Resenha: livro "Outros jeitos de usar a boca", Rupi Kaur

 Olá pessoal, tudo bem? Na resenha de hoje venho comentar sobre minha experiência de leitura com o livro "Outros jeitos de usar a boca", que traz poesias e ilustrações da Rupi Kaur, canadense nascida na Índia. Inicialmente, a obra foi publicada no exterior de forma independente, mas fez um sucesso estrondoso e chegou ao Brasil pela Editora Planeta em 2017.

Resenha, livro, Outros-jeitos-de-usar-a-boca, Rupi-Kaur, blog-literario, petalas-de-liberdade

 A obra é dividida em quatro partes: a dor, o amor, a ruptura e a cura, e a leitura pode ser feita em poucas horas. Há tanto poemas de poucas linhas, parecidos com provérbios, como poesias maiores. Alguns textos se mostram particulares à cultura da autora, como sua constante menção a leite e mel ("Milk and honey" é o título original da obra, embora eu ache que o título escolhido pela Planeta é mais atraente). Outros textos abordam assuntos em pauta nos dias atuais, como a violência contra as mulheres, o machismo, os relacionamentos abusivos, a luta pela aceitação do corpo feminino fora dos padrões irreais impostos pela mídia. Há ainda poesias tocantes sobre a relação entre pai e filha.

 Por ser um livro tão comentado, minhas expectativas estavam elevadíssimas para essa leitura. "Outros jeitos de usar a boca" não roubou o lugar de "Mulheres em cena: Em poesia" como meu livro de poesias favorito, talvez por eu já ter lido muito sobre os temas presentes na obra, mas foi uma leitura que eu gostei muito e que recomendo. Tenho certeza que todo leitor certamente vai se identificar com vários dos textos de Rupi Kaur.

 "Outros jeitos de usar a boca" traz mensagens de autoaceitação, de esperança, de incentivo. É um daqueles livros que, se estamos tristes ou desanimados ao começar a leitura, podemos terminar de ler com algo diferente surgindo dentro de nós, uma motivação diferente.

Outros-jeitos-de-usar-a-boca, Rupi-Kaur, Editora-Planeta

 A edição da Planeta está ótima, com uma capa bonita, páginas amareladas e de boa gramatura, boa revisão, diagramação com letras, margens e espaçamento de bom tamanho.

 Alguns dos meus poemas favoritos:

Outros-jeitos-de-usar-a-boca, Rupi-Kaur

 não quero ter você
 para preencher minhas partes vazias
 quero ser plena sozinha
 quero ser tão completa
 que poderia iluminar a cidade
 e só aí 
quero ter você 
porque nós dois juntos 
botamos fogo em tudo (página 59)

Outros-jeitos-de-usar-a-boca, Rupi-Kaur

 sua arte
não é a quantidade de pessoas
que gostam do seu trabalho
sua arte
é
o que seu coração acha do seu trabalho
o que sua alma acha do seu trabalho
é a honestidade
que você tem consigo
e você
nunca deve
trocar honestidade
por identificação
- a todos vocês poetas jovens (página 202)

Outros-jeitos-de-usar-a-boca, Rupi-Kaur

 toda vez que você
diz para sua filha
que grita com ela
por amor
você a ensina a confundir
raiva com carinho
o que parece uma boa ideia
até que ela cresce
confiando em homens violentos
porque eles são tão parecidos
com você

- aos pais que têm filhas (página 19)

Outros-jeitos-de-usar-a-boca, Rupi-Kaur

 você é igualzinha à sua mãe
acho mesmo que a ternura dela me cai bem
vocês duas têm os mesmos olhos
porque nós duas estamos exaustas
e as mãos
temos os mesmos dedos secos
mas essa raiva sua mãe não veste esse ódio
tem razão
essa raiva é a única coisa
que vem do meu pai
(tributo a herança, de warsan shire) (página 34)

quando minha mãe abre a boca
para conversar durante o jantar
meu pai enfia a palavra silêncio
nos seus lábios e diz que ela
nunca deve falar com a boca cheia
foi assim que as mulheres da minha família
aprenderam a viver com a boca fechada (página 35)

Outros-jeitos-de-usar-a-boca, Rupi-Kaur

 remover todos os pelos
 do seu corpo é ok
se é isso que você quer
assim como manter todos os pelos
 do seu corpo é ok
se é isso que você quer
- você só pertence a você

Outros-jeitos-de-usar-a-boca, Rupi-Kaur

aceite-se
como você foi projetada

Outros-jeitos-de-usar-a-boca, Rupi-Kaur

se a tristeza vem
a felicidade também
- tenha paciência

todos nascemos
tão bonitos

a grande tragédia é que
 nos convencem de que não somos

Outros-jeitos-de-usar-a-boca, Rupi-Kaur

 quero pedir desculpa a todas as mulheres
 que descrevi como bonitas
 antes de dizer inteligentes ou corajosas
fico triste por ter falado como se
 algo tão simples como aquilo que nasceu com você
fosse seu maior orgulho
 quando seu espírito já despedaçou montanhas
de agora em diante vou dizer coisas como
 você é forte ou você é incrível!
 não porque eu não te ache bonita
 mas porque você é muito mais do que isso

Outros-jeitos-de-usar-a-boca, Rupi-Kaur

 se você nasceu com
fraqueza para cair
você nasceu com
força para levantar (página 156)

Outros-jeitos-de-usar-a-boca, Rupi-Kaur

se você não é o suficiente para você mesma
você nunca será o suficiente
para outra pessoa (página 197)

sexo exige o consentimento dos dois
se uma pessoa está ali deitada sem fazer nada
porque não está pronta
ou não está no clima
ou simplesmente não quer
e mesmo assim a outra está fazendo sexo
com seu corpo isso não é amor
isso é estupro (página 22)

se já tivesse visto
a segurança de perto
eu teria passado menos
tempo caindo em braços
que não eram (página 21)

pai. você sempre liga sem ter nada especial a dizer. você pergunta o que estou fazendo ou onde estou e se o silêncio entre nós se estende por uma vida dou um jeito de encontrar perguntas que façam a conversa continuar. o que eu queria mesmo dizer é. eu sei que o mundo te despedaçou. foi com tudo pra cima de você. não te culpo por não saber ser delicado comigo. às vezes fico acordada pensando em todos os machucados que você tem e nunca vai dizer. eu venho do mesmo sangue dolorido. do mesmo osso tão sedento por atenção que desabo em mim mesma. eu sou sua filha. eu sei que a conversa-fiada é o único jeito que você conhece de dizer que me ama. porque é o único jeito que eu conheço. (página 37)

nada mais seguro que o som de você lendo alto para mim - o encontro perfeito (página 53)

você disse. se é pra ser. o destino vai nos unir de novo. por um segundo me pergunto se você é mesmo tão ingênuo. se acredita de verdade que o destino funciona assim. como se ele vivesse no céu e nos observasse. como se tivesse cinco dedos e passasse o tempo movendo a gente como peças de xadrez. como se não fossem as escolhas que fazemos. quem foi que te ensinou isso. me diz. quem foi que te convenceu. de que você ganhou um coração e uma cabeça que não pertencem a você. que suas ações não definem o que vai acontecer com você. quero gritar e berrar que somos nós seu idiota. somos as únicas pessoas que podem nos unir novamente. mas em vez disso eu sento quieta. sorrindo de leve pensando entre lábios trêmulos. é ou não é uma coisa trágica. quando você vê tudo tão claro mas a outra pessoa não vê nada. (página 84)

vou perdendo pedaços de você como perco cílios sem perceber e por todo lugar (página 135)

pelo
se não era pra estar aqui
não cresceria
em nosso corpo pra começo de conversa
- estamos em guerra com o que há de mais natural em nós (página 193)

 Por hoje é só, espero que tenham gostado do post. Me contem: já conheciam o livro ou a autora?

 Detalhees: 208 páginas, ISBN-13: 9788542209303, Skoob. Clique e compre na Amazon (e-book disponível no Kindle Unlimited):


 Ps.: meu perfil no Instagram chegou em dez mil seguidores, e tem sorteios para comemorar: até dia 30/09 tem sorteio valendo um kit de marcadores , até 10/10 tem sorteio de dois livros da Carol Dias e até 14/10 tem sorteio valendo o livro Beco da Ilusão, cliquem e participem.
Até o próximo post!

Me acompanhe nas redes sociais:

13 comentários

  1. Olá!
    Fiz a leitura desse livro pelo Kindle Unlimited tem pouco tempo. Estava bem curiosa quanto a escrita da Rupi e me impressionei com a crueza de alguns de seus poemas, mas também os achei muito necessários para reflexão.
    Vi que ela lançou mais um livro pela Planeta e já estou curiosa para conhecer, certamente será mais uma chuva de realismo.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  2. Tudo bem? Já tinha visto esse livro por aí, sem saber o que esperar dele. Sua resenha foi bastante interessante, pois de tantas coisas que imaginei, com certeza poesias não era uma delas.
    Adorei os trechos que selecionou e com certeza estou super curiosa.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Eu adoro ler poemas e desde que esse livro foi publicado eu morro de vontade de lê-lo. Gostei muito de ver a sua opinião com a leitura e de ver os seus poemas preferidos. Eu acho a capa maravilhosa e a edição parece mesmo está belíssima.

    ResponderExcluir
  4. Oie, tudo bem? Eu li esse livro tem um tempão e foi em um momento que eu realmente precisava, a obra me ajudou demais, os poemas em algum momento, irão te tocar, no entanto, acho que vale de primeira experiência só, sabe? Não leria de novo. Adorei as fotos do post!

    ResponderExcluir
  5. Olá,
    Até eu que nem conheço muitos livros de poesias já ouvi falar deste, ele é bem comentado mesmo, só o título por si só com toda certeza chama a atenção. Muito interessante para quem gosta de poesias.

    Debyh
    Eu Insisto

    ResponderExcluir
  6. Oi Mari, tudo bem?

    Li esse livro por causa de indicações de amigos e foi uma decisão muito acertada, pois simplesmente amei. A forma como a autora conduziu cada poesia e conseguiu nos fazer todos os sentimentos passados foi incrível. Quando terminei a obra estava encantada e com algumas lágrimas derramadas. A edição é realmente muito linda, adorei seu post!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Oi, Maria!
    Que post lindo! Não conhecia nada sobre e gosto muito de poesias principalmente quando através delas faz refletir e pelo jeito tem uma carga bem alta de emoção visto que a colega Alice comentou que além de encantada se emocionou às l´lagrimas. Com certeza quero ler! Bjs

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bem?
    Eu vi muitas pessoas elogiando esse livro, inclusive tem amigas minhas que amaram. Porém, eu não sou muito fã de poesia e, talvez por ter criado expectativas altas por causa de todos os comentários sobre o livro, os poucos poemas que já tinha lido dele não me tocaram muito. Não que eu não tenha gostado, mas não achei tudo aquilo que as pessoas falavam.
    No entanto, o livro traz temas importantes e que muitas pessoas vão se relacionar sim. Então, acredito que quem gosta de poesia tenha mais chance de gostar desta leitura do que eu. Fico feliz que tenha gostado do livro e adorei sua resenha!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Olá Maria, já li algumas resenhas desse livro e todas bem positivas como a sua, pelos seus comentários parece que a autora conseguiu com seus poemas trazer mensagens bem bacanas e algumas boas reflexões *-* Espero em breve poder lê-lo também.

    ResponderExcluir
  10. Olá! Vi esse livro diversas vezes e ele foi muito bem vendido nos últimos meses. Mas eu não sou muito fã de poemas e por isso eu não dei muita atenção a ele. Mas agora, depois de ler a sua resenha e, especialmente, alguns poemas, percebi que posso gostar bastante. Obrigada pela dica! Abraços

    ResponderExcluir
  11. Olá, tudo bem Mari?

    Eu já li algumas resenhas sobre o livro "Outros jeitos de usar" e a grande maioria das resenhas foram super positivas. Eu curto poemas, mas não estou muito na vibe de ler o gênero/livro por agora, no futuro pretendo voltar a ler. Gostei dos poemas selecionados.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  12. Tenho lido ótimos elogios deste livro, mas não consegui encaixar entre minhas leituras ainda. Obrigada por mostrar um pouco do que encontrarei no livro, gostei dos poemas escolhidos.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    Já tem um tempo que quero ler este livro e ainda nem sei porque não o comprei ainda, realmente. Adoroo poemas e esta obra seria perfeita para mim hahaha, toda resenha que leio sobre ele sempre são positivas. Obrigada por indicar.
    www.paginasamais.com

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar :)!!! Sua opinião é muito importante para mim. Tem um blog? Deixe seu link que visitarei sempre que possível.
*comentários ofensivos serão apagados

Topo