Resenha: livro "O Homem de Areia", Lars Kepler

 Olá pessoal, tudo bem? Na resenha de hoje venho comentar sobre minha experiência de leitura com o livro "O Homem de Areia", escrito por Lars Kepler (pseudônimo do casal sueco Alexandra e Alexander) e publicado em 2018 pela Alfaguara.

Resenha, livro, O-Homem-de-Areia, Lars-Kepler, alfaguara, blog-literario, petalas-de-liberdade, thrillers, suspense, policial, capa, foto, trecho

 "Não há dados abrangentes sobre o número de pessoas desaparecidas no mundo por ano, mas é de conhecimento geral que o total é perturbadoramente alto. Nos Estados Unidos, cerca de cem mil pessoas desaparecem por ano; na Suécia, cerca de sete mil. A maioria reaparecia, mas ainda havia um número alarmante que não. Apenas uma parcela muito pequena daquelas que nunca eram encontrados tinha sido sequestrada ou assassinada." (página 55)

 Treze anos atrás, os dois filhos de Reidar, um escritor famoso, desapareceram: Mikael, na época com dez anos, e a irmã Felicia. A investigação concluiu que eles poderiam ser vítimas do serial killer Jurek Walter, já que foram encontrados outros corpos de desaparecidos quando Jurek foi preso. Mas, numa noite fria em Estocolmo, Mikael reaparece, e descobre-se que ele foi mantido em cárcere privado por todos esses anos, e que sua irmã ainda pode estar viva. Assim começa uma corrida contra o tempo para tentar encontrá-la e descobrir qual o verdadeiro envolvimento de Jurek Walter no caso.

 "Jurek Walter foi considerado culpado por apenas dois homicídios e uma tentativa de homicídio, mas há evidências contundentes que o ligam a outros dezenove casos de assassinato.
 Treze anos antes, fora flagrado na floresta de Lill-Jan, no Djurgården, em Estocolmo, forçando uma mulher de cinquenta anos a voltar para um caixão embaixo da terra. Ela tinha sido mantida no caixão por quase dois anos, mas ainda estava viva. A mulher sofreu lesões terríveis, estava desnutrida, os músculos tinham definhado, exibia ferimentos de pressão e queimaduras de frio, e tinha sofrido danos cerebrais graves. Se a polícia não tivesse seguido e prendido Jurek Walter ao lado do caixão, talvez ele nunca tivesse sido detido." (página 12)

 O policial Joona Linna foi um dos responsáveis pela prisão de Jurek, e entra na investigação, revisitando todas as pistas encontradas treze anos antes e procurando novas. Como o caso é urgente e interrogatórios comuns não funcionam com Jurek, a equipe de investigadores resolve infiltrar alguém disfarçado na unidade onde ele é o único preso, para tentar fazê-lo falar e dar alguma pista sobre onde a irmã de Mikael possa estar.

 "- Você precisa fazer com que ele fale - diz Pollock, e estende para ela um envelope plástico com o microfone. (...)
 - Você vai ter de engolir, depois vomitar antes que chegue ao duodeno e, se necessário, engolir de novo - Pollock explica.
 - Nunca o mantenha dentro do corpo por mais de quatro horas - Verner diz.
 - E continuo fazendo isso até ter uma chance de plantar o microfone na sala comum - Saga diz." (página 170)

 É a inspetora Saga Bauer que terá essa missão de se aproximar de Jurek fingindo ser uma condenada por assassinatos, mas além de Jurek ser um perigoso manipulador (funcionários da unidade usam até fones de ouvido para evitar que algo que ele diga possa perturbá-los), ainda há o fato de o novo médico  responsável pela unidade ser Anders, sem muita experiência na área e que não sabe realmente com o que está lidando. Será que Saga descobrirá alguma coisa? Joona encontrará uma nova pista? Jurek está envolvido no reaparecimento de Mikael? Eu recomendo que leiam para descobrir!

 "- Precisa de quantos comprimidos de codeína para matar uma pessoa?
 - Criança ou adulto? - o Agulha pergunta, sem nem mesmo parecer surpreso." (página 454)

 Uma das características do livro que chama a atenção logo de cara é o tamanho dos 181 capítulos, todos são curtos, trazendo agilidade para a narrativa, é fácil imaginar a história como um filme. Gostei do fato de, diferente de alguns outros livros de suspense que li, a narração seguir uma sequência de acontecimentos, não ficar pulando entre um personagem e outro, por exemplo: se estamos acompanhando a escolha de Saga para fazer parte do caso, os capítulos vão até o momento em que ela decide aceitar o trabalho e começa a se preparar, para depois mostrar o que tem acontecido com outro personagem, não dá aquela sensação de "ah, não quero saber o que fulano está fazendo, vou pular esse capítulo e ir logo ver o que acontece com sicrano".

 Falando em personagens, as características de alguns deles vão sendo mostradas não só para construir seus perfis, mas também por serem importantes em algum momento da trama. Saga tem impulsos violentos causados por situações que viveu na infância; Anders é pai de uma garotinha com Síndrome de Asperger e precisa muito se firmar no emprego, mas mesmo analisando os comportamentos psicológicos errados dos pacientes, não consegue identificar os seus próprios desvios, o que torna ambos influenciáveis por Jurek. Outros personagens que merecem o meu destaque são os amigos de Reidar, quando os filhos foram declarados mortos, ele mergulhou na bebida e vivia com a casa cheia para preencher o vazio que sentia, alguns desses amigos que estavam sempre bebendo na casa dele me pareciam aproveitadores, mas se mostraram verdadeiros companheiros em determinado momento.

 "São quatro da madrugada quando eles terminam e ele desfaz os nós. Petra tira a calcinha rasgada que ele enfiou na boca dela quando ela pediu para ele parar. Ela está quieta, o corpo tremendo enquanto massageia os punhos doloridos. Seu cabelo está suado, as bochechas riscadas de lágrimas, e a venda caiu em volta do seu pescoço." (página 190)

 "O Homem de Areia" é um thriller muito bom. Apesar das mais de 400 páginas, pode ser uma leitura rápida pela fluidez do texto e por prender o leitor, deixando-o curioso para desvendar o caso. Mesmo que criemos muitas hipóteses para o reaparecimento de Mikael e o envolvimento de Jurek, e que algumas possam estar certas, ainda há a curiosidade para descobrir o que virá no capítulo seguinte e quem sairá vitorioso. O fato de ser escrito por um casal pode ter contribuído na construção do perfil dos personagens, e foi ótimo sair um pouco dos livros de autoria e ambientação norte-americana ou inglesa e conhecer uma história ambientada na Suécia. Preciso alertá-los para a existência de cenas pesadas e um pouco chocantes na obra, que podem abalar alguns.

 O final deixa um gancho para uma continuação da história de Joona, ainda que eu não acredite que, depois do que aconteceu, precisamos temer o vilão desse livro. "O Homem de Areia" é o quarto volume da série Joona Linna, eu não li os anteriores e acredito que não seja obrigatório lê-los para entender a história desse, não me senti perdida em nenhum momento. Falando na série, os dois primeiros livros são "O hipnotista" e "O pesadelo", publicados pela Intrínseca, o terceiro, cujo título original é "Eldvittnet", foi publicado em Portugal com o título de "A vidente", mas não foi publicado no Brasil, então, nem que quiséssemos poderíamos ler a série em ordem; o quinto, o sexto e o sétimo volumes já foram publicados no exterior.

 "Jurek era um mentiroso. Era isso que ele fazia. Destruía as pessoas com suas mentiras." (página 454)

Resenha, livro, O-Homem-de-Areia, Lars-Kepler, alfaguara

 A edição tem uma capa que pode lembrar Mikael "voltando para o mundo dos vivos". As páginas são amareladas, há poucos erros de revisão e a diagramação traz letras, margens e espaçamento de bom tamanho. Fica a minha recomendação para quem procura um bom romance policial, com muito suspense, bem escrito e com ótimos personagens.

 Detalhes: 456 páginas, ISBN-13: 9788556520739, Skoobleia um trecho. Clique e compre na Amazon:


 Por hoje é só, espero que tenham gostado do post. Me contem: já leram ou querem ler algo do autor? Gostam de histórias de suspense e de thrillers policiais?

12 comentários

  1. Olá!! :)

    Eu nao conhecia este livro ainda, mas ja tinha ouvido falar da famosa inspetora Jonna Linna! :)

    Enfim, quero ler, pelo que fico contente que tenhas gostado, que a leitura tenha sido fluida, e, claro, que as personagens sejam aproveitadas para o misterio! :)

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  2. Tudo bem sim.. Na medida do possível pelo menos..

    Eu adoro a escrita de Lars Kepler e adorei ter lido esse livro. Esse tipo de pegada sempre costuma me atrair e quando nos deparamos com uma receita que é bem feita é uma maravilha.

    Ótima resenha. Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Gosto bastante da capa desse livro, e já estou interessada por ele há algum tempo.
    Gosto bastante de livros que prendam o leitor, fico feliz que ele tenha feito isso contigo.
    Não sabia que ele fazia parte de uma série.
    Gostei bastante da sua resenha e dos quotes que você trouxe, beijos!

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem? Me parece um thriller realmente muito bom e com muito conteúdo, 400 páginas nao é pra qualquer um ne? Hahaha adorei a dica, venho procurado ler mais desse genero.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A diagramação, os capítulos curtos e a boa história fazem essas 400 páginas passarem voando♥.

      Excluir
  5. Olá.

    Ainda não conhecia o livro. A premissa é realmente muito bacana, é o tipo de livro que eu gosto. A resenha está ótima e bastante atrativa para o livro, já vou anotando aqui a dica.

    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Não sabia que se tratava de uma série, apesar de já estar interessada no livro, pois não dispenso um bom Thriller e não ligo para cenas fortes e chocantes. Enfim, já quero ler!

    ResponderExcluir
  7. Ola!

    Pelo amor de Deus, me diga aonde andei dormindo que eu não conhecia esse livro!!!!
    Adorei a sua resenha e ela me atraiu muito. Não conhecia essa série, mas eu, como uma boa amante do thriller, preciso desse livro para ontem!!

    beijos

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Eu já tentei ler O hipnotista e não curti tanto, até larguei a leitura. Achei o conteúdo pesado demais pro meu gosto, mas pretendo pegar novamente para ler, ou mesmo pegar outros livros do(s) mesmo(s) autor(es) para ler.
    Bjos
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  9. Achei a capa muito interessante, mas confesso que não é um tipo de leitura que me encha os olhos para leitura, então infelizmente irei passar a dica, mas mesmo assim agradecer por ela.

    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Olá, tudo bem?

    Eu recebi esse livro do grupo Companhia das Letras e comecei essa semana a leitura, por enquanto estou gostando bem e acho que vou continuar curtindo a leitura. Outro fato é que gosto muito o gênero, curto muito suspense/thriller e curto climas pesados no gênero. Parabéns pela resenha, ficou ótima!
    Abraço!

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar :)!!! Sua opinião é muito importante para mim. Tem um blog? Deixe seu link que visitarei sempre que possível.
*comentários ofensivos serão apagados

Topo