Resenha: livro "#Acredite", Eliane Quintella

 Olá pessoal, tudo bem? Na resenha de hoje, venho comentar sobre minha experiência de leitura com o livro "#Acredite", escrito pela Eliane Quintella e publicado em 2019.

Resenha, livro, Acredite, Eliane-Quintella, capa, foto, opiniao, critica, trecho, quote, blog-literario-petalas-de-liberdade, blog-petalas-de-liberdade

 "Tinha que poder sofrer em paz. Tristeza para nós não era bem-vinda e não queria ser relembrada disso. Lá de longe dava para ver a terra dos Lalulis, ela circundava nosso gueto. Havia muito mais Lalulis que Braites no mundo. Era tudo cinza, bege, e marrom no mundo dos Lalulis como se cores e outras pequenas alegrias fossem futilidades exclusivas dos Braites. Papai falava que eles desdenhavam nosso modo de viver, pois, na verdade, queriam ser como nós, mas não podiam. Eu não sabia de nada, mas não achava que fazia muito sentido." (página 16)

 A história se passa num mundo mágico habitado por Braites e Lalulis. Braites conseguem fazer magias incríveis, construir coisas inimagináveis, como casas flutuantes; mas, para isso, devem evitar qualquer sentimento ruim, qualquer tristeza ou sofrimento que possa diminuir seus níveis de energia. Já os Lalulis só conseguem fazer magias bem simples, tendo vidas mais difíceis, conhecendo o sofrimento e a tristeza, e não precisam manter sempre o bom humor.


 "Éramos somente nós que podíamos fazer a verdadeira magia, só nós que éramos felizes e que vivíamos a vida que queríamos viver. Os Lalulis nunca conseguiam fazer a verdadeira magia. Bom, é claro que eles levantam copos, tiram bichos da cartola e coisas assim, mas transformar a realidade de acordo com a vontade deles, isso eles nunca conseguiram fazer.
 Mamãe diz que é porque eles são diferentes de nós, não têm nosso poder. Eu nunca falei para ela, mas acho isso ridículo. É lógico que eles não têm nosso poder, isso é óbvio. Mas a questão é: por que eles não têm nosso poder? O que aconteceu a eles? Sobre isso, especulações não faltam, nem teorias, mas o que a maior parte dos magos acredita, sejam Braites ou Lalulis, e não é bonito de se ouvir, é que eles são de uma classe inferior, por terem menos poderes. E é isso que eu acho cada vez mais difícil acreditar. É só olhar para Raul para ver que ele é melhor que muito Braite por aí. Ele é perfeito!" (página 12)

 A narradora é Pamela, uma garota Braite de 16 anos, que está apaixonada por Raul, um Laluli que estuda na mesma escola que ela. Porém, relacionamentos entre Braites e Lalulis não são incentivados, pois normalmente o Braite se enfraquece quanto ama um Laluli, é como se o Laluli sugasse a energia do Braite e deixasse praticamente igual a um Laluli, e como seres acostumados a resolver qualquer problema com magia conseguiriam viver sem ela?

 "- Pam, já te disse, você não pode se envolver com esse garoto. Um Braite não pode se envolver sentimentalmente com um Laluli. Estou falando sério, minha filha. Toda vez que acontece é inevitável: o Laluli suga energia do Braite e o enfraquece. Filha, você pode baixar tanto sua força que tudo que conseguirá é levantar copos." (páginas 14 e 15)

 Mas Pam não se conforma com essa impossibilidade de poder viver seu amor com Raul, ela vai procurar um jeito de quebrar antigas regras que não fazem nenhum sentido para ela, mas será que Pam está preparada para aguentar as consequências de seu amor?

 "(...) E não acredito que gostar de alguém devia ser ruim. Essa regra não tem lógica. Se tudo que queremos sentir é alegria e amor, nunca devíamos recriminar esse sentimento. Devia ter alguma saída, devia ter..." (página 34)

 "Raul tinha a garota que amava, viveria onde sempre viveu. Eu, por outro lado, fui excluída da vida dos Braites, dos meus pais e amigos, da minha própria casa e tinha a mesma magia que um Laluli qualquer... E tudo isso só com dezesseis anos." (página 57)

 "#Acredite" é um livro curtinho no número de páginas, e de leitura rápida e fluida. Eu achei muito interessante o mundo criado pela Eliane Quintella. Aos poucos, vamos descobrindo as características de cada povo, e o preço que é cobrado de cada um deles por serem como são. Confesso que queria ter visto mais dos Lalulis para entender seu modo de vida, mas como a narração é feita por uma Braite, acabamos conhecendo mais sobre eles e como tentam criar uma bolha protetora em torno de si para evitar as tristezas, e a gente sabe que viver fugindo dos problemas não é viver de verdade.

 "Tristezas não eram comuns para Braites, era quase um tabu, eles não sabiam nem o que falar para mim, só ficaram me olhando." (página 34) 

 O livro passa mensagens bem interessantes sobre o que conseguimos fazer quando acreditamos em nossos sonhos e em nós mesmos, sem nos prendermos às regras e imposições da sociedade, além de falar sobre essa impossibilidade de vivermos só os sentimentos bons; as dificuldades nos tornam mais fortes, nos fazem aprender.

 "#Acredite" é um dos livros que quero guardar para que minha sobrinha leia futuramente, ele traz um amor bem adolescente que certamente vai encantar leitores dessa faixa etária, mas também é uma leitura que consegue cativar leitores adultos, como foi o meu caso. Achei muito acertada a forma como, ao longo dos capítulos, a autora fez a história que começou como um amor proibido entre adolescentes, crescer e se desenvolver, tornando-se a história de uma sociedade que foi transformada por dois jovens que ousaram acreditar no amor para superar as diferenças. Não vou falar muito sobre essa transformação para não tirar a surpresa para quem ainda for ler.

  "Era tudo o que me apoiava e tinha. Só meu amor. Eu rogava aos sábios magos da antiguidade para ele ser suficiente." (página 57)

 Destaco também o quanto gostei da forma como os relacionamentos familiares foram abordados, as atitudes dos pais de Pam me surpreenderam muito, mas fez sentido dentro do que eles eram.

Resenha, livro, Acredite, Eliane-Quintella, capa, sinopse
Resenha, livro, Acredite, Eliane-Quintella, foto, trecho, diagramacao
ilustracao, livro, Acredite, Eliane-Quintella,

 A edição é linda e cheia de detalhes, tem uma capa muito bonita, páginas amareladas, ilustrações, diagramação com letras, margens e espaçamento de bom tamanho, e a revisão está boa (só acho que algumas vírgulas poderiam ter sido colocadas, mas é só meu gosto mesmo, não encontrei grafias incorretas).

 "- Não foi pela magia que cheguei aqui - respondi séria. - Foi porque eu acreditei, sofri, sofri de novo e me superei." (página 123)

 Enfim, fica a minha recomendação para quem procura uma leitura rápida e envolvente, com um romance adolescente capaz de mudar um mundo, que traz mensagens sobre ver além das diferenças e sobre acreditar.

 Detalhes: 160 páginas, Skoob. Acompanhe a autora nas redes sociais: Facebook, Instagram. Curiosidade: #Acredite foi o vencedor do The Wattys 2018 na categoria The Heartbreakers. Clique para comprar no Mercado Livre. Clique para comprar na Amazon (disponível no Kindle Unlimited):

 Por hoje é só, espero que tenham gostado do post. Me contem: já conheciam o livro ou a autora? Gostam de histórias que envolvam magia e povos diferentes?

DICA: está rolando uma promoção de 3 meses da assinatura do Kindle Unlimited por apenas R$1,99, a promoção é válida até 31 de outubro de 2019, aproveite no link: https://t.co/QWnAPxtlka .

Até o próximo post!

Me acompanhe nas redes sociais:

15 comentários

  1. Oi.
    Tenho uma vontade absurda de ler esse livro, só pela capa. Pois assim, lia muitas resenhas, mas nenhuma chegava num ponto interessante, só falava do mundo mágico criado pela autora. Mas não chegavam a comentar os temas abordar e tão pouco alguma moral de história.
    Parece um livro lindo e bem escrito

    ResponderExcluir
  2. Adorei sua postagem de hoje, sempre estou aqui acompanhando seu blog. Tenho aprendido muitas coisas legais aqui e te agradeço por compartilhar...

    Beijos 😘.

    Meu Blog: Dicas da Web

    ResponderExcluir
  3. Olá, adorei sua resenha e abordagem do livro me parece uma história muito bem desenvolvida, fora que a edição está lindíssima!

    ResponderExcluir
  4. A postagem ficou linda, a capa do livro é muito fofa e suas impressões me convenceram que esse enredo provavelmente me agradariam. Dica mais que anotada.
    Amei vc dizer que vai indicar a leitura a sua sobrinha, também faço isso!!!

    ResponderExcluir
  5. Oi Maria.

    Mesmo achando sua resenha muito legal de ler, este livro não despertou meu interesse. Vou deixar para pegar outra dica na próxima visita ao blog, pois é difícil eu gostar de romance adolescente.

    Bjos

    ResponderExcluir
  6. Oi, Mari.
    Li esse livro há alguns meses e achei super gracinha.
    É um livro para leitores mais novos e acontece muita coisa que pode parecer meio exagero, mas no geral gostei muito da escrita da autora! Adorei as boas mensagens passadas nessa história!
    Beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  7. Oi Mari1
    Também li e resenhei esse livro, nunca vou esquecer do que se trata a história, desigualdade e preconceito, mas o que o amor pode fazer é quebrar as barreiras de tudo e o que mais me chamou a atenção é a segurança e a decisão do casal em passar por todas as dificuldades, foi lindo. Parabéns pela resenha, estou aqui coçando a mão para pegar o livro de novo e lê-lo. Bjs!

    ResponderExcluir
  8. Olá!

    Já tinha visto esse livro algumas vezes no Facebook e na Amazon, mas não fazia ideia do que se tratava. Gostei bastante da premissa e de saber a sua opinião, vou guardar a dica para um momento que precise de uma leitura rápida e leve.

    Beijoa

    ResponderExcluir
  9. Estou vendo tantas pessoas comentando sobre essa obra que estou realmente curiosa para conhecer. Achei incrível a forma como você contou e principalmente a mensagem do livro sobre os sonhos. A gente precisa disso, né? Adorei sua resenha e esse livro já está na minha wishlist!

    Beijos,
    Blog PS Amo Leitura

    ResponderExcluir
  10. Olá Mari!!!
    Eu já tinha lido uma resenha acerca do livro e tinha ficado bastante interessada e curiosa sobre essa magia e esses povos diferentes que não podem se envolverem.
    Eu gostei muito da resenha e achei maravilhoso conhecer mais detalhes acerca da mesma.
    Já está adicionada na minha lista de leitura.

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Oi, Mari! Gostei da trama, curti essa ideia sobre abrir mão de algo que sempre esteve presente na vida da gente para viver um grande amor.
    bjos
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  12. Olá, não sabia que esse livro trazia um mundo diferente, gostei disso. Achava que era apenas mais um romance. Achei isso interessante!!! E ainda traz assuntos para refletir... Muito bacana!

    ResponderExcluir
  13. Olá,
    tenho lido resenhas maravilhosa desse livro. Fiquei bem interessada em conhecer melhor esse universo tão peculiar. Olhando apenas a capa é de se pensar que trata-se de um romance comum, mas fico contente em saber que é uma fantasia, a cada dia que passa me apaixono mais e mais por esse gênero. Quanto a capa, concordo com você, é belíssima.

    Abraços!
    Nosso Mundo Literário

    ResponderExcluir
  14. Oi, tudo bem?
    Eu confesso que ainda não conhecia esse livro, mas achei a premissa bem interessante e parece ser uma leitura com mensagens muito bonitas. Além disso, achei a capa linda e dá ainda mais vontade de ler.
    Adorei a resenha e vou anotar a dica.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  15. A premissa desse livro me deixa muito curiosa, eu acredito que seja uma leitura que vá me agradar bastante e espero ter a oportunidade de ler em breve. Gostei bastante da sua resenha

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar :)!!! Sua opinião é muito importante para mim. Tem um blog? Deixe seu link que visitarei sempre que possível.
*comentários ofensivos serão apagados

Topo