RESULTADO: Maratona Literária Desencalhando Livros


Olá Leitores (as), como estão? Hoje trago a vocês o balanço geral das minhas leituras durante a Maratona Literária Desencalhando Livros, que ocorreu entres os dias 12 de Dezembro de 2017 á 12 de Janeiro de 2018, e foi organizado pela Maria, nossa blogueira maravilhosa e criativa . A maratona teve o intuito de fazer com que nós leitores lêssemos aqueles livros que há tempo estão parados e encalhados em nossas estantes.


Na última sexta- feira dia 12 de Janeiro de 2018 terminou a maratona e infelizmente eu flopei. Quer dizer que não consegui ler todos os livros escolhidos, isto porque comecei a maratona antes do dia estipulado. Mas consegui ler três livros fenomenais. Venham conferir quais foram as obras!


A Maria nos indicou 5 temas, que nos auxiliaram na escolha das nossas leituras. Esses temas não eram fixos, os leitores a partir dos seus livros encalhados poderiam montar sua maratona, e esta liberdade ao meu ver foi algo muito legal. Já que não ficou algo desestimulante, muito pelo contrário se tornou algo bastante flexível.
Como mantive os temas, agora irei mostrar os livros escolhidos para cada uma das categorias:  

1- Encalhado a mais tempo na estante: esse é autoexplicativo, um livro que está há muito tempo na sua estante e que você não leu ainda.
Escolhi o livro Sempre Foi Você, da autora Carrie Elkes. Um livro que me arrependi de tão não ter lido antes, se ficou curioso para saber mais sobre esta história tem resenha dele aqui no blog.




2 - Encalhado nacional: também autoexplicativo, um livro de um autor brasileiro que está há muito tempo na sua estante e que você não leu ainda.
Escolhi o título O Garoto dos Olhos Azuis, da autora Raiza Varella. Que comecei a lê-lo antes da maratona terminar, porém só consegui concluir a leitura depois do dia 12. Inclusive logo terá
resenha desse livro aqui no blog. Não percam!

3 - Novo na estante mas que corre o risco de ficar encalhado: um livro que não faz tanto tempo assim que você tem na estante, mas que corre o risco de ficar encalhado se você não o ler agora.
Li o livro Laço Eterno, da autora Renata Melo. Esta foi uma leitura rápida, gostosa, e muito agradável, e se vocês quiserem conferir mais sobre este livro, também tem resenha desta obra aqui.



4 - Um encalhado que você não sabe o porquê de estar encalhado: um livro que você queria muito ler, conseguiu adquirir mas ainda não leu.
O livro A História de Nós Dois, da autora Dani Atkins, era um livro que eu queria muito ler, mas acabava sempre adiando. Graças a maratona tive oportunidade de lê-lo, e até que foi uma leitura um tanto quanto surpreendente. Logo,logo, irei postar a resenha desta obra, por isto não percam.


5 - Série encalhada: livro que faz parte de uma série:
Infelizmente não consegui ler o livro Bela Distração, da autora Jamie McGuire, escolhido para esta categoria. Porém pretendo lê-lo ainda este ano.



Esta foi a primeira maratona que participei, e acredito que os motivos que me levaram a não conseguir ler todos os livros servirão como aprendizado para as próximas que virão. Além de que a interação entre os participantes foi muito importante e gratificante. Conseguimos dividir nossas leituras, e opiniões sobre as obras, nossos medos, receios e alegrias. Mas, e vocês já tiveram oportunidade de ler algum desses livros, ou se interessaram pela leitura? Deixem nos comentários a opinião de vocês, é sempre muito importante e bem vinda.


Espero que tenham gostado, e por hoje é só.


Até o próximo post

Me acompanhe nas redes sociais:

Resenha: livro "Nós matamos o cão tinhoso", Luís Bernardo Honwana

 Olá pessoal, tudo bem? Na resenha de hoje venho comentar sobre minha experiência de leitura com o livro "Nós matamos o cão tinhoso", escrito pelo moçambicano Luís Bernardo Honwana e publicado no Brasil em 2017 pela Editora Kapulana. A obra é composta por oito contos, sete já publicados em edições anteriores e um publicado pela primeira vez nessa edição. Um pouco sobre cada conto:

Resenha, opiniao, fotos, capa, citações, contos, literatura-africana, livro, Nós-matamos-o-cão-tinhoso, Luís-Bernardo-Honwana, kapulana
 "O Cão Tinhoso olhava-me com força. Os seus olhos azuis não tinham brilho nenhum, mas eram enormes e estavam cheios de lágrimas que lhe escorriam pelo focinho. Metiam medo aqueles olhos, assim tão grandes, a olhar como uma pessoa a pedir qualquer coisa sem querer dizer." (página 36)

 O primeiro conto é o que dá título ao livro. Com cerca de quarenta páginas e narrado pelos olhos de um menino, "Nós matamos o cão tinhoso" nos apresenta um grupo de estudantes que mora numa vila onde há um cão cheio de marcas e feridas (prefiro não revelar aqui o que causou essas marcas), e que por seu aspecto repulsivo e seus olhos muito expressivos, causa medo e repulsa nas crianças e nos outros cães. Somente uma das garotas da escola não o temia, e por mais esse motivo era considerada "ruim da cabeça". O título do conto já deve lhes dar uma ideia do que acontece, não é mesmo?! Mas não pensem que foi algo fácil, algo que não trouxe uma reflexão para os garotos, que não mexeu com eles de alguma forma.

 "Eu sabia que ele já sabia de muitas coisas para só querer o que qualquer cão podia ter. O Cão tinhoso devia estar à espera de qualquer coisa diferente do que os outros cães costumam ter" (página 44)

 "Inventário de imóveis e jacentes" é apenas a descrição de uma casa, com seus cômodos e móveis. E mesmo sendo apenas uma descrição de poucas páginas pelos olhos de um dos filhos do dono da casa, foi um dos contos que mais gostei. É uma casa pequena para o número de pessoas que abriga, uma casa simples, mas onde há livros. Em "Dina" somos apresentados ao árduo trabalho numa plantação de milho. Trabalho que fica ainda pior quando o capataz branco demora a chamar os trabalhadores para a hora do almoço. Mas o que os pobres trabalhadores poderiam fazer?

 "A velhota" é sobre um rapaz que depois de ser agredido, decide ir até a casa da mãe e dos irmãos mais novos. Lá, ele se sente dividido entre contar aos irmãos pequenos sobre a brutalidade que enfrenta e um fiapo de esperança de que o futuro seja diferente para os irmãos, que talvez eles não se revoltem como ele ao ser humilhado ou que talvez os mais novos vivam numa época melhor, sem sem tantas humilhações.

 "E precisava ir para casa para encher os ouvidos de berros, os olhos de miséria e a consciência de arroz com carril de amendoim." (página 81)

 "- Conta, conta! - e os miúdos rodeavam-nos na esteira.
Não, eu não contaria. Não fora para isso que viera para casa. Além disso, não seria eu a destruir neles fosse o que fosse. A seu tempo alguém se encarregaria de os pôr na raiva. Não, eu não contaria." (página 84)

 "Por que não acreditar em qualquer coisa de giro? Como por exemplo que a formação dos miúdos fosse diferente da minha e que lhes conferisse uma condescendência para com aquelas coisas, uma condescendência que as minhas coordenadas emocionais não comportavam... E que talvez, eu sei lá, que talvez para com eles o tempo obrigasse a mais compreensão, mais carinho, sim, a mais humanidade... Porque talvez a velhota tivesse razão, há o tempo, o tempo..." (página 85, "giro" significa interessante, bonito)

 "Papá, cobra e eu" volta a ser narrado por um garoto, em cuja propriedade há uma cobra que está causando problemas para a família. E veremos a aproximação do menino com o pai, que lhe dará sábios conselhos que talvez ele só compreenderá quando for maior.

 "- Meu filho, tem de haver uma esperança! Quando um dia acaba e sabemos que amanhã será tudo igualzinho, temos de ir arranjar forças para continuar a sorrir e continuar a dizer ‘isso não tem importância’. Ainda hoje viste o Sr. Castro a enxovalhar-me! Isso foi só um bocadinho da ração de hoje... Não, meu filho, mesmo que isto tudo só O negue, Ele tem de existir!...
 O Papá parou de repente e sorriu num esforço. Depois acrescentou:
 - Mesmo um pobre tem de ter qualquer coisa... Mesmo que seja só uma esperança!... Mesmo que ela seja falsa!..." (página 103)

 "- Sabes, meu filho, - o Papá falava pausadamente e gesticulava muito antes de cada palavra - sofre-se muito... Muito, muito, muito!... A gente cresce com muita coisa cá dentro mas depois é difícil gritar, tu sabes...
[...] Quando um cavalo endoidece dá-se-lhe um tiro e tudo acaba, mas aos cavalos mansos mata-se todos os dias. Todos os dias, ouviste? Todos , todos, todos enquanto eles se aguentarem de pé!..." (página 104)

 "As mãos dos pretos" traz a curiosidade de um garoto em entender o motivo de as palmas das mãos dos negros serem mais claras que o restante do corpo. Curiosidade que gera muitas histórias com visões diferentes, algumas bem racistas, mas é a explicação da mãe que mais vai tocar o garoto.

 "Pois olha: foi para mostrar que o que os homens fazem, é apenas obra de homens... Que o que os homens fazem é feito por mãos iguais, mãos de pessoas que se tiverem juízo sabem que antes de serem qualquer outra coisa são homens." (página 109)

 "Nhinguitimo" começa falando sobre pássaros, depois nos mostra como os sonhos de prosperar através do trabalho duro poderia ser destruído pela ganância dos que já tinham dinheiro.

 "- Matchumbutana... - Vírgula Oito falava lentamente, titubeante - Matchumbutana... Eu nasci naquela terra... O meu pai também nasceu lá. Toda a minha família é do Goana... Os meus avós todos estão lá enterrados... Maguiguana, o Lodrica tem lojas, tem tratores, tem machambas grandes... Por que é que ele quer o nosso sítio? Por quê?" (página 128)

 "Rosita, até morrer" é o último conto do livro, um extra publicado na edição da Kapulana, e é uma carta de Rosa para Manuel, o pai de sua filha. Rosa não escreve usando a grafia correta das palavras, mas faz o possível para mostrar para Manuel que se lembra dele e que ficaria contente se pudesse vê-lo novamente, já que faz tempo que ele a abandonou. É um conto tocante.

 "Quando tu quer tu vem escançar, só escançar, conhecer tua filha comer os ovo com galinha, com cabrito quando vocé guenta, beber ucanhi nas família da terra, tomar banho no rio, dançar xingombela no casa de N’Dlamini, mais nada. Quer? Vocé vai pruguntar as pessoa que anda aqui a falar assim: O! Manuel tem esta nossa pele mas agora é branco, comprou ser branco nos papel, esquenceu os vovô dele que morreu, esquenceu filha dele que nasceu, esquenceu terra, esquenceu tudo. Eu diz é mentira, Manuel não pode esquencer. As pessoa ri, as pessoa diz eu não sabe, as pessoa diz cada vez eu é polícia também. Vocé é? O, vem dizer mesmo! Depois vocé vai tembora quando não gosta ficar aqui fazer machamba, ensinar as pessoa no escole de noite que voces tinha na casa de Mussá. Vocé vai, eu não vai agarar vocé, só vai chorar mesmo." (páginas 140 e 141)

Resenha: livro "Nós matamos o cão tinhoso", Luís Bernardo Honwana

 Considerações gerais: O livro "Nós matamos o cão tinhoso" foi publicado pela primeira vez em 1964, e no mesmo ano o autor Luís Bernardo Honwana foi preso pela sua militância em prol da independência de Moçambique, até então uma colônia Portuguesa. A obra é considerada uma das mais importantes da literatura moçambicana e africana, e talvez vocês saibam que Moçambique é um dos países onde se fala o Português (além de outras línguas nativas).

 Foi interessante notar a diferença entre o Português falado e escrito lá em Moçambique nos anos sessenta e a forma como o falamos nos dias atuais. Percebi que inúmeras palavras que vejo conhecidos com mais idade usando e que eu até achava que eram "erradas", são apenas palavras que foram sendo menos usadas com o tempo. Além de algumas notas de rodapé para ajudar o leitor a entender certos termos, pesquisar no dicionário outras palavras que aparecem no texto pode auxiliar o leitor a compreender melhor as histórias.

 Por ser uma obra com um certo contexto histórico e pelo fato de eu amar contos, estava com expectativas elevadíssimas, e confesso que a leitura não alcançou minhas expectativas, talvez pelo choque entre a cultura em que vivo e a encontrada nos contos. Ainda assim, é um livro que vale a pena ler para conhecer mais da realidade de Moçambique de décadas atrás, e entender melhor as relações de poder entre colonizadores e colonizados. No final do livro há um artigo contextualizando um pouco a obra, e foi interessante para mim encontrar interpretações diferentes das minhas para alguns contos. Falando em interpretações, se vocês pesquisarem no Google pelos títulos ou trechos dos contos presentes na resenha, encontrarão várias análises deles (bem mais estendidas que meus pequenos comentários), o que mostra a relevância da obra.

 Enfim, entre traquinagens de crianças, trabalho árduo em plantações, conflitos entre brancos e negros, entre colonizadores e nativos, e sonhos desfeitos frente à dureza da realidade, "Nós matamos o cão tinhoso" é um livro válido para entendermos um pouco mais da cultura africana, uma cultura que também chegou até o Brasil, ainda que para mim, mulher, jovem, mineira e branca, seja uma realidade muito distinta da minha.

nós-matamos-o-cão-tinhoso, editora-kapulana, livro-famoso, africa
Resenha: livro "Nós matamos o cão tinhoso", Luís Bernardo Honwana


 A edição da Kapulana tem uma capa condizente com a obra, páginas amareladas, boa revisão e diagramação com margens, espaçamento e letras de bom tamanho. Me contem: gostaram da resenha? Já conheciam a obra? Qual conto lhes chamou mais a atenção?

 Detalhes: 145 páginas, ISBN-13: 9788568846308, Skoob. Compre online na loja da editora.


 Se ainda não é inscrito no canal, clique aqui e se inscreva, aproveita que está rolando sorteio de um kit maravilhoso da TAG Experiências Literárias, vem participar. Falando em sorteio, corre lá no Instagram para participar do sorteio de um livro muito lindinho. Agora, se você está preocupado com o tanto de livro que ainda tem pra ler, clique aqui e dê uma olhada nesse desafio literário que pode te ajudar nessa missão.

Até o próximo post!

Me acompanhe nas redes sociais:

Vídeo: resumo das leituras de dezembro

 Olá pessoal, tudo bem? Demorou mais saiu lá no canal o vídeo onde faço um resumo de tudo o que li no último mês. Eu queria ter lido bem mais em dezembro, mas foi um mês tão complicado, ouso até dizer que foi o mês mais difícil da minha vida, que não deu. Acabei lendo sete livros, todos eles relativamente finos (como vocês podem ver na imagem de abertura do vídeo). Apertem o play para conferir um pouquinho sobre cada um:



 Fiquei contente por ter lido quatro nacionais. Li também um livro de literatura africana, e explorar a literatura de outros continentes além da América e Europa é algo que quero fazer mais esse ano. Graças à maratona literária Desencalhando Livros, consegui ler alguns títulos que já estavam até criando teia de aranha na estante é mentira esse negócio das teias de aranha. Pude ler um sick lit, um dos gêneros que mais amo! Li o segundo volume de uma duologia cujo primeiro livro me arrebatou. Dois dos livros ganharam três estrelas no Skoob, e os outros cinco livros ganharam quatro estrelas. E li o melhor livro de poesias da minha vida, olha essa belezura:

"Em poesia" da #LaraBraga é simplesmente O MELHOR LIVRO DE POESIA QUE EU JÁ LI NA VIDA! A autora faz de forma brilhante algo que eu admiro muito: contar histórias através de #versos. Me identifiquei com inúmeros #poemas, sabe aquela coisa de ler e pensar "Também acho isso!"?! Também identifiquei várias situações reais que serviram de base para poemas, mais um ponto que me encantou na obra. SE VOCÊ SENTE QUE NÃO GOSTA DE #POESIA, é que ainda não leu poesias verdadeiramente boas! Super recomendo o #livro da Lara. #ediçãolinda #leiturafinalizada #leiamulheres #literaturanacional #mulheresemcena #books #bookgram #igreads #booktuber #bookphoto #booksofinstagram #goodreads #bookofthemonth #currentlyreading #bookcommunity #amreading #blogliterario #bookreview #readinglist #literature #ilovebooks
Uma publicação compartilhada por Maria - Pétalas de Liberdade (@marijleite) em

 Enfim, vamos considerar que foi um mês bom para as leituras. Aqui no blog já tem resenha de "O Segredo da Caveira de Cristal - Livro II" da Mallerey Cálgara, cliquem no título para conferir. Por hoje é só, espero que tenham gostado do post. Me contem, já leram ou querem ler algum dos livros mostrados?

 Se ainda não é inscrito no canal, clique aqui e se inscreva, aproveita que está rolando sorteio de um kit maravilhoso da TAG Experiências Literárias, vem participar. Falando em sorteio, corre lá no Instagram para participar do sorteio de um livro muito lindinho. Agora, se você está preocupado com o tanto de livro que ainda tem pra ler, clique aqui e dê uma olhada nesse desafio literário que pode te ajudar nessa missão.

Até o próximo post!

Me acompanhe nas redes sociais:

Resenha: livro "Na Batida de um Coração"

O blog Pétalas de Liberdade tem uma nova colaboradora! Confiram a primeira resenha da Carol Ferreira:

Resenha: livro "Na Batida de um Coração"

Hoje, eu vim apresentar para vocês o Amor da minha vida... meu Crush dos crushs... meu livro Favoritinho da vida... meu Romance de todos os romances... Eu não estou exagerando, depois que você lê esse livro, você nunca mais vai se recuperar psicologicamente, prepare seu coração porque Na Batida De Um Coração, deixará ele em frangalhos, literalmente!! Como a autora CSP. Ribeiro me disse: "Romance não recomendável para cardíacos e apaixonados crônicos". 

 Sinopse: “ Sete vezes Campeão Mundial de Motocross Freestyle, Lucca di Biasi é internado às pressas sem saber que seu coração está irrefutavelmente comprometido e agora só um transplante poderá salvá-lo. 
Isabeau Dubois perde seu noivo no dia da cerimônia de seu casamento em um acidente de moto e mergulha na dor e na depressão. 
Lucca recebe uma nova chance de viver. 
Isabeau recebe uma nova chance de amar. 
No cenário idílico de Catalina Island, na Costa da Califórnia, o destino juntará os dois, até Isabeau ter acesso à identidade do receptor. Agora como enfrentará o homem que carrega o coração de seu noivo? E como Lucca reagirá à mulher que o atraiu sem saber se ela se aproximou por ele ou pelo que carrega?”

Resenha: livro "Na Batida de um Coração"

A princípio, o que me chamou atenção foi a capa, ela é delicada e emocionante, eu pude ver um sentimento estampado nela, antes mesmo de abrir o livro. CSP. Ribeiro fez tudo na medida certa, delicadeza, amor, paixão, fúria, desencontros, reencontros, alegrias, tristezas, risos (que eram mais gargalhadas). Ela teve a sensibilidade de me tocar profundamente. Não que seja difícil me comover, eu sou uma chorona, apaixonada cronica como ela mesma diz haha. Mas ela soube, onde e como abordar cada assunto, cada detalhe, cada palavra, cada expressão, cada lágrima e cada sorriso. Isso me surpreendeu, ela comentou comigo, que ao escrever ela vivenciou todos os sentimentos no qual tenho certeza que estou sentindo agora, ela disse que seu marido a via rindo sozinha e chorando sozinha enquanto escolhia cada palavra e escrevia cada cena. Convenhamos que isso é lindo demais né? Ela se preocupou em como nos emocionar, como nos fazer sentir cada palavrinha. Ela soube usar com muita glória tudo que tinha em mãos, todo esse enredo magnífico.


Já comecei o livro chorando e rindo ao mesmo tempo. Cada cena, é uma emoção e um sentimento diferente, não há como, você não chorar e não sorrir com essa história! Eu duvido, que exista um ser humano, com um coração, que não se emocione...eu duvido!

Luc e Isa, me conquistaram na primeira página. Na primeira frase de Luc, eu já estava chorando! Esse é um daqueles livros, que te fazem refletir muito! Posso jurar que ouvi minha cachorrinha chorando quando li a última página do livro hahaha. Sempre fui o tipo de leitora compulsiva, aquela que depende de livros para sobreviver e olha, já passaram milhares de livros em minhas mãos e NENHUM deles, teve a delicadeza e a capacidade de mexer com meu psicológico como Na Batida De Um Coração.

Toda história que leio, tento me colocar no lugar dos personagens, para saber o que está acontecendo, o porque do personagem fazer e pensar daquela forma, muitas vezes eu não consigo entrar na cabeça deles, não consigo entendê-los e isso atrapalha toda a história para mim, Na Batida De Um Coração, a leitura fluiu tanto que nem pensei em tentar entender, ou entrar na cabeça dos personagens, porque eu JÁ ESTAVA lá dentro sem perceber!! Muito louco né? Isso se chama MAGIA DA LEITURA, VIAJAR SEM SAIR DO LUGAR, VIVER EXPERIÊNCIAS DIFERENTES PELOS OLHOS DE OUTRO ALGUÉM! Isso é LER... e ual, como é bom ler. Na Batida De Um Coração só reforçou minha tese, só me provou isso  *-*

Se você é um romântico incurável, adepto aos romances, gosta de uma boa história, gosta de rir, chorar e sentir o turbilhão de emoções que cercam uma pessoa depois da leitura, esse livro foi feito para você! Você vai amar, chorar, se divertir, rir horrores. Defeitos? Nenhum! Eu aposto que vai conquistar seu coração, assim como conquistou o meu.

Resenha: livro "Na Batida de um Coração"

Adquira "Na Batida de um Coração" na Amazon: http://amzn.to/2EKS8Lp 
Carol Ferreira

Sobre a autora do post: Carol Ferreira - colecionadora de sonhos, histórias e lembranças boas. A Fotógrafa mineirinha ocupa seu tempo com música boa, séries, livros, e tudo que a faça viajar sem sair do lugar. Chocólatra desde pequena, apaixonada por sorrisos e pessoas simpáticas, ama conhecer gente nova. Com uma enorme vontade de compartilhar o turbilhão de emoções que a cercam, gosta de escrever sobre o que sente, o que pensa e o que acredita, gosta de compartilhar suas ideias e opiniões. Tem sonhos grandiosos como conhecer Londres e publicar seus textos. Sempre diz que “Para aqueles que são determinados, saber voar, é apenas um detalhe.” Para os que acompanham meus textos, é um prazer tê-los aqui, para os que estão chegando agora, Bem Vindos a minha pequena loucura.

Vamos desencalhar 12 livros em 2018?

 Olá pessoal, tudo bem? Estão lembrado da Maratona Literária Desencalhando Livros? Graças à ela, que terminou ontem, consegui ler 5 ótimos livros que estavam mofando na estante. E foi tão legal poder interagir com os outros participantes lá no grupo da maratona, que surgiu a vontade de continuarmos lendo juntos em 2018. Pensamos em participar de algum desafio literário, mas em todos os que encontrei, vi que provavelmente teria que comprar algum livro pra cumprir os temas, e como a minha meta é diminuir os não lidos e não adquirir mais livros, decidi eu mesma criar um desafio super fácil. Apertem o play para saber mais e conferir quais os livros que escolhi ler:



 Conforme comento no vídeo, muita gente já fez lista de 12 livros para ler em 2018, mas que tal fazer disso realmente um desafio literário? Então, a ideia é olhar para a pilha de não lidos e sentir quais os 12 livros que estão nos chamando, aqueles que mais queremos ler! Mas como isso pode ser difícil para quem, assim como eu, tem muito mais de 12 livros na estante, seguem 12 sugestões de tema:

1 - relativamente novo na estante mas que pode ficar encalhado
2 - livro que faz parte de série
3 - livro escrito por mulher
4 - livro com capa feia ou estranha
5 - livro divertido ou engraçado
6 - romance, pode ser um livro de romance romântico ou um romance no sentido de gênero literário: romance como obra maior que novela e conto
7 - livro de um autor que você gosta
8 - encalhado há muito tempo na estante
9 - livro de autor brasileiro
10 - livro sombrio, pode ser um livro de capa preta, um livro onde há mistério, crime ou sobrenatural
11 - capa bonita
12 - verão, livro que lembre algo quente, ou calor, ou até mesmo um livro de romance hot

 Como eu tenho o blog e normalmente tenho livros de parcerias para ler, pretendo ler um livro por mês, mas nada impede que o participante leia mais de um por mês ou leia em ordem diferente. A ideia é ler os livros encalhados, aqueles que estão parados na estante há tempos. E lá no grupo no Facebook, comentar sobre as leituras e interagir com outros leitores.

 Participe do nosso grupo: www.facebook.com/groups/1534350523284811/.

 Por hoje é só, espero que tenham gostado do post. Me contem: já pensaram no que querem ler em 2018? Têm muitos livros encalhados? Já leram ou querem ler algum dos livros que coloquei na minha meta. Use a hashtag #12livrospara2018 nas redes sociais.


 Clique aqui e participe do sorteio de um kit do clube de assinaturas literário TAG Livros.
 Clique aqui e participe do sorteio do livro "Adágios" no Instagram.



Até o próximo post!

Me acompanhe nas redes sociais:

Caixinha de Correio do Mês de Dezembro

Olá Leitores (as), como estão? Espero que todos estejam bem e tendo ótimas leituras. Hoje trago a vocês a primeira Caixinha de Correios do ano, porém referente ao mês de Dezembro. Desta vez recebi poucos livros, mas todos são títulos muito bons. Por esta razão não percam tempo, e venham conferir os livros adquiridos!



Neste mês como estava de férias aproveitei este momento para poder sair, conversar, e ficar um pouco mais tranquila, por este motivo acabei deixando de lado um pouco o vício de adquirir novos livros. (risos)

O primeiro livro que venho apresentar para vocês e o título Só Escute, da autora Sarah Dessen. Após ler várias resenhas com críticas muito positivas a respeito da história, fiquei super interessada na leitura, entretanto após ver que o livro apesar de ser um lançamento estava custando em torno de vinte reais na Saraiva não resisti e acabei comprando.


Outro livro que ganhei, foi o título Tash e Tolstói da autora Kathryn Ormsbee no sorteio do blog Seguindo o Coelho Branco. Na verdade este é um exemplar da prova do livro, e isto me encantou, pois sempre tive curiosidade em saber como era estas edições que as editoras enviavam pros blogueiros antes de serem publicados, e agora tive esta grande oportunidade. Além de que este livro possui uma premissa interessante. Alguém já leu este livro?



Outro livro que estava louca para ler por abordar um tema, na qual me interesso é o lançamento do autor John Green, Tartarugas Até Lá em Baixo. Que acabei ganhando no sorteio que estava acontecendo no blog Sopa Primordial, e quero agradece-lo pela oportunidade de poder ler esta história que me pareceu surpreendente. Espero que esta seja uma leitura bastante agradável.



Desta vez ganhei o livro Rick e Cath da autora Eva Zooks no top comentarista do blog Conjunto da Obra, que acompanho já faz algum tempo, e amo o conteúdo postado por lá. Inclusive eu ainda não conhecia este livro, porém após ler a sinopse me pareceu um romance tocante.



O livro  Verdade Revelada da autora Sharon Kendrick ganhei mais uma vez no sorteio do blog Alegria de Viver e Amar, da minha amiga Rudynalva Soares,  e que aproveito o momento para agradecer, e dizer que como sempre amei o prêmio!



Recebi também o livro A Melodia Ferroz da autora V. E. Schwab. Mas sinceramente não me lembro qual blog me enviou este livro, entretanto ainda assim agradeço de coração o envio. Estou louca para ler este livro, todavia não sei se vou ter tempo de lê-lo ainda este ano. Uma pena!




Estes foram os livros que recebi neste mês de Dezembro. Mas e vocês leitores, gostaram de conferir mais uma vez minha caixinha dos correios? Deixe nos comentários a opinião de vocês, e se querem que eu continue mostrando minhas novas aquisições, e quais são os livros que mais lhe interessaram, ou qual desses títulos vocês querem ver e/ou ler a resenha aqui no blog,  já que a opinião de vocês é sempre muito importante e bem vinda. 

Espero que tenham gostado, e por hoje é só.

Até o próximo post


Me acompanhe nas redes sociais:

Resenha: livro "Contos e encontros do coração"

 Olá pessoal, tudo bem? Na resenha de hoje venho comentar sobre minha experiência de leitura com um livro muito especial: "Contos e encontros do coração", uma antologia organizada pelo escritor Adriano Silva e publicada em 2017 pela Editora Hope.

Resenha: livro "Contos e encontros do coração"

 O livro reúne 18 contos de novos escritores brasileiros que foram desafiados à escrever sobre o amor. Entre esses escritores, estou eu, que também tive um conto selecionado para a antologia. Durante a leitura, pude perceber como cada um de nós falou sobre um tipo de amor: o amor amizade, o amor que demorou muito para ser concretizado, o amor não correspondido, o amor que não precisa ser por alguém, mas por algo, e que mesmo assim muda a vida de quem ama, o amor que muda a vida de toda uma comunidade!

 O leitor pode encontrar contos de diversos estilos, alguns com uma escrita mais poética, outros mais simples e diretos. São textos curtos e de leitura rápida. Eu já comentei sobre cada um no meu perfil no Instagram, e aqui na resenha vou destacar só alguns pontos que me chamaram mais a atenção.

 Percebi em "Aqueles Dois", primeiro conto do livro, escrito pelo Adriano Silva, história sobre o amor de dois jovens que tiveram que se separar, essa coisa de "contador de causo" que nós, mineiros, temos a fama de possuir. "Rotina" do Diego Demetrius é a emocionante história de como amar um animalzinho pode dar um novo sentido para a vida.

 "Chorou um pouco por causa do que carregava nos braços e muito pelo que levava no peito." (páginas 34 e 35, Diego Demetrius)

 "Desencontros" do Guilherme Tironi me fez dar boas risadas, com as tentativas frustradas do personagem Alex de se entender com Elena.

"- Eu não tenho um cavalo, mas você pode cavalgar em mim? - Sorriu grande, tentando conter a gargalhada.
 - Você fala assim enquanto faz amor? - Perguntou, cruzando os braços por cima do peito, batendo o pé com impaciência.
 -'Eu não faço amor. Eu fodo com força.' - Respondeu ele, levando um veloz tapa da mulher, que ardeu, surgindo a marca de cinco dedos em sua face. O homem a fitou em silêncio por alguns segundos, voltando a falar.
 - Achei que tinha me dito que já havia assistido 50 tons de cinza." (página 67)

 "Café de amores" da Laura Florencio é a prova de que idade não defini qualidade. Com apenas 16 anos na época da publicação da antologia, a autora escreveu um conto lindo, muito bem escrito, sobre  o nascimento de amores que uma atendente presenciou em seu trabalho num café ao longo dos anos. "A visita (in)esperada" da Manu Saraiva foi outro conto que gostei muito. Tenho certeza que muita gente já sonhou em ver aquele ex voltando arrependido, dizendo que reconhece que errou no relacionamento.

 "Primeiros amores são os mais difíceis de esquecer." (página 126, Maria)

 E agora chegou a hora de falar do meu conto, "Amor Adolescente", que vai contar a história de uma garota que se descobre apaixonada pelo melhor amigo, um amigo com quem ela convive desde a infância, mas só quando essa garota percebe que ele está apaixonado por outra garota, é que ela entende o que está sentindo. Será que é tarde demais para esse amor? Só lendo para vocês descobrirem!

 Durante a leitura, bateu aquela insegurança de sentir que meu conto não estava tão bom quanto os anteriores. Aí eu li, reli, e amei mais uma vez essa história que escrevi com tanto carinho. Aqui no blog já tem um post e um vídeo mostrando mais detalhes da edição e contanto como foi o processo de escrita do conto, quem quiser conferir é só acessar: Reagindo ao meu livro novo: antologia "Contos e encontros do coração".

Resenha: livro "Contos e encontros do coração"
Resenha: livro "Contos e encontros do coração"
Resenha: livro "Contos e encontros do coração"

 A edição da Hope trouxe uma capa linda, o diferencial de ter a folha de rosto colorida, páginas amareladas, alguns erros de revisão, uma diagramação com margens, letras e espaçamento de bom tamanho, além de vários detalhes no início de cada conto.

 "Nenhuma solidão pode tirar nossas cores por todo o sempre". (Gabriel Tironi, página 49)

 Detalhes: 142 páginas, ISBN-13: 9788557880320, Skoob. Compre online na loja da editora. Acesse o meu Instagram e para conferir meus comentários sobre cada conto. Abaixo, o vídeo que gravei quando recebi os livros:



 Por hoje é só, espero que tenham gostado da resenha. Me contem: já conheciam o livro ou algum dos autores presentes? Gostaram do visual da antologia?


 Clique aqui e participe do sorteio de um kit do clube de assinaturas literário TAG Livros.
 Clique aqui e participe do sorteio do livro "Adágios" no Instagram.



Até o próximo post!

Me acompanhe nas redes sociais:
Topo