Resenha: livro "Azar o seu!", Carol Sabar

 Olá pessoal, tudo bem? O livro da resenha de hoje é Azar o seu!, escrito pela mineira Carol Sabar e publicado pela Editora Jangada.

Azar o seu, Carol Sabar

 Ana Beatriz, ou, simplesmente, Bia, é a protagonista e quem narra a história. Ela tinha 25 anos e, após ser despedida injustamente (ainda assim, com justa causa) de seu emprego no Rio de Janeiro, voltou a morar na casa do pai, na cidade mineira de Juiz de Fora.

 O pai da Bia tinha uma floricultura; enquanto ela não conseguia um novo emprego, ficou ajudando-o na loja de flores. A esposa de um tio distante deles veio a falecer, Bia foi ao enterro em Angra dos Reis, dirigindo a velha Kombi da floricultura.

 Bia acreditava ser uma pessoa azarada. Não bastasse ter perdido o emprego injustamente, estar cheia de dívidas, ter passado por uma situação constrangedora envolvendo um primo e margaridas no cemitério; na viagem de volta, ela ainda ficou no meio de um tiroteio na Linha Vermelha! Vendo a morte se aproximar, Bia se apavorou (qualquer um se apavoraria). Eis que, no meio do tiroteio, surgiu um cara, O Cara. Ele se refugiou com ela na Kombi, enquanto a situação não melhorava.

 "Os estampidos trepidavam à minha volta, como se rachassem a paisagem em mil pedaços. Eu mal conseguia dominar meus pensamentos e tinha perdido a noção de quase tudo. Por isso não sei dizer se o que veio em seguida foi o estouro de uma bomba ou um trovão. Mas o chão tremeu sob o meu peito. A meu redor, gritos e mais gritos de pavor. Finquei minhas unhas nas fendas do asfalto, pronta para desabar junto com ele. Isso se meu frágil coração não enfartasse antes de eu mergulhar na Baía de Guanabara que me esperava lá embaixo..." (página 22)

 "Mas então me lembrei de uma coisa. Eu não podia me afogar! Meu Deus, não podia, não! Eu tinha um milhão de contas para pagar!" (página 22)

 Acreditando estar à beira da morte e após ter batido a cabeça, Bia, desesperada, imaginou que o Cara desconhecido fosse uma espécie de anjo que tivesse vindo auxiliá-la na passagem (é cômico, mas poderia ser trágico). Como suas últimas palavras, Bia pediu ao seu anjo que dissesse à Guga, o único cara a quem ela amou e a quem não via há 10 anos, que ela havia morrido pensando nele e no melhor beijo de sua vida.

 Como vocês podem imaginar, a Bia não morreu no tiroteio. Seu estado de confusão mental passou, mas o Cara ainda estava lá. E o Cara era lindo! E misterioso. Tão misterioso que não quis revelar seu nome, mas prometeu que voltaria para vê-la.

 Raíssa Vitorazzi era a melhor amiga de Bia desde que eram muito pequenas. Guga (Gustavo) era o irmão mais velho de Raíssa, junto com as garotas, completava o trio inseparável. Era uma amizade forte e muito bonita. Até que Guga foi para Londres e nunca mais mandou notícias para Bia. Um pouco antes da viagem, na festa de 15 anos de Raíssa, Guga deu um beijo em Bia, o que só fez crescer o amor que ela tinha por ele e a dor pelo afastamento. A amizade das duas acabou por uma briga boba. E Bia foi se afastando de tudo aquilo que a fazia feliz: Raíssa, Guga, a música...

 "- É sério, Bronquinha. - Ele atirou uma pipoca na minha cabeça enquanto andávamos sem rumo pelos corredores da pequena feira livre. - Eu não entendo você. Por que não seguiu carreira de pianista?
 - Eu tinha contas para pagar.
 - Aos 17 anos de idade? - encrespou.
 - Era uma previsão.
 - Uma previsão que não deu muito certo, afinal de contas, você tem uma pilha de contas para pagar..." (páginas 128 e 129)

 Não é um spoiler, está na sinopse e na orelha do livro: por uma coincidência,  o Cara era o Guga, que estava de volta ao Brasil. Ele reconheceu Bia na hora (também, com os olhões azuis dela, quem não reconheceria?). Mas Bia não o reconheceu, já que ele estava muito diferente de quando era adolescente. E isso, somado ao fato de ela ter lhe feito uma declaração de amor, fez com que Guga ficasse surpreso e decepcionado ao mesmo tempo, além de ficar sem jeito de desfazer o mal entendido. Ele queria ser reconhecido. Desejava isso! E nos dias seguintes, nos encontros com Bia em Juiz de Fora, fez várias tentativas de reavivar memórias do passado nela.

 Bia se achava sem sorte, mas creio que lhe faltava um pouco de confiança em si mesma, sobrava um certo medo de ser feliz. Fazes ruins acontecem na vida de todo mundo, tudo depende da forma como encaramos essas fases.

 A amizade dela com Raíssa e Guga era tão bonita! Daquele tipo que qualquer pessoa desejou ter ao menos uma vez na vida.

 Guga era lindo, apaixonante, mas também um pouco convencido. Bia era teimosa. O que resultou num romance bem interessante. Próximo do final do livro, cheguei a ficar um pouco irritada com a protagonista, o que mais ela poderia querer que o Guga fizesse para que ela aceitasse ser feliz? Mas gostei do jeito como a autora terminou a história, fez com que os personagens evoluíssem.

 "- Atitudes irresponsáveis também dependem de decisões corajosas - disse ele. - É preciso muita coragem para fazer valer a crença de que a busca pela felicidade justifica qualquer erro. Eu, por exemplo, nunca concordei com isso." (página 304)

 A história é cheia de referências, principalmente musicais, o que me agradou bastante. Outro ponto que gostei, foi o fato da maior parte da história se passar em Juiz de Fora (cidade próxima da minha), e retratar bem o clima mineiro. Só fui à Juiz de Fora uma vez, mas ficava tentando me lembrar dos lugares que eram citados, imaginando onde as cenas teriam ocorrido. No trecho abaixo, temos uma breve descrição das montanhas mineiras. Vocês não tem noção do quanto gostei de ver a paisagem que eu tanto amo retratada em um livro. Todo mundo deveria poder apreciar as verdes montanhas e o céu intensamente azul de Minas Gerais, num dia ensolarado e com uma brisa fresca, ao menos uma vez na vida!

 "Lá longe, a paisagem se abria em ondas infindáveis de montanhas. Ondas e mais ondas de tamanhos desiguais. Ondas verdes, ondas marrons. Dava para ver o horizonte, o mar de morros encontrando o céu azul infinito. À nossa volta, as árvores espaçavam-se mais. A maior parte da vegetação se estendia rasteira, brilhante à luz do sol do meio-dia, até ficar mais rala e se misturar à areia branca, onde o verde desaparecia por completo, transformando-se numa duna. Um deserto no meio da mata." (página 153)

Livro Azar o Seu, Carol Sabar, Editora Jangada
Contrcapa do livro Azar o Seu, Carol Sabar
Sobre a escritora Carol Sabar

 Sobre a parte visual: gostei da capa, achei bem bonita, retrata com certa fidelidade os personagens principais. A diagramação está boa, com margens, espaçamento e fonte grandes. As páginas são amareladas.

 Finalizando: Azar o seu! foi uma leitura maravilhosa e que eu recomendo! Aquele tipo de livro que eu não queria que acabasse. Li os últimos capítulos bem devagar, para que pudesse passar mais tempo com os personagens. Falando nos personagens, fiquei com vontade de conhecer mais sobre a vida da Raíssa e gostei muito do pai da Bia, um amor de pessoa.

 Agora, sempre que alguém me pedir uma indicação de livro, tenho mais um para indicar. Azar o seu! me conquistou, com suas cenas engraçadas, com seu romance lindo e com uma protagonista "gente como a gente", bem real, que mora no Brasil, dirige uma Kombi, ajuda o pai no trabalho, tem medos e inseguranças, e ainda assim vive um amor e redescobre a importância da amizade.

 Detalhes: 368 páginas, ISBN: 9788564850361, ano: 2013, Skoob, leia o 1° capítulo, confira o book trailer (lindo) e a playlist (maravilhosa) no site da autora, clique aqui. Onde comprar online: AmericanasSubmarino.

 Azar o seu! foi minha escolha para o Desafio Literário Skoob de janeiro, o tema do mês era "Novinho em folha (o último livro que você comprou/ganhou/baixou/pegou emprestado)".

 Por hoje é só, espero que vocês tenham gostado da resenha. Alguém aí já leu Azar o seu! ou outro livro da autora?

 Avisos: o sorteio d'O livro do Bem está chegando ao fim, é super fácil participar. Se você ainda não se inscreveu, clique aqui e participe. Participe também da Super Promoção de Aniversário, que sorteará 45 livro para 11 ganhadores, clique aqui. E tem promoção valendo a trilogia Rock Star, da Editora Valentina, clique e participe.

Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobGoodreadsBloglovin (receba os posts do blog no seu e-mail)| Instagram.
30 comentários via Blogger
comentários via Facebook

30 comentários

  1. Aiw que livro lindo, me apaixonei pela capa rsrs
    Quero ler, fiquei apaixonada por a Historia, amo romances *--*
    Beijos ♥ O Melhor de Mim

    ResponderExcluir
  2. O livro é lindoo, que capa maravilhosa
    Faz bem o tipo de livro que gosto de ler, com certeza vai entrar na minha wishlist
    www.iamcamilakellen.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Oie,
    hahah tb adorei este livro. Achei muito divertido, claro irreal, mas mega divertido.

    bjos
    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  4. Adoro Azar o seu! <3 Nacionais sempre valem a pena \o/

    Beijos
    Passaporte Literário

    ResponderExcluir
  5. A capa é linda e a resenha de tirar o fôlego, quero ler esse livro, gosto muito de livros românticos com pitada de humor.

    http://sonhoseaventurasdeamor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oie!!
    Eu tenho muita vontade de ler esse livro da Carol, mas ainda não consegui comprá-lo :/
    Mas tá na lista, são muitas resenhas positivas! :D
    Letras & Versos

    ResponderExcluir
  7. Oi, Maria!

    Embora o livro da Carol não seja do meu gênero preferido, ouço falar muito e muito bem dele. Acho que esses chicklit nacionais sempre ganham a gente porque podemos nos identificar mais ainda com a ambientação né? (como você citou minas *-*). Adorei a resenha!

    bjos,
    Bianca

    www.blogsomaisum.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Amo livros com essa pegada mais chick-li, e tenho muita vontade de ler algo da Carol. Com certeza se encontrasse na livraria, compraria.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  9. Oi Mari! Tudo bem?

    Não tinha ouvido falar sobre o livro, mas parece bem interessante. Sua resenha ficou ótima! ♡

    Apesar do livro ter uma capa beeem feminina, parece bem interessante. Quem sabe eu não leio depois :3

    Bjs e abs,

    http://leiturasilenciosaoficial.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Oi Maria!

    Gostei da resenha, fiquei com vontade de ler, parece ser um livro bem bonitinho, do tipo que eu gosto!rs

    Aproveitando queria saber sobre o projeto, ninguém comentou nada!rs

    Vamos nos falando!

    bjaoo

    O Pequeno Lírio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, temos que ver sobre o projeto. Obrigada pela visita e comentário.

      Excluir
  11. Não é meu tipo de leitura, mas daria uma oportunidade. Parece ser um livro muito engraçado.

    http://desbravadoresdelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. Não faz meu estilo literário, mas como sempre gigo, estou sempre aberta a novas leituras!
    Obrigada pela dica,amiga!
    http://www.elianedelacerda.com

    ResponderExcluir
  13. Olá,
    Eu sempre quis ler algo dessa autora, suas obras são sempre muito elogiadas e fazem meu estilo de leitura, esse em especial é o que mais me deixa curiosa.
    Beijos.
    Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Confesso que esse livro não faz muito meu estilo, mas quem sabe um dia eu leia! kkkkkkkkkkkk A cpa é tão fofa e vejo que você amou.
    Beijos!
    Monólogo de Julieta

    ResponderExcluir
  15. Adorei a resenha! Mas eu não leria o livro por causa da capa! kkk Não gostei tanto!
    Beijo
    mundoemcartas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar :)!!! Sua opinião é muito importante para mim. Tem um blog? Deixe seu link que visitarei sempre que possível.
*comentários ofensivos serão apagados

Topo