sábado, 21 de dezembro de 2013

Resenha: livro "Uma garrafa no Mar de Gaza", Valérie Zenatti

   Olá pessoal, tudo bem? O livro da resenha de hoje é "Uma garrafa no Mar de Gaza", escrito por Valérie Zenatti e publicado no Brasil pela editora Seguinte.
Livro, resenha, Uma garrafa no Mar de Gaza, Valérie Zenatti, editora Seguinte, capa, conflito israel e palestina
   Esse livro é a prova de que não são necessárias muitas páginas para que uma história seja fascinante e empolgante. Com apenas 128 páginas, "Uma garrafa no Mar de Gaza" me encantou.
   Provavelmente vocês devem conhecer alguma coisa sobre o conflito entre palestinos e israelenses; basicamente um disputa de território, uma guerra que parece nunca ter fim.
   A história se passa no ano de 2003. Um homem-bomba se explodiu em um café próximo a casa de Tal Levine, uma adolescente israelense que mora em Jerusalém. Atentados não são novidade para quem vive naquela região, mas esse em especial marcou Tal. Procurando uma forma de desabafar, ela decide escrever.
   "O terrorista se explodiu dentro do café Hillel. Seis corpos foram encontrado. Foi um atentado médio, ou seja, vão falar dele por dois dias, e mais um pouco nos suplementos dos jornais do fim semana." (página 12)
   "Deve ser por isso que decidi escrever: para não assustar os outros com o que tenho dentro da cabeça, e para que não decretem impulsivamente que fiquei louca." (página 13)
   Mas apenas escrever não é o bastante, Tal precisa saber como pensa e o que sente quem está do outro lado do conflito. Mesmo sendo arriscado, ela escreve uma carta, coloca numa garrafa e pede para que seu irmão (que trabalha no exército) jogue a garrafa no Mar de Gaza.
   Tal gostaria que a carta fosse encontrada por uma garota que tivesse mais ou menos sua idade. Mas quem encontra a garrafa e responde Tal é um rapaz que usa o pseudônimo de Gazaman.
   E é a partir daí que a história se desenvolve. Através das conversas dos dois, temos os dois lados da moeda: a visão de uma jovem israelense desejando a paz e a visão de Gazaman, um palestino que vive num local cheio de restrições impostas por Israel e que, a princípio, não acredita que as coisas possam melhorar.
contracapa, Livro, Uma garrafa no Mar de Gaza, Valérie Zenatti, editora Seguinte, resenha, Tal Levine, carta
    Eu poderia ter lido o livro todo em apenas um ou dois dias, mas quis ler mais devagar. A história é tão bem escrita que foi impossível não sentir o clima de tensão dos habitantes daquela região e não temer que na próxima página um dos personagens estivesse no lugar errado e na hora errada, se é que me entendem.
   Tive medo do que aconteceria no final, eu só conseguia ver duas possibilidades: a primeira seria um final feliz e pouco real, a segunda seria um final trágico e triste. Mas a autora me surpreendeu com um final quase que metafórico: é preciso ter esperança!
   Enfim, "Uma garrafa no Mar de Gaza" é um livro lindo, que aborda os conflitos  do Oriente Médio de uma forma muito direta e real. E comprova minha teoria de que numa guerra ambos os lados saem perdendo.
   "Eles nem percebem mais que suas guerras ferem, cada vez mais violentamente, aquela que dizem amar, e que de certa forma estão destruindo." (página 15)
   Algumas pessoas reclamam muito do Brasil, mas talvez elas não tenham ideia de como é a vida na Faixa de Gaza ou em Jerusalém, não saibam como é viver odiando e sendo odiado por uma pessoa simplesmente pelo fato de você ter nascido em outra religião. Reclamam de alguns programas da tv aberta brasileira, mas não sabem o que é ver notícias sobre atentados e mortes na tv, rádio e jornal como uma coisa rotineira.
   Meu trecho preferido do livro:
   "Eu ri, porque é bem engraçado ver um primeiro-ministro cantar, e desafinado ainda por cima, mas mamãe me disse que era falta de educação, que ele estava se esforçando e que não devíamos zombar das pessoas cheias de boa vontade" (página 35)
   Sobre a autora:
sobre a autora, Livro, Uma garrafa no Mar de Gaza, Valérie Zenatti, editora Seguinte
   Em março esse livro foi adaptado para o cinema. Vocês podem saber um pouco mais sobre o filme aqui. Não vou colocar o trailer porque me pareceu que a história foi bastante mudada, foi tirado um pouco do protagonismo dos jovens personagens principais, mudaram drasticamente alguns personagens e, aparentemente, a família de Tal não é tão legal (impossível usar outra palavra para descrevê-la) no filme quanto é no livro.

   Falando sobre a parte visual e gráfica do livro: gostei da capa com os autores que fizeram Tal e Gazaman no filme, o tom de azul usado me lembra a área onde a história se passa. O tamanho da letra e das margens é bom, as folhas são amareladas.
   Quem quiser saber mais sobre o livro é só acessar o site da editora Seguinte. ISBN: 9788565765022, 128 páginas. Página no Skoob. Onde comprar online: Submarino, Saraiva.

   Por hoje é só, espero que vocês tenham gostado da resenha e que, quem ainda não leu, leia esse livro quando puder.
   E continuem votando no Blog do Ano e no prêmio TopBlog.
Me acompanhem nas redes sociais:
twitterfacebook | G+SkoobGoodreadsBloglovin (receba os posts do blog no seu e-mail)| InstagramFlickrLivraria Pétalas de Liberdade. 

18 comentários:

  1. Amei a resenha, não conhecia esse livro, mas agora eu quero ler.
    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lola, fico contente que tenha gostado, obrigada pela visita e comentário.

      Excluir
  2. Parece ser um livro realmente muito bom
    Saber que vai virar filme me animou

    Beijos
    @pocketlibro
    http://pocketlibro.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Angela, o filme saiu em março; obrigada pela visita e comentário.

      Excluir
  3. Não conhecia este livro, flor... sua resenha ficou ótima. beijinhos e boas festas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, fico contente que tenha gostado, obrigada pela visita e comentário.

      Excluir
  4. Bem interessante.
    Eu sempre quis colocar uma carta na garrafa e jogá-la no mar para ver o que acontece, mas nunca fiz.
    Tem um filme com o Kevin Costner cujo personagem perde a esposa em um naufrágio e passa a jogar cartas de amor, em garrafas, no mar. Uma destas garrafas é achada e uma repórter vai investigar. É muito bom. Se não me falhe a memória o nome é “Cartas de amor”.
    Certamente tem o livro também;
    Feliz Natal!

    Histórias, estórias e outras polêmicas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Claudio, parece interessante esse filme, hein? Obrigada pela visita e comentário.

      Excluir
  5. Me interessei pelo livro haha
    Amor, amei o blog, amei tudo aqui <3
    nermaniche.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ingrid, fico contente que tenha gostado, obrigada pela visita e comentário.

      Excluir
  6. Respostas
    1. Oi Kassya, algum motivo em especial? Obrigada pela visita e comentário.

      Excluir
  7. Oi Marij, gostaria de enviar meus livros para sua leitura, mas estão apenas em formato eletrônico, mas "di grátis". Se quiser, fique à vontade: http://descemaisuma.blogspot.com.br/p/meus-livros.html

    Feliz Natal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rafael, vou lá ver seus livros. Obrigada pela visita e comentário.

      Excluir
    2. Oi Marijleite!

      Claro que pode (e deve) compartilhar o link, os livros e o que mais quiser lá do meu blog. Está tudo livre, é só pegar....

      Se puder me avisar quando o fizer, agradeço; assim posso acompanhar!

      Obrigado!!!!!

      Excluir
  8. Que livro interessante, ano que vem vo procurar na biblioteca da minha escola

    FELIZ NATAL pra você e para toda a sua familia , boas festas !
    Da uma passadinha no meu blog? Beijos :*
    http://www.paaradateen.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Luana, vou lá ver seu blog, obrigada pela visita e comentário.

      Excluir

Obrigada por comentar :)!!! Sua opinião é muito importante para mim.
Leio todos os comentários, mesmo que nos posts mais antigos. Responderei seu comentário aqui nesse mesmo post. Tem um blog? Deixe seu link que visitarei sempre que possível.
*comentários ofensivos serão apagados