Resenha: livro "O Ogro e a Louca", romance de época da S. G. Fidelis disponível no Wattpad

 Olá pessoal, tudo bem? Para um dos últimos posts do ano, trago a indicação de um livro lindo que encontrei no Wattpad (que é um site onde autores podem publicar suas histórias e os leitores podem ler os livros gratuitamente, tem o aplicativo também). Não é segredo para ninguém a minha paixão por romances de época, então, quando vi uma postagem do perfil @corteliterariaoficial no Instagram indicando o livro "O Ogro e a Louca", resolvi dar uma olhada pelo menos no 1° capítulo, pois fiquei bem curiosa com o fato de a mocinha ser chamada de louca.

Resenha, livro, O-Ogro-e-a-Louca, romance-de-epoca, S-G-Fidelis, Wattpad, blog-literario, petalas-de-liberdade

 A trama é ambientada na Inglaterra do século XIX. Depois de uma desilusão amorosa terrível, Mathew Calston, o marquês de Wheston, passou a viver recluso na sua propriedade no campo. Ele precisava de uma nova governanta para colocar a casa em ordem, e é aí que a senhorita Nicole Smith entra na história. Ela aceitou o emprego, pois precisava do dinheiro para ajudar a família.


 Porém, o primeiro encontro dos dois foi em meio a uma confusão hilária, com direito a botas cheias de lama sendo atiradas na cabeça do patrão! Com isso, Mathew ficou achando que Nicole era louca, e para ela, Mathew era um ogro! E esse é só o começo desse romance entre pessoas de classes sociais diferentes, e eu recomendo fortemente que vocês leiam para descobrir como essa história vai terminar!

 Eu li os 27 capítulos do livro e o epílogo em um único dia, de tão cativada que fui pela história. No início de cada capítulo, há uma citação de algum livro ou autor clássico, o que mostra como a autora teve boas referências. A escrita é ótima, fluida, gostosa de se ler; se eu tivesse que fazer uma comparação, diria que tem um humor semelhante ao da Julia Quinn, sem deixar de lembrar os romances clássicos das irmãs Brontë e da Jane Austen, mas com muita originalidade.

 Os personagens são apaixonantes, não só os principais como a Nicole, que não leva desaforo para casa, ou o Mathew, que mesmo tendo visto tudo em que ele acreditava ruir e passando a viver solitário, não se tornou rude, mas também os personagens secundários. Destaco a irmã dele, que tem uma vivacidade cativante, os outros empregados da casa, como o mordomo e as criadas fofoqueiras. Guardem um nome: Cecília, não posso falar muito sobre ela, só digo que é a responsável pelos melhores diálogos. Tem também o lord MacRae, que sofre um bocado nesse livro, mas quem sabe seja mais feliz no livro dele.

" — Boa tarde Mat... Gosta de Mat? Eu tinha um amigo que se chamava Mathew e todos o chamavam de Mat.
— Hum. Prefiro Mathew ou lorde Wheston se não se importa.
— Eu não me importo não, eu prefiro Mat, então vou te chamar assim, mas se você prefere Mathew, então pode se chamar assim."

 Sejamos francos, infelizmente há sim livros nacionais no Wattpad, na Amazon ou mesmo em editoras que ainda não estavam maduros o suficiente para serem publicados, o que não é o caso de "O ogro e a louca"! Encontrá-lo foi como encontrar uma preciosidade, a história me arrancou risadas e me emocionou, e olha que são poucos livros que conseguem isso de mim. O enredo foi bem trabalhado, para que os sentimentos dos personagens fossem consistentes e que pudéssemos entender suas atitudes. A ambientação no contexto da época, onde um romance entre um nobre e uma governanta poderia não ser visto com bons olhos, foi bem feita. Há cenas mais quentes, mas são leves e bem escritas. E preciso mencionar a boa revisão e a capa linda!


 Enfim, "O ogro e a louca" foi uma ótima leitura, com certeza o livro figura entre os melhores romances de época que li esse ano, não fica devendo em nada aos lançamentos da Arqueiro, por exemplo. Ler no Wattpad foi bem tranquilo, tanto no site quanto no aplicativo, com o diferencial de poder ver os comentários de outros leitores, o que me rendeu boas risadas. Para ler também, o link e: https://www.wattpad.com/story/162227533-o-ogro-e-a-louca (não sei até quando o livro vai ficar disponível, então não percam tempo). Além do Wattpad, vocês podem acompanhar a autora pelo Instagram e pelo Facebook. Aproveitem para me seguir lá também: wattpad.com/user/Marijleite (não tenho nada publicado, mas quem sabe futuramente...). Me contem: já conheciam o livro? Usam o Wattpad? Têm alguma outra história por lá para me indicar?


Até o próximo post!

Me acompanhe nas redes sociais:

Resenha: filme "Bird Box" (Caixa de Pássaros)

 Olá pessoal, tudo bem? Agora que o Natal já veio e passou, vamos falar de um filme mais tenso: "Bird Box", ou, em português, Caixa de Pássaros. Baseado no livro de mesmo nome (escrito por Josh Malerman e publicado no Brasil pela Editora Intrínseca), Bird Box estreou semana passada na Netflix.

Resenha, filme, Bird Box, Caixa de Pássaros

 A história começa com Malorie (Sandra Bullock), um garoto e uma garota, partindo de barco para um viajem pelo rio em busca de um novo abrigo. Aí voltamos no tempo, cinco anos antes, quando Malorie pintava quadros e estava grávida. Ela foi com a irmã numa consulta médica, mas, na volta, o caos tomou conta. Visões estavam fazendo com que as pessoas enlouquecessem e se suicidassem. 

Bird-Box, Caixa-de-Passaros

 Malorie vai se refugiar com outras pessoas numa casa, porém, pela primeira cena do filme, a gente já deduz que eles vão se separar em algum momento. Seria quando a comida acabasse? Alguns sucumbiriam às visões? Malorie e as duas crianças conseguiriam fazer a viagem pelo rio vendados? Chegariam em algum lugar? Como ela tinha dois filhos se não estava grávida de gêmeos? Essas e outras perguntas vão sendo respondidas ao longo das duas horas do filme.

 Eu não li o livro no qual o roteiro se baseou, por ter lido algumas resenhas de pessoas que não curtiram muito o final, então não tenho como comparar os dois. Mas pelos comentários que vi de outras pessoas que assistiram Bird Box, parece que há sim algumas diferenças em relação ao livro, inclusive no final. Mesmo assim, confesso que estou até considerando ler o livro agora, pois gostei mais da história do que esperava. É, eu comecei a assistir pensando que ia detestar, mas a curiosidade falou mais alto, decidi ver e gostei mais do que imaginava.

 Não esperem ver monstros aterrorizantes, as criaturas mais cruéis que vocês encontrarão são os próprios humanos, que movidos pelo medo ou pela loucura, são capazes de qualquer coisa. Não foi um filme apavorante, mas senti certa tensão do início ao fim, tive medo do que poderia acontecer na cena seguinte e confesso que não acreditava no sucesso da jornada de Malorie e das crianças, aliás, acho que essas foram as sensações mais marcantes no filme para mim: desolação, devastação, falta de esperança.

 Não sou especialista nesses assuntos, mas o filme tem um visual sombriamente agradável e boas atuações. A pequena Vivien Lyra Blair, que faz a Garota, roubou meu coração com sua fofura! Trevante Rhodes (o Tom) também foi um personagem que gostei muito. Aliás, foi muito interessante a diversidade presente no elenco, com pessoas de todas as idades, cores e pesos. Por fim, preciso mencionar que amei descobrir o motivo do título!

Bird-Box, Netflix

 Confira o trailer:



 E por hoje é só, fica a minha recomendação para quem quiser assistir o filme. Alguém aí já viu? O que achou? Vale lembrar que atualmente a assinatura mensal da Netflix custa R$19,90, e pode ser paga com cartão de crédito, cartão de débito, cartões pré-pagos e débito em conta (clique aqui para ver todas as opções de pagamento) e o primeiro mês é grátis. Para quem quiser comprar o livro na Amazon, é só clicar:


Até o próximo post!

Me acompanhe nas redes sociais:

RESENHA: Palácio de Mentiras, de Erin Watt


Olá Leitores (as), como estão? Hoje venho trazer para vocês a resenha do terceiro livro da série The Royals a obra  Palácio de Mentiras, da autora Erin Watt. Está história teve altos e baixos, mas muitos mistérios que me prendeu,  do começo ao fim do livro. Dessa forma, venham conferir minha opinião completa sobre esta obra, e mais detalhes a respeito desta série maravilhosa.

Foto: Skoob
Título: Palácio de Mentiras
Autora: Erin Watt
Editora: Essência
Ano: 2018
Páginas: 384
Gênero: Romance / Literatura Estrangeira  / Ficção

SINOPSE
'De inimigos mortais a aliados improváveis, dois adolescentes tentam proteger tudo o que mais importa para eles. Ella Harper foi capaz de superar cada um dos obstáculos que surgiram em seu caminho. Forte e resiliente, ela está disposta a fazer o que for preciso para defender as pessoas que ama. Mas lidar com o retorno do pai desaparecido e com o namorado cuja vida está por um fio pode ser demais para a jovem.Reed Royal tem um temperamento afiado e punhos ágeis. Mas sua habilidade para resolver problemas com violência já não é mais o bastante. Se ele quiser salvar a si mesmo e a sua garota, ele terá que superar o passado e sua reputação manchada.Ella precisa ser forte para lidar com os Royal... isso se Reed não destruir sua própria família antes. (Skoob)

Para quem acompanha o Blog sabe que eu já postei a resenha dos dois primeiros livros da série, sendo eles o título  Princesa de Papel, e Príncipe Partido. Mas, se você ainda não conferiu é só clicar aqui e aqui que será redirecionado para a página onde está minha opinião completa sobre essas leituras.
Bom, esta série tem sido uma das melhores leituras do ano, principalmente em relação ao primeiro livro que devorei em dois dias. Porém nesse terceiro livro a leitura foi ainda mais instigante, já que vamos acompanhar a resolução de alguns mistérios, e saberemos se o nosso casal protagonista irão ficar juntos ou não.

[ATENÇÃO] DAQUI PRA FRENTE PODE CONTER SPOILER DOS LIVROS ANTERIORES 


“Meu estômago da um nó. Droga. Eu odeio ter revelado mesmo que um traço de fragilidade na frente desse homem. Eu não demonstro fraqueza. Nunca. A única pessoa com quem consegui abaixar a guarda foi Ella. Aquela garota tem o poder de quebrar minhas barreiras e me ver de verdade. O verdadeiro eu, não o babaca frio e insensível que o resto do mundo vê.” (Pag.12)


A trama dessa continuação se sucede de onde o segundo livro foi finalizado. Sendo que este desfecho foi bombástico, pois nos deparamos com um assassinato onde Reed Royal e acusado de ser o culpado, e o pai de Ella ressurge dos mortos, e deseja recuperar o tempo perdido participando ativamente da vida da filha. Agora que nosso casal está junto e feliz, terão novamente que se deparar com novos segredos, intriga, acusação de assassinato e um pai rigoroso que não está nada feliz com o relacionamento deles. O livro continua sendo narrado em primeira pessoa pelas perspectivas de Reed Royal e Ella o que deixou a leitura ainda mais intensa, cativante e envolvente.

“-Você não quer descer e falar com ele? É seu pai, Ella. Meu pânico volta com força total.- Não. Ele é só um cara que engravidou a minha mãe. Não lidar com isso agora. Eu… -Eu engulo em seco de novo. - Acho que ele não se deu conta de que sou a filha dele.” (Pag. 22)




Gostaria muito de ter escrito essa resenha sem soltar nenhum spoiler do livro anterior, porém percebi que seria meio impossível já que se trata de uma continuação. Como mencionei anteriormente com a conclusão surpreendente do segundo livro, fiquei louca para ler esta obra para saber como todo esse mistério em torno do assassinato seria desvendado, e o que realmente tinha acontecido com o pai de Ella. Porém o que me deixou ainda mais intrigada é como Ella e Reed iriam lidar com toda essa situação. E por íncrivel que pareça ambos lidaram muito bem com toda a ocasião. Já que ambos tomaram as atitudes certas, e mesmo em alguns momentos no qual achei que eles iriam perder a cabeça e meter os pés pelas mãos, ainda assim conseguiram contornar a situação, e sair por cima. Diante disso é notório que houve um amadurecimento por parte de ambos os personagens, que antes resolviam tudo na base da violência, ou fugiam para não terem de lidar com aquilo que lhes afligiam.

“Olho para nossos dedos entrelaçados. - Eu sou uma fugitiva, East.-Não. Você é uma guerreira.” (Pag. 23)


Em relação a quem havia cometido assassinato fiz minhas apostas e acertei em cheio, apesar de não querer acreditar que esta pessoa que havia cometido o ato tão bárbaro. Porém a autora construiu a história de uma forma muito desenvolvida, já que todas as peças desse quebra-cabeça encaixaram perfeitamente. E mesmo eu tendo descoberto antes da revelação, ainda sim, a leitura continuou sendo eletrizante, e cheia de surpresas.
A escrita das autoras continua envolvente e de fácil compreensão, com uma linguagem jovem que deixa a leitura se decorrer de forma rápida, de forma que as páginas vão passando sem que o leitor perceba.


“Mordo o lábio com força.-Eu sou um Royal, gata. Eu não fujo. Eu luto.-Seu olhar endurece como aço.-Eu não matei ninguém e não vou para a prisão por uma coisa que não fiz. Prometo.” (Pag. 41)


Este é o último livro que tem como Reed Royal e Ella como o casal principal, já que o título  Herdeiro Caído traz o irmão Easton Royal como protagonista principal. E como ele se tornou um dos meus irmãos preferidos, e claro que estou ansiosa pela leitura da obra. Continuo recomendando a  série, tenho certeza de que vão se apaixonar pelos irmãos Royal. Agora não vejo a hora de adquirir o quarto livro para poder conhecer um pouco mais de Easton e o que ele vem aprontar dessa vez. Mas, e vocês já tiveram oportunidade de ler este livro, ou se interessaram por esta leitura? Deixe nos comentários a opinião de vocês, é sempre muito importante e bem vinda.


Espero que tenham gostado, e por hoje é só.

Até o próximo post

Me acompanhe nas redes sociais:

Book Tag Blogueirinha de Merda

 Olá pessoal, tudo bem? No post de hoje venho responder a Book Tag Blogueirinha de Merda, criada pela Tailany do canal Despindo Estórias inspirada no canal de humor Blogueirinha de Merda; quem me indicou para responder foi a Bárbara do canal B de Barbárie. Vocês podem apertar o play e conferir no vídeo (só 5 minutinhos) ou continuar lendo:



Tag-literaria, Blog-Literario-Petalas-de-Liberdade


 Perguntas:

1. "OI MENINAS, TUTUPOM?" - UM LIVRO QUE TEM UM INÍCIO BEM AGRADÁVEL.
 "Querido Daniel,
 Uma pessoa precisa ter vivido um tanto para apreciar uma história de sobrevivência. É o que eu sempre disse. Prometi a mim mesmo que, assim que tivesse idade suficiente, eu lhe contaria a minha. Não é uma história para crianças, mas você já não é mais uma. Já é mais velho do que eu era quando me perdi na floresta da montanha.
 Cinco dias no frio congelante sem comida, água ou abrigo. Essa parte você já sabe, além de que estive lá com três desconhecidas e que nem todas sobreviveram. O que aconteceu ali mudou a minha vida, Danny. Ouvir essa história mudará a sua."

 E foi assim que "A Montanha" da Lori Lansens roubou meu coração logo na primeira página!  E lá no final a gente descobre como havia coisas nas entrelinhas dessa primeira página. Nem todo mundo pode achar esse trecho agradável, mas... Confira: Resenha do livro "A Montanha", Lori Lansens.

2. "MELHOR DO MUNDOOOOOO!" - UM TRECHO QUE FEZ VOCÊ PARAR A LEITURA SÓ PRA GRITAR DE TÃO MARAVILHOSO QUE FOI.

 "Assim, Jean se deixava embalar pelas ondas, que o erguiam e passavam. E começou aos poucos, devagar, infinitamente devagar, a confiar. Não no mar, de jeito nenhum, esse erro ninguém deveria cometer! Jean Perdu voltou a confiar em si mesmo. Ele não quebraria, não morreria afogado nos sentimentos. E todas as vezes que se entregava ao mar, perdia um pouco do medo."

 Esse trecho do livro da Nina George, sobre não confiar no mar, é um que volta e meia me lembro. Se tem uma autora que coloca citações boas nos livros, é a Nina! Confira: Resenha do livro "A livraria mágica de Paris", Nina George e Comparando livros: "A livraria mágica de Paris" x "O maravilhoso bistrô francês", Nina George.

3. "NÃO TEM NO BRASIL!" - UM LIVRO QUE VOCÊ ADORARIA QUE FOSSE LOGO TRADUZIDO PRA CÁ.

 Eu queria MUITO que a Editora Única lançasse os próximos volumes da série "Alice no País das Armadilhas" do Mainak Dhar (distopia com zumbis e menções a "Alice nos País das Maravilhas", o primeiro livro é ótimo, o segundo é razoável, lançaram um de contos acontecidos antes do primeiro volume mas não lançaram as continuações =[) e a continuação de "A evolução de Calpúrnia Tate" da Jacqueline Kelly (esse tem um final relativamente fechado, mas adoraria ter a continuação). E como alguns talvez saibam, eu amei a trilogia "Amor e Mentiras" da Tarryn Fisher (se não sabe disso, clique aqui), virei fã da autora e quero ler tudo o que ela escreve, e adoraria que "Folsom" (escrito em conjunto com outra autora) também fosse publicado no Brasil.

4. "POR EXEMPLO... NÃO TEM EXEMPLO!" - UM LIVRO QUE A REALIDADE NÃO CONDISSE COM A EXPECTATIVA.

 Esperava que "Loucamente Sua" da Rachel Gibson fosse mais engraçado do que realmente foi, e  “Fazendas ásperas” da Geny Villas-Novas foi totalmente diferente do que eu esperava, e não num sentido bom.

5. "NÃO SEI SE TÁ FOCAAAANDO!" - UM LIVRO LINDO QUE VOCÊ COMPROU/GANHOU/RECEBEU NOS ÚLTIMOS 3 MESES.

 "Ecos" da Pam Muñoz Ryan é MUITO lindo (mostrei no vídeo)! Não por acaso, é uma publicação da Darkside. Não comprei só pela capa, mas também pela história que dizem ser ótima.


 Eu só vou taguear a Lana, colaboradora aqui do blog, mas quem quiser pode responder também. Espero que tenham gostado de conferir minhas respostas. Me contem: já leram ou querem ler algum dos livros citados?

Vamos falar sobre metas de leituras? [SoSeLit #11]

 Olá pessoal, tudo bem? Metas de leitura foi o tema da blogagem coletiva de novembro na SoSeLit, a Sociedade Secreta Literária, da qual eu e outras blogueiras fazemos parte. Já começo o post afirmando que sim, definir metas pode nos ajudar a ler mais, ou, numa era onde há tantas distrações, nos impedir de ler menos!

meta-de-leitura, blogagem-coletiva, blog-literario-petalas-de-liberdade

 Eu costumo definir metas, nem sempre realistas, mas nunca extremamente rígidas. Por exemplo, em maio fiz um post com a minha TBR (lista de livros para ler) com 11 títulos, o que poderia parecer um objetivo difícil de alcançar, mas somando o número de páginas das obras escolhidas e dividindo pelo número de dias do mês, cheguei a conclusão de que precisaria ler 63 páginas por dia para ler todos os livros que me propus, algo que, me conhecendo, sabia que poderia fazer. E fiz! Não só li os 11 livros, como ainda consegui ler mais 1.

 Parei de fazer posts com vídeos de TBR para o mês aqui no blog por perceber que não estava alcançando as metas, então, não fazia sentido dedicar tempo para planejar, gravar e editar vídeos e posts com objetivos que eu sabia que não ia cumprir. Também não tenho entrado em maratonas ou desafios literários com muita frequência, por saber que no momento não dá para alterar meu tempo disponível para ler (noites e finais de semana). Isso não quer dizer que tenha deixado de fazer metas, apenas tenho tornado-as mais compatíveis com a minha realidade.

 Todo mês venho fazendo uma pilha na estante com os livros que quero ou preciso ler logo, e vou lendo conforme consigo. Mas não abandono a matemática, e continuo calculando quantas páginas precisaria ler por dia para ler todos os livros que quero. Esse "método" me ajuda bastante a compreender as consequências das minhas escolhas. Infelizmente tenho notado que o celular é uma grande distração na minha vida; entro para ver se há alguma notificação, acabo me distraindo e quando vejo já estou mais tempo conectada do que gostaria, enquanto poderia estar me divertindo com a leitura ou em outra atividade como ficar com a minha família.

 Assim, entendo que, se em 2018 não conseguirei ler mais de 100 livros como consegui nos anos anteriores, foi por ficar mais na internet do que deveria. Com isso, tenho me policiado nos últimos dias para só pegar o celular (atividade que nem sempre me faz bem) após ler um pouco (atividade que me faz bem).

 Já vi pessoas dizendo que se sentem pressionadas quando traçam metas de páginas para ler por dia ou de livros para ler no ano ou no mês, mas a leitura como entretenimento não deve ser uma pressão, e sim uma diversão. Por outro lado, vale lembrar que evitar distrações como o celular ou adquirir bons hábitos como o da leitura é algo que necessita de comprometimento, esforço e dedicação. Então, se organizar através de metas pode te ajudar a ler mais, desde que você se conheça e estipule metas realistas, se você deve ler meia ou uma hora, dez, cinquenta ou cem páginas por dia, é você que vai descobrir.

 Estipular metas realistas, fazer anotações sobre a leitura, formar grupos para conversar com outros leitores são algumas formas de tornar a sua vida de leitor mais organizada, produtiva e divertida. Me contem sobre suas metas de leituras!

 Ps.: está rolando sorteio aqui no blog do Livro de Marcar Livros (um livro interativo para leitores) e do Diário de Leituras da TAG Experiências Literárias, clique aqui para saber mais e participar.

 ♥ Conheça os demais participantes da SoSeLit: Eu InsistoMy Dear LibraryLa OliphantUm Metro e Meio de LivrosLivro LabYara GuezBarda LiteráriaColeções LiteráriasDiário de uma leitora compulsiva.

♥ Veja os posts dos meses anteriores: Meu gosto literário mudou com o blog?Preconceito LiterárioProblemas com editorasO preço dos livros no BrasilA delicada relação entre autores nacionais e blogueiros literários Ainda vale a pena ter um blog literário?Adaptações Literárias.



* Sorteio: "Livro de Marcar Livros" e Diário de Leituras da TAG
Até o próximo post!

Me acompanhe nas redes sociais:
FacebookTwitterInstagramYouTubeSkoob 

RESENHA: Confesse, de Colleen Hoover

Olá Leitores (as), como estão? Espero que estejam todos bem. Hoje trago a vocês a resenha de um livro incrível. Estou me referindo a obra Confesse, de uma das minhas autoras preferidas Colleen Hoover. Essa obra me conquistou logo nas primeiras páginas, fazendo com que eu terminasse a leitura rapidamente. Por isso os convido a conferir minha opinião completa sobre esta obra.

Título: Confesse
Autora: Colleen Hoover
Editora: Galera Record
Ano: 2017
Páginas: 320
Gênero: Jovem Adulto / Literatura Estrangeira / Romance / Ficção

SINOPSE
Um romance sobre arriscar tudo pelo amor — e sobre encontrar seu coração entre a verdade e a mentira. Da autora das séries Slammed e Hopeless.
Auburn Reed perdeu tudo que era importante para ela. Na luta para reconstruir a vida destruída, ela se mantém focada em seus objetivos e não pode cometer nenhum erro. Mas ao entrar num estúdio de arte em Dallas à procura de emprego, Auburn não esperava encontrar o enigmático Owen Gentry, que lhe desperta uma intensa atração. Pela primeira vez, Auburn se vê correndo riscos e deixa o coração falar mais alto, até descobrir que Owen está encobrindo um enorme segredo. A importância do passado do artista ameaça acabar com tudo que Auburn mais ama, e a única maneira de reconstituir sua vida é mantendo Owen afastado.

Como mencionei anteriormente a Colleen Hoover é uma das minhas autoras preferidas, por isso sempre que a Editora Record publica algum de seus livros físicos, fico louca para lê-los. É com o título “Confesse” não foi diferente, principalmente porque li muitos elogios em relação a obra, o que me despertou ainda mais interesse e curiosidade. Por essa razão durante a leitura consegui compreender todo esse burburinho, já que a história é realmente bastante instigante, envolvente e recheada de segredos sujos.
"Faz seis meses que a gente sabe que as coisas terminariam assim. Claro que todo nós rezamos por um milagre, mas esse tipo de milagre não acontece na vida real."(Pag. 10)



Este livro narra a história dos personagens Auburn Reed e Owen Gentry. Auburn é uma mulher que passou por várias situações difíceis durante toda sua vida, principalmente na adolescência. No entanto agora quer reconstruir sua vida tomando as decisões que ela considera certas, porém as coisas não saem muito bem como ela planejava após ela conhecer o misterioso Owen Gentry. Owen é um cara reservado e cheio de segredos, porém possui uma personalidade intrigante e amorosa, além de ser um pintor incrível. Ambos se esbarram em um dia qualquer no atelier de Owen, pois ele oferece um emprego irrecusável a Auburn. Depois disso eles vão se aproximando cada vez mais, ao ponto de não resistirem a atração que ambos sentem um pelo outro. Mas, só tem um problema, eles possuem segredos do passado que podem mexer com seus sentimentos ao ponto de terem de escolher abrir mão de seus objetivos para ficarem juntos. Será que o que eles estão escondendo um do outro vai ser capaz de separá-los ou fazer com que eles se aproximem ainda mais?

“Minhas lágrimas aumentam ao ouvir suas palavras.
- E eu vou te amar para sempre. Mesmo quando eu não dever mais.” (Pag.16)



Este é o tipo de livro que te fisga nas primeiras páginas de uma maneira que, a cada virar de página você quer saber como a trama vai se desenvolver, de forma a te prender do começo ao fim. Especialmente porque já no primeiro capítulo a autora conseguiu me arrancar muitas lágrimas com uma das despedidas de doer o coração de qualquer leitor. Até porque é impossível não sentir empatia pela personagem e se colocar no seu lugar. Com certeza naquele momento senti na pele um sentimento de vazio e angústia.
Depois a trama dá um salto do passado aos dias atuais, em que Auburn está adulta e tentando reconstruir uma vida que ela sempre sonhou, e reconquistar tudo que perdeu. Até que estava indo tudo bem até que Owen entra na sua vida e as coisas começam a desmoronar. No começo fiquei com muita raiva de Owen, até consegui entender sua história de vida e mudar totalmente minha opinião sobre ele. Já Auburn é uma mulher forte, decidida, muito guerreira e empoderada, apesar de alguns momentos ter tomado as decisões mais equivocadas e errôneas. Mas que naquele momento era o certo a se fazer.  


“A caminhada do trabalho até minha casa é longa, e longas caminhadas me fazem pensar na vida, e minha vida me faz chorar.” (Pag.19)


Colleeen é conhecida por escrever histórias que no começo não conseguimos compreender muito da vida dos personagens, o motivo de agirem de tal forma nos fazendo julgá-los precipitadamente, como fazemos diariamente quando vemos uma pessoa tomando uma atitude que sabemos que é errada. Contudo quando conhecemos mais sua história de vida, tudo começa a se encaixar, e você se surpreende totalmente.
Os segredos que são mencionados no livro são todos fatos reais, ou seja, foram pessoas que compartilharam seus segredos mais obscuros. Alguns são horripilantes (pelo menos para mim), outros compreensíveis. Porém todos me fizeram refletir de alguma forma. E os personagens também possuem segredos, no qual queria que fossem revelados para saber qual seria a atitude de cada um, em um momento fiquei totalmente surpresa e feliz.
O livro é narrado em primeira pessoa, intercalando entre ambos os personagens, e o que nos proporciona uma visão ampliada da história de vida de cada um. A escrita da autora é fluida e de fácil compreensão, prendendo o leitor facilmente. A história é cativante, e mais uma vez a Colleen conseguiu me fascinar com sua história que é totalmente inédita, apesar dos tantos livros que escreveu.  


“(...) Ela ficaria chocada se soubesse como seu passado afetou meu presente, e por isso não vou contar a verdade para ela. Alguns segredos nunca deveriam virar confissões. Sei disso melhor que ninguém.” (Pag.37)


Termino essa resenha recomendando a leitura não só dessa obra, mas de todos os outros livros da Colleen Hoover, tenho certeza que não vão se arrepender. Suas histórias nos marcam, e sempre nos fazem refletir sobre vários temas, e esta obra aborda vários assuntos importantes. Sobretudo o quanto a verdade pode ser destruidora tanto quanto os segredos, e se devemos confessá-los ou não. Já que este episódio pode influenciar toda a sua vida, por isso acredito que alguns segredos devem ser sempre mantidos em sigilos. Mas, e vocês já tiveram oportunidade de ler este livro, ou se interessaram por esta leitura? Deixem nos comentários a opinião de vocês, é sempre muito importante e bem vinda.

Espero que tenham gostado, e por hoje é só.

Até o próximo post


Me acompanhe nas redes sociais:

Topo