TOP COMENTARISTA DE ABRIL

TOP COMENTARISTA DE ABRIL
Seu comentário pode te dar o livro "Ninfeias Negras", clique na imagem para saber como participar! E quanto mais você comentar, mais chances tem de ganhar!

segunda-feira, 18 de abril de 2016

Resenha: livro "A História Esquecida da Hospedaria na Estrada", C. A. Saltoris

 Olá pessoal, tudo bem? O livro da resenha de hoje é "A História Esquecida da Hospedaria na Estrada", escrito pela C. A. Saltoris e publicado em 2015 (segundo o site da editora, e em 2014 segundo o Skoob) pela Chiado Editora.

Resenha, livro, A-História-Esquecida-da-Hospedaria-na-Estrada, C-A-Saltoris, Chiado-editora, romance, fantasia, fada-da-morte, chronos

 O livro é narrado em primeira pessoa pelo Tempo. Sim, pelo deus Chronos! Ele se apaixonou por uma fada e para ficar perto dela, passou a viver no corpo humano de um adolescente, adotando o nome de Christopher. A fada não era uma fada qualquer, era Linumê, uma fada da morte, que podia matar com seu beijo. Ela tinha uma missão importante: atrair pessoas com sonhos mortos (sonhos não realizados) para a sua suposta hospedaria, e usar a energia desses sonhos para sustentar o mundo das fadas. Quem entrava na hospedaria, nunca mais saía.

 "E este momento eu preciso descrever: ao sentir seu toque, todo o meu ser entrou em chamas, eu tive a sensação de morrer e renascer mil vezes, no segundo em que sua pele entrou em contato com a minha, E eu não tive mais forças ou era dono de mim." (Chronos sobre Linumê, página 112)

 Certa noite, um rapaz chamado Mathew foi parar nessa hospedaria, mas algo diferente aconteceu: Linumê não quis aprisioná-lo imediatamente, pela primeira vez ela sentiu alguma coisa, algum sentimento novo, e quis descobrir o que era. Mas o que a hesitação da fada em fazer logo o que deveria fazer acarretaria para a hospedaria e para o mundo das fadas? Quais consequências isso teria? Será que uma fada da morte era capaz de amar? E Mathew, corresponderia ao sentimento? E Chronos, que nunca foi mais que um amigo para a fada, como lidaria com esse concorrente?

 "Sim, eu sou um deus. Mas um deus que se abrigava em carne, com um coração humano que doía, e doía porque eu sabia exatamente o que lhe estava acontecendo. Com todos os milênios que eu carrego nas costas, foram incontáveis os amantes que eu pude contemplar. Eu acompanhei-os no primeiro olhar, no primeiro sorriso, no primeiro beijo, em sua relação, em sua separação. Eu conhecia todos seus sentimentos, pensamentos e dores, mas acima de tudo, eu era capaz de reconhecer o momento exato em que um amor nascia, porque aquele era sempre o mais bonito. E eu senti o balde invisível de água fria que me foi jogado na cabeça, que congelava o sangue nas minhas veias, quando eu percebi que Linumê acreditava-se enferma porque se apaixonara por Mathew, imediatamente." (página 112)

 Eu li uma resenha bem positiva sobre "A História Esquecida da Hospedaria na Estrada" e fiquei com muita vontade de ler o livro, parecia ser uma história para devorar em pouco tempo, para virar favorita, mas não foi bem isso o que aconteceu. Talvez minhas expectativas fossem altas demais. Eu dei 4 de 5 estrelas em minha avaliação no Skoob, pois pela premissa "A História Esquecida da Hospedaria na Estrada" não merecia só 3 estrelas, mas foi um 4 com gosto de decepção, já que eu comecei a leitura esperando um 5 e um favorito.

 O começo é bom, assim como os capítulos finais e o desfecho, mas a leitura fluía vagarosamente no desenvolvimento. Quando terminei, senti falta de ter explicações mais claras sobre a estrutura do mundo de seres como a Linumê (motivo pelo qual não consigo falar sobre ele na resenha), senti falta de conhecê-la melhor, de conhecer melhor também o Mathew e os personagens secundários como a Arabiella. Foi como se eu não tivesse conseguido me conectar com eles. Algumas questões também não ficaram muito claras para mim, e mesmo o livro tendo mais de 300 páginas, foi como se algumas coisas tivessem ficado faltando. Acho que se frases como "Seu olhar de pânico, a fada não pode esconder" tivessem sido colocadas de forma mais direta (A fada não pode esconder seu olhar de pânico), a leitura teria ficado mais fluida e sido mais rápida.

Resenha, livro, A-História-Esquecida-da-Hospedaria-na-Estrada, C-A-Saltoris, Chiado-editora, romance, fantasia, fada-da-morte, chronos, opiniao, resenha-literaria, critica, literatura-nacional, dark-fantasia, trechos, fotos, capa

contracapa, Resenha, livro, A-História-Esquecida-da-Hospedaria-na-Estrada, C-A-Saltoris, Chiado-editora, romance, fantasia, fada-da-morte, chronos, sinopse

Resenha, livro, A-História-Esquecida-da-Hospedaria-na-Estrada, C-A-Saltoris, Chiado-editora, romance, fantasia, fada-da-morte, chronos, trecho, diagramação, fotos

Resenha, livro, A-História-Esquecida-da-Hospedaria-na-Estrada, C-A-Saltoris, Chiado-editora, romance, fantasia, fada-da-morte, chronos

sobre a autora

 Sobre a parte visual: a capa sombria é condizente com a trama, as páginas são amareladas, as margens, letras e espaçamento tem bom tamanho, e a revisão poderia estar melhor.

 "- Chorar mata? - ela perguntou, como uma garotinha.
- Nem sempre. Muitas vezes, salva." (página 262)

 Enfim, "A História Esquecida da Hospedaria na Estrada" é um livro com altos e baixos, tem uma premissa super interessante (especialmente para quem gosta de romances sobrenaturais e dark fantasy) e diferente, assim como seu narrador, mas que poderia ter sido melhor explorada (assim como seus personagens) na minha opinião.

 "E, por favor, não se perguntem o porquê de eu não ter evitado determinadas situações, pois eu sou o Tempo, logo, o responsável pela cicatrização das suas feridas e não aquele que lhes preserva delas. A cada deus, a sua função!" (página 22)

 Detalhes: 352 páginas, ISBN-13: 9789895122585, página no FacebookSkoob. Onde comprar online: com a própria autora na página do Facebook ou no site da editora

 Por hoje é só, espero que tenham gostado do post. Me contem: já conheciam o livro? Já leram algo com um narrador inusitado (tem "A menina que roubava livros" que é narrado pela Morte)? Já pegaram um livro com muita expectativa por causa de uma resenha?


Até o próximo post!
Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobInstagramYouTube| Snapchat: marijleite_pdl

4 comentários:

  1. Quando li a sinopse do livro também confesso que imaginei um favorito vindo, mas não consigo terminar um livro que desenrola bem devagar.
    Tô tentando sair de A Menina que Roubava Livros há um tempo, mas tô presa lá, me entende?

    Beijoos,
    S de Sarah

    ResponderExcluir
  2. Mari, nunca li (acho) um livro com narrador inusitado, mas esperar uma coisa e ter outra já aconteceu algumas vezes.
    É uma pena que o meio do livro não tenha sido bem desenrolado porque a história tinha tudo para ser muito boa.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  3. Olá,
    A primeira vista, como você mencionou, a história parece ser bem interessante, mas tenho também receio de achar complicada e assim ficar maçante. Mas quem sabe eu tente mais pra frente.

    http://euinsisto.com.br

    ResponderExcluir
  4. Olá, parabéns pela resenha...adorei a premissa do livro, gosto bastante do gênero e acredito que iria curtis bastante a leitura.
    Já anotei a dica e espero poder ler em breve.

    abraços

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar :)!!! Sua opinião é muito importante para mim.
Leio todos os comentários, mesmo que nos posts mais antigos. Responderei seu comentário aqui nesse mesmo post. Tem um blog? Deixe seu link que visitarei sempre que possível.
*comentários ofensivos serão apagados