Resenha: livro "A História Esquecida da Hospedaria na Estrada", C. A. Saltoris

 Olá pessoal, tudo bem? O livro da resenha de hoje é "A História Esquecida da Hospedaria na Estrada", escrito pela C. A. Saltoris e publicado em 2015 (segundo o site da editora, e em 2014 segundo o Skoob) pela Chiado Editora.

Resenha, livro, A-História-Esquecida-da-Hospedaria-na-Estrada, C-A-Saltoris, Chiado-editora, romance, fantasia, fada-da-morte, chronos

 O livro é narrado em primeira pessoa pelo Tempo. Sim, pelo deus Chronos! Ele se apaixonou por uma fada e para ficar perto dela, passou a viver no corpo humano de um adolescente, adotando o nome de Christopher. A fada não era uma fada qualquer, era Linumê, uma fada da morte, que podia matar com seu beijo. Ela tinha uma missão importante: atrair pessoas com sonhos mortos (sonhos não realizados) para a sua suposta hospedaria, e usar a energia desses sonhos para sustentar o mundo das fadas. Quem entrava na hospedaria, nunca mais saía.

 "E este momento eu preciso descrever: ao sentir seu toque, todo o meu ser entrou em chamas, eu tive a sensação de morrer e renascer mil vezes, no segundo em que sua pele entrou em contato com a minha, E eu não tive mais forças ou era dono de mim." (Chronos sobre Linumê, página 112)

 Certa noite, um rapaz chamado Mathew foi parar nessa hospedaria, mas algo diferente aconteceu: Linumê não quis aprisioná-lo imediatamente, pela primeira vez ela sentiu alguma coisa, algum sentimento novo, e quis descobrir o que era. Mas o que a hesitação da fada em fazer logo o que deveria fazer acarretaria para a hospedaria e para o mundo das fadas? Quais consequências isso teria? Será que uma fada da morte era capaz de amar? E Mathew, corresponderia ao sentimento? E Chronos, que nunca foi mais que um amigo para a fada, como lidaria com esse concorrente?

 "Sim, eu sou um deus. Mas um deus que se abrigava em carne, com um coração humano que doía, e doía porque eu sabia exatamente o que lhe estava acontecendo. Com todos os milênios que eu carrego nas costas, foram incontáveis os amantes que eu pude contemplar. Eu acompanhei-os no primeiro olhar, no primeiro sorriso, no primeiro beijo, em sua relação, em sua separação. Eu conhecia todos seus sentimentos, pensamentos e dores, mas acima de tudo, eu era capaz de reconhecer o momento exato em que um amor nascia, porque aquele era sempre o mais bonito. E eu senti o balde invisível de água fria que me foi jogado na cabeça, que congelava o sangue nas minhas veias, quando eu percebi que Linumê acreditava-se enferma porque se apaixonara por Mathew, imediatamente." (página 112)

 Eu li uma resenha bem positiva sobre "A História Esquecida da Hospedaria na Estrada" e fiquei com muita vontade de ler o livro, parecia ser uma história para devorar em pouco tempo, para virar favorita, mas não foi bem isso o que aconteceu. Talvez minhas expectativas fossem altas demais. Eu dei 4 de 5 estrelas em minha avaliação no Skoob, pois pela premissa "A História Esquecida da Hospedaria na Estrada" não merecia só 3 estrelas, mas foi um 4 com gosto de decepção, já que eu comecei a leitura esperando um 5 e um favorito.

 O começo é bom, assim como os capítulos finais e o desfecho, mas a leitura fluía vagarosamente no desenvolvimento. Quando terminei, senti falta de ter explicações mais claras sobre a estrutura do mundo de seres como a Linumê (motivo pelo qual não consigo falar sobre ele na resenha), senti falta de conhecê-la melhor, de conhecer melhor também o Mathew e os personagens secundários como a Arabiella. Foi como se eu não tivesse conseguido me conectar com eles. Algumas questões também não ficaram muito claras para mim, e mesmo o livro tendo mais de 300 páginas, foi como se algumas coisas tivessem ficado faltando. Acho que se frases como "Seu olhar de pânico, a fada não pode esconder" tivessem sido colocadas de forma mais direta (A fada não pode esconder seu olhar de pânico), a leitura teria ficado mais fluida e sido mais rápida.

Resenha, livro, A-História-Esquecida-da-Hospedaria-na-Estrada, C-A-Saltoris, Chiado-editora, romance, fantasia, fada-da-morte, chronos, opiniao, resenha-literaria, critica, literatura-nacional, dark-fantasia, trechos, fotos, capa

contracapa, Resenha, livro, A-História-Esquecida-da-Hospedaria-na-Estrada, C-A-Saltoris, Chiado-editora, romance, fantasia, fada-da-morte, chronos, sinopse

Resenha, livro, A-História-Esquecida-da-Hospedaria-na-Estrada, C-A-Saltoris, Chiado-editora, romance, fantasia, fada-da-morte, chronos, trecho, diagramação, fotos

Resenha, livro, A-História-Esquecida-da-Hospedaria-na-Estrada, C-A-Saltoris, Chiado-editora, romance, fantasia, fada-da-morte, chronos

sobre a autora

 Sobre a parte visual: a capa sombria é condizente com a trama, as páginas são amareladas, as margens, letras e espaçamento tem bom tamanho, e a revisão poderia estar melhor.

 "- Chorar mata? - ela perguntou, como uma garotinha.
- Nem sempre. Muitas vezes, salva." (página 262)

 Enfim, "A História Esquecida da Hospedaria na Estrada" é um livro com altos e baixos, tem uma premissa super interessante (especialmente para quem gosta de romances sobrenaturais e dark fantasy) e diferente, assim como seu narrador, mas que poderia ter sido melhor explorada (assim como seus personagens) na minha opinião.

 "E, por favor, não se perguntem o porquê de eu não ter evitado determinadas situações, pois eu sou o Tempo, logo, o responsável pela cicatrização das suas feridas e não aquele que lhes preserva delas. A cada deus, a sua função!" (página 22)

 Detalhes: 352 páginas, ISBN-13: 9789895122585, página no FacebookSkoob. Onde comprar online: com a própria autora na página do Facebook ou no site da editora

 Por hoje é só, espero que tenham gostado do post. Me contem: já conheciam o livro? Já leram algo com um narrador inusitado (tem "A menina que roubava livros" que é narrado pela Morte)? Já pegaram um livro com muita expectativa por causa de uma resenha?


Até o próximo post!
Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobInstagramYouTube| Snapchat: marijleite_pdl
4 comentários via Blogger
comentários via Facebook

4 comentários

  1. Quando li a sinopse do livro também confesso que imaginei um favorito vindo, mas não consigo terminar um livro que desenrola bem devagar.
    Tô tentando sair de A Menina que Roubava Livros há um tempo, mas tô presa lá, me entende?

    Beijoos,
    S de Sarah

    ResponderExcluir
  2. Mari, nunca li (acho) um livro com narrador inusitado, mas esperar uma coisa e ter outra já aconteceu algumas vezes.
    É uma pena que o meio do livro não tenha sido bem desenrolado porque a história tinha tudo para ser muito boa.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  3. Olá,
    A primeira vista, como você mencionou, a história parece ser bem interessante, mas tenho também receio de achar complicada e assim ficar maçante. Mas quem sabe eu tente mais pra frente.

    http://euinsisto.com.br

    ResponderExcluir
  4. Olá, parabéns pela resenha...adorei a premissa do livro, gosto bastante do gênero e acredito que iria curtis bastante a leitura.
    Já anotei a dica e espero poder ler em breve.

    abraços

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar :)!!! Sua opinião é muito importante para mim. Tem um blog? Deixe seu link que visitarei sempre que possível.
*comentários ofensivos serão apagados

Topo