Resenha: livro "O azarão", Markus Zusak

 Olá pessoal, tudo bem? Na resenha de hoje venho comentar sobre minha experiência de leitura com "O azarão", livro escrito pelo australiano Markus Zusak e publicado no Brasil em 2012 pela Bertrand Brasil.

Resenha, livro, O-azarao, Markus-Zusak, Bertrand, blog-literario, blog-literario-petalas-de-liberdade, trilogia-irmaos-wolfe, quote, trecho, opiniao, foto, capa, romance-de-formação

 "Meu nome é Cameron Wolfe.
 Moro na cidade.
 Frequento a escola.
 Não sou popular com as garotas.
 Tenho um pouco de juízo.
 Não tenho muito juízo." (página 8)


 O livro é narrado por Cameron Wolfe, um garoto australiano de 15 anos, que mora com os 3 irmãos mais velhos (Steve, Sarah e Ruben), o pai (que é um encanador) e a mãe. É uma família de condições financeiras modestas, onde os pais trabalham muito e colocam molho de tomate em tudo para tornar a comida mais agradável. Como ele e Rube tem pouca diferença de idade, acabam sendo mais próximos, e um dos passatempos favoritos deles (mais do Rube que do Cameron, que só vai na "onda" do irmão) é planejar roubos que nunca darão certo (por exemplo: a ideia de assaltar o dentista termina quando se encantam pela recepcionista e acabam pagando por uma consulta, ou quando decidem roubar uma placa de trânsito mas devolvem ela).

 "Era como se alguém tivesse roubado alguma coisa do próprio Rube. Mas o quê? Por que essa necessidade de pegar coisas? Era só para sentir como era quebrar as regras e sentir-se bem, sendo mau? Talvez fosse porque Rube se achava um fracassado e estava provando isso a si mesmo, ao tentar roubar. Talvez quisesse ser como o herói dos filmes americanos aos quais assistíamos na tevê. Para ser sincero, não tinha ideia do que estava acontecendo na mente dele, e ponto final." (página 87)

 Cameron é um adolescente comum, um pouco bagunceiro, meio solitário, que não se destaca em nada, leva uma vida sem grandes emoções, não quer decepcionar a família e está em busca do seu lugar no mundo. Ele vive as típicas esperanças e desilusões da adolescência. O livro é como um diário onde o garoto abre seu coração e nos permite compreender como ele se vê de forma não muito otimista e sonhadora ao mesmo tempo.

 "Dei uma gargalhada. Garotos como nós (garotos, em geral) tinham que ser a escória da Terra. Na maior parte do tempo, pelo menos. Juro, passamos a maior parte do tempo sendo desumanos." (página 18)

 "O azarão" é o primeiro livro da trilogia Irmãos Wolfe, um romance de formação com uma história aparentemente simples, um recorte da vida de um garoto que poderia ser qualquer outro. Pode parecer sem graça para alguns leitores, mas também pode ser justamente o que torna essa leitura especial para outros, como foi o meu caso. Apesar das muitas diferenças entre nós, me identifiquei bastante com o Cameron, também já tive 15 anos e uma vida extremamente comum, onde eu queria ser alguém melhor, encontrar meu caminho e ajudar a minha família, mas não sabia exatamente como fazer essas coisas.

 Diferente de outros infanto-juvenis e young adults que já li, nesse, a maioria das cenas está ligada ao ambiente familiar e não à escola, o que achei bem legal por nos permitir entender melhor como o narrador é afetado pelas opiniões dos familiares e pelos acontecimentos da sua casa. "O azarão" foi publicado pela primeira vez em 1999, e é interessante poder observar a adolescência numa época onde não nascíamos grudados aos Smartphones, além da ambientação numa cidade australiana.

 "- Porque você não aprende nada, se não tiver paciência pra ler. A tevê tira isso de você. Deixa você burro." (página 29, o que será que o pai do Cameron diria aos filhos hoje?)

 Do Markus Zusak eu já tinha lido "A menina que roubava livros" e acho que ambas histórias têm essa característica de não nos mostrar logo de cara para onde vão. Em "O azarão", é possível imaginar que é mesmo um garoto de 15 anos nos contando seus dilemas. É um livro curto, que pode ser lido rapidamente, do qual eu gostei e que recomendo, especialmente para quem procura histórias adolescentes despretensiosas. Eu já tenho os outros volumes da trilogia ("Bom de briga" e "A garota que eu quero") e estou bem curiosa para ler e descobrir quais caminhos Cameron Wolfe encontrará.

 "Era uma pessoa confusa, desesperada e ansiosa, andando por aí para que alguma coisa me fizesse sentir bem..." (página 96)

Resenha, livro, O-azarao, Markus-Zusak, trilogia-irmaos-wolfe,
O último livro foi publicado por outra editora e tem um formato diferente.
Resenha, livro, O-azarao, Markus-Zusak, Bertrand, sinopse, trilogia-irmaos-wolfe,
Resenha, livro, O-azarao, Markus-Zusak, Bertrand, blog-literario, blog-literario-petalas-de-liberdade, trilogia-irmaos-wolfe, quote, trecho,
Cameron relata também seus sonhos estranhos.

 A edição traz uma capa soft touch (aquela com textura aveludada), com o título em alto relevo, e a figura de um cachorro, que é como Cameron acha que os garotos são: "sempre prontos para atacar, latir e pedir uma chance de mostrar o seu valor". As páginas são amareladas, a revisão e a diagramação são boas, com espaçamento, fonte e margens grandes.

 Detalhes: 175 páginas, ISBN-13: 9788528616439, Skoob. Clique e compre na Amazon:



 Com essa resenha, finalizo as postagens sobre o meu desafio de ler 30 livros em janeiro! Por hoje é só, espero que tenham gostado do post. Me contem: já leram esse ou outros livros do autor?

♥ Clique e participe dos sorteios que estão rolando no blog:
- Sorteio de desapego de 11 livros.
- Sorteio de aniversário do blog, valendo 27 livros.

Até o próximo post!
Me acompanhe nas redes sociais:

27 comentários

  1. Tudo bem? Eu li esses livros faz um longo tempo, na época eu achei que não fosse curtir, foi uma indicação. Mas adorei a escrita do Zusak. Os livros conseguiram prender minha atenção, justamente por ter uma pegada na época, diferente dos demais livros do gênero. As histórias fluiram de maneira rápida e gostei bastante.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Nossa, eu ainda não tive oportunidade de ler nada do Marcus, mas muita gente fala bem dele. Dos livros dele que vejo o pessoal falar, esse foi o que mais me encantou. Adorei a premissa e parece ser muito bom, vou procurar ele por aqui, quero muito conhecer! Valeu pela dica!!

    ResponderExcluir
  3. Oi! Conheço o autor pelo livro A menina que roubava livros, e dessa série, tinha ouvido falar sobre só A garota que eu quero. Eu particularmente gosto muito de histórias com adolescentes, e sendo criadas nessa forma, de diário, ainda mias. Gosto da proximidade que isso trás. A maneira como ele entrega a história bem real, contando bem as dúvidas e dificuldades do garoto, para mim, é muito legal. Obrigada pela dica!

    Bjoxx ~ Aline ~ www.stalker-literaria.com ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, na verdade o livro não é em forma de diário, o que quis dizer é que passa a sensação de que estamos lendo um diário de um garoto.

      Excluir
  4. Oi!
    Achei interessante a história com se fosse um diário contando a vida de um rapaz simples e quer ajudar sua família e só apronta. Não conhecia o autor, mas já gostei da trama. Parabéns pela resenha ficou perfeita e direta, fiquei curiosa sobre o enredo, obrigado pela dica, bjs!

    ResponderExcluir
  5. Todo es genial! Tu blog es precioso, espero verte pronto por mi blog y saber tu opinión en mi último post! Feliz día! 💛💛💛

    ResponderExcluir
  6. Eu só li A menina que roubava livros desse autor e devorei. Gostei da premissa desse que vc resenhou, justamente pelo que disse na publicação: por focar no drama familiar e ser ambientado em uma época que não tínhamos smartphones no nossos dias hahaha. Já fiquei com vontade de ler <3

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  7. Oii, tudo bem?

    Até hoje eu só li "A Menina que Roubava Livros" do autor. Adorei a premissa de "O Azarão", gostei bastante de a maioria das cenas estarem ligadas ao ambiente familiar e não à escola, é um belo diferencial. E o fato de o livro ser um diário nos dá uma sensação de proximidade bem legal com o pensonagem.
    Estou bem curiosa com a leitura.
    Obrigada por compartilhar!!

    Beijinhos!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, na verdade o livro não é escrito em forma de diário, o que quis dizer é que passa a sensação de que estamos lendo um diário de um garoto.

      Excluir
  8. Olá, tudo bem? Eu li um livro desse autor há alguns anos e confesso que foi uma experiência bem ruim, então acabou que depois não li mais nada dele - mas quero muito ler "A menina que roubava livros", de qualquer forma. Adorei tua resenha e fiquei bem curiosa para ler a obra, talvez eu dê uma chance, haha.

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  9. Olá,
    Ah eu conheço a série, mas ainda não li. Por algum motivo quase todos os livros que li que se passavam na Austrália foram muito bons, talvez tenha sido sorte mas eu costumo gostar de livros que se passam lá. Não sou tão chegada a livros adolescentes, mas a história deste parece ser tão despretensiosa e ótima para uma ressaca literária.

    Debyh
    Eu Insisto

    ResponderExcluir
  10. Oi, Maria!
    Adoro romances de formação como este, que possuem o foco narrativo mais na relação familiar do que nas relações escolares porque cria aquela sensação de proximidade e semelhança com o leitor. Gosto muito da forma de narrar do Markus Zusak, sua capacidade de alcançar o leitor é incrível e sempre me deixa encantada. Faz algum tempo que li os livros dessa trilogia e acho que não consigo escolher um deles como favorito haha Tomara que você goste dos outros volumes!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  11. Já li muitos elogios ao trabalho do autor, mas confesso que quando li 'A menina que roubava livros' não consegui me conectar nem emocionar com a narrativa da história, então acabei não curtindo a leitura. Mas gostei de conferir suas impressões e torço para que os outros dois livros também te agradem. Parabéns pelas lindas fotos.

    ResponderExcluir
  12. Olá!

    Gostei muito a premissa dessa historia e além de mostrar as adversidades da vida familiar.
    Colocando na lista de desejados Urgente para Ler!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Não conhecia a trilogia, mas gosto da ideia de ligar a trama ao ambiente familiar e talvez seja a despretensão de uma história adolescente que nos faça falta. Vou anotar a dica e conhecer essa nova face do autor que me cativou com A menina que roubava livros.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  14. Gosto muito da escrita e gênero do autor, não conhecia essa trilogia e fiquei interessada. Ler sua resenha me fez relembrar do quanto ele é um autor incrível! Adorei a dica e já anotei ela na minha listinha!

    ResponderExcluir
  15. Oi Maria.

    Eu já tinha visto o livro, mas ainda não tive a chance de conhecer a escrita do Zusak. Pela sua resenha é um livro que vale a pena conferir e ter a trilogia na estante. Vou adicionar na minha lista de desejados,porque sua resenha despertou minha curiosidade.

    Bjos
    https://historiasexistemparaseremcontadas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  16. Olá,
    Não conhecia essa obra do Markus, caramba, já adicionei na lista com certeza, depois de a menina que roubava livros ele com certeza é um autor de quem quero ler tudo.

    Beijokas

    ResponderExcluir
  17. Adorei a sua resenha desse livro e estou curiosa com ele, parece uma leitura muito boa e acho que posso gostar bastante. Eu adorei a sua resenha e poder conhecer um pouco mais sobre a trama.

    ResponderExcluir
  18. Olá!
    Apesar de já ter ouvido falar sobre essa leitura ainda não tive oportunidade de realizá-la. Por sua resenha parece ser o tipo de leitura que me atrai, com uma ambientação familiar e uma boa narrativa.
    Vou adicionar na meta de leitura.

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  19. Olá, tudo bem? Nossa não sabia que essa "série" é do mesmo autor que A Menina Que Roubava Livros, choquei agora ÇSAHSH achei bem interessante esse enfoque um pouco diferente, e com certeza seria algo que atrairia para lê-lo. Adorei a resenha!
    Beijos,
    http://diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  20. Olá, tudo bem?

    Eu conheço o autor e já li o famoso livro dele "A Menina que roubava livros", inclusive conheço esses dois livros em questão, mas nunca li. Gostei da resenha, ficou super caprichada.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  21. Parece uma excelente trilogia, de algum modo, me fez relembrar a leitura de um clássico que é bem quisto em cursos de psicologia, de modo que a leitura deste muito me interessou.

    ResponderExcluir
  22. Eu sou muito fã do Zusak e li estes liros em 2014, muito apaixonada pela escrita e originalidade que esses enredos trazem. Sempre indico estes três para alguém conhecer a escrita dele.
    beijos

    ResponderExcluir
  23. Oi, tudo bem? Não conheço a escrita do autor mas pelos elogios sobre esse livro merece a leitura. A história foge um pouco do clichê que estamos acostumados. Fiquei curiosa pelo molho de tomate haha Gostei muito da resenha. Beijos, Érika =^.^=

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar :)!!! Sua opinião é muito importante para mim. Tem um blog? Deixe seu link que visitarei sempre que possível.
*comentários ofensivos serão apagados

Topo