Resenha: livro "A bússola do peregrino", Pedro Terrón

 Olá pessoal, tudo bem? Na resenha de hoje venho comentar sobre a minha experiência de leitura com o livro "A bússola do peregrino", o último volume da trilogia "Kalixti - o enigma das sete estrelas", escrito pelo espanhol Pedro Terrón e publicado no Brasil pela Primavera Editorial em 2010.

Resenha, opiniao, critica, blog-literario, livro, A-bússola-do-peregrino, Pedro-Terrón, primavera-editorial, trilogia-kalixti, fotos, trecho, imagem

 Recapitulando, para quem não conhece a trilogia, no primeiro livro (A cidade perdida, clique no título para conferir a resenha) fomos apresentados a Runy, morador de Ibiza, dono de um submarino, e no segundo (A Chave do Amanhecer, clique no título para conferir a resenha), conhecemos a arqueóloga Dámeris. Junto com eles, descobrimos que são almas gêmeas (o que não significa que tenham que viver um romance) e, em outra vida, participaram de um projeto relacionado a sete estrelas mágicas, estrelas que, nessa vida, eles tem a missão de encontrar e manter longe de mãos erradas. Para isso, terão que relembrar aventuras de vidas passadas, além de viver novas aventuras nos dias atuais.

 "- Ibiza... Cada dia me surpreende mais. Pensei que fosse um recanto turístico ou um lugar para perder a cabeça e estou vendo que é um mundo digno de ser conhecido em profundidade. Tem muito a ser descoberto.
 - Quando você conhecer toda a magia que se esconde em alguns de seus cantos, vai ficar apaixonada.
 - É difícil me apaixonar - responde automaticamente.
 - O difícil é manter a paixão... por Ibiza, quero dizer.
 - Mas o que você está esperando? Faça que eu me apaixone.
 - Faria de boa vontade, se soubesse como." (página 79)

Trilogia-Kalixti, Pedro-Terrón

 O terceiro livro começa algum tempo depois do final do anterior. Runy vai trabalhar com Dámeris na busca por objetos antigos que são de interesse do museu onde ela trabalha e que podem estar no fundo do mar, próximo de Ibiza. Esses objetos também são alvo de um museu concorrente. E uma das estrelas mágicas pode estar entre eles. Por outras pessoas que também fizeram parte do processo de criação das estrelas numa vida passada, Runy e Dámeris são avisados de que uma catástrofe está para acontecer, e que encontrar as estrelas que faltam pode evitar essa tragédia. Dámeris não demonstra muito interesse em continuar se envolvendo na busca pelas estrelas, visto que os acontecimentos do livro anterior lhe deixaram alguns traumas.

 "Confesso a você que, às vezes, acordo no meio da noite com a sensação desagradável de ter estado pendurada por uma corda sobre uma poça cheia de crocodilos famintos. E ainda que em seguida me dê conta de que foi só um pesadelo, também não posso me esquecer de que o incidente aconteceu de verdade." (página 17, alguns dos pesadelos de Dámeris)

 Em busca de respostas, Runy vai recordar um vida passada, onde foi Kasim, um príncipe no Sri Lanka, muito impulsivo e orgulhoso, que fez coisas horríveis, e teve que passar por grandes sofrimentos, perdendo tudo o que mais amava, para poder se redimir e evoluir.

 "Vim até a cidade perfeita porque as regras do jogo mudaram. A coisa está feia. Muito feia. os figurões do museu da Filadélfia, que chegaram ontem à noite já nervosos, hoje desmoronaram completamente. Com a notícia, todo o projeto deles vai abaixo, seus dólares naufragaram nas profundezas de um mar devastado e vazio. E Dámeris pode naufragar com eles. Enquanto tiver forças nessas veias, não vou permitir. Por isso as regras mudaram." (página 133)

 Eu gostei muito de conhecer um pouco do Sri Lanka dos séculos passados, assim como amei toda a parte que envolvia a disputa dos dois museus para encontrar as relíquias no mar de Ibiza. Esses foram os pontos altos do livro. Em contrapartida, Runy como Kasim foi um homem desprezível, de quem era difícil gostar, e que mereceu todas as muitas dificuldade e perdas pelas quais passou até aprender a ser alguém digno.

 "- Mesmo sendo mulher, você tem muito temperamento.
 - Como assim, mesmo sendo mulher? Nós não temos o direito de ser temperamentais? Por acaso é um privilégio exclusivo dos homens?" (página 245, uma das bobagens que Kasim fala)

 Eu não gostei do final dado para a trilogia, acredito que o autor tinha possibilidades muito melhores do que simplesmente correr com os últimos capítulos e jogar fora tudo o que foi construído por Runy, Dámeris e a busca pelas sete estrelas ao longo dos livros anteriores. Foi o desfecho que ele quis dar, mas que me passou a sensação de falta de aproveitamento. Talvez "Kalixti - o enigma das sete estrelas" devesse ser uma série com quatro ou cinco livros e não uma trilogia. Então, se o primeiro volume foi razoável, o segundo muito bom, o terceiro ficou num meio termo, pois foi interessante na ambientação e na busca pelas relíquias, mas deixou a desejar no desfecho e no protagonista.

 "Em nossa cultura, infelizmente, a violação é uma prática bastante comum para obrigar as jovens a se casar conta sua vontade. Desde os primórdios sempre consideramos que as mulheres que perdem a virgindade antes do casamento, mesmo que seja por estupro, deixam de ter valor. E, para evitar essa vergonha, muitas se veem obrigadas a se casar com seus estupradores." (página 224, sobre o Sri Lanka da época de Kasim)

Trilogia Kalixti, Pedro Terrón
Trilogia Kalixti, Pedro Terrón
 A narrativa proporcionou uma leitura fluida, a escrita do autor é diferente de um jeito bom, os personagens principais e secundários foram bem construídos (e com certeza me lembrarei deles por um bom tempo), a história me deixava curiosa para os próximos capítulos e, como já mencionado, a ambientação era fascinante.

 "Passaram-se vários dias de aula e continuamos sem tirar boas notas, estamos quase como no princípio. Em nossa pesquisa, as descobertas a destacar são um tanto quanto escassas: um par de destroços de naufrágio interessantes - nenhum com a idade exigida-, restos isolados de barcos, o esqueleto de um aviãozinho... Como se o mar só se atrevesse a falar de pequenos segredos. No que se refere às esculturas de damas senhoriais e estrelas de sete pontas, nada além do silêncio. Do belo silêncio azul." (página 77)

Resenha, opiniao, critica, blog-literario, livro, A-bússola-do-peregrino, Pedro-Terrón, primavera-editorial, trilogia-kalixti, sinopse
Pedro-Terrón
A-bússola-do-peregrino, Pedro-Terrón, Primavera-Editorial


 A capa da Primavera traz elementos, como o elefante, que são condizentes com a trama e combina com os volumes anteriores. As páginas são amareladas e lisas. A diagramação tem legras, margens e espaçamento de bom tamanho e a revisão tem poucos erros.

 Detalhes: 440 páginas, ISBN-13: 9788561977221, Skoob. Clique e compare preços no Buscapé.

 Apesar da decepção com o desfecho, valeu a pena ler a trilogia e eu a recomendo especialmente para quem gosta de fantasia e quer conhecer um pouco mais de lugares exóticos. Por hoje é só, espero que tenham gostado do post. Me contem: já conheciam o livro ou o autor? Cliquem aqui e participem dos sorteios que estão rolando no blog (e também tem sorteio na fan page e no Instagram).

Até o próximo post!

Me acompanhe nas redes sociais:

16 comentários

  1. A unica história em série que eu já li, foi o da Saga Crepúsculo. Digo isso pois mesmo tendo adorado a saga não a leitura em série que gosto. Principalmente por depois de terminar o final ser decepcionante como tu comentou. Num geral parece ser interessante as historicas contadas em cada volume mas não me atraiu. Sem falar na minha ansiedade, ela me impede em ler sagas ahahaga

    ResponderExcluir
  2. Oi Mari.
    Que bom que no geral você gostou da trilogia, apesar do final não ter te agradado.
    É ótimo quando os autores conseguem criar personagens incríveis que vão ser lembrados por nós por bastante tempo.
    Não é uma série que eu leria, pois não me interessei pela trama.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Eu não conhecia a trilogia, confesso que fiquei bastante interessada em conhecer o enredo, parece bom e espero se eu conseguir uma oportunidade não em decepcionar com a leitura.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  4. Certa forma achei um livro bem interessante eu vou dar uma olhada depois no livro no site da Amazon para ver se realmente comprou ele mas não sei o que esperar do final do livro já que você falou que decepcionou um pouco

    ResponderExcluir
  5. Oiee

    Eu adoro este clima de 'caça ao tesouro', ainda mais quando se passa em outra época e tem todo um mistério a ser desvendado, me dá uma certa nostalgia, lembro da adolescência e dos filmes que assistia na sessão da tarde... Adoro estas capas, fazem jus à trama. Pena não ter gostado do final da trilogia, mas ainda bem que o desenrolar das histórias compensou né.

    Vanvan

    ResponderExcluir
  6. Oi Maria!
    Não conhecia a história, e mesmo não me agradando tanto, não dá para negar que o enredo é bem original. Também pensei que é uma série para se conter mais livros, principalmente se ela conta mais sobre os personagens nas vidas passadas, pena que o autor não soube aproveitar, e que bom que ainda assim foi uma leitura agradável!
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Muito boa sua resenha. Gosto de histórias assim, com muito mistério e aventura! Essa daí, pelo que vi tem um pouco de "Indiana Jones" no enredo. Acho que assisti todos os filmes com esse desse tipo que passava na antigona "Sessão da Tarde" (rsrsrsrs) E não me arrependo nenhum segundo por isso, pelo contrário. Foram ótimos tempos, quem dera que a gente tivesse essa animação toda no momento... Mas, voltando à sua resenha, adorei a história e já vou correr atrás dessa maravilha pra colocar na fila de leituras. A diagramação parece ser boa, como você mostrou e agradeço a indicação!
    Abração,
    Drica.

    https://testelivroseideias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. É a primeira resenha que leio sobre essa trilogia e achei bacana seu ponto de vista sobre cada um dos volumes. Pena que o final não a agradou! Para ser sincera prefiro ler livros únicos.
    Bjs,
    https://contosdacabana.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Já tinha visto as capas dessa série no site da editora, mas acabei passando batido. Gosto muito de fantasia, mas não sei se leria essa em especial, acho q saber que final foi meio corrido me desanima um pouco, a gente espera tanto e no fim não foi tudo que imaginamos é frustrante.

    Raíssa Nantes

    ResponderExcluir
  10. Olha, achei a capa do livro belíssima e até gostei da resenha, todavia, como vc falou q poderia haver um final melhor da trilogia, nao fiquei muito animado. Sei lá, ler 3 livros para chegar no fim e ter esta conclusao. Vc não ficou meio chateada não? Bom, espero q não esteja tão frustrada assim. Grande abrao e parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fiquei dividida, sabe? A história teve partes fantásticas e outras não tão legais assim, mas valeu a pena.

      Excluir
  11. Não conhecia essa trilogia, adoro livros assim. Parabéns pela resenha. Não gostei muito das capas.

    ResponderExcluir
  12. Oi Mari.

    Eu não conhecia essa trilogia e mesmo sua resenha sendo bem informativa e bem escrita, infelizmente o livro não chamou minha atenção. Vou deixar para pegar outra dica literária na próxima visita.

    Bjos

    ResponderExcluir
  13. Oi, tudo bem?
    Já ouvi falar muito bem dessa trilogia e tenho vontade de ler.
    Sobre a narrativa parece que todos concordam que é muito boa. Uma pena que o desfecho com o terceiro volume tenha sido mediano para você. Mas creio que a leitura vale a pena.

    Blog Livros, vamos devorá-los

    ResponderExcluir
  14. Oii, não conhecia a trilogia, mas me pareceu muito legal! É bem o tipo de leitura que costumo gostar!!
    Parabéns pelo post e pela dica!
    by: atravesdaescrita.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Olá preciso confessar que não conhecia a obra, mesmo sendo bem instigante não acredito que daria uma chance por ser uma série entretanto gostei bastante de conhcer um pouco sobre a história, beijos!

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar :)!!! Sua opinião é muito importante para mim. Tem um blog? Deixe seu link que visitarei sempre que possível.
*comentários ofensivos serão apagados

Topo