Comparando livros: "Entre quatro paredes", B. A. Paris x "Diário de uma escrava", Rô Mierling

 Olá pessoal, tudo bem? Hoje temos mais um "Comparando Livros", onde falo sobre dois livros que  possuem temas semelhantes ou que por algum motivo eu me lembrava de um enquanto lia o outro. Os escolhidos de hoje são "Entre quatro paredes", escrito pela B. A. Paris e publicado pela Editora Record em 2017 e "Diário de uma escrava", escrito pela Rô Mierling e publicado em 2016 pela Editora DarkSide Books. Se você é do tipo que não lê nem sinopse por medo de spoilers, esteja avisado de que nessa comparação há a necessidade de falar sobre alguns aspectos dos livros, mas ressalto que não vou contar, por exemplo, o final dos livros, apesar de comentar sobre o assunto. Apertem o play ou continuem lendo:



Diario de uma escrava
SINOPSE: Laura é uma menina sequestrada e jogada no fundo de um buraco por alguém que todos imaginavam ser um bom homem. Ela vê sua vida mudar da noite para o dia, e passa a descrever com detalhes sinistros e íntimos cada dia, cada ato, cada dor que o sequestro e o aprisionamento lhe fazem passar. Estevão é homem casado, trabalhador, pai de família, mas que guarda em seu íntimo uma personalidade psicopata. Ele percorre ruas e cidades se apossando da vida de meninas ainda muito jovens, pois dentro de si uma voz afirma que é dele que elas precisam. Mergulhando fundo nessa fantasia, ele destrói vidas, famílias e sonhos, deixando atrás de si um rastro de dor e morte.Narrado em parte em forma de diário, o livro acompanha mais de quatro anos da vida de Laura em um buraco embaixo da terra, período em que algo dentro dela também se modifica de uma forma inimaginável em busca da única maneira para sobreviver. Publicado originalmente na plataforma digital Wattpad, onde já teve mais de um milhão e meio de leituras, DIÁRIO DE UMA ESCRAVA apresenta um retrato duro, cruel, abominável, mas infelizmente corriqueiro no Brasil e em todo o mundo.Através de Laura, raptada ainda adolescente por um homem que ela chama de “Ogro”, a autora denuncia os diversos tipos de violência que muitas mulheres são obrigadas a suportar em silêncio e nas sombras da sociedade. O “Ogro”, um homem aparentemente comum, honesto e “acima de qualquer suspeita”, mantém Laura presa em uma casa afastada, onde abusa dela sexual e mentalmente, alegando ser ela o seu verdadeiro amor. Laura, compreensivelmente, só pensa em escapar dali. Mas agora ele parece estar mudando. Será que é o melhor momento mesmo para fugir?... Bem, isso você vai ter que ler para descobrir.

Entre quatro paredes
SINOPSE: Um thriller sobre um sonho que torna-se pesadelo.Grace é a esposa perfeita.Ela abriu mão do emprego para se dedicar ao marido e à casa. Agora prepara jantares maravilhosos, cuida do jardim, costura e pinta quadros fantásticos. Grace mal tem tempo de sentir falta de sua antiga vida.Ela é casada com Jack, o marido perfeito.Ele é um advogado especializado em casos de mulheres vítimas de violência e nunca perdeu uma ação no tribunal. Rico, charmoso e bonito, todos se perguntavam por que havia demorado tanto a se casar.Os dois formam um casal perfeito.Eles estão sempre juntos. Grace não comparece a um almoço sem que Jack a acompanhe. Também não tem celular, que ela diz ser uma perda de tempo. E seu e-mail é compartilhado com Jack, afinal, os dois não guardam segredos um do outro. Parece ser o casamento perfeito. Mas por que Grace não abre a porta quando a campainha toca e não atende o telefone de casa? E por que há grades na janela do seu quarto?Às vezes o casamento perfeito é a mentira perfeita.
Comparando livros: "Entre quatro paredes", B. A. Paris x "Diário de uma escrava", Rô Mierling

Semelhanças: livros de autoria feminina, narrados em primeira pessoa pelas protagonistas, que são mulheres privadas da sua liberdade de ir e vir, mulheres dependentes de seus algozes, com medo de morrer de fome se seus "carcereiros" não aparecerem para alimentá-las, mulheres que acreditam que ninguém poderá ajudá-las. Os dois são livros de leitura rápida, com cerca de 250 páginas.

 "No entanto, se algo acontecer a ele, o que vai ser de mim? Se ele morrer na rua atropelado, eu morro aqui sem água e sem comida. Vou morrer enterrada viva nesse buraco imundo." (página 27, Diário de uma escrava)

 "Não estou agitada por Jack ter saído, como costumo ficar, porque hoje estou alimentada. Certa vez, ele só voltou depois de três dias, quando eu estava prestes a comer o sabonete do banheiro." (página 84, Entre quatro paredes)

Diferenças: "Diário de uma escrava" tem algumas partes narradas por outras personagens, mas a maioria é pela Laura, uma garota que foi raptada aos 15 anos pelo Ogro, e mantida em cárcere privado (num buraco embaixo de uma casa) como escrava sexual dele por 4 anos.

 A Grace de "Entre quatro paredes" é uma mulher de 32 anos, casada com o Jack há cerda de um ano. Ela não tem celular, seu e-mail é compartilhado com o marido, ela não atende o telefone fixo da casa nem abre a porta quando a campainha toca, e mora numa casa onde as janelas tem grades.

 Se para a Grace, adulta, que conheceu muitos lugares em suas viagens de trabalho antes do casamento, já era difícil se libertar do Jack, imaginem para a Laura, que era só uma garota, com metade da experiência da Grace! E foi por isso que decidi falar sobre esses dois livros aqui, pois enquanto lia a história da Grace em "Entre quatro paredes", uma mulher que teve toda uma história de vida antes do Jack, eu refletia sobre como era ainda mais difícil para a Laura, com tão pouca experiência até ser vítima do Ogro.

 O Ogro, que raptou a Laura em "Diário de uma escrava", é descrito como um homem sujo, mal encarado, um homem que poderia ser alvo de desconfiança em alguns momentos. Já o Jack de "Entre quatro paredes" é um advogado famoso por defender mulheres vítimas de violência, um homem bonito, charmoso, daquele tipo que sempre sabe a coisa certa a dizer, com uma habilidade enorme de manipular as pessoas para que acreditem no que ele quer. Jack consegue fazer com que acreditem que ele e a Grace vivem um casamento perfeito, onde, se um deles tem algum desequilíbrio, é a Grace.

 O Ogro tem uma visão completamente distorcida de suas ações, mas ao contrário do Jack, o Ogro cometia erros, se desesperava e deixava rastros pelo caminho. Já o Jack parecia sempre estar um passo à frente da Grace, frustrando as tentativas dela de escapar.

 Muitos leitores ficaram revoltados com o final de "Diário de uma escrava", mas se há casos de pessoas que escaparam do cárcere privado e retomaram suas vidas, há diversos casos de desaparecidos que nunca foram solucionados, e como saber se nenhum deles tomou o mesmo rumo que a Laura?

 Se não quiser saber sobre o final de "Entre quatro paredes", pule para o próximo parágrafo. Nós, leitores, principalmente quando gostamos de um livro, não queremos que ele acabe ou sempre desejamos uma ou duas páginas a mais. "Entre quatro paredes" poderia ter mais um capítulo, mas considero seu final satisfatório sim, prefiro acreditar que se há testemunhas que confirmem determinado relato, não há motivos para desconfiança.

 "Entre quatro paredes" e "Diário de uma escrava" são livros bem diferentes, que tem em comum o fato de mostrarem mulheres vítimas de violência. Em "Diário de uma escrava" essa violência é narrada em cenas bem mais explícitas.

 É impossível estar totalmente a salvo de se tornar uma vítima como a Laura ou a Grace, mas se esses livros trazem alguma mensagem, eu diria que "Diário de uma escrava" nos lembra de não confiar em estranhos, enquanto "Entre quatro paredes" nos convida a desconfiar de tudo o que parecer perfeito demais, e a tentar notar os sinais de que alguém possa estar precisando de ajuda.
Entre quatro paredes, livro, sorteio
 A intenção do "Comparando Livros" nunca é dizer "Leia esse e não leia aquele!", é apenas conversar sobre livros que tenham semelhanças, portanto, eu recomendo as duas leituras! Se você ficou interessado em "Entre quatro paredes", participe do Top Comentarista de abril que está rolando no canal do blog, basta se inscrever no formulário e comentar nos vídeos do mês para concorrer ao livro e também a "Amor de todas as formas", confira todas as informações clicando aqui.

 Veja os outros posts do Comparando Livros:


Até o próximo post!

Me acompanhe nas redes sociais:

11 comentários

  1. Oi Maria, eu quero muito ler ambos os livros, "Diário de uma escrava" está na minha meta deste ano. Imagino que sejam histórias angustiantes e sei que terei muitos questionamentos, como por exemplo: Porque a Grace suporta isso? Mas acho que só lendo para eu saber, por enquanto, estou apenas tirando conclusões.
    Parabéns por teu post, gostei muito.
    Bjos
    Vivi
    http://duaslivreiras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Mari tudo bem?
    Adorei sua resenha comparando os livros, nunca li nenhum deles mas já tinha ouvido falar, fiquei muito curiosa pois os casos de certa forma parecidas, e diferentes ao mesmo tempo. Parabéns pelo canal, sua desenvoltura foi ótima, bjs!

    ResponderExcluir
  3. Como vai Maria? Eu amei a sua resenha, foi muito bom conhecer as diferenças existentes entre os dois livro, eu já li ENTRE QUATRO PAREDES e agora estou com mais vontade ainda de ler DIÁRIO DE UMA ESCRAVA. Esses livros deveriam ser ainda mais divulgados para que todas as mulheres que sofrem abusos de seus companheiros possam sentir-se encorajadas a denuncia-los.

    Beijos e abraços
    http://vickyalmeida.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oii,

    Não é o tipo de livro que eu compre, na verdade não leio, mas eu já os conhecia, claro. Achei interessante sua opinião sobre eles. Gostei da postagem. Parabéns.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Li Diário de uma escrava e foi uma leitura muito intensa e nauseante. É uma história pesada, mas necessária para mostrar as verdades que muitas vezes não chegam perto da nossa vidinha. Não sabia que o outro livro tinha a mesma temática, fiquei curiosa para ler.
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  6. Olá, tudo bem? Nossa que postagem maravilhosa e criativa. Já tinha visto algo parecido, mas no final acabavam optando e dando a dica de leitura de apenas um livro. Vejo que no seu é diferente. Por mais que sejam livros com assuntos bons, o gênero não é algo que leia e que me agrade, por isso passo a dica! Mas com certeza será um prato cheio para aqueles que gostam e leram um dos dois porque assim terá a dica do outro. Adorei!
    Beijos,
    http://diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Muito boa sua ideia de falar destes dois livros, não só por me interessar por ambos, mas para explicar a trama de cada um, suas semelhanças e diferenças.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  8. Eu li Entre quatro paredes e amei, então gostei muito de conhecer a semelhança de premissa entre os dois livros e tenho pra mim que Diário de uma escrava chega ser mais angustiante do que o que li. Fiquei mega curiosa quanto ao rumo de Laura, vou anotar essa dica.

    Abraços.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oie, tudo bom?
    Eu adorei seu post! Não sabia que o Entre 4 paredes era assim! O Diario de uma escrava eu quero muito ler, mas não sei se tenho forças agora. Os dois tratam de assuntos sérios que precisam ser discutidos!

    ResponderExcluir
  10. Oiê,
    Nossa são dois livros de peso, infelizmente não tenho nenhum dos dois, mas logo irei comprar. Engraçado acontece o mesmo comigo, sempre tem algum livro que ao ler lembro de outro título, as vezes fico pensando será que o autor se inspirou nesse ou naquele? Parabéns pelo canal e blog.

    ResponderExcluir
  11. Oi!
    Pelo visto são dois livros bem marcantes, mas ainda não li nenhum dos dois. Diário de uma escrava eu comprei recentemente mas ainda não li... Espero poder conhecer as duas obras. Adorei seu vídeo.
    Beijos!

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar :)!!! Sua opinião é muito importante para mim. Tem um blog? Deixe seu link que visitarei sempre que possível.
*comentários ofensivos serão apagados

Topo