Resenha: livro "Sem Amor", Katy Regnery

 Olá pessoal, tudo bem? Na resenha de hoje venho comentar sobre minha experiência de leitura com o livro "Sem Amor", escrito pela Katy Regnery e publicado no Brasil pela Editora Charme em 2018. A capa do livro (ainda que combine com alguns elementos da história) não tinha chamado a minha atenção num primeiro momento. Mas aí eu fui ler a sinopse, algumas resenhas e comentários de outros leitores, e fiquei com muita vontade de ler o livro. Imaginem a minha alegria quando a editora colocou "Sem amor" no Kindle Unlimited! Corri para baixar e ler.

Resenha, livro, Sem-Amor, Katy-Regnery, editora-charme, blog-literario, petalas-de-liberdade, kindle-unlimited
A tela do Kindle é em preto e branco, fiz uma montagem com a capa para ficar mais bonita na foto.
 "Ela é um anjo, e eu carrego o diabo dentro de mim. Mas, neste momento — neste momento efêmero e roubado, quando eu deveria afastá-la —, tudo que posso sentir é reverência e gratidão."
 A narração é dividida entre os protagonistas: Cassidy Porter de 27 anos e Brynn Cadogan, de 30. Ainda criança, Cassidy teve que sair da escola e se mudar com a mãe para a casa do avô numa área isolada, pois a família já não era mais bem-vinda na cidade por causa do pai de Cassidy: Paul Isaac Porter foi preso, acusado de ser um psicopata responsável pelo assassinato de várias garotas.

 Cassidy cresceu sabendo que poderia carregar dentro de si o mesmo mal que havia em seu pai, que poderia ser um psicopata como ele. Para evitar cometer crimes tão brutais, ele seguia os conselhos da família e vivia isolado desde os 17 anos, após a morte da mãe e do avô. Até que, um dia, Cassidy não aguentava mais a solidão, e foi para uma trilha na montanha, apenas para ouvir a voz de outras pessoas. Foi lá que ele encontrou Brynn numa situação muito complicada!

 Vendo-a ferida e correndo perigo, ele decidiu levá-la para a casa dele (muito mais perto do que algum outro lugar onde ela poderia conseguir socorro) e tentar ajudá-la. Os últimos tempos para Brynn também não foram fáceis. Ela estava tentando se recuperar de uma grande perda. E interagindo com Cassidy, passando um tempo com ele, surgiria uma atração da qual ela não queria fugir. Mas Cassidy tinha medo. E se o contato com Brynn despertasse nele o lado que tanto tentava evitar? E se ela fosse a sua única oportunidade de não levar uma vida sem amor?

 Eu gostei muito de Sem Amor! Os dois personagens tem um passado bem doloroso. Brynn pelo menos tem o apoio dos pais, dois personagens que nem apareceram tanto mas me conquistaram. Não é spoiler, pois foi dito logo no começo, que, dois anos antes, o noivo de Brinn foi morto quando um homem invadiu o local onde ele estava e saiu atirando em todo mundo, e infelizmente a gente sabe que episódios assim acontecem, essa perda da protagonista mexeu bastante comigo.
 "Meus dedos, que não tocam outro ser humano desde que meu avô se foi, provavelmente nem devem mais se lembrar da textura de uma pele — o calor que ela proporciona, a sensação de tê-la pressionada contra a minha. Mas eles lembram. Todos os dez lembram. E, às vezes, eu gostaria de não conhecer o milagre do toque, a beleza de uma pele contra outra pele, de ter minha mão entrelaçada na cálida mão da minha mãe ou de ter a palma áspera do meu avô na minha nuca. Não há como sentir falta de uma coisa que nunca se teve. Você não pode desejar algo que nunca possuiu. Mas eu conheço a glória de um toque humano. E sinto falta.
 Geralmente, sou bom em manter minha solidão em silêncio.
 Mas hoje faz dez anos.Então, hoje, ela me machuca."
 É sofrido imaginar como foi a vida de Cassidy, toda sua solidão, como ele teve que abandonar seus sonhos de infância ao se tornar alvo da desconfiança de todos, como se o fato de ser filho de quem era definisse toda a sua vida e o seu futuro. O livro aborda essa questão da psicopatia ser ou não hereditária (há algumas cenas fortes sobre isso), e mesmo que estejamos vendo o quanto Cassidy é bom e doce, ainda sofremos com a incerteza sobre o futuro dele.

 O final traz uma reviravolta de dar um nó no cérebro, eu fiquei curiosíssima para entender todas as peças. Os capítulos são curtos e a escrita da autora é fluida. A ambientação ficou bem feita, nos fazendo imaginar facilmente a vida na casa isolada do personagem. Há algumas cenas de sexo, e o fato de termos um mocinho inexperiente traz um diferencial para o livro.

 Sobre a edição: a capa não chamaria muito a minha atenção mas tem a ver com a história, há alguns detalhes no início de cada capítulo e não me lembro de ter encontrado erros de revisão.  Enfim, fica a minha recomendação de leitura. Leiam "Sem Amor", mas estejam preparados para um romance com carga dramática; foi uma leitura que, apesar de ter um final feliz, eu terminei com o coração apertado por tudo o que os personagens viveram. Me contem: já leram ou querem ler esse livro?
 "Minha mãe e eu estávamos feridos e assustados quando fugimos para a floresta, e assim eu teria permanecido se não fosse por Brynn. Ela foi a minha magia."

 Detalhes: 368 páginas, ISBN-13: 9788568056554, Skoob uma das músicas citadas no livro é While My Guitar Gently Weeps (The Beatles), vale a pena ouvir; clique para comprar na Amazon (e-book ou físico):


Até o próximo post!

Me acompanhe nas redes sociais:

16 comentários

  1. Olá!
    Eu amei essa história. A autora trouxe um romance com bons dramas e é impossível não se compadecer com todo sofrimento de Cassidy.
    Mas também torci muito para que ambos encontrassem uma forma de serem felizes, afinal a vida não poupou sofrimentos.
    Uma boa dica de leitura.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  2. Tudo bem? Já vi muitos comentários sobre esse livro e faz tempo quero ler e ainda não tive oportunidade. Não é exatamente meu estilo de leitura, mas estou muito intrigada com diversos comentários que eu já li e amigas comentam, eu curto as vezes um romance com essa carga emocional dramática. Sua resenha afirmou alguns pontos que eu já tinha escutado e me deixou mais uma vez um alerta para o fato de eu querer ler essa história.

    Beijos.

    Além das Páginas.

    ResponderExcluir
  3. não conhecia o livro, mas esse título com essa capa me deixou curiosa, e agora sua resenha também, já que você disse que há reviravolta. a trama em si também me chamou atenção. faz tempo que não leio algo assim! espero ter a oportunidade em breve!

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  4. Oi, Maria!
    Ao contrário de você, achei essa capa bem bonita. Talvez na versão em preto e branco não ganhe mesmo muito destaque, mas colorida gostei. Gosto de histórias que abordam a temática de problemas psicológicos, então achei interessante essa questão da psicopatia ser ou não hereditária. No entanto, não sei se eu leria o livro no momento, pois ando me interessando por gêneros literários diferentes do romance. Mas agradeço pela dica, talvez um dia eu ainda possa mudar de ideia e fazer essa leitura. Seu post ficou ótimo. Beijos!

    Jéssica Martins
    castelodoimaginario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Olha, pelo que já estudei sobre psicopatia, achei muito inverossímil esse "medo" do protagonista de "despertar" essa possível psicopatia hereditária, porque, geralmente, psicopatas já dão mostras de sua patologia desde a infância... talvez o livro mostre isso? Seria interessante.
    Como não sou fã de romances com foco em relacionamentos amorosos, também não gostei muito da premissa do livro.

    ResponderExcluir
  6. Tenho que confessar que essa capa também não me atrai em nada para a leitura, mas ainda em que li a sua resenha porque eu fiquei muito curiosa para poder ler o livro também. Adorei a premissa dele e ver sua opinião me deixou bem animada, acho que pode ser uma boa leitura para mim também.

    ResponderExcluir
  7. Já tinha visto o livro, mas nem de longe conhecia a premissa dele e confesso que agora ele me chamou a atenção.
    Fiquei bem curiosa para saber como se desenrola a relação entre Cassidy e Brynn, sem dizer que o fato de abordar o assunto sobre psicopatia ser oou não hereditária
    torna a leitura rica. Então é dica anotada.

    Beijos
    https://acabinedeleitura.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. A editora Charme sempre faz ediçoes muito bonitas! Eu acho a tematica desse livro muito interessante, falar sobre psicopatia em romances sempre me deixa bastante curiosa. Espero ler!

    ResponderExcluir
  9. Eu já tinha visto o livro antes, mas ainda não tinha lido nada sobre ele. Não me senti muito atraída pela trama, pois ando meio cansada desses personagens com passados sombrios, para mim ja se tornou uma receita pronta e um tanto enjoativa... Não é o tipo de livro que eu leria no momento, mesmo diante de tantos elogios que vc fez...

    ResponderExcluir
  10. Eu já tinha ouvido falar desse livro antes e tenho sim muita vontade de apostar nessa história, sobretudo pela carga dramática.rsrs Embora livros assim geralmente façam eu me sentir angustiada e sem chão é justamente o passado dos personagens que me atrai. Quero conhecer o mocinho, entender seu sofrimento, como ele leva a vida depois das coisas monstruosas que seu pai fez e o medo dele de ser como o pai, de ter herdado sua maldade. Isso me faz lembrar imediatamente de Lei e Ordem - Unidade de Vitimas Especiais (minha série de TV preferida), pois a Olívia é filha de um estuprador, de um homem ruim, e durante boa parte da sua vida ela teve medo de ser como ele, de ser uma pessoa má. Mas pelo contrário! A Liv é uma guerreira, uma mulher que luta pelas vítimas de crimes hediondos e tenta, mesmo num mundo injusto, encontrar justiça para essas pessoas. Espero que o mocinho do livro um dia perceba que nem sempre nossa herança genética molda nosso caráter.

    A mocinha, por sua vez, também me faz querer ler o livro, pois imagino como ela deve sofrer com a perda brutal do homem que amava. E quero vê-la recomeçar e reconstruir seu coração ao lado do mocinho. :)

    ResponderExcluir
  11. Oie!
    como é esse drama? Aqueles de fazer chorar? Ou só aquela tensão para fazer o leitor roer as unhas?
    Com certeza eu vou ler o livro, estou curiosa para conferir esse romance, ainda mais quando diz que tem um final feliz, já fiquei mais animada para ler.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pra mim o drama foi mais pela tensão, pela "dó" do que os personagens tiveram que enfrentar, mas acho que isso para alguns leitores pode trazer lágrimas sim.

      Excluir
  12. Essa história deve ser surpreendente, adorei a resenha e os quotes. Eles me aguçaram a minha curiosidade e agora desejo demais ler a obra.

    ResponderExcluir
  13. Olá amore,

    Sendo sincera a capa não é nem um pouco convidativa mesmo, passaria a dica fácil pra ser sincera.
    Lendo sua resenha, talvez até daria uma chance pra leitura, mas não nesse momento de minha vida, estou precisando de coisas mais lights entende.
    Arrasou na resenha!

    Beijokas!

    ResponderExcluir
  14. Oi oi querida,
    Eu nem imaginava que um livro com tão poucas páginas, poderia ter uma história tão profunda e intensa. Não tinha lido a resenha do livro ainda, e tbm não conhecia a autora ainda. Então, fiquei impressionada com o enredo e a premissa da obra. Espero gostar do livro tanto quanto você.

    Beijoss, Enjoy Books

    ResponderExcluir
  15. Oi Maria.
    Pois é, a capa não me chamou a atenção, mas vendo as resenhas das meninas que sigo, fiquei encantada com a primissa. Todas foram só elogio para essa historia.
    Peguei no kindle Unlimited, espero que dê tempo de ler nas férias.
    Obrigada pela dica ❤.

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar :)!!! Sua opinião é muito importante para mim. Tem um blog? Deixe seu link que visitarei sempre que possível.
*comentários ofensivos serão apagados

Topo