segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Resenha: livro "Uma canção para Jack", Celia Bryce

     Olá pessoal, tudo bem? O livro da resenha de hoje é "Uma canção para Jack", escrito pela inglesa Celia Bryce e publicado no Brasil pela Editora Vergara & Riba.

Celia Bryce - Uma canção para Jack

     Megan Bright tinha 13 anos e levava uma vida comum: estudava, tinha amigas e jogava futebol. Até que os médicos descobriram um tumor em seu cérebro, um câncer. Em sua primeira internação no hospital para fazer quimioterapia, ela ficou frustrada ao saber que teria que ficar na barulhenta e excessivamente colorida ala infantil, junto com várias crianças e bebês. No mesmo dia, Jack apareceu em seu caminho, grandalhão e sorridente.
     Jack era outro paciente com câncer, o único adolescente da ala infantil até então. Um garoto muito bagunceiro e que vivia deixando a equipe do hospital de cabelo em pé.

     "- Vai dar confusão - disse ela, finalmente.
     - De novo? - Jack suspirou de um jeito dramático, apoiou-se nos cotovelos e levantou. Olhou para Megan mais uma vez. - Mas ninguém está prestando a menor atenção - continuou. - Que sentido faz quebrar todas as regras se ninguém te pega?" (página 136)

     Inicialmente, Megan não gostou de Jack, ele era intrometido e esquisito. Mas com a convivência, ela foi pouco a pouco se encantando pelo garoto (assim como eu). Apesar de se meter em confusão constantemente, o garoto parecia ser querido por todos: pelas crianças doentes, pelos familiares delas e pelos funcionários da ala infantil. Isso se devia ao fato de ele ser dono de um sorriso encantador, ter um otimismo e um alto astral contagiantes.
     Jack era um contador de histórias, principalmente de terror. Era um incentivador e um companheiro. Ele tornou mais fáceis os difíceis dias que Megan enfrentou após seu diagnóstico. Ela, por sua vez, também deu a ele um pouco mais de alegria.

     "Jack olhou para o teto, balançando a cabeça como se estivesse contando ou cantando para si mesmo. Ele fazia muito isso, parecia que sempre estava tocando música na cabeça dele." (página 111)

     Jack merecia  não apenas uma, mas todas as canções que se pudessem compor!

    A primeira vez que li a sinopse de "Uma canção para Jack", pensei que o livro pudesse ser parecido com "A Culpa é das Estrelas", do escritor John Green. Me enganei! "Uma canção para Jack" tem sim algumas semelhanças com "A Culpa é das Estrelas": é tão emocionante quanto, fala sobre adolescentes com câncer (assim como tantos outros livros escritos antes destes). Mas em momento algum da leitura me lembrei de "A Culpa é das Estrelas".
     Os protagonistas são bem mais jovens e muito mais reais do que os criados por John Green. Hazel e Gus viveram um sonho, Megan e Jack viveram a realidade que muitos adolescentes (inclusive brasileiros) devem estar vivendo hoje, nos hospitais especializados no tratamento do câncer.

     O livro é narrado em terceira pessoa, a narração se foca muito mais no que acontece com Megan do que no que acontece com os outros personagens. Senti falta de saber um pouco mais sobre o que os outros personagens pensavam e sentiam.
     Na parte visual, "Uma canção para Jack" é um dos livros mais bonitos que tenho. A colorida capa me encantou desde a primeira vez que a vi. O chapéu, o gato e os chinelos da contracapa são desenhos de elementos presentes na história. As folhas são amareladas, na parte de baixo de cada página de numeração ímpar tem a ilustração de um gatinho, um detalhe muito fofo. As letras e o espaço entre uma linha e outra são de um tamanho bom. Achei a margem externa menor do que a da maioria dos livros que leio.

Capa do livro Uma canção para Jack, Celia Brice
Contracapa e sinopse do livro Uma canção para Jack - Celia Bryce
Primeira página de Uma canção para Jack

     Uma confissão: "Uma canção para Jack" tem partes emocionantes, principalmente nos capítulos finais. Terminei a leitura sem derramar uma única lágrima. Li o que a autora escreveu sobre a origem de sua inspiração para criar a história. Fechei o livro e aí as lágrimas rolaram. Não chorei de tristeza, chorei porque as lágrimas precisavam sair para que eu pudesse seguir em frente, chorei porque me sentia perdida, ilhada e fraca, e as lágrimas podiam me libertar e me trazer de volta.
     Um trecho do que ela escreveu:
     "Todo mundo se sente perdido de vez em quando, como um náufrago que chega a uma ilha sem nenhuma esperança de sair dela. Às vezes, esquecemos que temos pessoas que nos amam e vão tentar fazer tudo o que estiver ao seu alcance para nos ajudar. Às vezes, esquecemos que somos mais fortes do que pensamos. Acho que Megan e Jackson eram muito mais fortes do que pensavam."

Livro Uma canção para Jack - Celia Bryce
     Sobre a autora:
Sobre a autora de Uma Canção para Jack, Celia Bryce

     Recomendo "Uma canção para Jack" para quem procura: uma leitura para passar o tempo; um livro para se emocionar; saber um pouco mais sobre o câncer ou um livro que vai ir mexendo com você sem que você seja capaz de se dar conta disso, até que as lágrimas comecem a rolar pelo seu rosto e você esteja perplexo e pensando sobre a vida e o mundo.
     Mais um detalhe que quero mencionar: Jack é negro. Nada de garotos loiros e de olhos azuis, estereotipados e clichês nesse livro! Quantos livros com protagonistas negros você já leu?

     "O pai relaxou um pouco.
     - Olha... Eu só quero que você encare a situação como um todo, só isso, não apenas as partes que doem. Não é só dor. Você não pode transformar tudo em dor.
     Megan não disse nada. Doía mesmo. Tudo doía." (página 198)

     Detalhes: 206 páginas, ISBN: 9788576837183, Skoob. Onde comprar online: AmericanasSaraiva.

     Por hoje é só, espero que vocês tenham gostado da resenha. Alguém aí já leu "Uma canção para Jack"?
     Deixo abaixo o book trailer e o primeiro capítulo, e quem quiser saber mais é só clicar aqui e conferir o release. 


Me acompanhem nas redes sociais:

36 comentários:

  1. A capa me lembro o livro Os da Minha Rua, de Ondjaki, que eu amo de paixão. Não li o livro, ainda. O tema câncer sempre causa comoção, principalmente, se for em criança. Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nilda, fui pesquisar sobre o livro que você citou e me parece bem interessante. Obrigada pela visita e comentário.

      Excluir
  2. Câncer é uma barra, um incógnita.

    Espero que tuas lágrias tenham te libertado.

    Bjs

    Histórias, estórias e outras polêmicas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Claudio, obrigada pela visita e comentário.

      Excluir
  3. Ah, no começo do seu post também pensei que era um novo A culpa é das estrelas. Mas você diz muito bem quando coloca que Hazel e Gus viveram um sonho. É realmente isso. Foi triste, foi emocionante, mas eles tiveram o melhor do mundo, um sonho mesmo.
    Gostei muito da proposta desse livro. Eu nunca tinha ouvido falar dele, mas ele traz bem o que eu tô querendo dos livros agora: leitura pra passar o tempo, com uma mensagem emocionante.

    Adorei!
    Um beijo,
    Karla
    www.ficaprocafe.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Karla, obrigada pela visita e comentário.

      Excluir
  4. Achei que eu fosse a unica que tivesse associado a sinopse do livro com ACEDE. Haha, adorei o post, flor. Espero ter a oportunidade de ler o livro. Mega beijo ;*
    www.iamcamilakellen.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Camila, obrigada pela visita e comentário.

      Excluir
  5. Impossível não pensar em A Culpa é das Estrelas, mas logo já dá pra notar que são tramas adversas. Eu achei a capa muito linda e quero muito poder ler este livro.

    Vanessa Meiser - Blog do Balaio
    balaiodelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Vanessa, obrigada pela visita e comentário.

      Excluir
  6. Oi Maria... Adorei a resenha do livro. Lá na bienal cheguei a pegar ele e quase levei, mas como a grana era a curta, acabei não levando. Agora me arrependo, após ler sua resenha. Incrível! Esse trechinho do final, por si só, quase me fez chorar. E sobre o protagonista negro.. Não me lembro de ter lido nenhum livro onde o protagonista era negro.

    Capa linda demais <3

    Beijo grande.

    Thati;
    http://nemteconto.org

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Thati, obrigada pela visita e comentário.

      Excluir
  7. Muito bom mais um pra minha lista e adorei a capa também
    Um beijo, te espero no blog
    ⋙ ♥ Blog livros com café SORTEIOS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Pepi, obrigada pela visita e comentário.

      Excluir
  8. Oi querida!
    Ja tinha visto este livro e agora aumento muito a vontade de ler!
    Adorei sua resenha e fiquei muito curiosa
    Mais uma pra minha lista interminável...rs
    Bjks mil

    www.blogdaclauo.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Claudia, obrigada pela visita e comentário.

      Excluir
  9. A capa desse livro é linda, e quando li a sinopse achei bem parecido com o livro do John Green, mas parece ser muito emocionante!
    Beijos
    http://www.gemeasescritoras.com/

    ResponderExcluir
  10. Oi Maria, tudo bem?
    Eu não conhecia esse livro, mas adorei sua resenha e a forma como você o apresentou e fiquei muito curiosa para lê-lo! Além disso, achei a capa muito bonita!
    Eu gosto muito de ACDE (a pesar de não achar o melhor trabalho de John Green), e acho que os personagens são sim verdadeiros, eles tentam levar o que têm de vida com leveza... enfim, minha opinião!

    Curtindo e seguindo!
    Beijinhos
    www.serleitora.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, também creio que a história dos personagens do Green tenham sua dose de realidade, embora ela seja muito menos comum do que a de Megan e Jack, obrigada pela visita e comentário.

      Excluir
  11. Não conhecia esse livro
    Mas ele parece ser encantador
    Gostei bastante da capa, linda
    Já estou seguindo ;)

    Beijos
    http://pocketlibro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Angela, obrigada pela visita e comentário.

      Excluir
  12. Oi Maria!
    Quando li a sinopse pensei igualzinho você "nossa, a mesma história de A Culpa é das Estrelas"..! Ainda bem que você falou que não é e que vale a pena! A capa é linda mesmo! Vou incluir na lista! Rs!
    Bjos!
    Karen
    http://www.bookadvisor.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Karen, obrigada pela visita e comentário.

      Excluir
  13. adorei esse post. que bacana
    bjs
    Flavia
    www.secret4beauty.blogspot.com
    www.adoteumfocinhocarente.blogspot.com
    loja virtual: www.adote.iluria.com

    ResponderExcluir
  14. Amei a diagramação desse livro, que lindo!
    Apesar da história ser algo que anda tão batido ultimamente, ainda assim nos emociona, concordo contigo e acho que realmente vale a pena ler, vou adicionar à lista! Ótima resenha. :)


    Bj
    http://www.tendadoslivros.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Daiana, obrigada pela visita e comentário.

      Excluir
  15. AAAH que livro lindo !! Amei e ja quero ler ! To vendo que vou chorar muito!
    Ah, a resenha ficou ótima! Bjos
    http://mundoemcartas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Markus, obrigada pela visita e comentário.

      Excluir
  16. A capa, contracapa, diagramação, é tudo lindo <3
    O livro parece muito legal, e realmente quando eu imaginei o Jack não imaginei um negro rs E eu ainda não li A Culpa é das Estrelas, pelo que vc falou esse parece ser mais legal então
    bjs
    felicidadeinventada.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mah, obrigada pela visita e comentário.

      Excluir
  17. Hoje, estava a procura de um livro para ler ... E vi, justamente esse livro em uma livraria. Mas fiquei com receio de ser uma cópia do "A culpa é das estrelas" do John Green. Mas a sua receia despertou meu interesse em lê-lo! Obrigada!

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar :)!!! Sua opinião é muito importante para mim.
Leio todos os comentários, mesmo que nos posts mais antigos. Responderei seu comentário aqui nesse mesmo post. Tem um blog? Deixe seu link que visitarei sempre que possível.
*comentários ofensivos serão apagados