Resenha: livro "Contos e Crônicas do Absurdo", Rô Mierling

     Olá pessoal, tudo bem? O livro da resenha de hoje é "Contos e Crônicas do Absurdo", escrito pela gaúcha Rô Mierling.
Capa, livro, resenha, trechos, Contos e Crônicas do Absurdo, Rô Mierling

     Ele é dividido em duas partes: a primeira é de contos e a segunda é de crônicas.
     Logo no começo, em "O nascimento de um fantasma: o início de tudo", a Rô conta a sua história: como ela conheceu os livros e se apaixonou por eles a ponto de se tornar uma escritora. Já gostei logo de cara, me identifiquei com a história dela em diversas partes (a importância que uma biblioteca pública teve nas nossas vidas de garotas pobres e do interior foi semelhante).
     Talvez a intenção dela tenha sido apenas nos fazer conhecê-la um pouco, mas esse relato tão pessoal foi uma das partes que mais gostei do livro. Abaixo, um trecho:
     "Conheci muita gente legal lá na biblioteca municipal, gente que fez parte da minha adolescência, foram meus grandes amigos e confidentes: Machado de Assis, Camões, Victor Hugo, Cecília Meirelles, Aluízio de Azevedo, Joaquim Manoel de Macedo, José de Alencar, esses foram os primeiros que conheci."
     Os contos e crônicas tem um elo em comum: falam de situações absurdas que a autora presenciou. O bacana de um conto é que são necessários poucos parágrafos para uma história ser contada, e uma única palavra ou frase pode mudar tudo.
     O livro faz jus ao nome, alguns contos mostravam situações tão absurdas (especialmente "Um gesto de socorro" e "Vida Perdida") que eu ficava chocada ao terminar a leitura e tinha que reler para ver se era aquilo mesmo que eu tinha entendido, aí eu pensava: "Não, isso não pode ter acontecido!". Mas depois me lembrava que a autora se baseou em acontecimentos reais para escrevê-los, e que eu também já tinha visto algumas daquelas situações acontecerem.
     Alguns contos são mais pesados e mostram absurdos assustadores, outros são bem mais leves e bonitos, alguns tem doses de ironia e humor, alguns falam de coisas antigas e outros de coisas bem atuais. O que comprova a versatilidade da escritora.
     "Ela mentia, ela pecava, ela errava, mas não a todo minuto, com todos e a toda hora como era em sua volta." (Anormalidade)
     "Ela gostava dele. E ele gostava dela. Mas havia um abismo enorme entre eles. O pai dela dizia em alto e bom tom que ela deveria achar um namorado que fosse mais branco que ela, mais rico que ela, mais espiritual que ela, mais inteligente que ela, mais rico que ela.
     Certo, quem seria esse otário que iria se casar com uma moça tudo menos que ele?" (Amizade Colorida)
     Em "O Vazio", eu começava a achar a história repetitiva por mais uma vez a personagem do conto ser pedida em casamento, aí a autora foi lá e me mostrou que ela também achava isso, foi como se a personagem tivesse vida própria, gostei:
     "(...) Lena conhece Mauro e ele parece ser uma boa pessoa, ele a pede em casamento (mas que droga que todo mundo só quer casar, casar, enfim) (...)"
     Na crônica "Somos todos mentirosos", a Rô descreveu uma cena que me enche de ódio quando acontece comigo, e eu achava que não acontecia com outras pessoas:
     "- Olá Silvana, como você está? - pergunta Carla encontrando Silvana em uma esquina.
     - Eu não estou muito bem, você acredita que ontem...
     - Silvana me deixa ir ali que estou atrasada, depois a gente se fala.
     E Carla parte deixando para trás Silvana de boca aberta.
     - Ela me pergunta como eu estou e depois vira as costas e vai embora? - indaga Silvana para si mesma."
   
     Num geral, gostei mais dos contos do que das crônicas, não dá para fazer uma análise de cada um senão a resenha ficaria enorme. Concordei com a visão da autora em diversos pontos e discordei em vários outros.
     Trecho da crônica Big Brother:
     "É pessoal, antes usávamos a janela de casa para acompanhar a vida do nosso vizinho, agora não dá mais, se colocamos a cara para fora da janela corremos o risco de levar uma bala perdida, nos recolhemos para dentro de casa e ligamos nossos computadores e acessando o Facebook temos a oportunidade de ver diversas novelas simultaneamente, a vida da Maria, da Excluída, da Beleza Exótica, a minha e a de tantas outras pessoas."
     Fato:
     "Cidades pequenas ainda cultivam conceitos antigos, mesmo com o advento da tecnologia e da internet." (Despreocupada)
     Com uma linguagem fácil de compreender e textos curtos, creio que "Contos e Crônicas do Absurdo" seja sim uma boa indicação tanto para leitores quanto para pessoas que querem criar o hábito de ler. A leitura pode ser feita em pouco tempo, embora eu aconselhe que seja feita aos poucos para que se tenha tempo de digerir e apreciar cada história.
Contracapa - Contos e Crônicas do Absurdo, Rô Mierling
Contos, Contos e Crônicas do Absurdo, Rô Mierling, livro, resenha, trechos, absurdo
Crônicas, Contos e Crônicas do Absurdo, Rô Mierling, livro, resenha, trechos, absurdo, cotidiano
Livro autografado, Contos e Crônicas do Absurdo, Rô Mierling, resenha

     Antes mesmo de ter o meu exemplar (que veio autografado!), já havia gostado da capa. As folhas são brancas e o tamanho das letras, o espaçamento entre uma linha e outra e as margens tem um bom tamanho. A única coisa que estranhei foi a ausência de numeração nas páginas.

     Detalhes: 180 páginas, ISBN: 9788543402109, Skoob, book trailerfanpage. Onde comprar online: Clube de Autores (impresso e e-book), Amazon (ebook). Saiba mais sobre a autora, acesse: www.romierling.recantodasletras.com.br.

     Minha frase preferida do livro:
     "(...) felicidade não significa totalidade, ela é momentânea e efêmera em sua essência." (O Vazio)

     Por hoje é só, espero que vocês tenham gostado da resenha. Alguém aí já leu "Contos e Crônicas do Absurdo"?
     Rô Mierling, muito obrigada pela parceria e pela confiança no Pétalas de Liberdade. Que você tenha muito sucesso em sua carreira como escritora.

     Ps.: Queridos leitores, sempre que falei sobre "Contos e Crônicas do Absurdo" no blog, vi que vocês mostraram interesse no livro (o que me deixou muito contente). Por isso, se vocês quiserem, posso organizar um book tour do livro, quem tiver interesse é só deixar um comentário dizendo que quer participar do book tour, preciso de pelo menos 3 participantes para abrir o post de inscrição. A mecânica seria a mesma do book tour do livro Já matei por menos.

Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobGoodreadsBloglovin (receba os posts do blog no seu e-mail)| Instagram.
18 comentários via Blogger
comentários via Facebook

18 comentários

  1. Amei a resenha. Quero muito ler esse livro.
    bibliotecas públicas da cidade e as da escola♥
    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lola, obrigada pela visita e comentário.

      Excluir
  2. Que demais esse livro *U* Ainda não o conhecia, mas fiquei super afim de ler! Adoro pegar livros em bibliotecas e escolas, sempre tem muita coisa boa né? ♥ Adorei a resenha!
    Um super beijo <3
    docesexpressoes.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ellen, obrigada pela visita e comentário.

      Excluir
  3. Opa, livro de uma escritora gaúcha? Bah, fiquei doida pra ler. Gosto de contos e crônicas baseadas na vida real, isso sempre torna a leitura mais atraente e interessante. Gostei muito da resenha, beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nanda, obrigada pela visita e comentário.

      Excluir
  4. Oi Mari,
    Hoje a minha professora de português falou a respeito de crônicas. Assim que vi o título da sua resenha logo vim conferir, haha.
    Acho que para eu saber se vou gostar mais das crônicas ou dos contos, tenho de ler esse livro!
    Adorei a resenha.
    Beijos
    Tão doce e tão amarga.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Thamiris, obrigada pela visita e comentário.

      Excluir
  5. Infelizmente esse não é um livro que eu tenho vontade de ler. Como tenho muitos livros na fila, eu leio somente o que gosto mesmo e esse é um gênero que não gosto muito.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sil, obrigada pela visita e comentário.

      Excluir
  6. Olááá Maria!
    entããão acho que esse livro deve ser do tipo... vai nos fazer nos espantas com os absurdos livros! não sei se é algo que gostaria de ler no momento, mas jamais fechos as portas quando bate ma oportunidade!
    Adorei as quotes escolhidas!

    Um beeijo Lara.
    Blog Meus Mundos no Mundo | | Página Coração Furta-Cor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lara, obrigada pela visita e comentário.

      Excluir
  7. Adorei o post de hoje, Maria!
    Contos e crônicas do absurdo é o próximo livro da minha list o/
    Ando lendo pouco, por conta da falta de tempo.. Mas espero poder devorá-lo logo.
    Não sabia dessa primeira parte do livro ser um relato pessoal e tal.. Achei legal, acho que isso acaba aproximando o autor do leitor.

    Beijo grande.

    Thati;
    http://nemteconto.org

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Thati, obrigada pela visita e comentário.

      Excluir
  8. Adorei sua resenha, e sempre o mais importante, cada vez que leio uma resenha desse livro, vejo de uma visão diferente, pois cada um consegue sentir de um jeito e passar para o leitor isso né. E aí me dá vontade de ler de novo e reparar melhor no conto que o outro mais gostou..rs. É engraçado. Muito bom, bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sabrina, obrigada pela visita e comentário.

      Excluir
  9. Olá flor, ótima resenha parabéns...estou esperando ansiosamente pelo livro, a cada resenha um novo ponto de vista, isso que é mais incrível, como um mesmo livro pode ter diversas interpretações dependendo de quem lê ♥

    Beijokas da Quel
    http://literaleitura2013.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Raquel, obrigada pela visita e comentário.

      Excluir

Obrigada por comentar :)!!! Sua opinião é muito importante para mim. Tem um blog? Deixe seu link que visitarei sempre que possível.
*comentários ofensivos serão apagados

Topo