TOP COMENTARISTA DE ABRIL

TOP COMENTARISTA DE ABRIL
Seu comentário pode te dar o livro "Ninfeias Negras", clique na imagem para saber como participar! E quanto mais você comentar, mais chances tem de ganhar!

sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Resenha: filme "Meu namorado é um zumbi"

 Olá pessoal, tudo bem? No post de hoje venho falar sobre mais um filme que assisti recentemente: "Meu namorado é um zumbi". Eu não sou muito fã de zumbis, mas como o filme ia passar na TV e eu estava confortavelmente deitada no sofá, decidi ver.

Resenha, filme, Meu namorado é um zumbi, opiniao, critica, trailer
Data de lançamento: 8 de fevereiro de 2013 (1h 37min)
Direção: Jonathan Levine
Elenco: Nicholas Hoult, Teresa Palmer, Analeigh Tipton , etc.
Gêneros: Comédia , Romance, Terror
Nacionalidade: Eua

 O filme é um romance distópico. Se passa numa época em que boa parte da população se tornou zumbi, mortos-vivos, e as pessoas que continuavam vivas moravam numa cidade protegida por muros. R, "nome" de um jovem zumbi, e outros como ele, moravam num aeroporto abandonado, e saíam para se alimentar (leia-se comer humanos) quando a fome batia. Eles quase não falavam, apenas grunhiam, mas ainda pareciam mais humanos que outras criaturas denominadas esqueléticos.

 De vez em quando, um grupo de jovens saía da proteção dos muros para buscar suprimentos, nesse grupo estavam Julie (Teresa Palmer), seu namorado Perry (Dave Franco) e mais amigos da Julie. Eles foram atacados por um grupo de zumbis famintos, do qual R (Nicholas Hoult) fazia parte. R matou o namorado de Julie e comeu seu cérebro, o que evitaria que Perry se tornasse um zumbi, mas ao comê-lo, teve acesso a todas as memórias da vida do rapaz, que incluíam as lembranças de seu romance com Julie. Por isso, R decidiu proteger Julie e levá-la com ele para o aeroporto onde morava.

 Chegando lá, R tentou se tornar amigo de Julie e ela se surpreendeu ao perceber que os zumbis eram diferentes do que a população imaginava, não tão desprovidos de consciência, já que R gostava de música e tentava conversar com ela, mas Julie precisava e queria voltar para casa. A aproximação de Julie e R desencadearia uma grande mudança na relação entre humanos e zumbis, e especialmente entre os zumbis.

Casa maneira a do R, imagina morar num avião!
 O que me fez falar sobre o filme aqui no blog foi a trilha sonora linda que ele tem, que chamou minha atenção ao trazer músicas de grupos que fizeram um enorme sucesso em décadas passadas, como Scorpions (Rock You Like A Hurricane) e  Guns N’ Roses (Patience). Gostei também da forma como a música é colocada na trama, como uma das coisas que R, mesmo "meio morto", ainda se interessa. Outra coisa que me agradou foi a ideia de que o amor e as emoções é que nos tornam verdadeiramente vivos, e de que é possível conviver e amar, mesmo que tenhamos passados diferentes.

 O filme foi baseado no livro do Isaac Marion, "Sangue Quente", que está na minha lista de desejados há muito tempo e que espero ler o mais breve possível, para poder entender algumas coisas que a adaptação cinematográfica não me explicou, como, por exemplo, o que causou o surgimento dos zumbis, o que eram os esqueléticos e como exatamente o R e seus "amigos" mudaram por causa do seu envolvimento com a Julie.

 R é o personagem que mais se destaca, não só por narrar alguns trechos e nos permitir entrar na cabeça de um zumbi e ver suas tentativas de não ser um esquisito perto da Julie, mas também pela sua caracterização. É um filme bonitinho para passar o tempo, recomendando para quem gosta de distopias e tramas pós-apocalípticas, além de romance com algumas pitadas de comédia. E felizmente não é nojento!



 Por hoje é só, espero que tenham gostado do post. Me contem: alguém já leu o livro ou viu o filme?

Até o próximo post!

Me acompanhem nas redes sociais:
 twitterfacebook | G+SkoobInstagramYouTube| Snapchat: marijleite_pdl 

3 comentários:

  1. Eu conheço o filme, mas não cheguei a vê-lo ou mesmo ler o livro. O enredo em si não me chama atenção, por isso hoje eu passo a dica.
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Mari, já tinha ouvido falar do filme, mas nunca assisti e pra ser sincera não tenho vontade.
    Não faz meu estilo em nenhum sentido, exceto a trilha sonora que curti.

    ResponderExcluir
  3. Adorei o seu post, o texto é muito bem escrito, mas confesso que o filme não faz a minha cabeça. Já tinha ouvido falar, mas não me interessei. Fica para a próxima.

    Tatiana

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar :)!!! Sua opinião é muito importante para mim.
Leio todos os comentários, mesmo que nos posts mais antigos. Responderei seu comentário aqui nesse mesmo post. Tem um blog? Deixe seu link que visitarei sempre que possível.
*comentários ofensivos serão apagados