Resenha: livro Os homens que não amavam as mulheres, Stieg Larsson

 Olá pessoal, tudo bem? O livro da resenha de hoje é Os homens que não amavam as mulheres, escrito pelo sueco Stieg Larsson e publicado no Brasil pela editora Companhia das Letras.

Resenha, livro, Os homens que não amavam as mulheres, Stieg Larsson, Companhia das Letras, editora, trilogia, Millennium, Lisbeth

 A história se passa na Suécia, é narrada em terceira pessoa e começa quando o jornalista Mikael Blomkvist é condenado por difamar um empresário milionário. Ele era um dos sócios da revista Millenium, a credibilidade da revista estava abalada após sua condenação, assim como a carreira de Blomkvist.

 Foi aí que ele recebeu uma proposta inusitada do empresário aposentado Henrik Vanger, proposta que se dividia em duas partes: escrever a biografia da família Vanger e investigar o sumiço de Harriet, sobrinha de Henrik, que desapareceu em 1966. Se Mikael descobrisse algo que ainda não tivesse sido notado nas investigações realizadas ao longo dos últimos 40 anos, Henrik lhe pagaria uma grande quantia, suficiente para ajudar muito a vida financeira do jornalista, se não descobrisse, só a escrita da biografia já lhe renderia um bom dinheiro. Inicialmente, Blomkvist não ficou muito animado com a proposta, mas acabou aceitando, já que, entre o outras coisas, precisava encontrar uma forma de dar a volta por cima. Mas por quê justamente ele havia sido escolhido por Henrik Vanger? É aí que seus caminhos se cruzam com os de Lisbeth Salander.

 Ela era uma jovem hacker, contratada por uma empresa da área de segurança, foi responsável por fazer uma investigação sobre a vida de Blomkvist. Lisbeth tinha um visual excêntrico, um passado conturbado e não era muito sociável.

 "No entanto, não era a surpreendente falta de emoção em Lisbeth Salander que mais o perturbava. A época exigia investimento na imagem, e a imagem da Milton era a de uma estabilidade conservadora. E Lisbeth Salander correspondia tão pouco a essa imagem quanto uma escavadeira num salão náutico. (...) Parecia estar sempre chegando de uma semana de farra na companhia de uma banda de heavy-metal." (página 42)

 O caso que Blomkvist tinha em mãos parecia já ter sido destrinchado ao extremo nas últimas décadas, mas Henrik Vanger era atormentado todos os anos ao receber um presente de alguém que ele julgava ser o assassino de Harriet, e queria fazer uma última tentativa de descobrir quem era o criminoso, já que ele acreditava que alguém da conturbada  família Vanger havia matado a garota e sumido com o corpo.

 Quando, depois de muito trabalho, Blomkvist começou a descobrir novos indícios sobre o caso, ele precisou de ajuda e Lisbeth Salander foi escolhida para auxiliá-lo. Juntos, eles descobriram que o desaparecimento de Harriet Vanger escondia segredos assustadores, que colocariam a vida dos dois em perigo.

 "- Não estou brincando. Esse caso começou como um enigma histórico, mas hoje de manhã havia um gato morto na entrada e no fim da tarde alguém tentou estourar os seus miolos. Nós cutucamos alguém do esconderijo." (página 380)

 Os homens que não amavam as mulheres é o primeiro da trilogia Millenium, escrita por Stieg Larsson, já adaptada para o cinema e que fez um enorme sucesso, por isso, eu estava muito empolgada para conhecer a história. Até mais um menos a página 60, eu estava achando a leitura desanimadora, mas na medida em que fui lendo mais capítulos, fiquei vidrada pela história e entendi o motivo de ser uma obra tão aclamada.

 Os protagonistas formam uma dupla muito interessante, daquelas por quem torcemos muito. Será impossível me esquecer de Mikael Blomkvist, de Lisbeth Salander e também de Henrik Vanger e de outros personagens, já que os coadjuvantes também são bem construídos, tem profundidade. A trama é ótima, foi maravilhoso me surpreender com os desdobramentos do caso Harriet, confesso que não esperava que a história tomasse o rumo que tomou.

 Além de ter ficado fascinada pela parte da investigação, gostei de ver um pouco mais sobre o universo jornalístico e do mundo dos hackers, além de conhecer um pouquinho da Suécia, país sobre o qual sei pouco. Através da narrativa do autor, consegui visualizar as cenas com muita facilidade.

 "Durante a semana que passou na casa dele, ele não tentou abordá-la sexualmente. Trabalhou com ela, pediu sua opinião, criticou-a quando raciocinava errado e apreciou suas objeções quando ela o corrigia. Tratou-a, nem mais nem menos, como um ser humano." (página 360)

 Os homens que não amavam as mulheres é um livro que gostei muito e que super recomendo que todos leiam! É uma obra com lugar garantido na lista de livros que você deve ler, independente da sua idade, mesmo tendo cenas fortes, com certeza vai te tornar uma pessoa mais consciente.

 "-(...)Nos anos 1940, uma mulher de Hedestad foi atacada, violentada e assassinada. Isso não é raro. Durante sua carreira, todo policial tem que elucidar esse tipo de acontecimento pelo menos uma vez." (página 182)

Resenha, livro, Os-homens-que-não-amavam-as-mulheres, Stieg Larsson, Companhia das Letras, editora, trilogia, Millennium, Lisbeth, opinião
Resenha, livro, Os homens que não amavam as mulheres, Stieg Larsson, Companhia das Letras, editora, trilogia, Millennium, Lisbeth, capa nova
Resenha, livro, Os homens que não amavam as mulheres, Stieg Larsson, Companhia das Letras, editora, trilogia, Millennium, Lisbeth


 A trilogia começou a ser lançada no Brasil em 2008, em 2015 a editora Companhia das Letras decidiu relançá-la com novas capas. Eu gostei bastante dessa nova edição, apesar de ela ainda não seguir o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. Achei a capa bem bonita, mais atrativa para mim do que as edições anteriores. A diagramação está boa, com margens, espaçamento e letras de bom tamanho, as páginas são amareladas.

 Stieg Larsson morreu em 2004 e não pôde ver o sucesso de sua trilogia. Em 2015, o também jornalista sueco David Lagercrantz escreveu um quarto livro para Millennium (que deixou de ser trilogia para ser uma série). Esta semana, eu fiquei super contente ao receber meu exemplar de A Garota na Teia de Aranha (postei várias fotos lá no Instagram), mas ainda não tenho o segundo e o terceiro livro da série, respectivamente A menina que brincava com fogo e A rainha do castelo de ar. Quero muito ler continuar a leitura da série, mas não sei se leio logo o quarto volume ou se espero para ler em sequência.

 Detalhes: 528 páginas, ISBN-13: 9788535926163, Skoob. Onde comprar online: Americanas, Submarino.

 Mais uma citação interessante:
 "Adolescentes,eles haviam compartilhado os fardos que se carrega nessa idade. Adultos, eram na verdade estranhos um para o outro, seres totalmente diferentes." (página 35)

 Por hoje é só, espero que vocês tenham gostado da resenha. Eu poderia ficar falando de Os homens que não amavam as mulheres por horas, mas espero já ter conseguido passar para vocês o quanto o livro é bom! Se vocês ainda não leram, leiam! Se já leram, me contem o que acharam.

 "-Por que tudo isso?
 (...)
 - Porque é muito fácil - disse. - Mulheres desaparecem o tempo todo. Elas não fazem falta a ninguém. Imigrantes, prostitutas russas. Milhares de pessoas passam pela Suécia todos os anos.
 Soltou a cabeça de Mikael e levantou-se, quase orgulhoso de poder esclarecer seu visitante." (pagina 403)


Até o próximo post!

Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobGoodreadsBloglovin (receba os posts do blog no seu e-mail)| Instagram.

14 comentários via Blogger
comentários via Facebook

14 comentários

  1. Nossa, esse livro é enorme, não sabia que tinha filme. Esse tipo de história não me empolga para leitura, mas se eu gostar do filme, talvez me arrisque nessa leitura. Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Olá, eu sempre ouço todo mundo falar dessa série, mas confesso que ela nunca chamou minha atenção então não é um livro que eu leria no momento. Mas amei a sua resenha!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  4. eu confesso que sou louca pra ler esses livros a uns bons anos mas o tamanho dele me assusta.

    ResponderExcluir
  5. Eu já tinha ouvido falar dessa trilogia e do filme, mas nunca soube sobre o que se tratava, hahaha. Adorei que tem investigação e essa coisa de hacker. Quero muito ler! Pena que a obra é enorme, vou levar muito tempo para ler. rs :(
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  6. Tenho muita vontade de ler esse livro. Não há uma pessoa que não goste dele e me indique. Certa vez li uma história sobre hackers e fiquei fascinada, acredito que nessa história eu deva mergulhar. Obrigada por me lembrar de compra-lo. E af, que edição linda essa né? Beijo!

    ResponderExcluir
  7. Olá
    eu vi alguns comentairos sobre esse livro, mas eu não curti a sinopse dos livros, achei que não conseguiria ler, rssr, mas as capas tem um modelo bem bacana
    bjks
    Passa Lá - http://ospapa-livros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oie! Tudo bem? Eu acho esse livro INCRÍVEL! Eu o li na edição anterior e tô morrendo de vontade de comprar o box da edição nova que parece estar impecável. Quero ler o 4 livro também.

    Beijos,

    Juliana Garcez | Livros e Flores

    ResponderExcluir
  9. Mari, já ouvi falar tanto da trilogia e em épocas bem diferentes, mas todas as vezes foram vários elogios igual a sua resenha, mas nunca li e nem assisti aos filmes.
    O gênero do livro não faz meu estilo, mas mesmo assim ainda pretendo ler um dia.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  10. Até a página 60 eu também fiquei meio assim, mas depois a leitura fluiu que foi uma beleza! Esse é definitivamente o meu livro preferido do século!! É uma grande emoção em cada capítulo, cada descoberta meu coração pulava de nervosismo, eu consegui sentir isso com o autor, Stieg é maravilhoso. O único defeito dele foi ter morrido, tsc tsc
    Sinceramente, eu não consegui fazer resenha deste livro até hoje, tudo o que conseguiria dizer é o quanto a história é maravilhosa e como eu quero que o mundo leia!

    ResponderExcluir
  11. Oi, flor.
    Confesso que fiquei um tanto curiosa com o livro. Não tenho desejo em lê-lo, sabe? O gênero policial não é necessariamente o meu favorito e já assisti ao filme (que gostei muito), então não pretendo ler a obra. Mas sua resenha foi formidável! Adorei saber que a investigação é bem trabalhada no livro e que a fluidez da narrativa o torna recomendável. Aiai… vou repensar minha decisão.

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Tenho enorme, mas enorme curiosidade de ler essa trilogia,minha prima ama e por isso tbm tenho vontade, mas é tanto livros aqui pra ler e acabei o deixando d elado, sua resenha esta boa e me acordou, tenho que adquirir o livro
    http://odiariodoleitor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Eu queeo muito ler essa trilogia, nem tão trilogia assim! A história parece ser muito boa e só comentários pasitivos sobre ele! Quero muito ler!

    Abraços e até!

    lendoferozmente.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Oie, tudo bom?
    Eu sempre tive curiosidade para ler essa série do tanto que as pessoas indicam e falam bem. Bom, sua resenha só aumentou minha vontade. É um livro diferente e tenho um exemplar dele na estante que espero ler logo. A história tem um certo mistério que chamou minha atenção.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar :)!!! Sua opinião é muito importante para mim. Tem um blog? Deixe seu link que visitarei sempre que possível.
*comentários ofensivos serão apagados

Topo