TOP COMENTARISTA DE ABRIL

TOP COMENTARISTA DE ABRIL
Seu comentário pode te dar o livro "Ninfeias Negras", clique na imagem para saber como participar! E quanto mais você comentar, mais chances tem de ganhar!

segunda-feira, 21 de março de 2016

Resenha: livro “H Stern: a história do homem e da empresa”, Consuelo Dieguez

 Olá pessoal, tudo bem? O livro da resenha de hoje é “H Stern: a história do homem e da empresa”, “ao mesmo tempo uma biografia e um livro de negócios” escrito por Consuelo Dieguez e publicado pela Editora Record em 2015.

Resenha: livro “H Stern: a história do homem e da empresa”, Consuelo Dieguez, Record

 Quando eu recebi o livro da editora, eu não tinha a menor ideia do que ou quem era H Stern, mas decidi dar uma chance à obra, já que gosto de variar minhas leituras. Comecei a ler e fui surpreendida positivamente com uma leitura interessantíssima! No livro vamos conhecer a saga da família de Hans Stern, desde antes da fuga/expulsão (não sei ao certo que nome dar para a maneira como eles tiveram que sair de lá) da Alemanha na época do nazismo, até a criação e a consolidação da joalheria H Stern, uma das mais famosas do mundo.

 “O saldo daquela noite de terror por toda a Alemanha foram 815 empresas totalmente destruída e 7500 saqueadas; 119 sinagogas incendiadas e mais 176 completamente destruídas; 20 mil judeus presos e levados para campos de concentração; outros 36 gravemente feridos e mais dezenas deles mortos por assassinato ou chacinados quando tentavam escapas do fogo. O governo do Terceiro Reich não só ignorou a violência – que secretamente estimulara através de instruções aos líderes da SS – como decidiu impor uma descabida penalidade à comunidade judaica. Através de um bizarro comunicado do Ministério da Fazenda, os judeus foram avisados de que seriam responsabilizados pelas pilhagens e destruições de suas próprias propriedades, ‘em virtude de seus crimes abomináveis’.” (página 12)

 Em 1938, Hans era um garoto de 16 anos, na fatídica noite dos cristais, onde muitos judeus tiveram suas propriedades depredadas. Depois daquela noite, percebendo que a situação para os judeus estava cada vez mais difícil na Alemanha, ele, seu pai Kurt, sua mãe e seu avô materno vieram para o Brasil num navio trazendo o pouco que lhes foi permitido pelo governo nazista. O restante de suas coisas que viria em contêineres, acabou chegando quase que totalmente destruído no país vários meses depois. Para Hans, apesar da situação financeira difícil, tudo era novidade na nova e ensolarada terra. Já para sua mãe e seu avô, a adaptação foi bem mais difícil.

 “Ela sonhava com a volta ao passado, ele olhava para o futuro. Ela flutuava sem ter onde se agarrar. Ele se cravava no chão. Eram formas de vida irreconciliáveis, e Hans foi cada vez mais se apartando da mãe.” (página50)

 “Aos 70 anos, Albert não tinha disposição para começar de novo. Via-se como uma árvore partida. As raízes ficaram enterradas no solo alemão, os galhos com suas folhas tinham sido arrastados para o Brasil. Mas, sem as raízes, não havia seiva. Os galhos se enfraqueciam. (...) Sabia que não veria mais a Alemanha que tanto amara e que o desprezara. Sabia também que o Brasil não lhe pertencia. E ele não tinha para onde voltar.” (página 51)

 Só pelos primeiros capítulos, que me fizeram enxergar melhor as consequências cruéis que o nazismo trouxe, já valeria a pena ter lido o livro e recomendá-lo para vocês. Mas outro ponto também me agradou: nele podemos, em segundo plano, acompanhar as mudanças pelas quais o país passou desde os anos 40 até os dias atuais. E foi interessante ver como era a vida antes da tecnologia, em uma época bem diferente da que vivo. Hans trabalhou numa casa filatélica, uma loja especializada em vender selos, um grande negócio na época. E fazer um curso de datilografia para usar bem uma máquina de escrever era algo importantíssimo.

 Até que Hans decidisse abrir uma joalheria, o caminho foi longo, mas não tão longo quanto o caminho que a H Stern percorreu até os dias de hoje, para se tornar uma das maiores joalherias do mundo, com lojas em diversos países. Um caminho interessantíssimo para quem tem curiosidade sobre o mundo dos negócios. A H Stern me pareceu querer aprimorar cada vez mais os seus processos administrativos e de produção de forma que a empresa se mantivesse coesa mesmo estando presente em tantos lugares diferentes.

 No livro conheceremos várias situações curiosas que aconteceram na empresa, como um dia em que o sistema de transporte coletivo não estava funcionando e os funcionários que tinham carro iriam dar carona para os que não tinham; eis que surge Hans Stern em seu fusquinha perguntando quem ia para o mesmo bairro que ele; ou a forma inusitada como as joias da empresa foram transportadas de uma sede para outra através dos próprios funcionários. Hans tinha uma forma interessante de lidar com as pessoas, em certa ocasião, quando um de seus filhos se interessou pelo socialismo, Hans levou a família toda para uma viagem à antiga União Soviética e, sem uma palavra, fez com que o filho percebesse que o sistema socialista não era assim tão bom, visto que eles passaram por alguns perrengues lá.

 "A joia retém o momento. Ela marca uma ocasião única, um instante especial guardado para sempre na memória afetiva. Um sentimento que se perpetua ao se passar uma joia de uma geração para outra. Ninguém entra em uma joalheria como entra em uma loja de sapatos. Joias são obras de arte, que se adquire em comemoração: um nascimento, um aniversário, um casamento, um grande amor, um afago a si mesmo. Assim também são as festas: ocasiões especiais de celebração para marcar um momento." (página 268)

Resenha, livro, H-Stern, Consuelo Dieguez, Record, biografia, joalheria

sinopse, Resenha, biografia, livro, H Stern, Consuelo Dieguez, Record

      Consuelo Dieguez

H Stern, biografia

joalheria, h-stern, pedras-brasileiras

 Certa vez, a equipe de designers da H Stern, teve que desenvolver uma coleção inspirada no brilho das ruas de uma cidade turística depois de uma chuva. Apenas um dos inúmeros desafios que ela enfrenta para desenvolver coleções cada vez mais ousadas e belas.

 A edição do livro está bem caprichada, uma capa bonita e clean, com orelhas grandes. As páginas são grossas e brancas. As margens, fonte e espaçamento tem bom tamanho, e a obra está bem revisada. Só gostaria que tivesse mais fotos.

 Enfim, recomendo o livro para quem gosta de biografias e também para quem não gosta; para quem já ouviu falar da H Stern ou para quem, assim como eu, não fazia a menor ideia do que era; para quem se interessa por temas como joias, negócios, segunda guerra mundial, o Brasil do último século, etc. É uma obra que certamente vai acrescentar alguma coisa a quem ler, nem que seja uma palavra nova que será aprendida (a autora usa algumas palavras que eu não conhecia, mas sem complicar a leitura, que é super fluida e em nenhum momento fica monótona).

 Detalhes: 269 páginas, ISBN-13: 9788501106643, Skoob. Onde comprar online: Submarino, Americanas.  Se alguém quiser conhecer o site da H Stern, é só acessar: http://www.hstern.com.br/.

 Por hoje é só, espero que vocês tenham gostado da resenha. Me contem, já conheciam o livro ou a H Stern?


Até o próximo post!
Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobInstagramYouTube| Snapchat: marijleite_pdl

17 comentários:

  1. Olá, tudo bem?
    Gostei muito da sua resenha e não conhecia esse livro. Porém, acho que não leria esse livro, pelo menos não no momento, sem falar que biografia não é um gênero que me chama muito a atenção. Mas que bom que você achou a leitura fluida.
    beijos e boas leituras, Fer

    ResponderExcluir
  2. Olá.
    Quando comecei a ler achei que não iria gostar do livro, também nem sabia quem era, sou completamente alheia a jóias e mercado de luxo, mas logo no segundo paragrafo já estava achando superinteressante, não sou uma leitora de biografias, mas achei a histórias desse senhor tão interessante e que realmente merece ser contada, realmente só de conhecer esse período nazista que ele passou já deve tornar o livro muito emocionante, e conhecer uma passagem do nosso país desde a década de 40 só enriquece mais o livro.
    Beijos

    www.poyozodance.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Uma joalheria tradicional com uma história altura.
    Achei o máximo um livro que conte um pouco de como foi. Principalmente para nós percebemos que chegar lá no topo é duro.

    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
  4. Caramba, eu ia morrer sem saber que havia um livro sobre a HStern. Deve ser um livro realmente muito bom para administradores, empreendedores... um livro rico em experiência para os negócios, me pareceu. :)
    Abraço
    www.viciadosemleitura.blog.br

    ResponderExcluir
  5. Eu gosto muito de biografias (mas não desse povo que tem lançado ultimamente, tipo Valesca Popozuda) e sempre leio algumas porque acho muito interessante e sempre têm algo à acrescentar, principalmente quando são de empresários bem sucedidos ou histórias de empresas. Eu ainda não conhecia o livro mas por tudo o que vocÊ falou eu fiquei interessadíssima nele,também não conhecia essa joalheria mas a história é maravilhosa, eu espero realmente poder ler esse livro.

    ResponderExcluir
  6. Olá,
    Não conhecia esse livro, nem esse empresário, sendo totalmente sincera, pelo título eu não leria, mas, sua resenha me fez mudar de ideia, amo livros que falam da segunda guerra mundial e fiquei bem curiosa para saber um pouco mais sobre a vida do H Stern.

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Olá!

    Não o conhecia, mas já quero! Conhecia o H Stern só de nome mesmo. Eu amo biografias, então essa com certeza vai para minha lista de desejados. Não sabia sequer que ele era judeu...

    ResponderExcluir
  8. Oi,
    Não conhecia o livro, achei a edição muito linda, adorei a capa simples, parece ser bem interessante também, não costumo ler biografias, mas essa chamou minha atenção!
    Parabéns pela resenha!
    Beijo

    ResponderExcluir
  9. Olá linda,

    Gostei muito dessa capa mais clean e atraente em qualquer estante.
    Já tinha lido sobre o Hans em alguns artigos, mas nunca tinha me atentado ao seu sucesso como joalheiro no país.
    Lerei daqui um tempo o livro dele para me inspirar.

    Beijos,
    poesiaqueencantavida.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Oioi!
    Que livro lindo!
    Adorei conhecer mais do livro do H Stern e conhecia apenas a joalheria e nunca ia imaginar toda essa riqueza de historia por tras.
    Vou ler sim, tb recebi da editora e animei mais agora com a sua resenha.
    Beijos!

    Livros e Sushi • Facebook InstagramTwitter

    ResponderExcluir
  11. Oie

    Eu também não fazia a menor ideia do que seria H Stern.
    Não costumo ler biografias, mas é como vc falou, é legal dar chance a leituras diferentes. Esse pareceu interessante e eu gostei bastante da sua resenha. Leria sim!

    Fernanda
    http://pacoteliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. É o tipo de livro que meu namorado iria gostar de ler, não eu haha Mas quem sabe um dia, né. Afinal, leitor que é leitor lê de tudo. Beijos

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    É um livro bem diferente do que estou acostumada a ler. Não curto muito livros de negócios e não costumo ler biografias, mas achei esse livro interessante, principalmente pelo conteúdo histórico encontrado nele. Além disso, é um ''livro de negócios'' aparentemente bem diferente dos que encontramos por aí.
    Não é um livro que eu leria, mas apesar disso eu achei bem curioso.
    Abraços!
    http://blogladoescuro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Oi...

    não gosto muito de biografias não, mas adorei a tua resenha, amei as fotos que tu escolheu, leria se eu não fosse tão chata, pois tua resenha está ótima!!!

    bjs

    ResponderExcluir
  15. Eu sinceramente não gosto de biografias. Sei que tem gente que ama e tal, mas eu não consigo chegar até o final. Já tentei algumas vezes, mas não pretendo tentar novamente.

    ResponderExcluir
  16. Oi..
    Não sou muito fã desse tipo de livro.
    Ah, sua resenha está ótima e as fotos que tirou tmb.
    abraços.

    ResponderExcluir
  17. Eu não conhecia esse livro e, para falar a verdade, nunca me interessei muito pela vida de H.Stern. Creio que deve ser um leitura muito interessante para quem curte biografias ou tem admiração pela trajetória de H.Stern. Parece-me que o projeto gráfico do livro é bastante interessante.

    Tatiana

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar :)!!! Sua opinião é muito importante para mim.
Leio todos os comentários, mesmo que nos posts mais antigos. Responderei seu comentário aqui nesse mesmo post. Tem um blog? Deixe seu link que visitarei sempre que possível.
*comentários ofensivos serão apagados