sábado, 20 de fevereiro de 2016

Resenha: livro "Copos que andam", Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho

 Olá pessoal, tudo bem? O livro da resenha de hoje é "Copos que andam", escrito pela Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho e publicado pela Petit Editora.

Resenha, livro, Copos-que-andam, Vera-Lúcia-Marinzeck-de-Carvalho, espírito-antonio-carlos, petit, brincadeira-do-copo

 Primeiramente, devo mencionar que a Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho não se intitula autora da obra, ela  é médium e psicografou segundo as palavras do espírito Antônio Carlos. Confesso que não entendo entendo muito do assunto, mas como já havia visto falar nos romances do espírito Antônio Carlos e por já ter visto a tal "brincadeira do copo", fiquei com vontade de ler o livro.

 Creio que muito de vocês já tenham ouvido falar na brincadeira do copo ou em suas variações (como a que utiliza um compasso), onde supostamente os participantes fazem perguntas a um espírito que responde fazendo com que o copo se movimente até as letras e números de um tabuleiro formando palavras. O livro tem a intenção de esclarecer os riscos que essa prática traz. Não sendo espírita, há em mim a incerteza se é tudo realmente uma brincadeira ou se de fato há a presença de espíritos, por via das dúvidas, é uma "brincadeira" que não aconselho.

 "Copos que andam" foi uma leitura que me surpreendeu positivamente, num primeiro momento receei que a trama ficasse só em relatos de casos em que essa brincadeira trouxe problemas, assemelhando-se a um livro de contos, mas conforme fui lendo, percebi que uma história foi ganhando espaço e se desenvolvendo. Era a história de uma garota que, após a morte dos pais, vivia sozinha num sítio decadente, a garota definhava de forma assustadora. Será que o espírito Antônio Carlos (o narrador) e seus companheiros poderiam fazer alguma coisa para ajudar a menina? E o que teria acontecido para que a vida dela chegasse naquele ponto tão degradante? Só lendo para saber!

 "O Espiritismo é uma doutrina que ensina somente o Bem, a modificação íntima das pessoas, tornado-as melhores. (...) E, respondendo à sua pergunta, esse divertimento não é espírita. O 'copo que anda' constitui apenas um fenômeno mediúnico." (página 14)

 Foi uma leitura rápida, com capítulos curtos e uma narrativa fluida. Não é o primeiro livro do espírito Antônio Carlos, então alguns conceitos e definições sobre o que acontece "do outro lado" não foram aprofundados (o que, caso acontecesse, poderia tornar a leitura repetitiva para quem já leu os anteriores) e isso me deixou curiosa para pesquisar mais sobre o assunto e entender melhor a estrutura do mundo dos desencarnados.

Resenha, livro, Copos que andam, Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho, espírito antonio carlos, petit, brincadeira do copo, sinopse, contracapa

 Sobre a parte visual: eu gostei da capa, é condizente com o assunto, as páginas são brancas, as margens e as letras tem bom tamanho e o espaçamento é grande. Não me lembro de ter encontrado erros de revisão.

 Enfim, "Copos que andam" é um livro que recomendo, especialmente para quem quer saber mais sobre o assunto. E, por via das dúvidas, fica o conselho para que não façam a tal brincadeira do copo: segundo o livro, nada de bom pode vir dela e espíritos não podem prever o futuro.

 "Sabemos que os bons espíritos, os trabalhadores, não tem tempo para essas futilidades, mas os desocupados estão sempre prontos para atendê-los!" (página 11)

 Detalhes: 200 páginas, ISBN-13: 9788572532983, Skoobleia um trecho. Onde comprar online: na loja da editora.

 Espero que tenham gostado  da resenha. E se tiverem se interessado pelo livro, saibam que ele é um dos que está sendo sorteado na Promoção de Aniversário do blog "De Cara Nas Letras", participem!

Até o próximo post!

Me acompanhem nas redes sociais:

14 comentários:

  1. Oi!
    Eu não tenho o hábito de ler livros espíritas/psicografados mas as vezes me interesso pelas premissas de algun e esse foi o caso. Como a minha mãe é quem gosta de livros desse gênero acabo anotando as dicas e depois passando para ela e é o que vou fazer com Copos que Andam, se ela ler e gostar quem sabe eu não leio também ^^
    Abraços,
    Andy - StarBooks

    ResponderExcluir
  2. Oi Mari. Eu tenho minhas restrições com a doutrina espírita, e minhas discordâncias. Acabo nunca conseguindo aproveitar literaturas espíritas por conta dessas discordâncias. A literatura espírita é bastante doutrinária, e este, pelos quotes que vc postou, não é exceção à regra. Assim, esse é um livro que não me interessa nem um pouco. Beijo.

    ResponderExcluir
  3. Oi Mari. Eu tenho minhas restrições com a doutrina espírita, e minhas discordâncias. Acabo nunca conseguindo aproveitar literaturas espíritas por conta dessas discordâncias. A literatura espírita é bastante doutrinária, e este, pelos quotes que vc postou, não é exceção à regra. Assim, esse é um livro que não me interessa nem um pouco. Beijo.

    ResponderExcluir
  4. Oii, tudo bem?
    Eu sempre quando posso estou lendo essas obras, acho sempre curioso e enriquecer conhecer sobre isso, para mim. É um assunto que não é muito debatido e nem mostrado. Portanto, leria com toda certeza.
    Beijão

    ResponderExcluir
  5. Olá flor, já li uma obra com essa temática e gostei bastante.
    Parabéns pela resenha!

    Beijokas da Quel ¬¬
    Literaleitura

    ResponderExcluir
  6. Eu nunca li nada do tipo, parece ser interessante um livro escrito por uma pessoa que já se foi, gostei, fiquei interessado! ><

    Abraços & até!!

    lendoferozmente.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Oie! Nunca tive contato com obras desse gênero pela falta de interesse mesmo. Não acredito em espíritos andando por aí respondendo as perguntas dos outros e, creio que, se existissem, teriam uma utilidade maior do que andar por aí empurrando um copinho... Porém tenho que concordar que o trabalho de capa feito pela editora ficou lindo!

    Beijos,
    Fernanda F. Goulart,
    Império Imaginário.

    ResponderExcluir
  8. Olá! Sua resenha foi muito bem escrita, parabéns..
    Bem direta e verdadeira, do jeito que gosto, mas eu não me empolguei muito com o livro, faz muito tempo que não leio nada desse gênero.
    abracos.

    www.sobrevicios.com.br

    ResponderExcluir
  9. Acho que esse livro seria uma leitura muito interessante. Já ouvi falar da "brincadeira",assisti filmes sobre,mas nunca fiz(nem farei!). Eu certamente leria esse livro,apesar da edição deixar a desejar por ser páginas brancas,que por sinal,detesto. Mas gostei da sua resenha,foi bem esclarecedora e honesta.Parabéns.
    Abraço;

    http://estantelivrainos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Adorei sua resenha! A brincadeira do copo era uma das que mais faziam em meu grupo de amigos na escola, porém nunca participei ou quis fazer; acredito que não devemos mexer com quem está quieto kkk. Fiquei interessada nesse, para uma leitura futura.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Na minha adolescência eu já fiz essa brincadeira, que para mim estava ligada ao gênero terror, que adoro. Hoje acho que não teria mais coragem. rsrsrs. Bom, não costumo ler livros espiritas. Mas uma coisa é certa: a capa ficou linda. Se fosse um livro de terror, compraria na hora.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Oi!
    Gostei muito da sua resenha. Não conhecia este livro nem o espírito. Livros do gênero só li os da Zíbia/Lucius, que eu amo de paixão.

    Beijos
    http://ummundochamadolivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Oii!
    Não gosto muito de livros com história espíritas, mas tenho certeza que esse livro deve ser bem interessante!

    Vitória, www.vicio-de-leitua.com

    ResponderExcluir
  14. Oi, tudo bem?
    Bem interessante o livro, já fiz a brincadeira do copo/compasso quando mais nova sem pensar muito sobre se teria algum risco.
    Bjs

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar :)!!! Sua opinião é muito importante para mim.
Leio todos os comentários, mesmo que nos posts mais antigos. Responderei seu comentário aqui nesse mesmo post. Tem um blog? Deixe seu link que visitarei sempre que possível.
*comentários ofensivos serão apagados