Resenha: livro "A invenção de Morel", Adolfo Bioy Casares

 Olá pessoal, tudo bem? Na resenha de hoje venho comentar sobre minha experiência de leitura com "A invenção de Morel", livro escrito pelo argentino Adolfo Bioy Casares, lido na edição da Coleção Folha Grandes Nomes da Literatura de 2016.

Resenha, livro, A-invencao-de-Morel, Adolfo-Bioy-Casares, capa, opiniao, colecao-folha, trecho, blog-literario, petalas-de-liberdade

 Narrada em primeira pessoa, a história é uma espécie de diário onde um homem condenado à prisão perpétua relata seus dias na ilha deserta para onde fugiu. Na ilha havia três construções abandonadas: um museu, uma igreja e uma piscina. Havia rumores sobre uma misteriosa doença na ilha, mas tudo o que o fugitivo queria era escapar da prisão e ele não deu ouvido a esses rumores.

 "A vida de fugitivo deixou meu sono mais leve: tenho certeza de que não chegou nenhum barco, nenhum avião, nenhum dirigível. No entanto, de uma hora para o outra, nesta abafada noite de verão, o capinzal do morro se cobriu de pessoas que dançam, passeiam e nadam na piscina como veranistas que estivessem instalados faz tempo em Los Teques ou em Marienbad." (página 8)

 O narrador estava lidando como podia com as dificuldades do local isolado, até que, um dia, misteriosamente, apareceram pessoas na ilha. O fugitivo ficou desesperado com a possibilidade de ser descoberto por elas e enviado para a prisão, imaginando que o fato de aquelas pessoas parecerem não estar procurando-o poderia ser uma armadilha para que se aproximasse. Será que o narrador vai conseguir se manter escondido? Por quanto tempo aqueles visitantes permanecerão na ilha? O fugitivo será vencido pela solidão e sucumbirá a vontade de se aproximar? E, principalmente, quem são aqueles visitantes tão peculiares?

 Comprei esse livro pelo fato de alguns canais que acompanho terem falado sobre ele (embora eu não me lembrasse se bem ou mal) e pela sinopse que o descreve como "clássico da ficção científica latino-americana que inspirou Lost" (seriado que não cheguei a assistir, mas a sinopse do livro me deixou curiosa).

 Imaginei mil e uma possibilidades que justificassem o aparecimento das pessoas na ilha e o fato de elas não notarem a presença do fugitivo. Minha primeira hipótese foi a de que as pessoas seriam uma alucinação causada por raízes que o fugitivo usava para se alimentar. Mas, como é dito na sinopse, tudo está relacionado com uma máquina inventada por um tal de Morel e uma espécie de imortalidade por meio de imagens. Talvez vocês também já estejam criando suas próprias teorias ou até tenham descoberto o motivo de as outras pessoas na ilha estarem alheios aos narrador, mas lhes garanto que serão muito surpreendidos ao compreenderem a história toda. Eu fiquei chocada com a invenção que dá nome ao livro, discordo fortemente da validade do tipo de imortalidade mostrado na obra e não queria de forma alguma ser amiga desse tal de Morel, é apavorante o que ele foi capaz de fazer, ainda que tenha certa lógica.

 "Já é hábito de minhas mais lúcidas teorias se desfazerem no dia seguinte, ficando apenas como provas de uma espantosa combinação de inépcia e entusiasmo (ou desespero). Talvez minha ideia, uma vez escrita, perca a força." (página 78, o leitor também vê cada uma de suas teorias sendo desfeitas juntamente com as do narrador)

 É um livro curto, com menos de cem páginas, mas talvez por eu ter lido antes de dormir, tenha me dado sono (agora tenho um livro para usar como resposta em tags que peçam "livro que deu sono"). A linguagem é um pouquinho difícil, com algumas palavras pouco comuns, mas é uma leitura cativante. É uma história onde somos conduzidos pelo narrador de forma a ficarmos mais curiosos a cada página, imaginando mil e uma teorias que expliquem o que está acontecendo, torcendo para que nossas piores previsões não se concretizem, e quando a verdade vem à tona, é impossível ficar indiferente. Então, é sim uma leitura que recomendo, tanto para quem gosta de ficção científica quanto para quem não leu nada do tipo ainda.

Resenha, livro, A-invencao-de-Morel, Adolfo-Bioy-Casares, capa, opiniao, colecao-folha, trecho, blog-literario, sinopse
Resenha, livro, A-invencao-de-Morel, Adolfo-Bioy-Casares, lost, colecao-folha, trecho, blog-literario, petalas-de-liberdade

 A edição tem uma capa com uma ilustração abstrata, páginas amareladas, boa revisão, diagramação com letras, margens e espaçamento de bom tamanho.

 "Talvez todo esse empenho higiênico em não esperar seja um pouco ridículo. Não esperar da vida, para não arriscá-la; dar-se por morto, para não morrer. De repente isso me pareceu um letargo pavoroso, inquietíssimo; quero que acabe. Depois da fuga, depois de ter vivido sem atentar a um cansaço que me destruía, conquistei a calma; minhas decisões talvez me devolvam a esse passado ou aos juízes; são preferíveis a este longo purgatório." (página 20)

 Detalhes: 88 páginas, ISBN-13: 9788579492891, Skoob. Edições disponíveis na Amazon:


 Por hoje é só, espero que tenham gostado da resenha de hoje. Me contem: já conheciam o livro ou o autor? Gostam de histórias sobre pessoas em ilhas (não tão) desertas?

 ♥ Clique e confira também a resenha de "O curioso caso de Benjamin Button", de F. Scott Fitzgerald, outro livro da coleção Folha Grandes Nomes da Literatura.

 ♥ Confira o post sobre o desafio de ler 30 livros em janeiro.

 Estamos com 7 sorteios ativos, é a sua oportunidade de ganhar muitos livro, confira todos na barra lateral do blog (se estiver pelo celular, vá até o final da página e clique em visualizar versão para a web). Aproveite!

Até o próximo post!

Me acompanhe nas redes sociais:

22 comentários

  1. Oi!
    Eu adorei o livro a capa é uma graça, a história é bem interessante

    ResponderExcluir
  2. good post 😊 would you like to follow each other? if the answer is yes, please follow me on my blog & i'll follow you back. https://camdandusler.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Tudo bem? Não lembro de ter visto qualquer outra resenha desse livro. Achei a premissa interessante, é a capa está bastante convidativa aos meus olhos. Adoro quando uma leitura desperta curiosidade em mim a ponto de eu ficar imaginando teorias.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Olá!! :)

    Eu confesso que não conhecia este livro! :) Ainda bem que gostaste, mesmo que com alguns inconvenientes.

    Essa curiosidade toda me incentiva, mas e pena que a linguagem seja difícil e O livro acabe por aborrecer por vezes…

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem? Não conhecia a obra, mas como uma pessoa que aos poucos está desbravando os clássicos da ficção científica, com certeza dica anotada. Gostei dessa comparação dele como inspiração para Lost (o qual curto), me deixando bem curiosa em lê-lo. Ótima resenha e adorei a história dele ter te dado sono hahah
    Beijos,
    https://diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Oi,tudo bem ?

    Não conhecia o livro, mas me interessei bastante por toda a proposta assim como os trechos destacados chamam a atenção. Gosto bastante de livros na forma de diários, nos faz entender melhor o personagem. Com toda certeza é uma ótima indicação.

    ResponderExcluir
  7. Fiquei me perguntando o pq surgiram pessoas nessa ilha hahaha, eu achei essa coleção lindinha e fiquei curiosa com essa história. Ela parece ser bem reflexiva!

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  8. Caramba, Mari.
    Ainda não conhecia esse livro, mas fiquei doida para saber o que acontece nessa história!! A edição é linda e parece mesmo que vale a pena dar uma chance!!
    Obrigada pela dica!
    beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  9. Eu não conhecia o livro e gostei bastante da proposta dele. Ache legal poder conferir a sua resenha e ver a sua sinceridade, espero ter a oportunidade de realizar a leitura em breve, acho que seria uma boa experiência para mim.

    ResponderExcluir
  10. Olá, Mari.

    Comecei a ler sua resenha achando que era uma biografia, socorro kkkkkk
    Eu assisti Lost quando era bem novinha e amava a série. Não sabia da existência desse livro, mas já fiquei curiosa em realizar a leitura. Ele é bem curtinho, então deve ser uma leitura rápida. Dica anotada!

    ResponderExcluir
  11. Olá não conhecia o livro mais pela premissa, acredito ter sido uma leitura intensa, mesmo com uma escrita mais difícil acredito que vale a pena ler, beijos!

    ResponderExcluir
  12. Oi Mari!
    Não conhecia o livro nem a autora, gostei da trama e adoro ficção cientifica, parabéns pela resenha fiquei curiosa sobre a trama, percebi que gostou bastante dessa leitura, dica anotada. Bjs!

    ResponderExcluir
  13. Eu tenho toda essa coleção, mas ainda não li nenhum, acredita? É uma das metas do ano, ler pelo menos metade. E fiquei interessada nesse livro em especial, acho que vai ser o primeiro que vou ler. Adoro Lost e fiquei curiosa para saber dessa pegada da obra.
    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu sonho ter toda a coleção! Comprei os que consegui numa feira do livro.

      Excluir
  14. Muito interessante! Não conhecia nem o livro nem o autor, mas amei conhecer.
    Fiquei bastante intrigada com esse enredo, já quero descobrir a resolução desse mistério.
    Assisti Lost e gostei bastante, então realmente fiquei bastante interessada.
    Obrigada pela indicação!
    Beijos

    ResponderExcluir
  15. Oi Mari,
    Não conhecia o livro, e confesso que só de ler sua resenha já comecei a pensar nas hipóteses hahaha, ele me lembra um filme que assisti com o Leonardo Di Caprio, onde ele investiga um caso em uma manicômio e depois descobre que ele mesmo é um dos pacientes. Gostei da premissa, quem sabe eu não me aventura!!
    Obrigada pela dica.

    ResponderExcluir
  16. Olá!
    Eu não tenho muito costume de ler clássicos, mas esse ano estou me jogando em algumas propostas. Por ser um livrinho curtinho não descarto a possibilidade de vir a conhecer e espero que a narrativa que por vezes foi lenta não me desanime.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  17. Olá, tudo bem?

    Essa coleção é linda, super caprichada e conta com ótimos títulos. A invenção de Morel é um belo livro, gostei da sua resenha, parabéns!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  18. Olá!

    Confesso par a ti que não conhecia esse livro, apesar do que você falou, acredito que esse livro de fato não seja para mim, primeiro, Pôr que não gosto de ficção científica e segundo, uma leitura mais lenta, mesmo que seja curta, não me chama muito a atenção.

    Beijos

    ResponderExcluir
  19. As edições dessa coleção são lindas demais, eu tenho uma mas sou doida para colecionar várias. Eu conheço o nome desse livro mas sei pouco sobre sua história, pelas coisas que você comentou eu fiquei bem curiosa para ler e desvendar esse mistério.

    Beijos, Gabi
    Reino da Loucura | Instagram

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar :)!!! Sua opinião é muito importante para mim. Tem um blog? Deixe seu link que visitarei sempre que possível.
*comentários ofensivos serão apagados

Topo