TOP COMENTARISTA DE ABRIL

TOP COMENTARISTA DE ABRIL
Seu comentário pode te dar o livro "Ninfeias Negras", clique na imagem para saber como participar! E quanto mais você comentar, mais chances tem de ganhar!

quarta-feira, 4 de maio de 2016

Resenha: livro "A máquina de caminhar", Cristovão Tezza

 Olá pessoal, tudo bem? O livro da resenha de hoje é "A máquina de caminhar", escrito pelo Cristovão Tezza e publicado pela Editora Record em 2016.

Resenha, livro, A-máquina-de-caminhar, Cristovão-Tezza, cronicas, opiniao, fotos, trechos, critica

 Em "A máquina de caminhar", estão reunidas 64 crônicas escritas pelo curitibano Cristovão Tezza, que foram publicadas originalmente em uma coluna semanal do jornal Gazeta do Povo (o autor escreveu mais de 300 crônicas para a coluna durante quase 6 anos). Pelo fato de a coluna ter um tamanho fixo, todas os textos tem quase o mesmo tamanho: menos de duas páginas. E eles estão organizados por temas, no final de cada um consta a data em que foi publicado, o que ajuda a situar o leitor na época em que foi escrito (o que é muito útil, já que alguns tem uma notícia como ponto de partida). Só por essas 3 características, "A máquina de caminhar" já é um livro de crônicas diferente de todos as outras obras do gênero que eu li. Acrescente aí o fato de haver algumas ilustrações.

 Eu gostei muito de "A máquina de caminhar" e é um livro que eu recomendo a leitura. Não concordo com tudo o que o autor diz, mas a cada texto lido, a presença do escritor se faz mais forte, é como se ele estivesse conversando com o leitor. Há originalidade, há identidade, há alguém (com um jeito bem curitibano de ser) que colocou no papel as suas ideias, mesmo quando dizia não saber o quê escrever.

 Seria impossível citar todas as crônicas que eu gostei, teria que falar de mais da metade do livro, assim como seria difícil escolher minha preferida, já que muitas me agradaram. O autor fala sobre política, o Brasil, as novas tecnologias (especialmente a internet) e como elas mudaram a vida das pessoas, o tempo (seja pelo tédio que aparece quando temos ele sobrando, seja para voltar ao passado), sobre a arte de escrever e também sobre suas leituras, entre outras coisas.

 A crônica "A violência na internet" traz situações pelas quais todo internauta certamente já passou, seja por se tornar "empregado" do banco, seja ao se deparar com comentários maldosos, e também nos ajuda a refletir sobre a violência no país, que pode começar a ser erradicada se pensarmos mais no que vamos escrever ao comentar sobre algo:
 "Hoje somos nós que viramos todos funcionários dos bancos, trabalhando de graça aos sábados, domingos e feriados, fazendo pagamentos, transferências, aplicações, docs e o que for preciso – e o incrível é que achamos isso maravilhoso." ("A violência na internet", página 39)

 "Fi­­quei impressionado com a violência dos comentários, o grau de agressividade, o pri­­marismo argumentativo, o desejo de ferir – enfim, a estupidez pura e simples em que tanto o bom como o mau domínio da escrita se mesclam com o desejo de sangue a qualquer custo." ("A violência na internet", página 40)

 "As estatísticas mostram que o Brasil é um dos países mais violentos do mundo, e no conforto da classe média tendemos a achar que isso é um problema distante. Mas, no escurinho da internet, vemos que o país real está muito próximo e mostra os dentes em toda parte." ("A violência na internet", página 41)

 Essa questão da violência é tratada de forma leve, mas certeira, violência que teve um de seus períodos de maior expressão em nosso país na recente ditadura militar:

 "Ou, muito pior ainda, quando a simplificação mental nos leva a achar que, no descalabro geral, 'só a força resolve' – o Brasil viveu duas décadas de ditadura e até hoje não se recuperou dela, afundado na prepotência, na incompetência, na falta de projetos ou no simples terror de Estado." ("Terraplanagem política", página 45)

 "Comparar o monumental poder do Estado – a gigantesca máquina do governo, controlando Exército, Marinha e Aeronáutica, mais todas as polícias do país – com a ação de meia dúzia de guerrilheiros, ou idealistas, ou terroristas, ou delinquentes, ou idiotas, ou lunáticos (o leitor faz sua escolha), além de vítimas avulsas, como Herzog ou Rubens Paiva, presos e assassinados, como se se tratasse de uma 'guerra' – e em que espécie de guerra é preciso desmembrar os mortos e fazê-los desaparecer nos rios? –, é torturar mais uma vez a inteligência do cidadão." ("O Estado e o cidadão", página 158)

solidao-lunar, ilustração, Resenha, livro, A máquina de caminhar, Cristovão Tezza, editora-record

 Cristovão Tezza também parece gostar de compartilhar suas leituras, é quase um blogueiro literário, ele tem o hábito de ler mais de um livro por vez, como conta em "Leituras Disparatadas" e "Solidão Lunar" (onde ele fez uma maldade que não se faz com um leitor: começou a contar o que acontece em um dos contos do livro "As crônicas marcianas" e não terminou! Me deixou super curiosa para saber o que acontece e agora vou ter que colocar mais um livro na minha extensa lista de desejados! Mas talvez ele nem se lembre mais de como termina a história, já que passaram o cinco [roubaram] no exemplar dele [se bem que foi ele quem emprestou para alguém que nunca devolveu, quem nunca?]). E em "O que está acontecendo com a literatura brasileira", ele aponta algumas causas para o fato de, aparentemente, a literatura nacional estar sendo menos valorizada que a estrangeira nas últimas décadas, tais como a saída recente de uma ditadura e o aumento do número de alfabetizados, um debate que sempre rende.

 E o Cristovão Tezza ainda tem umas ideias bem legais, tipo exportar os presos do superlotado sistema penitenciário brasileiro para as prisões suecas que "por falta de planejamento" ficaram vazias e sem utilidade, ou ainda, a ideia de criar um Ministério das Crônicas, já são tantos que um a mais não faria diferença, além de ser importante, já que uma boa crônica pode mudar seu dia!

livro, a-maquina-de-caminhar, cristovao-tezza, record
resenha, livro, A-máquina-de-caminhar, Cristovão-Tezza, sinopse
cristovao-tezza, a-maquina-de-caminhar, cronicas,livro
leituras-disparatadas, ilustração, Resenha, livro, A máquina de caminhar, Cristovão Tezza, record, cronicas, diagramação

 Sobre a parte visual: a edição está ótima! A capa dá a impressão de ser um papel dobrado, amassado; as cores, figuras e fontes foram bem escolhidas. Na diagramação, margens, letras e espaçamento tem bom tamanho. As páginas são amareladas. Há algumas ilustrações, pequenas mas muito significativas. E eu creio que não haja nenhum erro de revisão!

"palavras são como pessoas; quando você pega raiva de alguma, você quer distância." ("A vingança dos revizores" página 99)

 Enfim, fica a dica de um livro que vocês merecem ler (e também uma sugestão para presentear) independente da idade que tenham! Seja para se divertir ao se identificar com o autor ou pelo seu senso de humor e suas ironias, seja para refletir sobre algum assunto importante da sociedade, seja para aprender alguma coisa nova. "A máquina de caminhar" é um livro que eu tenho certeza que vai trazer algo de bom para o leitor! Leiam!

 Detalhes: 192 páginas, ISBN-13: 9788501104694, Skoob. Onde comprar online: SubmarinoSaraiva.

 Por hoje é só, espero que tenham gostado da resenha. Me contem: já conheciam o livro ou o autor? Gostam de crônicas?


Até o próximo post!
Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobInstagramYouTube| Snapchat: marijleite_pdl

10 comentários:

  1. Oiii, então gostei muito da capa, parece efeito 3D e isso e muito legal. mas a premissa do livro não me atraiu tanto apesar da sua resenha está incrível, quem sabe na ´próxima.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Olá,

    Me interessei muito pelo livro e fiquei curiosa para conhecer essas crônicas. Espero em breve ter contato com esses contos que parecem ser muito interessantes. A capa é bacana, não achei feia e nem bonita haha.

    Abraços
    colecoes-literarias.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Ooi! Eu já conhecia o livro, até já elogiei as ilustrações, que são bem bacanas. Gosto de crônicas, contos, poemas, etc... E creio que a leitura fluiria muito bem ^-^
    Beijos e parabéns pela resenha!

    ResponderExcluir
  4. Já conhecia o autor, mas o livro não, e simplesmente me apaixonei por essa capa! E achei mais legal ainda o livro ter algumas ilustrações. Mas, infelizmente, não curto crônicas, então prefiro não ler. Mas que bom que gostou muito mesmo não concordando com tudo o que o autor diz e recomenda!

    Beijo.

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  5. Oie
    muito legal sua resenha e sempre tive curiosidade em ler algo do autor, não por agora mas com certeza quando eu tiver mais tempo, muito legal a dica

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oii, tudo bom?
    Sou louca para ler esse livro desde a primeira resenha! Já li algumas crônicas do autor e gosto muito de sua forma de escrever e bem, os temas abordados são muito interessantes, tendo como destaque para mim essa questão de violência na internet e literatura. Adorei sua resenha!

    Beijos!
    @PollyanaCampos
    Entre Livros e Personagens

    ResponderExcluir
  7. oi

    não conhecia o livro e nem o autor, e olha...achei a ideia muito interessante, junte sua resenha maravilhosa e essas fotos incriveis e a sua dica ta anotadissima...

    bjs

    ResponderExcluir
  8. Adorei, linda essa edição!
    Ministério das Crônicas! hahahah Adorei a ideia!
    Não conheço aos crônicas do autor, mas fiquei com vontade de conhecer!
    Beijo

    ResponderExcluir
  9. Olá flor, adorei sua resenha, não conhecia a obre e achei a premissa bem interessante. Quanto a capa, eu fiquei alguns minutos olhando e admirando esse efeito, achei bem criativo e foi o diferencial. Já anotei a dica para poder tirar minhas conclusões a respeito dessa obra.

    Abraços

    ResponderExcluir
  10. Oioi! Tudo bem?
    Que capa lindinha do livro A máquina de caminhar, nao conhecia o livro e ainda nao tinha lido nenhuma resenha sobre ele.
    Gostei da proposta do livro e fiquei curiosa para ler para me divertir e refletir, gosto de textos com senso de humor e creio que vou gostar desse.
    Otima dica.
    Beijos

    Livros e SushiFacebookInstagramTwitter

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar :)!!! Sua opinião é muito importante para mim.
Leio todos os comentários, mesmo que nos posts mais antigos. Responderei seu comentário aqui nesse mesmo post. Tem um blog? Deixe seu link que visitarei sempre que possível.
*comentários ofensivos serão apagados