Resenha: livro "Lolita", Vladimir Nabokov

 Olá pessoal, tudo bem? O livro da resenha de hoje é Lolita, escrito pelo russo Vladimir Nabokov e publicado inicialmente na década de 50, uma obra polêmica e que se tornou um clássico.

Resenha, livro, Lolita, Vladimir Nabokov, trechos

 Lolita é narrado em primeira pessoa, por Humbert, um europeu na casa dos 40 anos. Ele nos conta um pouco de como foi sua vida até o dia em que alugou um quarto na casa de Charlotte Haze, numa pequena cidade dos Estados Unidos.

 Humbert sentia atração por ninfetas (garotas no início da adolescência). E o fato da viúva Charlotte Haze ter uma filha de 12 anos, que se encaixava no perfil de ninfeta, fez com que Humbert decidisse ficar morando na casa dela. Ele acabou se casando com Charlotte, que veio a falecer, deixando-o como padrasto da garota, que tinha o apelido de Lolita.

 Eu já havia ouvido falar muito no livro, o que me fez ficar curiosa para lê-lo. A história foi diferente do que minhas expectativas sugeriam. Eu esperava uma Lolita mais "lolita", no sentido que o termo passou a ter no imaginário popular, e no entanto, a personagem era uma garota comum, vítima de um homem doente.

 No começo do livro, Humbert afirma que gostava de Lolita por ela ser uma ninfeta, e que quando a menina crescesse e seu corpo se desenvolvesse, provavelmente ele não ia querê-la mais. Ou seja, não é que ele tivesse se apaixonado pela garota, era uma obsessão pela aparência dela.

 "De tanto repetir essas ameaças, consegui aterrorizar Lô - que malgrado certa vivacidade impudente e algumas tiradas espirituosas, não era uma criança tão inteligente quanto o seu QI faria supor. Mas, se fui capaz de estabelecer aquele vínculo de segredo e culpa compartilhá-dos, tive muito menos êxito em manter seu bom humor." (página 153)

 Humbert usava o medo que Lolita tinha de ir para um orfanato para controlá-la e conseguir ter um relacionamento com ela. Ele é um personagem bem construído, que seduz o leitor, apesar de tudo. Por ser narrado por ele, só temos a sua visão das coisas, mas em alguns pontos conseguimos enxergar Lolita e seu sofrimento, e ver como Humbert fazia-lhe mal e o quanto ela queria fugir daquela relação.

 "(...) os soluços de Lô no meio da noite - de todas as noites, de cada noite - tão logo eu fingia que estava dormindo." (página 178)

 Em várias partes da trama, Humbert tenta mostrar exemplos onde relações de homens adultos com garotas tão novas era aceitável; mas uma criança não é um adulto e relações assim só trazem malefícios para elas. Lolita teve sua vida interrompida, e foi impossível não sentir muita pena dela.

 "Ela preferia o teatro à natação, e a natação ao tênis; insisto, porém, em que, se algo dentro dela não houvesse sido quebrado por mim - não que eu o soubesse então! -, Lô teria, além de seu estilo perfeito, a fome de vencer, transformando-se numa verdadeira campeão." (página 235)

 Apesar do tema pesado, a narrativa do autor me fez ficar mais curiosa a cada capítulo, querendo saber como a história iria acabar, e até que ponto Humbert iria chegar e até onde Lolita suportaria. Por ser um clássico, a obra apresenta algumas palavras diferentes e pouco usuais, mas não chega a ser uma leitura difícil.

Resenha, livro, Lolita, Vladimir Nabokov, polêmica, opinião, resumo
 A edição que li é de capa dura, da Companhia das Letras (2003), e tem folhas brancas e bom tamanho de margens, letra e espaçamento. Eu achei essa edição bem simples; se não me engano, a mais recente é da Editora Alfaguara (2011), e tem uma capa mais bonitinha.






 No fim das contas, foi uma boa leitura e que eu recomendo, porque é um clássico que merece ser lido, até mesmo para que as pessoas repensem o termo "lolita" e a questão do abuso sexual infantil.

 "Elas não a reconhecem como tal, e a própria ninfeta não tem consciência de seu fantástico poder. Além do mais, como a noção de tempo desempenha um papel mágico nesta matéria, o estudante não deve surpreender-se ao tomar conhecimento de que precisa haver um intervalo de muitos anos - a meu juízo nunca menos de dez, geralmente quarenta ou cinquenta, chegando a noventa em alguns poucos casos de que se tem registro - entre a menina e o homem para que este caia sob o feitiço da ninfeta." (página 19)

 No final do livro, há um posfácio escrito pelo autor, onde ele faz uma declaração bem interessante: "Há boas almas que que considerarão Lolita irrelevante porque não lhes ensina nada. Não escrevo nem leio obras de ficção com fins didáticos, e, a despeito da afirmação de John Ray, Lolita não traz nenhuma moral a reboque." (página 317).

 Detalhes: 319 páginas, tradutor: Jorio Dauster, Skoob (média de notas: 4/5, minha nota: 4/5). Onde comprar online: Submarino, Americanas (edição nova).

 Por hoje é só, espero que vocês tenham gostado da resenha. Alguém aí já leu Lolita ou alguma outra obra do autor? Fiquei com vontade de ler mais alguma coisa dele.

 Participe dos sorteios do blog e concorra a muitos livros: Sorteio literário em conjunto - aniversário do Calebe e Promoção "Um livro, Duas Histórias".

Até o próximo post!

Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobGoodreadsBloglovin (receba os posts do blog no seu e-mail)| Instagram.
20 comentários via Blogger
comentários via Facebook

20 comentários

  1. Olá!
    Sempre tive curiosidade de ler esse livro, mas justamente o assunto polêmico que me agrada acaba me afastando rs. É um assunto muito forte e acabo sempre deixando para depois. Acho legal também a abordagem pela visão do agressor, geralmente a vítima que narra a história e ficamos nos perguntando o que passa na cabeça desse tipo de pessoa.
    Espero ter coragem de lê-lo em breve, adorei a resenha!
    BeiJU!

    Paixão de Leitora | Fanpage

    ResponderExcluir
  2. Meu pai leu recentemente e disse que eu deveria fazê-lo recentemente daqui há uns anos. Na realidade me falta coragem. Já estou lendo laranja mecânica e considerando-o bem forte
    Beijos
    Ingrid
    devaneiosdalila.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. O livro parece ser muito bom, estou tomando coragem para ler ele e Proibido, ambos livros são muito bem recomendados!
    Beijo,
    http://www.pactoliterario.com/

    ResponderExcluir
  4. Também tinha outra visão dessa Lolita, até ler sua resenha, na qual fiquei apaixonada pela livro e senti uma enorme sinceridade.
    Adorei
    Beijos
    myself-here1.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Oi, Maria!
    Lolita é um livro que tenho vontade de ler e já faz tempo! Gostei muito de saber sua opinião, só me deixou ainda mais curiosa.

    Beijos.
    livrosdawis.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Eu não conhecia o livro, acredita?!
    Achei a premissa bem interessante. Apesar de ser um tema forte, eu gostaria de ler essa obra. Sua resenha me deixou curiosa.
    Adorei!
    Beijos!

    www.livrosdajess.com

    ResponderExcluir
  7. Maria, sou louca para ler o livro.
    Só assisti ao filme e pelo que você falou sobre o livro parece ser bem diferente.
    Acho esse livro um clássico e que deve ser lido por todos.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  8. Olá
    eu sou bem desatento kkk, não sabia nada sobre esse livro, mas achei a proposta muito bacana, não sei se leria no momento, mas vou anotar a sua dica
    Bjks
    Passa Lá - http://ospapa-livros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Não concordo muito com sua visão do livro, mas achei a resenha muito bem feita. Lolita é um livro polemico e difícil de se falar, inclusive tem um grupo de teoria no facebook. Ele gera opiniões bem divergentes.
    Mas independe da estória, a escrita do autor é tão maravilhosa. A narrativa dele é uma das mais românticas que já li,; alguns livros dele: Riso no escuro e Desespero. Ele escreveu mas algumas mas não sei te dizer quais.

    www.itgeekgirls.com

    ResponderExcluir
  10. Olá!!

    Eu tenho este livro na estante, mais pela polêmica que gera do que por qualquer outra coisa, mas ainda não peguei para ler. Realmente já ouvi comentários de pessoas que foram a ele achando que se escandalizariam, mas que não é bem assim. Acho que o disse-que-disse sempre deturpa as coisas, e com este clássico não é diferente. :)

    www.escrevarte.com.br

    ResponderExcluir
  11. Oi ^^

    Li este livro há um tempo, na verdade li só metade porque na época ele me deixou com sono. hahaha
    Talvez eu fosse muito fedelha para compreender algumas coisas, mas sei que não consegui lê-lo até o final e acabei devolvendo para a biblioteca.

    Acho que vale uma releitura e desta vez sem dormir hahaha


    bjs

    ResponderExcluir
  12. Olá Mari. Adorei a resenha.
    Meu pai nunca deixou eu me aproximar muita da história de Lolita, quando eu era pequena.
    Mas agora que eu cresci vou poder ler o livro kkkk
    Não conhecia muito a história, agora pude entender.
    bjs bjs

    ResponderExcluir
  13. Oi Maria,tudo bem?
    Nossa, eu tinha uma ideia totalmente diferente à respeito da Lolita, não conhecia a história...é bem diferente do que eu pensava por pescar informações aqui e ali...
    Bjs

    A. Libri

    ResponderExcluir
  14. Eu adoro lolita, eu li no colégio e li quando adulta. Em ambos os momentos o livro me deu oq pensar, e eu gosto dele por isso. É uma leitura que tenho carinho, é etranho, bizarro e doentio, mas ainda assim eu adoro a história.
    Angel Sakura
    www.euinsisto.com.br

    ResponderExcluir
  15. Nossa, o tema do livro é bem pesado, tendo em alta esse tema hoje em dia. Quantas vezes vemos esse tema na TV é algo muito ruim e que vem crescendo em forma alarmante! Bom, gostei bastante da resenha! Parabéns!!

    Abraços e até!

    lendoferozmente.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  16. Olá flor.Tudo bem?

    Esse tema e bem forte e repugnante,me senti enojada pelo personagem do cara apenas lendo a sua resenha, porque imaginei as meninas de países que até hoje isso acontece e com meninas mais novas ainda, semana passada vi na índia um cara de 36 casando com uma de 9, ela tinha a carinha assustada tadinha e isso me doeu o coração.

    Não sei se leria esse livro, ele pode até não ser tão pesado assim e ser apenas minha impressão, mas só o assunto em si já me deixou chateada.

    Enfim, ótima resenha, abordou bem o assunto sem contar muita coisa.

    bjs

    ResponderExcluir
  17. Oi, tudo bem?
    Esse livro é bem famoso e vejo muita gente indicando, mas eu nunca tinha parado para ler uma resenha sobre, por isso fiquei bem animada com seu post e acredito que o livro iria me agradar bastante mesmo sendo diferente do que costumo ler.

    Beijos :*
    Larissa - srtabookaholic.blogspot.com

    ResponderExcluir
  18. Oi, flor.
    Ainda não li essa obra, mas a tenho aqui – a mesma edição que a sua. Acho que foi bom não ter lido antes, pois hoje tenho mais maturidade para entender o contexto e a construção dos personagens que essa história traz. Sua leitura foi muito sensível, flor. Acho que Lolita é uma obra que, sem bem trabalhada, pode ser útil para o enfrentamento do abuso sexual.

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
  19. Olá, tudo bem?
    Eu nunca tive vontade de ler Lolita. Acho que o assunto pode parecer interessante pra algumas pessoas, mas em momento algum parece pra mim. Mas a sua resenha mostrou todos os aspectos do livro, gostei disso, mas mesmo assim não é o tipo de livro pra mim.
    Beijos

    ResponderExcluir
  20. Uma das minhas grandes falhas enquanto leitora é nunca ter lido Lolita, o que eu preciso corrigir em breve. Venho namorando essa edição da Alfaguara há um tempo já, e sua resenha vai me fazer parar de esperar. Vou comprar e pronto! :)
    Amei seu texto, obrigada pela dica!
    www.literasutra.com

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar :)!!! Sua opinião é muito importante para mim. Tem um blog? Deixe seu link que visitarei sempre que possível.
*comentários ofensivos serão apagados

Topo