Resenha: filme "S.O.S. Mulheres ao Mar"

Resenha, filme, SOS-Mulheres-ao-Mar, opiniao, critica, comedia-romantica

 Nos últimos tempos meu sono tem brincado comigo: nove horas da noite e eu paro de ler porque estou com sono, vou me deitar depois das dez e fico virando de um lado para o outro na cama, e nada de conseguir dormir! Pior é que fico pensando que poderia usar esse tempo para fazer alguma coisa útil, tipo... ler. Enfim, ontem, minha irmã queria ver o filme S.O.S. Mulheres ao Mar que passaria na TV, num primeiro momento a minha ideia era ir dormir (para tentar levantar mais cedo hoje), mas acabei me distraindo e deu a hora em que o filme começaria. Como dizem aqui na minha terra: "Perdido por perdido, truco!". Já estava acordada mesmo, sabia que não ia conseguir dormir, decidi ver o filme, já que amo comédias e sou fã da Giovanna Antonelli, gosto do Reynaldo Gianecchini, da Fabiula Nascimento, da Thalita Carauta, da Emanuelle Araújo e do Marcello Airoldi (ou seja, o elenco já estava super aprovado por mim). E valeu tanto a pena ter ficado acordada que resolvi falar sobre o filme aqui no blog.

 Na história, conheceremos Adriana (Giovanna Antonelli), ela quer ser escritora mas enquanto não tem um livro publicado, trabalha legendando filmes pornôs. É casada há dez anos com Eduardo (Marcello Airoldi), até que quando ele volta meio calado de uma viagem que fez para receber um prêmio, ela pergunta o motivo de seu comportamento estranho e ele diz que quer se separar e sai de casa. Adriana fica péssima, faz todas aquelas coisas típicas de quem sofre uma desilusão amorosa (se empanturrar de sorvete, chorar...), até que descobre que o ex vai viajar com a nova namorada, a atriz Beatriz Weber (Emanuelle Araújo) num cruzeiro para a Itália.

Se liga no disfarce de lenço + óculos
 Adriana quer vingança, quer seu marido de volta, e decide ir nesse cruzeiro com sua irmã, Luiza (Fabiula Nascimento, não entendi muito bem no que ela trabalha, mas deu para perceber que ela trabalha e tem romances na mesma proporção). No dia do embarque, a empregada de Adriana, Dialinda (Thalita Carauta), vai levar um documento para elas e acaba entrando no navio também. E aí começa a missão do trio, de espionar o casal sem serem vistas, e depois encontrar formas muito loucas de separá-los. Enquanto isso, André (Reynaldo Gianecchini) se aproxima de Adriana, ela acha que ele é gay (o que não é verdade) e acaba se abrindo com ele.


 "S.O.S. Mulheres ao Mar" tem cenas engraçadíssimas e cumpre bem o seu papel de causar riso, não é um filme profundo que vai mudar a sua vida. Talvez a cena mais emocionante seja a protagonizada por Sonia, uma senhora que, após perder pessoas queridas, passa a viver a vida com o máximo de alegria possível. Como feminista, a ideia de mulheres brigando por um homem não me agrada, mas não chegou a me incomodar no filme, pois trouxe cenas onde não era mais a disputa por um homem, mas um conflito entre as duas, Adriana e Beatriz, onde Adriana lutava para não se deixar abater e recuperar sua autoestima. Talvez a grande lição do filme seja o fato de trazer personagens imperfeitos, ao mesmo tempo bons e maus, que nem sempre se comportam como se espera: Adriana joga sujo, mas também é capaz de se arriscar para salvar a vida de uma idosa; o "príncipe encantado" erra ao esconder um segredo, mas se liberta para poder ser feliz; Adriana se vê nos dois lados de uma moeda e segue em frente; Eduardo não tem um relacionamento perfeito com Beatriz mas não fica preso ao passado dela... E é assim na vida, não é? É melhor seguir em frente e correr o risco de errar do que se acomodar e deixar de viver.


 Não sou grande conhecedora de filmes, mas outros dois pontos que chamaram minha atenção foram a fotografia, o visual com imagens belíssimas tanto em alto-mar quanto em terra (especialmente na Itália) e a trilha sonora linda. Gente, vocês precisam ouvir essa beleza que é "Amar al Mare"! Apertem o play:



 E para quem quiser conferir o trailer:



 As imagens do post foram encontradas no Adorocinema, o filme tem direção de Cris D'Amato, estreou em 2014 (e tem uma continuação já lançada). Por hoje é só, espero que vocês tenham gostado do post. Fica a sugestão para quem ama comédias, e alerto para o risco de terminar o filme com uma vontade enorme de fazer um cruzeiro (uma viajem que quero fazer). Me desculpem se eu tiver passado alguma informação errada, talvez tenha sido o sono engraçadinho que tenha afetado minha percepção. Ah, quando finalmente fui me deitar, ainda demorei um pouquinho para dormir e hoje, se pudesse, estaria dormindo até agora.

Até o próximo post!

Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobInstagramYouTube| Snapchat: marijleite_pdl
1 comentários via Blogger
comentários via Facebook

Um comentário

  1. Oi Maria, tudo bem? Ainda não vi esse filme, mas tenho vontade, pois adoro comédias e sempre gosto de dar chance os filmes nacionais :)
    Eu já estava pensando aqui "mas que coisa tão argh. Duas mulheres brigando por um homem" e daí você falou sobre isso e tudo o mais e me convenceu de vez a ver este filme :3 Vou ver se consigo ver hoje como o marido. A gente tá sempre procurando ideias de filmes para assistir junto, mas nunca é muito fácil, pois só assistimos comédias e ação juntos. Filmes de guerra ele olha sozinho e romance eu olho sozinha hahahha. O bom é que achamos dois gêneros em comum :)
    Obrigada pela dica =D
    Beijooos
    https://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar :)!!! Sua opinião é muito importante para mim. Tem um blog? Deixe seu link que visitarei sempre que possível.
*comentários ofensivos serão apagados

Topo