RESENHA: Contra Todas as Probabilidades do Amor, de Rebekah Crane


Olá Leitores (as), como estão? Hoje venho trazer a vocês a resenha de um livro que me tocou profundamente. Estou me referindo ao título Contra Todas as Probabilidades do Amor, da autora Rebekah Crane. Esta é mais uma obra que entrou para a minha lista de favoritos, e no final acabei me arrependendo de não ter lido esse título antes. Dessa forma, os convido a conferir minha opinião completa sobre esta leitura e os motivos que me levaram a me apaixonar por essa história.

Foto: Skoob
Título: Contra Todas as Probabilidades do Amor
Autora: Rebekah Crane
Editora: Faro Editorial
Ano: 2018
Páginas: 240
Gênero: Ficção / Jovem adulto / Literatura Estrangeira / Romance

SINOPSE
Sejam bem-vindos ao acampamento Pádua. Um retiro de verão para adolescentes problemáticos. Mas não se tratam de problemas comuns, como não querer estudar, mentir ou colar na prova. Não! Estamos falando de problemas reais. Alguns deles tão grandes, tão sérios, que até um adulto desmoronaria sob o peso deles. No acampamento, Zander, uma garota enviada pelos pais contra a sua vontade, encontra uma série de adolescentes na mesma situação, e com três deles ela estabelece uma relação de amizade — Grover, Alex e Cassie. Todos os quatro são tão diferentes quanto as pessoas podem ser, mas têm algo em comum — eles estão quebrados por dentro. Em meio às sessões de grupo e, à medida em que o verão dá as caras, os quatro revelam seus trágicos segredos. Zander encontra-se atraída pelos encantos de Grover, e então começa a se perguntar, depois de muito tempo, se pode apostar em ser feliz novamente.Mas, antes, ela precisa lidar abertamente com seus problemas, para poder juntar seus pedaços e reconstruir sua vida Você pode pensar que se trata de uma história triste. E há partes duras sim, mas, Rebekah Crane consegue mostrar como na dificuldade podemos encontrar uma saída. Isso é uma das coisas que faz o livro completamente encantador, divertido e doce, capaz de deixar em você um grande sorriso no rosto. (Skoob)


Resenha: livro "Nihil", Carolina Mancini

 Olá pessoal, tudo bem? Na resenha de hoje venho comentar sobre minha experiência de leitura com "Nihil", livro escrito pela Carolina Mancini e publicado em 2018 pela Editora Estronho.

Resenha, livro, Nihil, Carolina-Mancini, Estronho, capa, foto, opiniao, resumo, blog-literario, petalas-de-liberdade, trecho, terror, livro-nacional, caixa-de-passaros

 "Joias não tem valor no mar de sangue se elas não param a guerra." (página 78)

 Na obra, uma espessa neblina dominou o mundo, a névoa não permitia ver nada pelas janelas. Quem tentava sair de casa ou não voltava, ou voltava sem partes do corpo. Dentro das casas, as pessoas viam a comida acabar dia após dia, viam a vida se esvaindo.

 "Não posso dizer em que parte do mundo isto começou, aparentemente a energia emitida causa algum tipo de 'pane' nos nossos aparelhos eletroeletrônicos, e interferências em linhas telefônicas e ondas de rádio, deixando cada região afetada incomunicável com o mundo." (página 35)

 No livro temos relatos de sobreviventes apresentados de diversas formas. Já que as telecomunicações pararam de funcionar, alguns escrevem cartas para os entes queridos que estavam do lado de fora e não voltaram para casa. Outros conversam consigo mesmo, escrevem diários e poemas. Alguns continuam o trabalho que faziam antes da neblina surgir: fazem relatórios sobre o que sabem ou imaginam. Uns têm certeza de que não vão aguentar mais e deixam suas últimas palavras. Outros ainda tem esperança e acreditam que alguma hora a neblina se dissipará ou que alguém vai aparecer para resgatá-los.

 "Preciso fazer um diário. Um registro de como acredito que podemos ser uma esperança. Uma luz que está pulsando dentro de nós, dentro de cada um, dentro de mim." (página 140)

Resenha: livro "Quando ela desaparecer", Victor Bonini

 Olá pessoal, tudo bem? Na resenha de hoje venho comentar sobre minha experiência de leitura com "Quando ela desaparecer", livro escrito pelo Victor Bonini e publicado em 2019 pela Faro Editorial. Você pode apertar o play e conferir a resenha em vídeo no Youtube (mais curtinha) ou continuar lendo a resenha escrita (mais extensa e com citações):


RESENHA: O Erro, de Elle Kennedy


Olá Leitores (as), como estão? Hoje trago a vocês a resenha do segundo livro da série Amores Improváveis. Estou me referindo ao título O Erro, da autora Elle Kennedy. Que comparado aos quatro livros, esta foi a história e o casal que mais me cativou e me envolveu se tornando o meu preferido. Por isso, os convido a conferir minha opinião completa sobre esta série maravilhosa.

Título: O Erro (Amores Improváveis #2)
Autora: Elle Kennedy
Editora: Paralela
Ano: 2016
Páginas: 279
Gênero: Ficção / Jovem adulto / Literatura Estrangeira / Romance

SINOPSE
Logan parece viver uma vida de sonhos. Com um talento incrível para jogar hóquei e um charme inato para conquistar mulheres, ele é uma das maiores estrelas da universidade de Briar. Mas por trás do característico sorriso maroto, ele esconde duas grandes angústias – a primeira, estar apaixonado pela namorada de seu melhor amigo. A segunda, saber que sua vida, após a formatura, se tornará um beco sem saída. Um dia, por acaso, ele conhece Grace, uma garota tão encantadora quanto intrigante. Tudo nela parece ser original e deliciosamente contraditório – tímida, mas ao mesmo tempo vibrante. Doce, mas ao mesmo tempo forte e confiante. A cada encontro, Logan se vê mais e mais envolvido. Mas um grande erro colocará o relacionamento desses dois jovens em risco. Agora, Logan terá que se esforçar para reconquistar Grace – nem que para isso ele precise amadurecer e encarar de frente as suas questões mais profundas e doloridas. (Skoob)

Indicação de série: "Sex Education" na Netflix

 Olá pessoal, tudo bem? No post de hoje venho falar sobre uma série que assisti recentemente e sobre a qual talvez vocês já tenham ouvido falar muito (ou não), mas eu precisava deixar registrado aqui o quanto gostei dela. Sex Education estreou em janeiro na Netflix com oito episódios com cerca de quarenta minutos cada.

Sex-Education, Netflix, Personagens, opiniao, critica,

 Um dos cenários principais da série britânica é a Moordale Secondary School, onde estudam os amigos Otis Milburn (Asa Butterfield) Eric Effiong (Ncuti Gatwa), garotos de dezesseis anos. Depois das férias de verão, Eric (que é gay) está super empolgado para se tornar popular nos anos finais de escola. Mas essa popularidade talvez venha de uma forma inusitada.

Resenha: livro "Pequenos Escritos, Sinistras Histórias"

 Olá pessoal, tudo bem? O post de hoje é uma resenha que eu vinha adiando, pois minha experiência de leitura com "Pequenos Escritos, Sinistras Histórias" não foi das mais fáceis. Publicado em 2015, o livro é uma antologia da Editora Illuminare que reúne os melhores contos e minicontos recebidos pela editora em um concurso.

Resenha, livro, Pequenos-Escritos-Sinistras-Histórias, contos, antologia, Editora-Illuminare, blog-literario-petalas-de-liberdade, opiniao, critica, capa

 São cerca de 40 textos, de autores brasileiros e portugueses, sobre diversos temas. Entre os contos que gostei, temos: um jogador de futebol vivendo a pressão de estar em uma partida contra seu antigo time, uma tatuagem que ganha vida, pai e filho que precisam lidar com a perda da mãe, uma busca por um esconderijo seguro que nos deixa sem fôlego mas que no final é só um jogo de Paintball, uma criança que tem medo de ir no porão (medo que todos nós já podemos ter tido na infância), dois garotos tentando descobrir a origem do estranho cheiro de flores que vinha do cemitério sempre na véspera do feriado de Finados, um personagem que faz de tudo para salvar uma garotinha mas talvez já seja tarde demais...

Livros recebidos e leituras de fevereiro


 Olá pessoal, tudo bem? No post de hoje venho mostrar para vocês os livros que recebi no último mês e trazer um resuminho das minhas leituras de fevereiro. Vocês podem continuar lendo ou conferir no vídeo:


Lançamentos literários mais desejados

livros, lancamento, blog-literario, petalas-de-liberdade

 Olá pessoal, tudo bem? Já tinha um tempinho que queria fazer um post mostrando para vocês os livros e e-books que estão chegando nas livrarias e que eu não vejo a hora de chegarem também na minha estante. Então, selecionei alguns dos lançamentos de fevereiro e março que mais estou desejando e que acho que vocês também vão curtir, confiram:

RESENHA: O Acordo, de Elle Kennedy


Olá Leitores (as), como estão? Hoje trago a vocês a resenha do primeiro livro da série Amores Improváveis. Estou me referindo ao título O Acordo, da autora Elle Kennedy. Esse é mais um livro que estava encalhado na minha estante e que há tempos queria ler, e após iniciar a leitura fiquei arrependido de não ter lido esses livros antes. Por isso, os convido a conferir minha opinião completa sobre esta série maravilhosa.

Título: O Acordo (Amores Improváveis #1)
Autora: Elle Kennedy
Editora: Paralela
Ano: 2016
Páginas: 360
Gênero: Literatura Estrangeira / Romance

SINOPSE
Hannah Wells finalmente encontrou alguém que a interessasse. Mas, embora seja autoconfiante em vários outros aspectos da vida, carrega nas costas uma bagagem e tanto quando o assunto é sexo e sedução. Não vai ter jeito: ela vai ter que sair da zona de conforto Mesmo que isso signifique dar aulas particulares para o infantil, irritante e convencido capitão do time de hóquei, em troca de um encontro de mentirinha.Tudo o que Garrett Graham quer é se formar para poder jogar hóquei profissional. Mas suas notas cada vez mais baixas estão ameaçando arruinar tudo aquilo pelo qual tanto se dedicou. Se ajudar uma garota linda e sarcástica a fazer ciúmes em outro cara puder garantir sua vaga no time, ele topa. Mas o que era apenas uma troca de favores entre dois opostos acaba se tornando uma amizade inesperada. Até que um beijo faz com que Hannah e Garret precisem repensar os termos de seu acordo. (Skoob)


Antes mesmo da série Amores Improváveis ter sido lançada no Brasil que eu estava louca para ler essas histórias. Por isso quando a Editora Paralela trouxe esses livros para cá fiquei louca para adquirir esses títulos. Mas, como sempre esperei ter todos os quatro livros para me aventurar nesse romance, contudo acabei passando outras leituras na frente. Até que no ano passado resolvi começar a ler essa série e agora estou apaixonada pela escrita da Elle Kennedy.

Sei que não foi minha culpa. Sei que não provoquei nem fiz nada para causar o que aconteceu. E isso não sepultou minha habilidade de confiar nas pessoas ou me fez temer todos os homens que cruzam meu caminho. Anos de terapia me ajudaram a enxergar que o peso da responsabilidade é inteiramente dele. E não meu. Nem por um segundo. E a lição mais importante que aprendi é que não sou uma vítima, mas uma sobrevivente. (Pag.30)

Este livro narra a história dos personagens Hannah e Garrett. Hannah está cursando a faculdade de teatro, além de ser uma mulher muito estudiosa e focada nos seus objetivos. Apesar de possuir um passado conturbado se vê em um nova oportunidade de recomeçar. No entanto ainda é difícil confiar nos outros, especialmente quando o assunto é  relacionamento amoroso, festas e sedução. Garrett é a estrela do time de hóquei, capitão do time além de ser muito lindo, fazendo com esses fatores sejam suficiente para nutrir sua autoestima super alta. Mas, infelizmente ele não é perfeito em tudo, pois está passando dificuldade em uma matéria em que todos tiraram nota ruim, menos Hannah. Então o jeito será convencê-la a lhe dar aulas particulares para que possa recuperar sua nota. Já que se ficar abaixo da média ele não poderá jogar. E será através de sua necessidade da ajuda dela, que ele irá persuadi-la a fazer um acordo. Se Hannah o ajudar a estudar para a prova, ele irá ajudá-la a conquistar o cara pelo qual se sente atraída.

“Merda.”Ele parece frustrado.”Ofendi você de novo. Não foi minha intensão. Não estou tentando dar uma de bacaca, o.k.?”ㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤㅤ
“Claro que não está tentando. Você já faz isso naturalmente.” (Pag.54)

Tanto pela sinopse, quando pela minha descrição acima é possível concluir que se trata de um romance clichê. Que no meio desse acordo que ambos se odeiam, eles irão se aproximar o bastante para perceber que ela não é tão metida e egoísta quanto ele imaginava, e que ele vai além de apenas um cara bonito e esportista. Ao ponto de se considerarem amigos próximos, e quem diria que Garrett iria querer apenas amizade com uma mulher bonita? Pois bem, não vai querer. E como foi intenso, gostoso, leve e divertido acompanhar todo o desenvolvimento desses personagens, os momentos em que eles vão se apaixonando um pelo outro, de maneira singela mas ao mesmo tempo intensa. E vocês nem imaginam o quanto tiveram cenas intensas que me tiraram o fôlego. Além de que a autora incluiu outros temas como relacionamento familiar conturbado, e abuso sexual. Fazendo com que essa trama em alguns momentos fugisse do clichê, abordando outras questões importantes. Outro ponto que gostei bastante dessa história é que os personagens vão se apaixonando no decorrer da trama. Não existe esse negócio que de cara eles vão se apaixonar e ficar junto, porque confesso já estou saturada disso.


Mas, sério, ás vezes não me sinto nem metade desse cara que as pessoas têm certeza que sou, e não tenho dúvidas de que, se elas se dessem ao trabalho de me conhecer de verdade, provavelmente mudaria de ideia. (...) (Pag.61)

Desse modo posso afirmar que a autora fez um ótimo trabalho nesse livro. Os personagens principais foram muito bem construído, tanto quanto os secundários. Sendo que os personagens secundários serão os protagonistas dos livros seguintes. Portanto, apesar de cada livro dessa série se tratar de um casal diferente é necessário ler os títulos na ordem para não correr o risco de se deparar com spoiler.
Inclusive não posso deixar de mencionar que este livro possui muitas cenas hot, porém esse não é ponto central da história. Por isso não me incomodei em nenhum momento com as cenas. Este romance me cativou bastante tornando a leitura rápida e envolvente. De forma que as páginas foram passando sem que eu ao menos percebesse. O livro é narrado em primeira pessoa, sendo que as perspectivas eram intercaladas entre Hanna e Garrett, fazendo com que tivéssemos uma visão ampliada do círculo de amizade de ambos os personagens.


(...)Nunca esperei por ela. Às vezes, as pessoas entram na sua vida e, de repente, você não sabe como foi capaz de viver sem elas antes. E já não consegue entender como vivia a vida, saía com os amigos e dormia com outras pessoas sem ter essa pessoa importante na sua vida. (Pag.234)

Desse modo, se você gosta ou curte esse estilo de romance, e mais ainda se é fã do gênero New Adult deveria ler essa série, pois tenho certeza que vai amar. Esta foi a minha primeira experiencia com a escrita da autora e admito que superou todas as minhas expectativas. De modo que já quero ler outras obra e estilos literários escrito por ela. Falando em outras obras, a Editora Paralela já anunciou  o lançamento do primeiro livro da série “Briar U”, spin off da série “Amores Improváveis” que terá o personagem Fizt amigo de Garrett como o protagonista. Mas, e vocês já tiveram oportunidade de ler este ou outro livro dessa autora? Se interessaram por esta obra? Deixem nos comentários a opinião de vocês, é sempre muito importante e bem vinda.


Espero que tenham gostado, e por hoje é só.

Até o próximo post

Me acompanhe nas redes sociais:

Resenha: livro "Extraordinárias: mulheres que revolucionaram o Brasil", Duda Porto de Souza e Aryane Cararo

 Olá pessoal, tudo bem? Nesse 8 de março, Dia Internacional da Mulher, a resenha é para comentar sobre minha experiência de leitura com "Extraordinárias: mulheres que revolucionaram o Brasil",  livro escrito por Duda Porto de Souza e Aryane Cararo e publicado em 2018 pela Editora Seguinte.


 Quando você pensa em pessoas que marcaram a História do nosso país, os nomes que lhe surgem na mente são de homens ou de mulheres? Quais os nomes femininos que estão registrados nos nossos livros de História e nos são apresentados na escola?

 Com 40 perfis de brasileiras e 5 de mulheres nascidas em outros países mas que também contribuíram para nossa cultura, a obra de Duda Porto de Souza e Aryane Cararo tem o propósito de resgatar os feitos de mulheres que mudaram o Brasil, mas que nem sempre recebem o devido reconhecimento.

 Temos representantes desde os tempos do Brasil Colônia, com Madalena Caramuru, a primeira brasileira alfabetizada, até as que se destacam hoje, como Sônia Guajajara (1974) líder dos povos indígenas, Djamila Ribeiro (1980) filósofa e feminista negra, Marta Vieira (1986) jogadora de futebol, esportista que ganhou mais vezes o prêmio de Melhor do Mundo da Fifa e maior artilheira da seleção Brasileira (superando Pelé).

Ilustração de Yara Kono
 Me lembro que nos meus primeiros anos de escola, fiquei encantada ao ver a foto de Maria Quitéria (1792 - 4853) num livro de História. Era fascinante saber que, em pleno século dezenove, uma mulher tinha se disfarçado de homem para ir para a guerra a favor da independência e foi até condecorada pelo Imperador. Desde então, eu tinha sede de conhecer outras mulheres guerreiras. Imaginem a minha grata surpresa ao descobrir que Maria Quitéria, a primeira "mulher-soldado" do país, chegou a chefiar um grupo também composto por mulheres! Uma pena que eu não tenha encontrado muitas informações sobre esse grupo, uma mostra de quanto a participação feminina é apagada dos registros.

Fonte da imagem

 Além do perfil de Maria Quitéria, outro que me emocionou muito foi o sobre a estilista Zuzu Angel (1921-1976). Seu filho foi preso pela ditadura e dado como desaparecido, e Zuzu passou a ser uma espécie de porta-voz de outras mães que também buscavam por seus filhos. Em 1971, ela fez um desfile de sua coleção na casa do cônsul do Brasil em Nova York (local considerado território brasileiro, então ela não poderia ser presa pela lei que proibia falar mal da ditadura em outros países), os vestidos traziam bordados com traços singelos, tanques de guerra sobre as cores verde e amarelo, pássaros engaiolados, balas de canhão disparadas contra anjos, foi "a primeira coleção de moda política do mundo". Zuzu foi morta pelo regime militar, teve o carro jogado para fora da pista por outro carro conduzido por agentes da repressão.

 Margaria Maria Alves (1943-1983) era um nome que até então eu não conhecia, mas sua história foi uma das mais fortes para mim. Rendeira, líder dos trabalhadores rurais de Alagoa Grande (Paraíba). Seu assassinato, com um tiro no rosto, de espingarda de calibre doze, carregada de pregos enferrujados, não apagou sua existência. A Marcha das Margaridas, manifestação de trabalhadoras rurais, nos convida a ser "forte como uma margarida". "Do sangue derramado de Margaria, outras Margaridas nascerão!".

 Temos mulheres (cis e trans) de todos os cantos do país e que se destacaram em todas as áreas, minha vontade é de citar todas pois são merecedoras e inspiradoras, mas o post ficaria enorme e tiraria um pouco da graça de quem ainda vai ler. Então destacarei mais algumas (talvez dando certa ênfase às escritoras, visto que estamos num blog literário).

 - Nair de Teffé (1886 - 1981) caricaturista.

 - Nísia Floresta (1810-1885) não escapou do casamento precoce comum na época, aos 13 anos, publicou o primeiro livro feminista no país, criou uma escola para meninas que ensinava muito mais do que a época permitia, um de seus livros é usado até hoje em escolas italianas.

Ilustração de Joana Lira
 - Maria Firmina dos Reis (1825-1917) é a primeira romancista brasileira, inclusive seu romance Úrsula está gratuito na Amazon: https://amzn.to/2HlvDBE.

 - Chiquinha Gonzaga (1847-1935) é autora da primeira marchinha carnavalesca, talvez alguns de vocês tenham ouvido "Ô abre alas" (de 1899) nesses últimos dias.

 - "Carmen sempre fez questão de assinar seus trabalhos com o nome de solteira. Pode parecer um gesto pequeno, mas é uma conquista importante do movimento feminista. Como ela mesma disse: 'Nós fomos as primeiras a propor que as mulheres não mudassem seu nome ao casar. Eu mesma não adotei o nome de meu marido. Nós achávamos que isso seria uma demonstração de independência e resistência. Eu fiz meu nome, o nome com que nasci. Agora, muita gente faz o nome do marido e quando se torna conhecida, ninguém sabe se é por competência ou por causa do marido'." (Carmen Portinho, 1903-2001, engenheira, esteve à frente do MAM)

 - "Em uma época em que a inteligência da mulher era comparada à loucura e qualquer participação feminina na política era um escândalo, como ressaltou o sociólogo José Alfredo Montenegro, Bárbara deixou seu nome na história e gravado no Livro dos Heróis e Heroínas da Pátria. Influenciados pelas ações, pelas opiniões e pelo espírito contestador da mãe, seus filhos também se tornaram importantes figuras na luta por ideais de liberdade e igualdade." (página 20, Bárbara de Alencar, 1760-1832, líder política)

 - Sem a cientista e feminista Bertha Lutz (1894-1976) "talvez o voto feminino e a igualdade de direitos políticos tivessem que esperar para além da década de 1930 até virar realidade. Para nossa sorte, Bertha brigou pelo que acreditava em uma época em que as mulheres precisavam pedir autorização dos maridos até mesmo para trabalhar fora de casa." (página 71)

-  Maria Lenk (1915-2007) aos "dezessete anos, foi selecionada para participar dos Jogos Olímpicos de Los Angeles, em 1932. Era a única mulher da delegação brasileira, que tinha 124 homens - aliás, era a única mulher de toda a América do Sul -, e foi desacompanhada dos pais, motivo de muitas críticas. Não bastasse o preconceito comum daqueles tempos, teve de enfrentar o menosprezo e usar um uniforme emprestado.
 Mas o problema com as roupas não era novo para ela. Tempos antes, Maria Lenk foi a primeira brasileira a competir de maiô em público, o que na época era um escândalo, já que todas usavam trajes mais recatados. Em entrevistas posteriores, ela costumava citar que o episódio 'causou uma série de contrariedades'. Imagine que, anos mais tarde, quando deu aulas de educação física em Amparo, no interior paulista, e pediu para as meninas usarem maiô, chegou a ser excomungada pela igreja local." (página 108)

 Dandara, líder do Quilombo de Palmares (1964), ilustração de Lole.

Maria Felipa de Oliveira (1873), liderou um grupo de mulheres contra os portugueses na Guerra da Independência,  ilustração de Laura Athayde.

Ada Rogato, (1910-1986) aviadora, ilustração de Lole.

Carolina Maria de Jesus, catadora de papel, escritora, ilustração de Adriana Komura.

Dorina Nowill (1919-2010), lutou pela autonomia de deficiente visuais.

Nise da Silveira (1905-1999), psiquiatra pioneira no uso da terapia ocupacional. 

Niède Guidon (1933), descobriu as pinturas rupestres da serra da Capivara, outra que conheci na escola e me tornei fã, ilustração de Adriana Komura.

 Os perfis não são biografias completas, destacam apenas pontos mais significativos dessas mulheres, mas ao final do livro há as referências que podem ser um ponto de partida para saciar a curiosidade de quem quiser saber mais sobre alguma das citadas na obra.

 Temos mulheres que viveram muito e outras que morreram (ou foram mortas) precocemente, mulheres que se casaram e tiveram filhos e mulheres que não optaram pelo casamento, mulheres que foram para o front de combate, pegando em armas, e mulheres que dedicaram suas vidas às descobertas científicas ou a ajudar o próximo. Algumas tiveram apoio familiar, outras foram perseguidas e caluniadas, algumas, como a pintora Anita Malfatti e a sambista Dona Ivone Lara, criaram obras que poderão ser vistas pelas futuras gerações, outras dependem de livros como "Extraordinárias" para não caírem no esquecimento.

 Se hoje eu posso estar aqui, escrevendo para vocês, foi graças às lutas de tantas outras que vieram antes de mim. Atualmente temos leis que nos garantem direitos que até pouco tempo nos eram negados (para vocês terem ideia, só em 2002 a perda da virgindade antes do casamento deixou de ser motivo para a anulação do mesmo ou justificativa para deserdar as filhas), e ainda assim, mulheres continuam sendo mortas por companheiros que deveriam amá-las mas enxergam nelas uma posse, mulheres continuam recebendo salários menores que os homens.


 A edição tem um tamanho diferenciado, no formato 20x25 cm. A capa é prateada (e dificílima de fotografar, queria ter feito fotos mais bonitas, mas é o que temos para hoje). As páginas são brancas, com letras, margens e espaçamento de ótimo tamanho e poucos erros de revisão. Cada mulher foi retrata em ilustrações lindas por uma das nove ilustradoras presentes no livro.

 "Extraordinárias: mulheres que revolucionaram o Brasil" ficou um ano na minha estante até eu começar a lê-lo, mas foi um livro muito amado desde que chegou em minhas mãos e é uma obra que pretendo guardar eternamente na estante, para sempre voltar a abrir e reencontrar uma fonte de inspiração. Foi uma leitura deliciosa, emocionante, inspiradora e de muito aprendizado (além do glossário, há boxes informativos sobre diversos temas no decorrer das páginas). Um livro que recomendo totalmente!

 Detalhes: 208 páginas, ISBN-13: 9788555340611, Skoobleia um trecho. Clique aqui para comprar na Amazon.

 Por hoje é só, espero que tenham gostado dessa resenha gigante. Me contem: já leram ou querem ler esse livro? Conheciam todas essas brasileiras citadas no post? Qual a brasileira que mais lhe inspira?

Sorteio, livro, Darkside

♥ Estamos com vários sorteios ativos, é a sua oportunidade de ganhar muitos livros (inclusive um kit com OITO títulos da Darkside), confira todos na barra lateral do blog (se estiver pelo celular, vá até o final da página e clique em visualizar versão para a web). Aproveite!

Até o próximo post!

Me acompanhe nas redes sociais:

Caixinha de Correio: "Recebidos de Fevereiro"

Olá Leitores (as), como estão? Hoje trago a vocês a tão cobiçada Caixinha de Correios: “Recebidos em Fevereiro”. Este foi um mês que recebi ótimos livros, principalmente aquelas obras que eu estava ansiando desde o ano passado, e que só agora consegui adquirir. Algumas obras ganhei de sorteios, outras eu adquiri de trocas, e comprei. Agora pretendo mostrá-los todos todos esse títulos para vocês. Por isso, venham conferir em detalhes os meus novos livros.

Em Janeiro continue participando de alguns sorteios e dessa forma consegui ganhar livros que estavam na minha lista de desejados já fazia tempos. Depois percebi que possuo muitos livros na estante que com certeza não irei ler e resolvi trocar algumas dessas obras pelo Skoob Plus, o que me resultou em  poder adquirir obras maravilhosas, fiquei tão feliz com as trocas que realizei. Por fim acabei comprando dois livros que eu queria muito com um precinho super bacana na saraiva que me deixou com um sorriso bobo no rosto. Vejam só!

Um dos primeiros livros recebidos neste mês foi o título Estilhaça-me da autora Tahereh Mafi, que ganhei no sorteio do instagram Clube do Livro - Maceió. Eu li essa obra há alguns anos, mas como eu havia pegado o livro emprestado de uma amiga acabei que não adquirindo o título. Contudo agora tenho a trilogia completa. Portanto só vai faltar adquirir o livro Restaura-me que já está na minha lista de desejados e não vejo a hora de tê-lo em mãos.

Outro livro que também ganhei no sorteio do Instagram foi a obra Você Tem a Vida Inteira do autor nacional Lucas Rocha, que ocorreu no ig do @eudelivros. Confesso que ainda não conhecia esse livro, porém ao me deparar com a sinopse acabei me interessando pela obra e não vejo a hora de embarcar nessa história que me pareceu maravilhosa.

Dentre os livros que acabei adquirindo porque estavam em um precinho super em conta, estão os títulos: Mil Palavras da autora Jennifer Brown, e Correndo Descalço da autora Amy Harmon. Sou muito fã de ambas as autoras dessa forma não poderia deixar de adquirir esses lançamentos maravilhosos. Admito que estou ao mesmo tempo com altas expectativas a respeito dessas leituras, mas também com receio. Veremos logo, logo qual será minha opinião a respeito dessas obras, pois pretendo ler esses livros ainda esse ano. Será que consigo? (risos)

Em relação às trocas do skoob plus nem acreditei quando consegui solicitar os livros As Mil Partes do Meu Coração, da autora Colleen Hoover (meu amor) e Doce Lar, da autora Tillie Cole. Que apesar de ter me decepcionado com o livro Mil Beijos de Garoto da Tillie, após ler muitos elogios a respeito desse seu outro livro não resisti e fiquei louca para adquirir. Só espero não me decepcionar dessa vez. Em relação ao livro da CoHo,eu já estou lendo e amando (óbvio).

Bom Leitores, esta foi mais uma caixinha de recebidos recheada de livros maravilhosos, como sempre. Dessa forma, espero que tenham gostado de conferir cada livro recebido, e fiquem ligadinhos pois sempre tem novidades por aqui e prometo que assim que eu ler essas obras pretendo postar a resenhas dos mesmos aqui no blog. Mas e vocês leitores, gostaram de ver mais uma vez minha caixinha dos correios? Deixe nos comentários a opinião de vocês, e quais são os livros que mais lhe interessaram, ou qual desses títulos vocês me indicariam ler primeiro. Pois a opinião de vocês é sempre muito importante e bem vinda.

Espero que tenham gostado, e por hoje é só.

Até o próximo post

Me acompanhe nas redes sociais:
Topo