenho histórias de todas elas.

    Desejo sucesso ao Ramon Santos!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Não deve ser fácil largar tudo e cair na estrada, realmente, Ramon tem muita história para contar, ainda bem que escreveu um livro. Tenho amigos andarilhos, seria um livro que iria me deliciar.
    http://www.poesianaalma.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi Maria!
    Adorei a resenha. Não conhecia o livro, mas achei tão bacana esse "diário de viagem"! Adoro livros sobre viagens, e também livros que não são ficção. Com certeza vou querer conferir esse!
    Beijos
    Carol
    www.sobrevicioselivros.com

    ResponderExcluir
  10. Gostei da ideia de participar de uma aventura mesmo que por um livro,hahaha. Amoooo auto-biografias e essa é uma e eu adoraria saber o que esse garoto passou e por quais lugares e o que fez em cada um deles. Bom, ele é bem corajoso mesmo, porque viajar sozinho e com 17 anos e bem perigo.Aliás, eu queria saber isso direitinho, kkk.Como assim ele viaju, se aventurou sozinho por aí com 17 anos? Não deixaria o meu fazer isso não,hahaha.

    bjs flor

    ResponderExcluir
  11. Amiga eu adoro a maneira como você desenvolve os textos e sinceramente eu fiquei bastante curiosa com esse livro. Espero poder ter a oportunidade de fazer a leitura assim que for possivel, porque é sempre bom conhecer outros livros. =]

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/05/resenha-anna-e-o-beijo-frances.html

    ResponderExcluir
  12. Ola! Nunca li um livro que relatasse a viagem do autor pelo Brasil. Gostei da dica! E gostei do modo como um autor tão jovem conseguiu expressar sua experiência e, inclusive, ter a coragem de viajar com tal idade. Realmente, merece congratulações.

    Desejo sucesso ao autor!

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Oi Maria, tudo bem?
    Não conhecia o livro e não sei se leria, mas é bem legal o Ramon relatar essa aventura.
    Queria eu ter coragem de me aventurar dessa forma.
    Bjs

    A. Libri

    ResponderExcluir
  14. Olá Mari.
    Eu nunca li um livro nesse estilo e estava pensando se gostaria de ler pois eu devo ser a única pessoa no mundo que não gosta muito de viajar kkk
    Mas talvez a experiencia seja boa e o livro seja melhor do que viajar mesmo kkk

    ResponderExcluir
  15. Nunca li nada desse tipo, mais fiquei curiosa. Viajar é muito <3
    Curti a sua resenha, muito bem escrita :)
    O Diário do Leitor

    ResponderExcluir
  16. Oi,
    Nossa eu amo viajar então adoraria ler o livro, que por sinal ainda não conhecia, sua resenha deixou aquela pulguinha atrás da orelha...Parabéns.
    Beijos



    Mari - Stories And Advice

    ResponderExcluir
  17. Não conhecia o autor. Livros sobre relatos de viagem sempre nos deixam com vontade de conhecer novos lugares né? Pelo menos eu me sinto assim.
    Angel Sakura
    www.euinsisto.com.br

    ResponderExcluir
  18. Olá, tudo bem?
    Uau, uma pessoa tem que ser muito corajosa para fazer o que o autor fez, não sei se eu teria coragem. Mas com certeza eu leria o livro, apesar de ter um pouquinho de medo em saber as coisas ruins que lhe aconteceram, mas daria uma chance sim.
    Super beijos <3
    http://livros-cores.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Oi Mari, tudo bem?
    Já li o livro do Neil Part sobre viagens e achei chato e cansativo, mas não diria o mesmo sobre Diário da Estrada, o autor soube explorar outros pontos durante a viagem o que na minha opinião deixa o livro mais chamativo.

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar :)!!! Sua opinião é muito importante para mim. Tem um blog? Deixe seu link que visitarei sempre que possível.
*comentários ofensivos serão apagados

Topo