Resenha: livro "A garota na teia de aranha", David Lagercrantz

 Olá pessoal, tudo bem? O livro da resenha de hoje é A garota na teia de aranha, escrito pelo sueco David Lagercrantz e publicado pela Companhia das Letras em 2015.

Resenha, livro, A garota na teia de aranha, David Lagercrantz, opinião, crítica, trechos, Millennium, Cia das Letras, série

 A garota na teia de aranha é o quarto livro da série Millennium, da qual já tem resenha do primeiro, Os homens que não amavam as mulheres, no blog. A série tem como personagens principais o jornalista Mikael Blomkvist e a hacker Lisbeth Salander.

 A revista Millennium, da qual Mikael é um dos donos, está passando por uma fase difícil, correndo o risco de ser controlada por um grupo que tem uma visão bem diferente sobre o que deve ser publicado. Mikael precisa de uma grande reportagem se quiser virar o jogo.

 "- Mas depois veio o escândalo.
 - Que escândalo?
 - O que começou depois que você peitou a liderança do Ove.
 - Eu não peitei nada, Erika. Simplesmente fui embora.
 Ainda deitada na banheira, Erika tomou um gole de vinho e em seguida abriu um sorriso melancólico.
 - Quando você vai entender que você é Mikael Blomkvist? - ela perguntou.
 - Achei que já tinha começado a me dar conta.
 - Pois não parece, senão você saberia que quando Mikael Blomkvist sai no meio de uma apresentação sobre a revista dele, isso se transforma num acontecimento, quer Mikael Blomkvist queira, quer não." (página 97)

 Pesquisando tudo o que tem recebido de suas fontes, Mikael se depara com o caso de Frans Balder, um cientista que alega ter tido um de seus projetos roubados. O que faz com que Mikael se interesse pelo caso, é o fato de uma hacker ter sido chamada para vistoriar o computador de Frans e ter confirmado o roubo. Pela descrição que Mikael recebeu, essa hacker só pode ser Lisbeth, a quem ele não vê já faz algum tempo. E se ela está envolvida, há a possibilidade de  Mikael ter algum bom assunto sobre o qual escrever.

 "Mesmo que existissem poucos indícios e as provas fossem um tanto questionáveis, havia sinais bastante claros de que uma tecnologia ocidental tinha sido roubada e ido parar na mão dos russos." (página 173)

 Na noite em que Mikael vai encontrar Frans, acontece um crime, e a única testemunha que talvez possa ter alguma informação importante é August, filho de Frans, mas o menino é autista e não se comunica verbalmente. August tem um talento especial: é capaz de fazer desenhos perfeitos, é como se algumas cenas fossem fotografadas em sua memória e depois ele as passasse para o papel com riqueza de detalhes. Saber que ele poderia desenhar o rosto do criminoso é uma esperança para a polícia, mas também um risco para os criminosos que precisam eliminá-lo.

 Quem protegerá August? É aí que Lisbeth precisa sair detrás dos computadores e entrar em ação. Só que em seu último trabalho, ela invadiu o sistema da NSA, a agência de segurança (e espionagem) dos Estados Unidos, deixando alguns profissionais da agência bem bravos e encontrando arquivos super sigilosos.

 O que os desenhos de August e os arquivos da NSA tem em comum? Será que vão render mais um furo de reportagem para a Millennium? O que Lisbeth estava procurando na NSA? Será que ela seria pega pela polícia?

 "Lisbeth Salander estava satisfeita por ter feito uma nova descoberta sobre o grupo criminoso que andava rastreando, e porque agora havia obtido provas concretas de uma ligação que antes não passava de uma suspeita. Guardou tudo para si e se surpreendeu ao ver que seus colegas realmente acreditavam que ela havia hackeado o sistema apenas por mero capricho.
 Ela não era nenhuma adolescente com hormônios à flor da pele, nem uma idiota com necessidade de se exibir. Quando se arriscava nesse tipo de ação, tinha sempre um objetivo concreto em mente, mesmo que o hacking, em casos isolados, também fosse para ela uma ferramenta de outro tipo. Nos piores momentos de sua infância, tinha sido também uma maneira de fugir e de levar uma vida um pouco mais livre. Com a ajuda dos computadores, ela ultrapassou muros e barreiras que de outra forma teriam permanecido intransponíveis e viveu momentos de liberdade. E com certeza havia também uma boa medida desses sentimentos em tudo que acontecia agora.
 Mas, acima de tudo, Lisbeth Salander estava em uma caçada que havia começado desde o instante em que ela acordara de um sonho em que uma mão batia com movimentos rítmicos e insistentes contra um colchão na Lundagatan." (páginas 85 e 86)

 Os três primeiros livros foram escritos por Stieg Larsson, que faleceu em 2004, antes de a trilogia ser lançada e se tornar um sucesso. Em 2015, David Lagercrantz continuou a história e havia a dúvida se ele conseguiria manter o nível da série ou não. Para mim, havia ainda a expectativa de conseguir ou não aproveitar a leitura, já que eu ainda não li o segundo e o terceiro livro da série. O que afirmo é que A garota na teia de aranha superou minhas expectativas!

 Senti que no quarto livro a história ganhou um ritmo mais acelerado do que no primeiro, já foi possível ver logo de cara do que se tratava a trama (pontos positivos), talvez por os personagens principais e o cenário já serem conhecidos.

 Na narrativa de David Lagercrantz, o foco muda bastante de personagem, enxergamos a história tanto pelo ponto de vista dos protagonistas quanto dos vilões e de alguns personagens secundários. No primeiro livro, creio que o foco estava mais concentrado.

 Fiquei contente ao perceber que David Lagercrantz manteve uma das melhores características de Stieg Larsson: não deixar as personagens femininas em segundo plano. Em A garota na teia de aranha não são só os homens que tem cargos importantes, as mulheres também tem. Não se trata de superioridade de um gênero, e sim de igualdade, de representatividade, e isso é muito importante.

 E Lagercrantz tem uma capacidade admirável para criar bons personagens, daqueles que nos conquistam (mesmo que depois ele mate alguns e nos deixe revoltados).

A garota na teia de aranha
A garota na teia de aranha (1)
Resenha, livro, A garota na teia de aranha, David Lagercrantz, opinião, crítica, trechos, Millennium, Cia das Letras

 Achei a capa super bonita, a diagramação está ótima, com margens, espaçamento e letras de bom tamanho. As páginas são amareladas e a revisão também está boa.

 Enfim, A garota na teia de aranha é um livro que gostei e que recomendo. Uma trama que fala sobre jornalismo, espionagem, tecnologia, autismo, violência doméstica e muito mais, de forma ágil e atual.

 "- Será que era para ser assim, Sonja?
 - O que você quer dizer?
 - Todo mundo com receio de escrever ou de dizer alguma coisa com medo de estar sendo espionado." (página 282)

 Ah, eu pretendo ler os volumes que faltam assim que puder. Millennium é uma série que quero ter completa na minha estante. Não encontrei dificuldade por não ter lido os dois livros anteriores, só acho que quando for lê-los, já saberei muita coisa do passado da Lisbeth. E parece que vem um quinto livro por aí.

 Detalhes: 472 páginas, ISBN-13: 9788535926101, Skoob. Onde comprar online: Submarino, Americanas.

 Por hoje é só, espero que tenham gostado da resenha. Alguém aí já leu o livro ou outro da série?

 Participem da Promoção de Halloween e concorra ao sorteio de 5 super kits de livros.

Até o próximo post!

Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobGoodreadsBloglovin (receba os posts do blog no seu e-mail)| Instagram.
17 comentários via Blogger
comentários via Facebook

17 comentários

  1. Eu tenho muita vontade de ler os três primeiros livros, mas acho que ter assistido os primeiros filmes me barrou. Espero conseguir ler um dia... Gostei da representatividade que você citou! Isso é muito importante!

    http://www.livrologias.com/

    ResponderExcluir
  2. Tenho medo de ler esse livro!
    Achei desnecessário eles fazerem uma continuação da trilogia. Apesar da sua resenha deixar clara que a continuação foi bem escrita e teve bons peresonagens, mesmo assim não sei se quero ler.

    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
  3. Olá :) Ótima resenha! ;) Nunca li livros da série "Millennium", gostei bastante do enredo de "A garota na teia de aranha", pois, aborda assuntos interessantes. Fiquei com vontade de conhecer os livros/escrita dos autores. :) A capa é linda! Beijos!
    Blog: http://my-stories-wonderful-books.blogspot.com.br/
    Página: https://www.facebook.com/BlogWonderfulBooks/

    ResponderExcluir
  4. Muito boa a sua resenha! Confesso que nunca ouvi falar desse livro e é mesmo é muito linda essa capa... Estou um pouquinho curioso para ler, um dia pretendo adquiri-los.

    Atenciosamente Um baixinho nos Livros.

    ResponderExcluir
  5. Oi, tudo bem?
    Tô bem feliz em ler sua resenha, já que acabei de terminar a leitura de Os Homens que Não Amavam as Mulheres e amei o livro!
    Estou ansiosa para ler o 2° e o 3° livro que eu já tenho aqui e espero em breve adquirir o 4°.

    Beijos :*
    http://www.livrosesonhos.com/

    ResponderExcluir
  6. Fiquei curiosa para ler
    boa dica!
    Beijos
    www.jessicarcoelho.com

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Confesso que não tô muito animada para ler esse livro porque não curto essa coisa de um outro autor continuar a série =/ Acho que é porque a trilogia é tão incrível que imagino que não vá ficar a altura. De qualquer forma, futuramente devo conferir essa obra.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. UAU. não sabia que haveria 'pano pra manga' pra mais um na série... *-*
    isso muito me anima.... eu tbm só li o primeiro, mas pretendo ler esse depois que terminar a trilogia...
    Legal saber que o autor coloca as mulheres em pé de igualdade na trama ^^

    ResponderExcluir
  9. Oie!
    Eu estou louca para iniciar essa série. E o fato de ela ser lenta me desanimava um pouco.
    O fato desse livro ser um ritmo acelerado e de haver essa igualdade entre homens e mulheres,me animou.
    Beijos!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Oi, tudo bem?
    Eu confesso que imagino que essa série deva ser realmente interessante e que a mesma me conquistaria, mas como não é o gênero que costumo ler, eu não tenho planos de ler tão já, sabe? Mas gostei muito da sua resenha, a mesma me deixou mais curiosa ainda com esses livros.

    Beijos :*
    Larissa - srtabookaholic.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Eu ainda não li nada da série Millennium, me sinto envergonhada! Apesar de andar fugindo de séries e afins, acredito que essa seja uma válida, quero ler todos.

    ResponderExcluir
  12. Olá! Bem eu tenho essa curiosidade em relação aos livros da série, sempre fui fascinada e depois de observar tópicos sobre o filme fiquei ainda mais atiçada para ler.
    Como não sei qual é a escrita do autor original não posso dizer muito sobre a obra, mas pelo visto o novo agradou e muito o povo.
    https://k-secretmagic.blogspot.com
    Xoxo

    ResponderExcluir
  13. Confesso que tentei ler Os homens que não amavam as mulheres umas duas, talvez três vezes, mas para mim não fluiu. Mas sem tirar os créditos do livro, acredito que foi em razão de eu não ser fã do gêneros policiais. Quem sabe um dia não me animo e volto a tentar. As novas capas estão muito lindas!

    http://umreinomuitodistante.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Wow, acredita que NUNCA PERCEBI que esse livro foi escrito por outro autor?! E nunca soube que o autor original da série havia falecido, muito menos que o acontecido tenha ocorrido antes de ele ver o seu próprio sucesso em ascensão. Que pena, que triste. :( Eu gostei muito da sua crítica, flor. Achei ótimo saber que o autor em questão soube manter certas características do criador da série.

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Hey,
    Eu nunca li nenhum dos livros da série Millenium, mas tenho muita curiosidade. Parece ser uma série que me agradaria muito. Quando foi anunciada essa continuação tive muitas dúvidas se iria dar certo ou não, mas é legal que o novo autor tenha conseguido continuar com características dos outros livros nesse quarto. Espero ter a chance de ler todos eles.
    Beijos,
    Dois Dedos de Prosa

    ResponderExcluir
  16. Olá, mesmo você achando que não teve dificuldade sem ler o segundo e o terceiro livro, creio que fará uma grande diferença quando você entender a relação entre Mikael e Lisbeth, como gostei muito do final do terceiro livro não pretendo ler esse ou outra continuação.
    Debyh
    Eu insisto.com.br

    ResponderExcluir
  17. Oi!
    Eu abandonei a série no livro 2, achei que não tinha necessidade do 3, mas isso foi a muitos anos atras, e hoje fico com muita preguiça de ler ela de novo hahahaha.
    Que bom que o novo autor soube manter as mesmas caracteristicas de escrita do Stieg, isso é muito importante para os fãs da série.
    www.gordinhaassumida.com.br

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar :)!!! Sua opinião é muito importante para mim. Tem um blog? Deixe seu link que visitarei sempre que possível.
*comentários ofensivos serão apagados

Topo