Resenha: livro “Alice e as armadilhas do outro lado do espelho”, Mainak Dhar

 Olá pessoal, tudo bem? O livro da resenha de hoje é “Alice e as armadilhas do outro lado do espelho”, o segundo da trilogia “Alice e o País das Armadilhas”, escrito pelo indiano Mainak Dhar e publicado no Brasil pela Única Editora em 2016.

Resenha: livro “Alice e as armadilhas do outro lado do espelho”, Mainak Dhar

 “- (...) Não podemos libertar aqueles que querem ser escravizados.” (página 131)

 A história é uma distopia, que se passa num futuro não muito distante. Recapitulando o cenário (mas podem ficar tranquilos que vou evitar ao máximo os spoilers): surgiu um vírus que transformou pessoas em zumbis denominados Mordedores (pois mordiam outras pessoas e as transformavam em mortos-vivos); para tentar combatê-los, diversos tipos de armas e bombas foram usadas, o que devastou grandes áreas e tornou o mundo um lugar hostil para se viver, foi a Insurreição.

 No primeiro livro, conhecemos a protagonista, Alice, uma garota que nasceu após a Insurreição e morava onde hoje é a Índia, mais especificamente numa região denominada País das Armadilhas. Ela teve sua vida mudada ao entrar em um buraco seguindo um Mordedor com orelhas de coelho e descobrir a verdade sobre eles e sobre o Comitê Central, uma espécie de governo desse novo mundo que supostamente oferecia proteção e segurança, mas que tirava a liberdade da população. Depois disso, Alice tornou-se a líder de uma revolução.

 No segundo livro, tudo parecia bem para Alice, ela tinha um lugar para morar com os outros humanos a quem ela liderava, o País das Maravilhas; o problema é que parte da população estava se esquecendo muito rápido de tudo o que passaram para chegar até aquela aparente situação de normalidade, e começaram a se revoltar contra ela e os seus amigos mais próximos, mas por trás dessa revolta tinha a interferência do Comitê Central. Será que Alice conseguiria vencer novamente?

 “Os Mordedores eram capazes de arriscar a vida para proteger um deles sem titubear e, ao contrário dos humanos, pareciam não desejar nada em troca. Alice ainda era muito jovem, mas já conhecia o mundo e os humanos o suficiente para saber que essa era uma qualidade muito rara. As pessoas brigam por poder, dinheiro e controle. Os Mordedores brigam apenas para proteger a própria espécie.” (página 77)

Trilogia - Alice no País das Armadilhas e Alice e as armadilhas do outro lado do espelho, Mainak Dhar, Única Editora

 Eu estava ansiosíssima por esse livro (como comentei no meu último vídeo) e gostei dele, mas o primeiro me pareceu mais emocionante e surpreendente. “Alice e as armadilhas do outro lado do espelho” é uma leitura com altos e baixos, com partes eletrizantes e outras nem tanto. O fato de haver dois personagens com nomes parecidos (Arjun e Arun) acabou me incomodando e atrapalhando um pouco a leitura. Estava curiosíssima para ver como seria a vida da Alice nessa nova fase (quem já leu o livro 1 sabe do que eu estou falando) e acho que ainda é uma área que pode ser melhor explorada. Ficou bem visível a diferença entre ela, que desde que nasceu precisou aprender a lutar para sobreviver, e as demais pessoas que conheciam o mundo antes da Insurreição ou que não viveram os horrores causados pelas guerras.

 A situação em outras áreas do planeta ficou mais clara nesse segundo volume, matando um pouco da minha curiosidade de saber como os demais países estavam "se virando", achei plausível a justificativa para o nível de resistência apresentado pelos Estados Unidos, embora me preocupe um pouco vê-los como "os mocinhos" e a China como vilã. Num geral, “Alice e as armadilhas do outro lado do espelho” traz uma crítica social bem forte, especialmente no que diz respeito à verdadeira liberdade, que nem sempre anda junto com a democracia.

Trilogia, Alice-no-País-das-Armadilhas , resenha, critica, opiniao, Alice-e-as-armadilhas-do-outro-lado-do-espelho, Mainak-Dhar, Única-Editora, capa, fotos, trechos, distopia, zumbis, escritor-indiano
Trilogia, Alice-no-País-das-Armadilhas , resenha, critica, opiniao, Alice-e-as-armadilhas-do-outro-lado-do-espelho, Mainak-Dhar, Única-Editora, capa, fotos, trechos, distopia, zumbis, escritor-indiano, quote, diagramação

 Sobre a edição: eu gosto da capa (embora ainda ache que ela dá uma ideia de um livro mais assustador do que ele realmente é), as páginas são amareladas e a diagramação tem margens, espaçamento e letras de bom tamanho.

 “- (...) um livro é capaz de captar o melhor que as pessoas podem ser. Um livro nos mostra o que é possível quando deixamos nossos instintos primitivos de lado. É a habilidade de criar algo que vai durar além da nossa existência e levará nossas ideias para a próxima geração.” (página 121)

 Detalhes: 256 páginas, Skoob, clique aqui para ler a resenha do primeiro livro. Onde comprar online: Submarino, Americanas.

 Por hoje é só, espero que vocês tenham gostado da resenha. Fica a recomendação para quem gosta  de distopias, de zumbis, de protagonistas femininas fortes e de histórias que, mesmo fazendo parte de uma série, tem um final fechado e sem pontas soltas. Me contem: já conheciam o livro?

Até o próximo post!

Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobInstagramYouTube| Snapchat: marijleite_pdl
8 comentários via Blogger
comentários via Facebook

8 comentários

  1. Não li ainda o primeiro, mas fiquei com vontade de ler. Gostei da sua crítica.
    Bjos!

    ResponderExcluir
  2. Eu ainda nem li o primeiro e já tem o segundo? Nossa, sou muito desinformada mesmo. mas isso de livro com continuação já me desanimou. Eu desisti de livros com continuação, mas não nego o fascínio que nutro por esse enredo.

    ResponderExcluir
  3. Oiii Maria, tudo bem?
    Confesso que não tenho nenhuma vontade de realizar a leitura dessas duas obras, por mais que tenha resenhado apenas uma, e por isso irei pular a dica, mas fiquei feliz que tenha dito sobre a capa, achei bem sobrecarregada também.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  4. Que legal ver sua resenha, estou lendo no momento o primeiro da trilogia e estou gostando muito, é totalmente diferente do que eu esperava mas não de um jeito ruim, espero ler o logo o segundo volume.

    ResponderExcluir
  5. Oi Maria,
    Já vi algumas resenhas sobre o primeiro livro, mas não me chamaram muito a atenção. As capas eu acho bem "carregada" de informações. Você escreveu uma ótima resenha, mas deixo passar a dica dessa vez. Beijinhos

    ResponderExcluir
  6. Não li ainda Alice no País das Armadilhas, mas queria muito. Quando a Única soltou pedido de solicitação, prefiro não pegar o segundo porque achei que não entenderia nada. Parece mais politizado né? As artes são lindas!

    www.cantaremverso.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Nossa...
    Eu não sabia quejá tinha o segundo livro :o
    O primeiro está na minha lista de desejados e agora eu já tenho que colocar esse kk
    Concordo com você... essa capa é meio assustadora né?

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  8. Eu comecei a ler distopias esse ano e tive boas experiências, porém eu não me interesso nem um pouco sobre histórias de zumbis. Até esse filme que vão misturar Zumbis e Jane Austen está me deixando com o pé atrás... E olha que eu sou fã dela.
    Aliás, também sou fã de Alice, mas essa dica eu vou deixar pra próxima
    Beijos

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar :)!!! Sua opinião é muito importante para mim. Tem um blog? Deixe seu link que visitarei sempre que possível.
*comentários ofensivos serão apagados

Topo