Resenha: livro “Fazendas ásperas”, Geny Villas-Novas

 Olá pessoal, tudo bem? Na resenha de hoje venho comentar sobre minha experiência de leitura com o livro “Fazendas ásperas”, escrito pela Geny Villas-Novas e publicado pela Editora 7 Letras em 2017.

Resenha, livro, Fazendas-asperas, Geny-Villas-Novas, blog-literario-petalas-de-liberdade

 "Na conversa dos mineiros há sempre um soluço intuído e desconcertante no ar.
 Acaso são as nossas histórias mais dramáticas do que as dos outros? Somos mais sensíveis? Não sei. Muitas vezes as pessoas perguntam à Mãe: Você está emocionada? Sim. Por quê? Não sei. Penso que me criei entre montanhas altas e vales profundos. Esse acidente geográfico se chama angústia. Será que levamos muito a sério essa angústia?" (página 11)

 A narradora, que acredito se chamar Gabriela (por um trecho da página 91), vê sua mãe (ou talvez seja ela mesma) tentando escrever um livro de memórias sobre a família. Para isso, ela precisa conversar com parentes, resgatando os nomes e as histórias de seus ancestrais, voltando num espaço de tempo de aproximadamente 130 anos. Surgem obstáculos, como fazer contato com a parte da família que se distanciou após um discussão ou o temor de alguns parentes sobre expor as mortes e os casos de suicídio de alguns membros. E surgem também muitas lembranças. Boa parte delas acontecidas próximas ao Rio Doce, nas terras de Minas Gerais, onde a família nasceu, cresceu, casou, se multiplicou, morreu e foi enterrada.

 "As escolas gostavam de fazer piquenique no Rio Doce. Os adolescentes passavam cantando. Quando voltavam mudos, sabíamos que alguém havia ficado. O Rio Doce era um Gigante caudaloso. Depois vinha a notícia. O filho do coletor morreu. Equipes de resgate, alguns parentes, dias e dias rondando. O corpo aparecia preso aos galhos dos ingazeiros, debruçados na margem.
 Ainda ouço o Som e a Fúria das águas do Rio Doce." (página 52)

 "Fazendas ásperas” não foi uma leitura fácil. Uma história com personagens bem definidos e uma sequência de acontecimentos linear não é o que encontraremos aqui. Começando pela confusão com a própria narradora, que hora me parecia ser a filha observando a mãe tentando escrever e até mesmo ajudando-a nas investigações, hora me parecia ser a mãe falando de si mesma alternando em primeira e terceira pessoa... Na maioria das vezes, o nome dos personagens não era usado, optando-se por "apelidos" como "Peixinho Dourado" para a irmã mais nova, "mãe, lapidada em gemas raras" para a mãe da "Mãe"... Na página 41 há a seguinte citação: "Se uma obra não possuir corpo e alma, ela morre.", e o corpo de "Fazendas ásperas" estava nas minhas mãos, mas eu não consegui ver a alma dessa obra perto o bastante.

 "O ouro, os diamantes, as águas marinhas enfeitam os museus do mundo. Fazem parte da coleção de príncipes, princesas e celebridades. As lavouras de café e os animais silvestres se foram com as matas. A nossa última chaga, da qual ainda não conseguimos estancar o Sangue, é a dos retirantes que emigram para os Estados Unidos. Santo Deus! O que está acontecendo com Minas Gerais?" (página 74)

 Não encontrei só pontos negativos nessa leitura. Há várias aspectos que me agradaram. Por exemplo, a ligação da família com Minas Gerais, seus costumes, o jeito de ser mineiro, ler sobre isso foi um encanto para mim, uma mineira apaixonada pela minha terra, pela minha gente e pela nossa História. Ver meu sobrenome - Pereira - como sobrenome da família, também me fez ficar mais conectada à leitura.

 "Falei: Vovó não era bonita, tinha a testa muito grande. Ela olha para o filho que a trouxe e sorri: É a marca registrada da família." (página 206, testa grande também temos nos Pereiras aqui de Liberdade)

 Alguns capítulos da obra funcionariam facilmente como crônicas. A autora traz muitas referências a assuntos da atualidade, como a migração de mineiros em busca de uma vida melhor nos Estados Unidos. Geny aborda especialmente a tragédia de 2015, onde uma barragem da mineradora Samarco se rompeu, encheu de lama o Rio Doce, causando mortes de pessoas, animais e vegetação. Se para uma pessoa comum, o fato já foi revoltante, imaginem para alguém que tinha tantas boas memórias vindas do Rio Doce, e de uma hora para outra, ver destruído o seu lugar favorito no mundo!

 "As águas do Rio Doce são translúcidas, os peixes fazem marolas reluzindo à luz do sol. Elas caminham descalças pelas areias da praia, sentam-se à beira d'água molhando os pés. Molham as mãos fechadas, cheias de fubá, e os peixinhos vêm comer. Quando termina o alimento, eles ficam mordiscando a pele fina das nossas mãos. Gostávamos de sentir aqueles beijinhos. Daqui a mil anos, outras crianças farão o mesmo. E os peixes? Devem morar em alguns afluentes e voltarão em momento propício. Outra criança terá o mesmo Rio Doce como endereço, e seu ponto de referência no mundo. Onde fica o Sítio de Cima? A três quilômetros da margem direita do Rio Doce, na altura de Pedra Corrida. Ah! Nós não sobreviveremos, mas o Rio Doce ainda terá muita história para contar. Ele tem a seu favor os milênios. Se o homem acabar com a terra, ele se muda para Vênus? É isso que ele está pensando? As gerações futuras, talvez, nem saberão o que aconteceu com o Rio Doce, e nem se ele existiu. Ninguém sente falta do que nunca teve. Nós? Nós estamos perdendo, e muito." (página 169)

Resenha, livro, Fazendas-asperas, Geny-Villas-Novas

livro, Fazendas-asperas, Geny-Villas-Novas

 A edição traz uma capa predominantemente verde, com a imagem de uma velha casa, muito semelhante aos velhos casarões que encontro aqui em Minas. Temos páginas amareladas, com letras, margens e espaçamento de bom tamanho. Não me lembro de ter encontrado erros de revisão.

 “Por que os artistas mineiros são tão amargos? Falam de suas obras à beira do choro. Parece que estão interpretando as Troianas. Sacodem as cabeças para se despentearem e assim dar mais ênfase ao desespero. As mãos viram garras e por um milagre não puxam os cabelos. A Inconfidência Mineira ainda arranca lágrimas. Geram discussões inflamadas, principalmente se quem estiver desabonando não for mineiro.
 Fica um soluço desconcertante no ar.
 Falam que Minas Gerais é a terra das assombrações e dos fantasmas. Escravos arrastando correntes. Senhores estropiando cavalos, ao se descobrirem com lepra; Homens cavando a terra, procurando baús cheios de ouro enterrados pelos antepassados.” (página 25)

 Enfim, se a resenha parecer um pouco confusa, sem abordar muito personagens ou história, é apenas um reflexo de como foi a leitura para mim, com pontos altos e baixos, uma experiência bem diferente das minhas expectativas. Um livro interessante, mas difícil de ler (não pela linguagem utilizada) e difícil de resenhar. Sugiro que confiram outras resenhas dele no Skoob para terem mais opiniões. Por hoje é só, me contem: já conheciam o livro ou a autora? Gostam de livros com memórias familiares? E de histórias que falem sobre o estado de vocês?

 Detalhes: 216 páginas, ISBN-13: 9788542106145, Skoob. Clique e compre no site da editora. Clique para comprar na Amazon:


 "Aqui em casa, quando um começa a me aborrecer, meus filhos falam: Não brinque com a mamãe, ela é perigosa; para colocar você no livro, ela não muda de roupa." (página 85)

Clique e participe dos sorteios do blog:

Até o próximo post!
Me acompanhe nas redes sociais:

Caixa de Correio: os livros que chegaram em julho

 Oi, tudo bom com vocês? O post de hoje é para mostrar os livros que chegaram na minha casa no último mês, quase todos lançados esse ano, apertem o play ou continuem lendo:



Caixa de Correio: livros de julho - Blog Literário Pétalas de Liberdade

 Só comprei um livro (além do que veio na caixa da TAG Experiências Literárias e dos dois da caixa do Clube do Livros & Citações):

 "Nihil" da Carolina Mancini publicado numa edição caprichada pela Editora Estronho. É uma obra  com ambientação meio apocalíptica. Veio com vários brindes. Li os primeiros capítulos para fazer o post de Primeiras Impressões (clique para conferir). Para comprar também, entre em contato com a autora.

 "Bruto e Apaixonado", romance da Janice Diniz foi o lançamento enviado pela parceira Harlequin Brasil. Inclusive já comentei sobre ele no post sobre as leituras de julho (clique para conferir). Ainda estou devendo a resenha, talvez por, confesso, estar um pouco desanimada com o canal e o blog ultimamente.

 "A Noiva do Barão", um romance de época escrito pela Simone O. Marques (que também escreveu a fantasia sensacional "Dois Mundos") é um lançamento da Ler Editorial, que caprichou na edição. Estou super contente por termos a Simone no time de autores de Ler.

 "Só Escute", young adult da Sarah Dessen, publicado Seguinte, ficou por meses no Correio até chegar para mim.

 "Céu Sem Estrelas" da Iris Figueiredo, lançamento da Seguinte, é minha leitura atual e estou gostando muito!

"A Nuvem" é a continuação de "O Ceifador" do Neal Shusterman, também da Seguinte.

"Despertar" e "Desejar" são os dois primeiros livros da trilogia de romances "Espiral do Desejo", escritos pela Nina Lane e publicados pela Paralela.

"Em Pedaços" da Lauren Layne é mais um romance da Paralela.

 "O Tempo Desconjuntado" é ficção científica do Philip K. Dick em edição de capa dura da Suma.

 Me contem: já leram ou querem ler algum desses?

Clique e participe dos sorteios do blog:

Até o próximo post!
Me acompanhe nas redes sociais:

Resumo das leituras de julho

 Olá pessoal, tudo bem? No post de hoje venho comentar um pouquinho sobre os livros que li em julho. Vocês podem apertar o play ou continuar lendo:



CORREÇÃO: No vídeo, errei o sobrenome da autora de Fazendas Ásperas, é Geny Vilas-Novas e não Geny Vilas-Boas.

 No Kindle Unlimited, aluguei dois e-books ótimos (clique nos títulos para conferir as resenhas):

Sedutora Amizade, romance da Kel Costa protagonizado por um casal de melhores amigos.
Meu Mecânico Indecente escrito pelas autoras Mari Monni e Luisa Aranha, romance entre um mecânico e a tecladista de uma banda de garotas.

Leituras-de-julho, blog-literario, petalas-de-liberdade
Fonte: Instagram @marijleite

 De livros físicos, li três nacionais:

Cores de Outono da Keila Gon, romance com um toque de fantasia MUITO BOM, realmente merecia fazer parte do catálogo da Mundo Uno. E tem sorteio de um exemplar aqui no blog até dia 13, clique aqui para participar. 

"Fazendas Ásperas", Geny Vilas-Novas, Editora 7 Letras. Um livro sobre as memórias de uma família, o jeito de contar a história é diferente do que costumo ler e me causou certa estranheza, logo sai a resenha.

"Bruto e Apaixonado" da Janice Diniz, Harlequin Brasil. Um romance entre uma mulher que vive para o trabalho em uma empresa de São Paulo e um fazendeiro ex-peão de rodeio de uma cidadezinha do interior, gostei bastante da escrita da autora. Logo publico a resenha.

 De autores internacionais, li:

As Filhas da Noiva da Susan Mallery, Harlequin Brasil. Acompanhamos três irmãs nas vésperas do casamento da mãe, traz temas bem reais.

Dias de Despedida, young adult escrito pelo Jeff Zentner e publicado pela Seguinte foi o meu favorito do mês, o primeiro livro que me fez chorar na vida.

 Me contem: já leram ou querem ler algum deles?

 Clique e participe dos sorteios do blog:

Até o próximo post!
Me acompanhe nas redes sociais:

Sorteio: livro "Lavínia e a Árvore dos Tempos", com marcadores, caneta de pena e outros brindes

 Olá pessoal, tudo bem? O post de hoje é um SORTEIO especial para quem me acompanha no canal no Youtube e também no Instagram, em parceria com o autor Lucinei Campos. Aperte o play ou continue lendo:



 Se você gosta de fantasia, folclore, fadas, diversão, amizade e aventura, precisa ler esse livro!
livro, Lavínia-e-a-Árvore-dos-Tempos
Sinopse do livro Lavínia e a Árvore dos Tempos: Lavínia é uma menina de 9, quase 10 anos, um pouquinho diferente das outras de sua idade. Sem amigos na escola, sem um contato maior com seus pais, leva uma vida muito solitária para alguém tão pequeno. Seu único amigo, Leo, é quem divide com ela os anseios e questionamentos de sua infância, suas arquitetadas fugas dos Valentões e Marrentinhas que a perseguem na escola. Tudo muda quando recebe de presente uma fada, chamado Lorivaldo e que odeia seres humanos. Juntos, vão descobrir a magia escondida no mundo e os segredos da Árvore dos Tempos. Skoob.



Sorteio, livro, Lavínia-e-a-Árvore-dos-Tempos, Lucinei-Campos

PRÊMIOS: uma caixa com 1 exemplar do livro "Lavínia e a Árvore dos Tempos", 3 marcadores de página dos livros do autor, 1 caneta de pena e 1 item de papelaria (pode ser um bloquinho de post its ou flags, vou ver o que encontro na papelaria).

Sorteio, livro, Lavínia-e-a-Árvore-dos-Tempos, Lucinei-Campos

EXTRAS: se o vídeo do sorteio no Youtube chegar em 100 visualizações, incluirei um button da Thalita Rebouças no prêmio; se chegar em 200 visualizações, incluirei 7 marcadores de página de livros infanto-juvenis. Se o perfil do Lucinei alcançar 2000 seguidores, incluirei um marcador  de páginas especial e 1 folheto com o conto "Ruiva?" da Eleonor Hertzog.

COMO PARTICIPAR:
- se inscreva no canal do blog,
- siga no Instagram o meu perfil https://www.instagram.com/marijleite/ e o perfil do autor https://www.instagram.com/lucineimcampos/ ,
- curta e comente na foto oficial no Instagram (essa → https://www.instagram.com/p/BmMQY8-nEtH/?taken-by=marijleite ) marcando 2 amigos e colocando o seu nome de inscrito no canal (o seu nome no Youtube).

IMPORTANTE:
- Pode deixar quantos comentários quiser, desde que marcando amigos diferentes (quanto mais comentar, mais chances de ganhar; não vale marcar fakes, perfis inativos, famosos, lojas ou os organizadores do sorteio).
- Inscrições até 07/09/2018.
- O resultado sairá até dia 14/09/2018, nos comentários da foto oficial no Instagram e do vídeo no canal.
- O sorteado terá um prazo de até 1 semana para enviar o endereço ou o sorteio será refeito.
- Envio em até 30 dias após o recebimento dos dados do ganhador. Necessário ter endereço de entrega no Brasil. Não nos responsabilizamos por danos ou extravios dos Correios.

 Alguma dúvida? Boa sorte!

Participe dos outros sorteios do blog:
Sorteio dos livros Uma noiva para Winterborne, Amor em Manhattan, Quando um Propósito nos Leva Além e O Bom do Amor no Instagram.
 Sorteio de 2 kits de livros no aniversário do Ei Nati.
 Sorteio de A Incendiária do Stephen King.
 Sorteio de Cores de Outono.

Até o próximo post!
Me acompanhe nas redes sociais:


Caixinha de Correio: "RECEBIDOS"

Olá Leitores (as), como estão? Espero que estejam todos bem. Hoje trago a vocês a Caixinha de Correios dos “RECEBIDOS”. Como informei na última postagem em que mostrei meus recebidos do mês, o número de adquiridos iria diminuir, e por conta disso não iria ter tantas postagem com essa temática. No entanto ganhei duas obras incríveis de um sorteio no Instagram e queria mostrá-los para vocês.  Venham conferir em detalhes os meus novos livros.



O último ano da faculdade está se aproximando, em razão disso tenho tentado aproveitar ao máximo cada momento. Desse modo tive que abrir mão de realizar algumas coisas que eu adoro que é participar de sorteios, e ganhar novos livros. Entretanto no mês de Junho tirei férias do trabalho e tive um tempinho de sobra que aproveitei para ficar nas redes sociais. Me proporcionando dessa forma receber esse pacotinho da Saraiva recheado.

Ganhei ambos os livros no sorteio do Instagram Blog Coisas da Ju, em parceria com o Blog Tudo que Motiva. Quando soube que havia sido sorteada fiquei muito feliz, pois já conhecia os livros, inclusive um deles já tinha lido mas queria muito adquirir em físico, e agora os tenho.



O primeiro livro que venho mostrar e o título Outros Jeitos de Usar a Boca da autora Rupi Kaur, que nos apresenta vários poemas sobre a realidade, e vivência de muitas mulheres pelo mundo. Fazendo com que nós identificados por diversas vezes, além de fazer com que o leitor reflita sobre esses momentos amargos que vivenciamos.

Esta obra em especial já foi mencionada várias vezes aqui no blog, tanto por por mim, quanto por Maria. Inclusive fiz um post muito especial sobre o teatro que realizei na faculdade sobre a violência contra a mulher, em que utilizamos essa obra como inspiração, para conferir é só clicar aqui.




















Recebi também o livro O Que o Sol Faz Com as Flores, o mais recente lançamento da autora Rupi Kauir aqui no Brasil. Ainda não li essa obra, porém confesso que estou bastante ansiosa e com altas expectativas. Já que adoro a escrita dessa autora, e a forma como ela traz questões sobre crescimento e a cura das mulheres de uma forma fácil de se identificar, nos tocando profundamente. Prometo que assim que eu reler o primeiro, e ler esse título venho postar a resenha para vocês, com a minha opinião completa sobre essa leitura.



SINOPSE
Da mesma autora de outros jeitos de usar a boca, best-seller com mais de 100 mil exemplares vendidos no Brasil. O que o sol faz com as flores é uma coletânea de poemas arrebatadores sobre crescimento e cura. ancestralidade e honrar as raízes. expatriação e o amadurecimento até encontrar um lar dentro de você. Organizado em cinco capítulos e ilustrado por Rupi Kaur, o livro percorre uma extraordinária jornada dividida em murchar, cair, enraizar, crescer, florescer. uma celebração do amor em todas as suas formas. (Skoob)


Bom Leitores, esta foi minha caixinha de Correio. Dessa forma sempre que eu receber ou adquirir novos livros velho mostrar em detalhes para vocês, pois sei que vocês adoram e eu também. Mas, espero que tenham gostado de conferir em detalhes cada livro recebido, e um pouca mais sobre essas obras incríveis. Gostaram de ver mais uma vez minha caixinha dos correios? Deixe nos comentários a opinião de vocês, e se vocês já conheciam esses livros, ou se já leram essas obras e gostaram da leitura, já que a opinião de vocês é sempre muito importante e bem vinda.


Espero que tenham gostado, e por hoje é só.

Até o próximo post


Me acompanhe nas redes sociais:

Unboxing: TAG Experiências Literárias (Curadoria) de julho, livro da Svetlana Aleksiévitch

 Olá pessoal, tudo bem? Em julho o clube de assinaturas TAG Experiências Literárias completou 4 anos de existência e enviou uma caixa super especial para os associados. Vocês podem apertar o play ou continuar lendo:



 O livro do mês na TAG Curadoria foi "As Últimas Testemunhas - Crianças na Segunda Guerra Mundial", escrito pela ganhadora do prêmio Nobel de Literatura Svetlana Aleksiévitch (também autora de "A Guerra Não Tem Rosto De Mulher" e "Vozes De Tchernóbil", todos da Editora Companhia das Letras).

 Sinopse: A 22 de junho de 1941, a Alemanha nazi invade a União Soviética, quebrando o pacto de não-agressão celebrado entre as duas nações e dando início ao que ficaria conhecido do lado russo como a Grande Guerra Patriótica. No final do conflito, em 1945, tinham morrido cerca de três milhões de crianças e, só na Bielorrússia, vinte e sete mil viviam em orfanatos. Os relatos destes órfãos foram recolhidos, passados mais de quarenta anos, por Svetlana Alexievich. O resultado é uma visão única da guerra, testemunhada pelas crianças e não por soldados, políticos ou historiadores — os narradores mais sinceros e, simultaneamente, mais injustiçados.
 Uma obra importante, composta por relatos impressionantes, profundamente comovedores e autênticos, em que o conflito e a tragédia se transformam em acontecimento pessoal, em fascinante e pungente memorial vivo de guerra. (ISBN-13: 9788535931006, 320 páginas)

 Como mostro no vídeo, o livro tem capa dura, a lateral das páginas é preta e veio com um marcador, além da luva (caixinha) que envolve o livro e a revista. O brinde do mês foram quatro marcadores magnéticos de outros autores premiados com o Nobel. E tanto na modalidade Curadoria quanto na Inéditos, os assinantes ganharam um diário de leituras lindo! Também com capa dura, muito espaço pra marcar as leituras e outras atividades. Como já tenho outros "diários" do tipo, devo sortear esse que recebi em alguma rede social, fiquem ligados que avisarei quando for ao ar.

 Minha ideia era colocar mais fotos do kit, só que as que tirei não ficaram muito boas (mas no vídeo dá pra ver bem os detalhes), então só temos essas duas aí que postei no Instagram (passe para o lado):

 Se quiser se tornar assinante também, use o meu link de indicação: https://taglivros.com/associe-se/escolha-sua-caixinha?codigo_indicacao=MARRESUA. E por hoje é só, me contem: já leram algo da autora ou se interessam sobre histórias da Segunda Guerra Mundial?

Participe dos sorteios do blog:
Sorteio dos livros Uma noiva para Winterborne, Amor em Manhattan, Quando um Propósito nos Leva Além e O Bom do Amor no Instagram.
 Sorteio de 2 kits de livros no aniversário do Ei Nati.
 Sorteio de A Incendiária do Stephen King.
 Sorteio de Cores de Outono.

Até o próximo post!
Me acompanhe nas redes sociais:

Sobre o preço dos livros no Brasil [SoSeLit #07]

 Olá pessoal, tudo bem? Eu e as outras blogueiras da Sociedade Secreta Literária resolvemos falar na nossa blogagem coletiva de julho sobre o preço dos livros no Brasil. Era para esse post ter saído ontem, mas passei o dia todo escrevendo e não ficava satisfeita, resultado de tentar enxergar a questão por mais de um lado.

Os-livros-no-Brasil-sao-realmente-caros, blogagem-coletiva, blog-literario-petalas-de-liberdade

 Se me perguntarem se eu acho que os livros no Brasil são caros, minha resposta será: Depende! Depende do livro, depende do leitor. Há uns dez anos, até pensava que livro era algo que não caberia no meu orçamento de classe média baixa. Aí comecei a visitar sites de livrarias como Submarino, Americanas, Saraiva, mais recentemente a Amazon e surpresa! Eu conseguiria sim comprar um ou dois títulos por mês, e poderia comprar ainda mais em promoções como a Black Friday.

 Na minha cidade não há livrarias físicas e quase caio para trás quando vejo fotos de livrarias com livros custando R$50,00 ou R$60,00, quando na internet dá para encontrá-los até pela metade do preço. Uma loja física tem mais gastos que uma loja online, como aluguel ou pagamento de mais funcionários, podendo ser inviável concorrer com os preços da loja virtual, mas na livraria física normalmente não precisamos esperar dias entre a compra e o recebimento do livro.

 Nesses anos como leitora, blogueira e escritora (com alguns contos publicados e livros iniciados), sempre pesquiso sobre o mercado literário. Entre outras etapas, para que um livro chegue ao leitor, temos o autor que leva um bom tempo para escrever a história, que precisa ser revisada, diagramada, ter uma capa, no caso dos livros estrangeiros tem a tradução, há os custos de impressão, distribuição para os pontos de venda, o transporte... É um longo caminho que envolve muitos profissionais que precisam ser pagos, custos levados em conta na definição do preço de capa do livro.

 Só para ilustrar: numa pesquisa rápida no Google, encontra-se um custo de R$7,00 por página numa revisão. Para uma capa feita por um capista conhecido (sem citar nomes), é preciso desembolsar no mínimo R$400,00. Há editoras que cobram dos autores entre R$17.000,00 e R$2.000,00 para publicar um livro. Esses são valores que eu já vi. Claro que é possível encontrar preços muito diferentes, da mesma forma que há batons de R$7,00 e de R$200,00, calças de R$40,00 e de R$400,00, ingressos para shows por R$10,00 e por R$400,00...

 Todo mundo já deve ter ouvido que uma das justificativas para o custo do livro é o preço do papel. Mas se nos e-books não é usado papel, era de se esperar que eles fossem muito mais baratos que os livros físicos, o que nem sempre acontece, pois muitas vezes um e-book custa quase o mesmo que o livro impresso. Ou seja, o preço do papel não deve ser o que mais pesa nessa conta! Não vou nem comentar sobre impostos, pois é uma área que não domino, além de saber que há algumas isenções para livros.

 Sei que na nossa realidade, há quem não tenha dinheiro para o básico, como alimentação e teto, que dirá para pagar por entretenimento. Mesmo para essas pessoas, há alternativas gratuitas, como bibliotecas públicas, Wattpad, sites com obras de domínio público, e-books gratuitos da Amazon, etc. Mas sei também que vivemos numa sociedade onde a leitura não é incentivada e ainda é vista por muitos como algo elitizado. Ainda temos uma cultura de desvalorização da literatura. Muitas pessoas se esforçam para pagar por um perfume, por um show ou por uma roupa da moda, mas não querem pagar por um livro, até mesmo optando pela pirataria, sem levar em conta que baixando um e-book pirata, o autor não vai estar sendo pago pelo seu trabalho.

 Enfim, o preço dos livros no Brasil é um assunto que rende pano pra manga ou mais uns 500 posts. Como em qualquer comércio, há sim autores, editoras e livrarias que extrapolam nos preços, alguns por "acharem que o cliente/leitor é bobo e vai pagar o que for pedido", outros por realmente não conseguirem um valor mais atrativo para os leitores. Como também acontece em qualquer comércio, existem sim aqueles clientes/leitores que desvalorizam o trabalho por trás da produção do livro e que acham que se era R$10,00 na promoção tem que estar por esse preço sempre. Nós, como clientes, temos todo o direito de procurar as opções que cabem no nosso bolso e de nos manifestarmos contra os preços que considerarmos abusivos, desde que conscientes de que não somos os únicos que precisamos pagar as contas.

 E por hoje é só! Escrevi, escrevi e continuo com a sensação de que não falei tudo o que tinha vontade de falar. Por isso convido vocês para me contarem aí nos comentários o que acham do preço dos livros no Brasil, se no geral os livros são caros ou se nós é que não temos o suficiente para adquiri-los.

 ♥ Conheça os demais participantes da SoSeLit: Eu InsistoMy Dear LibraryLa OliphantUm Metro e Meio de LivrosLivro LabYara GuezBarda LiteráriaColeções LiteráriasDiário de uma leitora compulsiva.

Veja os posts dos meses anteriores: Meu gosto literário mudou com o blog?Preconceito Literário, Problemas com editoras.

Participe dos sorteios do blog:
Sorteio dos livros Uma noiva para Winterborne, Amor em Manhattan, Quando um Propósito nos Leva Além e O Bom do Amor no Instagram.
 Sorteio de 2 kits de livros no aniversário do Ei Nati.
 Sorteio de A Incendiária do Stephen King.
 Sorteio de Cores de Outono.

Até o próximo post!
Me acompanhe nas redes sociais:
Topo